A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IFSP – GESTÃO DE TURISMO FUNDAMENTOS DO TURISMO 1 Mercado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IFSP – GESTÃO DE TURISMO FUNDAMENTOS DO TURISMO 1 Mercado."— Transcrição da apresentação:

1 IFSP – GESTÃO DE TURISMO FUNDAMENTOS DO TURISMO 1 Mercado

2 M ERCADO Existência de um Mercado está condicionada a 03 condições: que haja uma necessidade que exista um desejo de satisfazê-la que haja capacidade de compra, ou ao menos crédito disponível Mercado é a situação social em que pessoas se comportam como consumidores. Estes buscam adquirir seu objeto de consumo (bens, serviços e/ou experiências). Os quais são disponibilizados para atender às suas necessidades.

3 S UBSISTEMA DO M ERCADO Definição de Mercado segundo Philip Kotler O mercado consiste em todos os consumidores potenciais que compartilham de uma necessidade ou desejo específico, dispostos e habilitados para fazer uma troca que satisfaça essa necessidade ou desejo. As três questões fundamentais ao estudo do mercado: O que produzir (Qual a necessidade a ser atendida) Eficiência Atributiva Como produzir (Com maior qualidade e menor custo) Eficiência Produtiva Para quem produzir (Qual grupo ou segmento apresenta tal necessidade) Eficiência Distributiva

4 CLASSIFICAÇÃO DOS MERCADOS Pelo ponto de vista: Espacial/Geográfico: Regional Internacional Temporal (Adequação da Oferta à Demanda) Mercados de Tempo Mínimo Mercados de Tempo Curto Mercados de Tempo Longo Da Concorrência Pura ou Perfeita Imperfeita (predominante) Monopólios Oligopólios

5 C ONSUMO TURÍSTICO O consumo turístico é uma aquisição de produtos turísticos (bens e serviços) que tem como objetivo atender a uma necessidade do turista. Consumo turístico primário : aquisição de bens ou serviços diretamente relacionados com o turismo, como alojamento, transporte, etc. Consumo turístico secundário : gasto realizado em bens e serviços que não são propriamente turísticos, mas que são utilizados por qualquer pessoa como, por exemplo, supermercados, farmácias, bancos, etc.

6 M ERCADO TURÍSTICO Demanda Turistas Oferta Recursos turísticos Serviços e equipamentos turísticos Infraestrutura e serviços básicos

7 M ERCADO DE T URISMO TuristasAgênciaOperadora Acomodação Transporte Alimentação Entretenimento ProdutoresFormatadoresDistribuidoresConsumidores Componentes do Mercado Turístico

8 D EMANDA TURÍSTICA É o número total de pessoas que viajam ou decidem viajar, para desfrutar de instalações turísticas e de serviços em locais diferentes do local de trabalho ou da residência habitual. Mathieson e Wall, 1982

9 Demanda – Definições Demanda real: aquele que efetivamente está viajando, facilmente mensurável, e que compreende as estatísticas do turismo Demanda reprimida ou suprimida: aquela que quer viajar, mas está impedida por várias razões. Entre essas, estão: Demanda potencial: é aquela demanda reprimida que irá viajar mais cedo ou mais tarde, mas que não pode viajar imediatamente, ou quando gostaria de fazê- lo, por fatores próprios que a impedem, tais como não disponibilidade de férias ou o fato de ainda estar juntando dinheiro

10 Demanda – Definições Demanda reprimida ou suprimida (continuação): Demanda deferida: é aquela que, por problemas com os fornecedores (falta de lugar nos meios de hospedagem ou nas empresas transportadoras) ou pelo clima (nevasca), entre outros, termina tendo que adiar a viagem para uma outra data. Demanda Excessiva: Kotler & Armstrong (1993) criaram tal denominação, considerando os casos que a demanda excede a oferta de um produto ou serviço.

11 Demanda – Definições Demanda reprimida ou suprimida (continuação): Não-demanda: gostaria de viajar, mas nunca terá disponibilidade para tal (falta de dinheiro, saúde, tempo, etc.) LOHMANN, G. e PANOSSO, A

12 C ARACTERÍSTICAS DA DEMANDA TURÍSTICA Sazonalidade Elasticidade Concentração espacial Heterogeneidade

13 S AZONALIDADE DA DEMANDA

14 CLASSIFICAÇÕES DA DEMANDA Lazer, recreação e férias Visitas a parentes e amigos Negócios e motivos profissionais Tratamento de saúde Religião / peregrinações Outros OMT

15 Hierarquia de necessidades de Maslow

16 O FERTA TURÍSTICA Todos os bens e serviços que estão a disposição dos visitantes, por um dado preço em um determinado período de tempo. Panosso & Lohmann, 2008

17 O FERTA T URÍSTICA Recursos turísticos: são elementos potencialmente aproveitáveis em termos de atratividade turística, mas que por falta de determinados elementos (estruturais, informativos, acesso físico, legais, etc.) não pode ser consumido em termos mercadológicos (BAUER, 2013). Serviços e equipamentos turísticos: Meios de hospedagem Alimentação Transportes Entretenimento Outros Infraestrutura básica e de apoio

18 O FERTA T URÍSTICA Atrativos turísticos: lugar, objeto ou acontecimento de interesse turístico que motiva o deslocamento de grupos humanos. Serviços e equipamentos turísticos: conjunto de edificações, instalações e serviços indispensáveis ao desenvolvimento da atividade turística. Infraestrutura básica e de apoio : conjunto de obras e instalações da estrutura física da base, que cria condições complementares para o desenvolvimento da atividade turística.

19 A TRATIVOS TURÍSTICOS Recurso turístico -Facilidades de acesso (físico e informativo) - Instalações (Infraestrutura) - Equipamentos e Serviços Atrativo

20 S UBSISTEMA DA O FERTA Noção de Oferta em Turismo... A oferta em turismo pode ser concebida como o conjunto dos recursos naturais e culturais que, em sua essência, constituem a matéria-prima da atividade turística porque, na realidade, são esses recursos que provocam a afluência de turistas. A esse conjunto agregam-se os equipamentos e serviços produzidos para dar consistência ao seu consumo, os quais compõem os elementos que integram a oferta em seu sentido amplo, numa estrutura de mercado. (BENI, 1998).

21 O FERTA T URÍSTICA PRIMÁRIA OU ORIGINAL Conjunto de atrativos turísticos que já existiam anteriormente ao estabelecimento da atividade turística e cuja razão de ser não é o turismo. A questão de autenticidade é essencial ao entendimento do que constitui a oferta original Oferta Original pode ser classificada em: Hidromo: elementos hídricos Fitomo: vegetação Litomo: valores criados pelo homem Antropomo: atividades do homem

22 OFERTA PRIMÁRIA OU ORIGINAL - CLASSIFICAÇÃO UTILIZADA PARA PLANEJAMENTO Oferta Natural Oferta Cultural Oferta Científico-Tecnológica Oferta de Acontecimentos Programados (Eventos)

23 O FERTA T URÍSTICA D ERIVADA OU T ÉCNICA Fornecem condições para usufruto da oferta original, complementando-a. Representam o conjunto de edificações, de instalações e serviços indispensáveis ao desenvolvimento da atividade turística. Compreendem os meios de hospedagem, os serviços de alimentação, de entretenimento, de agenciamento, de informação turística e outros serviços e equipamentos (Adaptado de EMBRATUR, 1994, p.8).

24 T RANSPORTES Equipamentos Aeronaves, ônibus, navios de cruzeiros, barcos,, bondinhos e teleféricos. Serviços Transporte até o destino e dentro da região, aluguel de veículos, estada em cruzeiro marítimo, passeio.

25 M EIOS DE H OSPEDAGEM Equipamentos Hotéis, albergues, pensões, pousadas, área de camping, resorts, hospedagem doméstica, etc. Serviços Hospedagem nos equipamentos. Em alguns casos, refeições, recreação, serviços de lazer.

26 A LIMENTOS E BEBIDAS Equipamentos Bares, cantinas, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, padarias, cafés, casas de chá, docerias, sorveterias, casas de suco, barraquinhas de comida rápida, etc. Serviços Oferecimento de alimentos e bebidas. Muitas vezes, complementado pelo conforto de um local aconchegante, música ao vivo, história e cultura do local.

27 RECREAÇÃO E ENTRETENIMENTO Equipamentos Estádios esportivos, parques de diversão, praças, casas de show, teatros, cinemas, circos, boates, etc. Serviços Recreação e entretenimento propriamente ditos. Atendimento a necessidades específicas e momentâneas. Brincar, assistir a um show, etc.

28 O UTROS Equipamentos Agências de viagem e operadoras turísticas, casas de câmbio, centros de informação turística, mirantes, locais que comercializam produtos turísticos. Serviços Venda de passagens ou pacotes, prestação de informações (real ou virtual), câmbio de moedas, consultoria, venda de souvenires e artesanato em geral.

29 PRODUTO TURÍSTICO - DEFINIÇÕES Composto de bens e serviços unidos por relações de interação e interdependência que o torna extremamente completo (RUSCHMANN, 1991) Inclui recursos e atrativos naturais e artificiais, equipamentos e infraestruturas, serviços, atitudes recreativas, imagens e valores simbólicos, constituindo-se num conjunto de determinados benefícios capazes de atrair certos grupos de consumidores em busca de uma satisfação das suas motivações e expectativas (DROULERS e MILANI, 2002).

30 Composto por bens e serviços, tangíveis e intangíveis. Perecibilidade – o serviço não pode ser estocado Composição de produtos imóveis – o produto turístico não se desloca até o consumidor Intangibilidade – não pode ser provado antes do uso Rigidez – não permite a transformação do produto Heterogeneidade – difícil de prover o mesmo serviço/experiência todas as vezes PRODUTO TURÍSTICO - CARACTERIZAÇÃO

31 C ARACTERÍSTICAS DO P RODUTO TURÍSTICO Inseparabilidade – um serviço é produto somente no momento do consumo. Antes existe apenas a oferta. Liberdade na composição do produto Pagamento adiantado Envolvimento de diversos profissionais no processo de criação e oferta do produto Consumo estimulado – o turismo é estimulado pelo próprio turismo Não – propriedade – o turista (consumidor) não é dono do produto/experiência turística que consome.

32 C ARACTERÍSTICAS DO P RODUTO TURÍSTICO Experiência integral: fase da antecipação fase do consumo fase da memória Turista é parte da produção: suas atitudes e comportamento influenciam a experiência Influência de fatores externos: clima, greve, epidemias, etc.

33 ECONOMIA DA EXPERIÊNCIA Pine & Gilmore, 1999


Carregar ppt "IFSP – GESTÃO DE TURISMO FUNDAMENTOS DO TURISMO 1 Mercado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google