A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Comunicação Empresarial na Prática Sandra Helena Terciotti Isabel Macarenco 1ª Edição| 2009 |

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Comunicação Empresarial na Prática Sandra Helena Terciotti Isabel Macarenco 1ª Edição| 2009 |"— Transcrição da apresentação:

1 Comunicação Empresarial na Prática Sandra Helena Terciotti Isabel Macarenco 1ª Edição| 2009 |

2 Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações

3 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Para Izidoro Blikstein (1987), um texto poderá ser considerado bem escrito quando: Obedecer às normas gramaticais; Primar pela clareza, sem frases ou palavras que gerem duplo sentido; Primar pela polidez do discurso, por meio de formas de tratamento adequadas ao interlocutor. O que é necessário para escrever bem? COMUNICAÇÃO ESCRITA

4 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Outros aspectos que devem ser considerados: Observar o tripé da comunicação escrita; Usar o tipo de código adequado à comunicação escrita; Evitar ruídos, redundâncias, pleonasmos e tautologias; Saber esfriar a mensagem, ou seja, torná-la mais atraente e persuasiva. O que é necessário para escrever bem?

5 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Segundo Izidoro Blikstein, quem escreve deve procurar: Produzir uma resposta correta; Tornar seu pensamento comum; Persuadir seu interlocutor. Principais motivos pelos quais a comunicação escrita pode não produzir a resposta certa: Dificuldade de tornar o pensamento comum ao interlocutor; Falta de aptidão ou habilidade para persuadir o interlocutor. O que é constitui o tripé de comunicação escrita?

6 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Código – conjunto de regras gramaticais por meio dos quais os signos se combinam para permitir a expressão e a comunicação entre os usuários de uma língua. Tipos de códigos: Código aberto – apresenta mais de um significado e, consequentemente, mais de uma resposta para um mesmo significante, por isso, permite múltiplas interpretações. Qual é o tipo de código adequado à comunicação escrita?

7 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Caso de código fechado Código fechado – apresenta um único significado para cada significante e, consequentemente, uma única resposta; É o que deve ser empregado nas comunicações escritas organizacionais. Qual é o tipo de código adequado à comunicação escrita?

8 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Ruídos– qualquer elemento que dificulte a comunicação e que não seja pretendido pelo emissor. Os ruídos podem ser causados pelos seguintes fatores: Diferença de linguagem e de vocabulário entre o emissor e o receptor; Diferença de repertório entre o emissor e o receptor; Falta de sequência de raciocínio lógico; Presença de ideias estereotipadas ou preconceituosas; Uso de canais ou veículos ( s, memorandos, relatórios etc.) inadequados ao tipo de comunicação; Uso de redundâncias; pleonasmos; clichês e tautologias. O que são ruídos na comunicação escrita?

9 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações É o conjunto de conhecimentos de determinada pessoa que é constituído por sua experiência de vida, grau de escolaridade, atividade profissional, pelos livros que leu etc. Como o repertório pode comprometer a eficácia da comunicação escrita? Quando o emissor não procurar conhecer bem o repertório do receptor de sua mensagem antes de iniciar seu texto. O que é repertório?

10 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Caracteriza-se pela previsibilidade ou repetição do conteúdo da mensagem, podendo ocorrer espontânea ou intencionalmente. O que é pleonasmo? Também é uma forma de redundância, como repetição de termos, que em certos casos, têm o objetivo de dar mais força ao texto. Existem dois tipos de pleonasmo: pleonasmo vicioso pleonasmo literário O que é redundância?

11 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Pleonasmo vicioso – é caracterizado pela repetição desnecessária de um termo na frase. É normalmente definido como excesso de palavra. Exemplos: A grande maioria deles (se é maioria, logo, é grande); Cair um tombo; Cursar um curso; Sair para fora. O que é pleonasmo?

12 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Pleonasmo literário – é o uso do pleonasmo como figura de linguagem para enfatizar algo em determinado texto com o propósito, por exemplo, de acentuar sua poeticidade e de aumentar sua força. Exemplos: E rir meu riso e derramar meu pensamento (Soneto da Fidelidade, de Vinicius de Moraes); Eu nasci há dez mil anos atrás. (Música homônima de Raul Seixas) O que é pleonasmo?

13 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Clichês – expressões que, por serem muito repetidas pelo povo, pela imprensa etc., tornam-se completamente banalizadas e perdem sua força original. Exemplos: Agradar a gregos e troianos; A hora da verdade; Aparar as arestas; Apertar os cintos. O que são clichês?

14 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Tautologia – caracteriza-se pelo uso de palavras diferentes para expressar a mesma ideia. Algumas construções tautológicas que devem ser evitadas: O que é tautologia? EvitarPreferir Abertura inauguralAbertura/Inauguração Amanhecer o diaAmanhecer A seu critério pessoalA seu critério Com certeza absolutaCom certeza/Certamente Comparecer pessoalmenteComparecer

15 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Esfriar uma mensagem – significa torná-la mais prazerosa e menos complexa, exigindo, portanto, menos esforço do leitor para compreendê-la e interpretá-la. Esquema classificatório para tornar compreensível as diferenças entre mensagens quentes e frias, proposto por Izidoro Blikstein (1987): Como esfriar a comunicação escrita para torná-la mais atraente? Mensagem quenteMensagem fria Mais informaçãoMenos informação Mais definiçãoMenos definição Mais formalismo na linguagemMenos formalismo na linguagem Mais rigidezMenos rigidez Mais tensãoMenos tensão

16 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Peças de comunicação classificadas como quentes: Artigos científicos; Dissertações de mestrado; Livros técnicos; Monografias; Teses de doutorado Como esfriar a comunicação escrita para torná-la mais atraente? Mensagem quenteMensagem fria Mais complexidadeMenos complexidade Demanda mais esforçoDemanda menos esforço Menos atraenteMais atraente

17 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Peças de comunicação classificadas como frias: Revistas em quadrinhos; Revistas femininas; Programas de rádio; Programas de televisão. A opção por mensagens quentes e frias dependerá dos seguintes fatores: Objetivos que o emissor pretende alcançar com sua comunicação escrita; Repertório do receptor da mensagem. Como esfriar a comunicação escrita para torná-la mais atraente?

18 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Misturar signos linguísticos (letras, frases, parágrafos) a signos icônicos (gráficos de barra, gráficos de pizza, tabelas etc.). Como tornar a comunicação escrita mais atraente: Considerar os objetivos da mensagem; Considerar o repertório do leitor; Esfriá-la; Misturar signos icônicos aos signos linguísticos; tornar sua decodificação menos linear e mais icônica. Como esfriar a comunicação escrita para torná-la mais atraente?

19 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações O que é necessário para elaborar mensagens eletrônicas bem escritas? 1.Refira-se às pessoas pelos nomes em vez de referir-se a elas por sua função ou cargo; 2.Trate primeiramente da ação e somente depois forneça a explicação; 3.Prefira a voz ativa à voz passiva analítica; 4.Informe ao leitor, de forma explícita e objetiva, o que deseja; 5.Prefira a ordem sintática direta (sujeito-verbo-complemento) em lugar da transposição ou inversão da ordem natural das palavras da oração;

20 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações 6.Indique com precisão dados com números, valores e índices percentuais; 7.Também é desejável formular perguntas ao receptor de sua mensagem;; 8.Exerça a empatia e valorize a ação ou a participação do receptor de sua mensagem; 9.Evite clichês e empregue frases curtas; 10.Evite usar jargões ou linguagem técnica; 11.Elabore o texto na 1ª pessoa do singular; 12.Não use figuras retóricas (metáforas, comparações etc.); 13.Evite o gerundismo (ir+ estar + gerúndio).

21 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Saiba onde quer chegar Antes de redigir uma carta, faça um esboço listando e organizando as principais ideias e argumentos. Características para elaborar uma carta: Declarar a ideia principal; Fornecer detalhes necessários; Fechar com um pedido cordial para uma ação específica. Cartas

22 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Como elaborar uma solicitação? Comece pela solicitação; Diga porque precisa da informação e qual o seu grau de urgência. Como comunicar boas notícias? Utilize canais diretos da empresa; Recomendações: Tenha uma ideia clara do que deseja dizer e tente ser claro e objetivo; Tenha em mente que está preparando o receptor de sua mensagem para algumas informações que virão a seguir. Cartas

23 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Como tornar a leitura fácil e agradável? Períodos e parágrafos curtos são mais fáceis de serem lidos; Para enfatizar as ideias principais, sublinhe as sentenças ou enumere os pontos principais. Como redigir más notícias de forma indireta? 1.Suavize; 2.Indique as razões; 3.Dê a má notícia; 4.Faça um fechamento positivo. Cartas

24 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Como redigir más notícias de forma direta? 1.Dê a má notícia; 2.Indique as razões; 3.Faça um fechamento positivo. Como ser criativo? Quando tiver de apresentar algum problema ao chefe, procure vislumbrar e apontar soluções para resolvê-lo, demonstrando iniciativa e criatividade. Cartas

25 Capa da Obra Capítulo 8 Comunicação escrita nas organizações Procure elaborar um currículo que lhe permita ser o mais avançado dos concorrentes, a fim de alcançar seu objetivo; Construa o currículo a partir de suas competências, habilidades e atitudes. Curriculum Vitae


Carregar ppt "Comunicação Empresarial na Prática Sandra Helena Terciotti Isabel Macarenco 1ª Edição| 2009 |"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google