A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conceitos e técnicas de gestão de estoque. Administração de Recursos Materiais Professor: Guillermo Asper Turma 100 Matheus Lustosa Lemos 08/37008 Ester.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conceitos e técnicas de gestão de estoque. Administração de Recursos Materiais Professor: Guillermo Asper Turma 100 Matheus Lustosa Lemos 08/37008 Ester."— Transcrição da apresentação:

1 Conceitos e técnicas de gestão de estoque. Administração de Recursos Materiais Professor: Guillermo Asper Turma 100 Matheus Lustosa Lemos 08/37008 Ester Hidalgo Mauch 08/28661 Lara Lins 08/33860 Márcia Caroline Ferreira 07/53840 Rina Barbosa Banza de Arruda 04/92922 Thiago Alves de Macedo 08/41749

2 2 Just in Time (JIT) > Visa atender a demanda instantaneamente com qualidade e sem desperdícios. > Possibilita a produção eficaz em termos de custo, o fornecimento da quantidade necessária de componentes, no momento e em locais corretos utilizando o mínimo de recursos.

3 Princípios do Just in Time >Qualidade: deve ser alta porque erros reduzem o fluxo de materiais. >Velocidade: essencial para atender a demanda dos clientes diretamente conectados com a produção, em vez de por meio de estoques. >Confiabilidade: Pré requisito para se ter um fluxo rápido de produção. >Flexibilidade: importante para que se consiga produzir em lotes pequenos, >Compromisso: comprometimento entre fornecedor e comprador de modo que o cliente receba sua mercadoria no prazo e local determinado.

4 4 Propósito do JIT >No JIT, o produto é solicitado quando necessário, e o material é movimentado para produção. É um sistema de produção sob encomenda e o planejamento é realizado em direção para trás e puxado pelo cliente e não para frente empurrado para o estoque. >Identifica e ataca os problemas fundamentais e gargalos. >Elimina perda, desperdícios e processos complexos >Implementa sistemas e procedimentos >No ambiente do JIT é inadmissível ter um percentual mínimo de produtos defeituosos. Toda perda com produção em excesso, retrabalhos e com atividades que não agregam valor, como inspeção, controle de qualidade, movimentação precisa ser eliminada.

5 Custo Versus Benefício do JIT É necessário uma mudança radical no relacionamento com os fornecedores que devem conduzir a: >Contratos de longo prazo >Demandas previsíveis, com solicitações flexíveis; >Comunicação das mudanças mais rápida e em tempo real; >Produtos de alta qualidade e constância; >Tempos de entrega curtos e garantidos; >Proximidade dos fornecedores nos clientes, inclusive física. Benefícios: >Redução do custo de compras; >Diminuição do número de fornecedores e burocracia; >Menores níveis de estoques; >Redução do espaço de estocagem; >Lead time reduzido; >Melhores níveis de serviço ao cliente; >Redução da perda de matérias-primas e refugo.

6 6 Fluxo descontínuo de material >Esse sistema é conhecido como método de empurrar estoque, o fluxo de material é empurrado ao longo do processo pela fábrica até a distribuição para suprir os clientes. Esse sistema começa com a previsão de vendas que é a base para os programas de produção, os quais são convertidos para os planos de compras. À medida que os pedidos dos clientes chegam, eles são atendidos com os produtos acabados estocados nos depósitos que a fábrica produz contra a previsão de vendas. >Esse enfoque é vantajoso quando os lotes econômicos de produção ou compra são superiores aos necessários a curto prazo. >A maior crítica é pelo fato da necessidade manter estoques substanciais.

7 Métodos do sistema de puxar estoque Estoque para Demanda >A idéia básica é manter os níveis de estoque proporcionais a sua demanda se baseando nos seguintes pontos: >Verificação da duração do tempo de ressuprimento para o item considerado; >Previsão da demanda do item em determinado período; >Determinação do período de segurança a considerar pela incerteza na previsão da demanda e o tempo de ressuprimento. Ponto de reposição >Conhecido também como método do estoque mínimo, objetiva otimizar os investimentos em estoque. A função do ponto de reposição é dar início ao processo de ressuprimento com tempo suficiente para não ocorrer falta de material. Visa balancear a relação entre: >Estoque elevado (maior custo de manutenção); >Estoque baixo (risco de perda de vendas).

8 Métodos do sistema de puxar estoque Reposição periódica >Consiste em um ciclo de tempo fixo em que as revisões periódicas do nível de estoque são efetuadas e este precisa ser determinado pela empresa.

9 9 Curva ABC >Trata-se de classificação estatística de materiais, baseada no diagrama de Pareto, em que se considera a importância dos materiais, baseada nas quantidades utilizadas e no seu valor. >Numa organização, a curva ABC é muito utilizada para a administração de estoques, mas também é usada para a definição de políticas de vendas, para o estabelecimento de prioridades, para a programação de produção, etc. >Ela consiste na verificação, em certo espaço de tempo (normalmente 6 meses ou 1 ano), do consumo em valor monetário, ou quantidade dos itens de estoque, para que eles possam ser classificados em ordem decrescente de importância. >Aos itens mais importantes de todos, segundo a ótica do valor, ou da quantidade, dá-se a denominação de itens da classe A, aos intermediários, itens da classe B, e aos menos importantes, itens da classe C.

10 Como se obtém a curva ABC >1ª Etapa: > - relaciona-se todos os itens que foram consumidos em determinado período; - para cada item registra-se o preço unitário e o consumo no período considerado (se a análise fosse sobre vendas, ou sobre transporte, ao invés de consumo seria usada a quantidade vendida, ou a quantidade transportada, etc.); - para cada item calcula-se o valor do consumo, que é igual ao preço unitário x consumo; - registra-se a classificação do valor do consumo (1 para o maior valor, 2 para o segundo maior valor, e assim por diante). >2ª Etapa: >- ordena-se os itens de acordo com a classificação; - para cada item, lança-se o valor de consumo acumulado, que é igual ao seu valor de consumo somado ao valor de consumo acumulado da linha anterior; - para cada item, calcula-se o percentual sobre o valor total acumulado, que é igual ao seu valor de consumo acumulado dividido pelo valor de consumo acumulado do último item.

11 11 Balanceamento de capacidade >Uma fábrica balanceada não é algo possível ou desejável. Temos de aceitar que uma fábrica sempre tem um recurso com capacidade menor que os demais e para tirar o máximo dela, precisamos certificar-nos de que todos os seus recursos tenham uma quantidade mínima de capacidade a mais que o recurso com menor capacidade(a restrição), para que o fluxo não seja interrompido pela restrição. Essa quantidade a mais de capacidade é denominada de capacidade protetora. >A teoria de restrições classifica a capacidade de um recurso em três categorias: >Capacidade produtiva: é a capacidade que a empresa irá efetivamente usar do recurso para produção, a fim de atender a demanda >Capacidade protetora: é a capacidade a mais que é necessária nos recursos não-restrição, para que eles não interrompam o fluxo produtivo e não parem a restrição >Capacidade ociosa: é a diferença entre a capacidade disponível e as capacidades produtiva e protetora, é o que sobra

12 12 Fluxo contínuo de material >O fluxo contínuo começou com o conceito do JIT. >Quando o pedido do cliente chega ele é transmitido para a fabrica e não para o depósito. A fábrica produz contra a demanda em, ciclos de produção curtos e rápidos. Ela despacha o produto aos clientes, ou diretamente ou por meio de estoque regulador dessa forma a demanda do cliente, puxa o fluxo de material. >Segundo esse enfoque, estoque de produtos acabados é evitado tanto quanto possível especialmente estoque de segurança a razão disso é que a produção ocorre contra a demanda real. Um pequeno estoque pode ser produzido contra previsão, como estoque regulador para facilitar o transporte e reduzir custos. >As relações com os fornecedores passam a tomar a forma de parcerias e de longo prazo.

13 13 Fluxo sincrônico de material >Esse enfoque surgiu frente a necessidade do fluxo contínuo precisar de um lead time muito curto e transferir os problemas de estocagem aos fornecedores, aumentado seus custos. >Nesse enfoque a produção e a distribuição se tornam integradas por meio do uso de tecnologia de informação. A demanda real do cliente dá início ao processo, porém o fluxo de material é balanceado e a informação sobre necessidade de material flui paralelamente, não em série, para todos os envolvidos dessa forma esse enfoque fornece uma resposta mais rápida às mudanças no mercado. >Esse enfoque demanda uma relação ainda mais próxima com o fornecedor.


Carregar ppt "Conceitos e técnicas de gestão de estoque. Administração de Recursos Materiais Professor: Guillermo Asper Turma 100 Matheus Lustosa Lemos 08/37008 Ester."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google