A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração de Recursos Materiais Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Grupo 5: Bruno Fernandes Sugawara - 08/25620 Carla F. de Paula Reis 09/57640.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração de Recursos Materiais Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Grupo 5: Bruno Fernandes Sugawara - 08/25620 Carla F. de Paula Reis 09/57640."— Transcrição da apresentação:

1 Administração de Recursos Materiais Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Grupo 5: Bruno Fernandes Sugawara - 08/25620 Carla F. de Paula Reis 09/57640 Gabriela Brito - 08/30178 Nadja Pires Nahuz - 09/47032 Pedro Henrique L. Baena 08/3842 Yan Longo Silva 10/32453 Prof. Guillermo Asper

2 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Just in time (JIT): Atende a demanda instantaneamente, com qualidade e sem desperdício. Possibilita a produção eficaz em termos de custo, utilizando o mínimo de recursos. É uma derivação do sistema japonês Kanban. Requer os seguintes princípios: –Qualidade; –Velocidade; –Confiabilidade; –Flexibilidade; –Compromisso

3 Propósito do JIT O produto é solicitado quando necessário, e o material é movimentado para produção quando e onde é necessário. É ligado a make to order (sob encomenda). A produção é puxada pelo cliente e não mais empurrada para o estoque Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque ProblemasSolução JIT Máquina não confiávelTorná-la confiável GargalosAtacar os gargalos e aumentar a capacidade Grandes tamanhos de lote Produzir necessidade do cliente a adotar sistema de "puxar" a demanda Longos lead times de produção Melhorar a flexibilidade da produção e reduzir tempo de set up Qualidades insatisfatórias Melhorar processos e trabalhar fornecedores para garantir a qualidade assegurada

4 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Eliminação de Perdas: A perda pode ser definida como qualquer coisa que não seja a quantidade mínima de recursos que é absolutamente essencial para agregar valor ao produto. No ambiente JIT é inadmissível aceitar determinado nível de produção defeituosa. Toda perda com atividades que não agregam valor ao produto, como inspeção, controle de qualidade, movimentação de material, precisa ser eliminada Dinheiro indo pelo ralo

5 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Benefícios do JIT: Para que o JIT funcione com sucesso, há necessidade de uma mudança radical no relacionamento com os fornecedores. Isto deverá conduzir a: –Contratos de longo prazo; –Demandas previsíveis, com solicitações flexíveis; –Comunicação das mudanças mais rápida e em tempo real; –Produtos de alta qualidade e com constância; –Tempos de entrega curtos e garantidos; –Proximidade dos fornecedores nos clientes; Outros benefícios são: –Redução do custo de compras; –Diminuição do número de fornecedores e burocracia; –Menores níveis de estoques; –Redução do espaço de estocagem; –Lead Time reduzido; –Melhores níveis de serviço ao cliente; –Redução da perda de matérias-primas e refugo

6 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Fluxo descontínuo de material: Conhecido como método de empurrar estoque, push. Esse sistema começa na previsão de vendas, que é a base para os programas de produção Os pedidos dos clientes chegam, e são atendidos com os produtos dos depósitos Para repor os estoques, a fábrica produz contra a previsão de vendas e não contra a demanda atual ou do depósito. Esse método é usado também na reposição da matéria-prima O procedimento adotado pela empresa para lidar com o fluxo descontínuo é o MRP II – Planejamento dos Recursos de Distribuição – junto com o DRP – Planejamento dos Recursos de Distribuição. A relação com os fornecedores nesse sistema é denominada arms length, em que os fabricantes solicitam cotações periodicamente e resselecionam seus fornecedores

7 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Fluxo descontínuo de material

8 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Estoque para demanda: É um dos sistemas de empurrar estoques mais simples. A idéia básica é manter os níveis de estoque proporcionais a sua demanda e baseia-se nos seguintes pontos: –Verificação da duração do tempo de ressuprimento para o item considerado; –Previsão da demanda do item em determinado período; –Determinação do período de segurança a considerar pela incerteza na previsão da demanda e o tempo de ressuprimento, necessário para compor o estoque de segurança

9 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Ponto de reposição: Também conhecido como método do estoque mínimo Faz o balanceamento entre: –Estoque elevado (maior custo de manutenção)VERSUS –Estoque baixo (risco de perda de vendas e/ou paradas na produção) Quando o estoque cai a um nível conhecido como ponto de reposição, um pedido de compra ou ressuprimento é disparado em uma quantidade fixa conhecida como lote econômico de compra. Ela é incorporada ao estoque quando da entrega ao final do lead time A figura mostra a quantidade estocada de um item no tempo, o comportamento de seu consumo, em um sistema de lote de ressuprimento fixo e tempo de reposição do estoque variável

10 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Reposição Periódica: Tem um ciclo de tempo fixo em que as revisões periódicas do nível de estoque são efetuadas e este precisa ser determinado pela empresa. Quando o período de revisão ocorre e a quantidade estocada é determinada, um pedido de ressuprimento é emitido e esse volume é calculado como a diferença entre um nível máximo (a ser fixado) e o nível no momento da revisão

11 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Curva ABC: Nem todos os itens estocados merecem a mesma atenção ou precisam manter a mesma disponibilidade para satisfazer os clientes. A curva ABC atende a esse propósito. Baseia-se no raciocínio do diagrama de Pareto, em que nem todos o itens têm a mesma importância. Grosso modo, 20% em quantidade é responsável por 80% do valor. Assim, 20% dos clientes representam 80% das vendas realizadas

12 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Fluxo contínuo de material: Quando o pedido do cliente chega, ele é repassado para a fábrica, e não para o depósito. A fábrica produz contra a demanda e despacha o produto direto para o cliente. O estoque de produtos acabados é evitado tanto quanto possível, especialmente estoque de segurança. A produção ocorre contra a demanda real. A informação flui mais rápido por causa da ausência dos estoques de segurança. Os clientes estabelecem relações de longo prazo com poucos fornecedores para cada produto ou serviço

13 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Fluxo sincrônico de material: Está emergindo como um novo enfoque ainda mais eficiente onde a distribuição e produção se tornam integradas por meio do uso de tecnologias de informação O fluxo do material é balanceado de uma só vez ao longo do processo de compras/produção/distribuição por um sistema automatizado de gestão de materiais A demanda do cliente dá início ao processo onde o fluxo do material é agora balanceado e a informação sobre a necessidade de material flui paralelamente para todos os envolvidos. Estabelece uma relação mais próxima entre cliente e fornecedor que se denomina simbiótica. São relações estabelecidas para um largo período motivando os fornecedores a melhorarem suas performances Essa proximidade de relação dá oportunidade a reduções de custos adicionais em conjunto, sob forma de economias de confiança

14 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Fluxo sincrônico de material:

15 Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque


Carregar ppt "Administração de Recursos Materiais Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoque Grupo 5: Bruno Fernandes Sugawara - 08/25620 Carla F. de Paula Reis 09/57640."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google