A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada 053.02.07 Data: 26/04/2009 Responsável: Patricia Sá de Roure ( )

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada 053.02.07 Data: 26/04/2009 Responsável: Patricia Sá de Roure ( )"— Transcrição da apresentação:

1 Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada Data: 26/04/2009 Responsável: Patricia Sá de Roure ( ) Grupo: Patricia Roure – 08/42095 Letícia da Costa e Silva – 08/39825 Leandro Furtado – 08/34824 Henrique Vasconcelos - 06/34247 Henrique Vasconcelos - 06/34247

2 Gestão Just in Time (JIT) Derivado da técnica japonesa do Kanban, e visa a produção eficaz evitando o acúmulo de estoques, assim, evitando também maiores custos de manutenção. Derivado da técnica japonesa do Kanban, e visa a produção eficaz evitando o acúmulo de estoques, assim, evitando também maiores custos de manutenção.

3 Just In Time Os 5 princípios básicos são: Os 5 princípios básicos são: 1. Qualidade: prima-se pela alta qualidade para evitar distúrbios na produção 2. Velocidade: Atender clientes de forma rápida e promover maior giro de estoque 3. Confiabilidade: Ter crédito com o consumidor fomenta o fluxo de produção

4 Just In Time Flexibilidade: Capacidade de adaptação rápida a demandas distintas Flexibilidade: Capacidade de adaptação rápida a demandas distintas Compromisso: Deve haver uma noção de cometimento entre as duas partes negociantes Compromisso: Deve haver uma noção de cometimento entre as duas partes negociantes

5 Propósito do JIT Aqui, o produto é solicitado quando necessitado, assim, o cliente ativa a cadeia de pedidos, eliminando desperdícios, atacando gargalos, simplifica o processo e implementa novos sistemas Aqui, o produto é solicitado quando necessitado, assim, o cliente ativa a cadeia de pedidos, eliminando desperdícios, atacando gargalos, simplifica o processo e implementa novos sistemas

6 Custos x Benefícios CUSTOS CUSTOS Contratos de longa duração; Contratos de longa duração; Demandas previsíveis; Demandas previsíveis; Tempos de entrega reduzidos; Tempos de entrega reduzidos; Proximidade empresarial e física entre empresa, cliente e fornecedor; Proximidade empresarial e física entre empresa, cliente e fornecedor; BENEFÍCIOS BENEFÍCIOS Diminuição da burocracia; Diminuição da burocracia; Menores níveis de estoque; Menores níveis de estoque; Lead time reduzido; Lead time reduzido; Melhor serviço ao cliente; Melhor serviço ao cliente; Redução de perdas; Redução de perdas;

7 Fluxo Descontínuo de Material Este sistema engessa a capacidade de resposta de uma organização a uma certa demanda, isso cria uma bola de neve e recrudesce os níveis de estoque e os pedidos de material. Nem sempre, também, atendendo às expectativas dos clientes. Este sistema engessa a capacidade de resposta de uma organização a uma certa demanda, isso cria uma bola de neve e recrudesce os níveis de estoque e os pedidos de material. Nem sempre, também, atendendo às expectativas dos clientes.

8 Estoque para demanda Manter os níveis de estoque proporcionais à demanda Manter os níveis de estoque proporcionais à demanda Tempo de ressuprimento Tempo de ressuprimento Previsão da demanda Previsão da demanda Período de segurança Período de segurança

9 Ponto de reposição Método do estoque mínimo Método do estoque mínimo Otimizar investimentos em estoque Otimizar investimentos em estoque Relação balanceada entre: Relação balanceada entre: versus versus Ressuprimento a tempo de não haver falta de material Ressuprimento a tempo de não haver falta de material Estoque elevado (maior custo de manutenção) Estoque baixo (risco de perda de vendas e/ou paradas na produção)

10 Determinação do PR Produto entre o tempo de ressuprimento e o consumo previsto. Produto entre o tempo de ressuprimento e o consumo previsto. Auxilia no controle da quantidade adicional de estoque Auxilia no controle da quantidade adicional de estoque Menor probabilidade de falta Menor probabilidade de falta

11 Definição do lote de compra ou de reposição Lote de compra (Q): quantidade que balanceia os custos de manutenção e de aquisição. Lote de compra (Q): quantidade que balanceia os custos de manutenção e de aquisição. Custo total do estoque = (custo de aquisição/pedido) x total de pedidos emitidos x valor unitário x estoque médio. Custo total do estoque = (custo de aquisição/pedido) x total de pedidos emitidos x valor unitário x estoque médio. Lote ideal: tabela de alternativas Lote ideal: tabela de alternativas Tamanhos de lote Tamanhos de lote Custo total de cada alternativa Custo total de cada alternativa Escolher o menor custo Escolher o menor custo

12 Reposição periódica T = (lote de reposição/demanda anula) x 52 semanas/ano T =

13 Valor máximo = demanda x período T + demanda máxima x tempo máximo de reposição

14 Importância dos itens em estoque Itens em Estoque Valor do estoque Nível de serviços diferenciados A20%80%99% B30%15%95% C50%5%85% Curva ABC A BC

15 Balanceamento de capacidade Relação de estoque: Relação de estoque: Produto ocioso x recursos ao máximo Flutuações estatisticas Flutuações estatisticas Eventos dependentes Eventos dependentes Equilibrio das capacidades dos recursos Equilibrio das capacidades dos recursos

16 Capacidade produtiva: é a capacidade que a empresa irá efetivamente usar do recurso para produção, a fim de atender à demanda. Capacidade produtiva: é a capacidade que a empresa irá efetivamente usar do recurso para produção, a fim de atender à demanda. Capacidade protetora: é a capacidade a mais que a necessária nos recursos não-restrição, para que eles não interrompam o fluxo produtivo e não parem a restrição. Capacidade protetora: é a capacidade a mais que a necessária nos recursos não-restrição, para que eles não interrompam o fluxo produtivo e não parem a restrição. Capacidade ociosa: é a diferença entre a capacidade disponível e as capacidades produtiva e protetora; é o que sobra. Capacidade ociosa: é a diferença entre a capacidade disponível e as capacidades produtiva e protetora; é o que sobra.

17 Fluxo contínuo de material Lotes cada vez mais menores e mais freqüentes. Lotes cada vez mais menores e mais freqüentes. Evolução do conceito Evolução do conceito Just-in-time Just-in-time Transmição on-line Transmição on-line de pedidos de pedidos Relação com fornecedores se tornam parcerias Relação com fornecedores se tornam parcerias

18 Fluxo sincrônico de material Produção e distribuição integradas por meio de TI. Produção e distribuição integradas por meio de TI. Sistema automatizado de gestão de materiais para compras/produção/distribuição Sistema automatizado de gestão de materiais para compras/produção/distribuição Relação próxima entre cliente-fornecedor, sob forma de economias de confiança Relação próxima entre cliente-fornecedor, sob forma de economias de confiança


Carregar ppt "Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada 053.02.07 Data: 26/04/2009 Responsável: Patricia Sá de Roure ( )"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google