A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Atividades para melhorar o diálogo e a convivência na sala de aula Rosario Ortega e Rosario del Rey.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Atividades para melhorar o diálogo e a convivência na sala de aula Rosario Ortega e Rosario del Rey."— Transcrição da apresentação:

1 Atividades para melhorar o diálogo e a convivência na sala de aula Rosario Ortega e Rosario del Rey

2 Uma boa relação aluno/professor é fundamental para um desenvolvimento eficaz do processo ensino/aprendizagem. O surgimento de climas de conflito são reais na sala de aula e os mesmos poderão estar ligados tanto à actividade profissional dos docentes, como à aprendizagem dos alunos.

3 O professor não admite a existência de conflitos com os seus alunos por estar associado à deterioração da sua autoridade. O professor não admite a existência de conflitos com os seus alunos por estar associado à deterioração da sua autoridade. Os alunos questionam as dificuldades de comunicação para com os docentes, como indício de não ser dada a devida importância às suas questões. Os alunos questionam as dificuldades de comunicação para com os docentes, como indício de não ser dada a devida importância às suas questões. Perde-se o interesse/motivação nas actividades, dificultando a relação entre eles. Perde-se o interesse/motivação nas actividades, dificultando a relação entre eles. A inexistência de confiança entre ambos poderá culminar em sentimentos de incapacidade e ausência de brio profissional e académico. A inexistência de confiança entre ambos poderá culminar em sentimentos de incapacidade e ausência de brio profissional e académico.

4 COMO RESOLVER? A resolução do conflito deverá ser directamente entre as partes ou procurando ajuda externa, devendo haver liberdade de expressão que promova a comunicação e diminua as tensões emocionais. A resolução do conflito deverá ser directamente entre as partes ou procurando ajuda externa, devendo haver liberdade de expressão que promova a comunicação e diminua as tensões emocionais.

5 O texto Atividades para melhorar o diálogo e a convivência na sala de aula, de Rosário Ortega e Rosário del Rey apresenta dez exemplos de actividades de forma a promover o diálogo e enriquecer as vias de comunicação e o relacionamento interpessoal entre professores e alunos na sala de aula. Estas actividades fundamentam-se nos seguintes princípios: Atribuição de valor e importância ao respeito mútuo e ao diálogo; Atribuição de valor e importância ao respeito mútuo e ao diálogo; Expressões verbais simples, directas e respeitosas; Expressões verbais simples, directas e respeitosas;

6 Explicitação aos alunos que a sua liberdade de expressão não pode incluir insultos; Avaliação e desejo de fazer uma apresentação objectiva, sucinta e inequívoca dos factos; Valorização da dinâmica de grupo caracterizado pela cooperação e diálogo; Valorização do ponto de vista do outro; Negociação de normas de sala de aula; Delimitação do tempo, espaço e recursos para as actividades se desenvolverem espontaneamente; Atribuição equilibrada de papéis, para não haver alunos excluídos;

7 Estrutura das actividades Nome da actividade; Nome da actividade; Justificativa; Justificativa; Objectivos; Objectivos; Duração; Duração; Sequência de tarefas; Sequência de tarefas; Recursos, condições e recomendações. Recursos, condições e recomendações.

8 Algumas actividades a dinamizar na sala 1ª actividade: A Vida nas Salas de Aula 1ª actividade: A Vida nas Salas de Aula Rosário Ortega e Rosário del Rey Rosário Ortega e Rosário del Rey A presente actividade promove o desenvolvimento de um programa de educação de sentimentos e o trabalho de grupo cooperativo. Objectivos: Analisar as causas que pode ter uma situação social. Analisar as causas que pode ter uma situação social. Potencializar a capacidade de análise diante de situações socialmente difíceis. Potencializar a capacidade de análise diante de situações socialmente difíceis.Duração: Entre 2 a 4 horas, aproximadamente.

9 Sequência de tarefas A)Tarefa individual Cada aluno deverá inventar um possível final de uma situação de um texto dado. B)Tarefa em pequenos grupos Os alunos apresentarão os finais dos textos que tenham redigido e deverão debater sobre as possíveis causas que a situação tenha gerado. Os alunos apresentarão os finais dos textos que tenham redigido e deverão debater sobre as possíveis causas que a situação tenha gerado. C)Tarefa em grande grupo O representante de cada grupo deverá apresentar aos outros colegas as causas que levaram ao aparecimento do problema de partida e o secretário da turma deve ir fazendo um esquema de análise. A tarefa termina com o consenso geral. D)Tarefa de avaliação A avaliação da actividade deve estar centrada na participação A avaliação da actividade deve estar centrada na participação dos alunos durante a resolução das tarefas. dos alunos durante a resolução das tarefas.

10 Recursos, Condições e Recomendações: Os pequenos grupos podem ser, no máximo, de três ou quatro alunos, exigindo assim um diálogo directo; Os pequenos grupos podem ser, no máximo, de três ou quatro alunos, exigindo assim um diálogo directo; Interrogar por quê? (pretende explicitar e tentar desdobrar uma determinada situação); Interrogar por quê? (pretende explicitar e tentar desdobrar uma determinada situação); Depois da apresentação do primeiro pequeno grupo, o grande grupo, deverá perguntar aos restantes elementos se estes encontraram as mesmas causas, de forma a que o secretário vá completando o esquema da turma; Depois da apresentação do primeiro pequeno grupo, o grande grupo, deverá perguntar aos restantes elementos se estes encontraram as mesmas causas, de forma a que o secretário vá completando o esquema da turma; Deverá ser dada continuidade ao trabalho realizando a Actividade 2. Deverá ser dada continuidade ao trabalho realizando a Actividade 2.

11 Actividade 2: A Vida nas Salas de Aula II As dinâmicas sociais serão analisadas a partir do seu início e não em relação aos seus efeitos. Objectivos: Desenvolver actividades de forma a analisar as situações complicadas de sala de aula, de modo a envolver os alunos no melhoramento da convivência entre todos; Desenvolver actividades de forma a analisar as situações complicadas de sala de aula, de modo a envolver os alunos no melhoramento da convivência entre todos; Desenhar planos de actuação. Desenhar planos de actuação.Duração: Entre 2 a 4 horas, aproximadamente.

12 Sequência de tarefas 1. Tarefa individual Apresenta-se o esquema resultante da actividade 1 devendo cada aluno escolher uma causa a ser modificada. Os alunos terão cerca de dez minutos para realizarem um plano de acção para intervir sobre esse assunto. Apresenta-se o esquema resultante da actividade 1 devendo cada aluno escolher uma causa a ser modificada. Os alunos terão cerca de dez minutos para realizarem um plano de acção para intervir sobre esse assunto. 2. Tarefa em pequenos grupos Cada aluno descreverá o seu plano de acção e os outros elementos do grupo devem ser críticos. 3.Tarefa em grande grupo O porta-voz de cada grupo deverá apresentar aos colegas o seu plano de acção e estes por sua vez deverão averiguar as causas às quais tentam dar soluções. O porta-voz de cada grupo deverá apresentar aos colegas o seu plano de acção e estes por sua vez deverão averiguar as causas às quais tentam dar soluções. 4.Tarefa de avaliação Deve -se avaliar o envolvimento dos alunos na solução Deve -se avaliar o envolvimento dos alunos na solução de problemas ou criar um plano de acção realista e ajustado às características da escola e respectiva sala de aula.

13 Recursos, Condições e Recomendações: O esquema como como, pretende facilitar as decisões de grupo depois de ter explicitar as causas gerais e específicas de uma situação problemática, por intermédio de medida de prevenção e diagnóstico da situação; O esquema como como, pretende facilitar as decisões de grupo depois de ter explicitar as causas gerais e específicas de uma situação problemática, por intermédio de medida de prevenção e diagnóstico da situação; Os alunos não devem saber as razões que os seus colegas escolheram, porque no fim deverão averiguá-los, de maneira a se fazerem alguns ajustes; Os alunos não devem saber as razões que os seus colegas escolheram, porque no fim deverão averiguá-los, de maneira a se fazerem alguns ajustes; Caso não tenha havido oportunidade para realizar esta actividade, pode-se começar por escolher uma situação problemática, mediante uma brainstorm, baseandando-se no esquema por quê? por quê? Caso não tenha havido oportunidade para realizar esta actividade, pode-se começar por escolher uma situação problemática, mediante uma brainstorm, baseandando-se no esquema por quê? por quê? Caso se tenha decidido levar a cabo algum plano de acção, não se deverá esquecer de o antever com os alunos. Caso se tenha decidido levar a cabo algum plano de acção, não se deverá esquecer de o antever com os alunos.

14 Actividade 3: E tu, como farias? Esta actividade pretende levar o aluno a compreender a posição do professor, enquanto pessoa (sentimentos e preocupações). Objectivos: Analisar a variedade de estilos de ser professor (a). Analisar a variedade de estilos de ser professor (a). Compreender os sentimentos e emoções que o professor pode sentir. Compreender os sentimentos e emoções que o professor pode sentir. Estudar as expectativas que o professor desperta entre os seus alunos. Estudar as expectativas que o professor desperta entre os seus alunos. Compreender as expectativas entre professor e alunos. Compreender as expectativas entre professor e alunos. Compreender o professor como dinamizador da turma. Compreender o professor como dinamizador da turma. Reflectir sobre a perda de tempo. Reflectir sobre a perda de tempo. Dar atenção à capacidade de análise e de crítica. Dar atenção à capacidade de análise e de crítica.Duração: Sessão de uma hora.

15 Sequência de tarefas A) Tarefa individual Atribuir a cada aluno o papel que deverá desempenhar; O aluno dispõe de dez minutos para preparar o seu papel. O aluno dispõe de dez minutos para preparar o seu papel. B) Tarefa do grande grupo O aluno deverá começar a sua explicação e cada colega deverá dizer o que consta na sua lista de comportamentos. Concluída a tarefa, analisa-se a situação de modo a reflectir sobre os aspectos negativos e as mudanças necessárias para um bom ambiente. Concluída a tarefa, analisa-se a situação de modo a reflectir sobre os aspectos negativos e as mudanças necessárias para um bom ambiente. C)Tarefa de avaliação A avaliação será positiva se os alunos tiverem participado na actividade e nas reflexões posteriores à apresentação. A avaliação será positiva se os alunos tiverem participado na actividade e nas reflexões posteriores à apresentação.

16 Recursos, Condições e Recomendações Para a divisão de funções, deve-se proceder à retirada de pequenos papéis dobrados, onde apenas o aluno tem conhecimento da sua tarefa. Para a divisão de funções, deve-se proceder à retirada de pequenos papéis dobrados, onde apenas o aluno tem conhecimento da sua tarefa. Caso seja difícil ao aluno descrever a sua actividade, pode-se ajudar no que necessitar. Caso seja difícil ao aluno descrever a sua actividade, pode-se ajudar no que necessitar. Não deverá haver interrupções durante o início da actividade no grande grupo. Não deverá haver interrupções durante o início da actividade no grande grupo. O aluno deve escolher um tema que domine, antevendo à partida que os seus colegas não o dominam muito bem, tentando explicá-lo em dez minutos. O aluno deve escolher um tema que domine, antevendo à partida que os seus colegas não o dominam muito bem, tentando explicá-lo em dez minutos.

17 Para haver um bom funcionamento da aula, é fundamental o estabelecimento de regras na sala, de modo a responsabilizar os alunos pelo cumprimento das mesmas. As regras deverão ser reforçadas sempre na positiva e deverá ser esclarecido o conceito de disciplina. Objectivos: Objectivos: Estabelecer os direitos dos membros da turma. Estabelecer os direitos dos membros da turma. Concretizar as vias de revisão de respeito dos direitos. Concretizar as vias de revisão de respeito dos direitos. Desenhar estratégias para zelar pelos direitos dos demais. Desenhar estratégias para zelar pelos direitos dos demais.Duração: Várias sessões de uma hora, aproximadamente.

18 A) Tarefa individual Cada aluno escreve uma lista de direitos que não estão a ser usufruídos e respeitados pela turma e deve acompanhá-los de argumentos. B)Tarefa do pequeno grupo Os alunos partilham as suas reflexões sobre os direitos que não estão a ser desfrutados pela turma. Após a discussão do grupo, devem chegar a um acordo e escrever uma lista de direitos a serem respeitados para o bom funcionamento da aula. C)Tarefa em grande grupo Cada grupo apresenta a lista de direitos, as razões pelas quais não são respeitados e delineiam algumas estratégias para facilitar o seu cumprimento pela turma. Após a apresentação das listas de cada grupo, escolhe-se um determinado número de direitos a serem cumpridos durante um certo período de tempo. D)Tarefa de avaliação Deve-se avaliar a possível mudança dos alunos durante a sua execução. Verificar se tomam consciência de que o respeito de um direito implica o compromisso de todos para com cada um e de cada um para com os demais. De igual modo, deverá ser avaliada a lista de estratégias estabelecidas pelos alunos para actuarem em defesa dos direitos da turma.

19 Recursos, Condições e Recomendações: A actividade pode ser realizada algumas semanas após o início do curso. A actividade pode ser realizada algumas semanas após o início do curso. Para servir de apoio à actividade, pode ser utilizado alguns artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos ou da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança. Para servir de apoio à actividade, pode ser utilizado alguns artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos ou da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança. Lembrar que os professores também são membros da turma. Lembrar que os professores também são membros da turma. Estabelecer sistemas de revisão das estratégias para o respeito dos direitos. Estabelecer sistemas de revisão das estratégias para o respeito dos direitos.

20 Trabalhar com os alunos sobre o seu futuro de forma a motivá-los e incentivá-los a reflectir sobre o presente. Objectivos: Reflectir sobre o comportamento na sala de aula. Reflectir sobre o comportamento na sala de aula. Encontrar metas pessoais. Encontrar metas pessoais. Tomar consciência da repercussão dos comportamentos. Tomar consciência da repercussão dos comportamentos. Aprender a relação entre atitudes e comportamentos. Aprender a relação entre atitudes e comportamentos. Desenhar um mapa objectivo das atitudes. Desenhar um mapa objectivo das atitudes.Duração: Entre 2 a 4 horas, aproximadamente.

21 A) Tarefa individual Cada aluno imagina que já se passaram dez anos desde o momento em que se encontra e descrever-se tal como se vê, tendo em conta as suas circunstâncias, atitudes e comportamentos actuais. Uma vez descritos como se vêem, descrevem como gostariam de ser vistos. B)Tarefa do pequeno grupo Após as suas descrições em pequeno grupo, este deve encontrar as razões das possíveis diferenças entre uma e outra descrição. Deverão encontrar respostas para saber o que é necessário para chegar ao que gostariam de ser. C)Tarefa em grande grupo O trabalho em grande grupo deve servir de reflexão das duas tarefas anteriores. Neste sentido, a turma deve tentar responder a algumas perguntas, como por exemplo: - Depende do nosso comportamento e atitude o que queremos ser quando crescermos? - Já parei para pensar sobre aquilo a que me quero dedicar? - O que estamos a fazer para cumprir os nossos objectivos? - Há muita diferença entre o que viu e o que gostaria de ver nas descrições? - Caso exista, o que pode fazer para que não haja diferenças?

22 D)Tarefa de avaliação Será avaliado o envolvimento dos alunos nesta actividade. Verificar se os alunos consideraram que o seu comportamento na sala de aula pode repercutir no alcance das suas metas pessoais. Recursos, Condições e Recomendações: Valorizar as descrições positivas dos alunos. Valorizar as descrições positivas dos alunos. Se os alunos têm dificuldades de elaborar um texto escrito, podem elaborar listas. Se os alunos têm dificuldades de elaborar um texto escrito, podem elaborar listas.

23 Trabalho elaborado por: Ana Saldanha Ana Saldanha Carla Silva Carla Silva Cláudia Coutinho Cláudia Coutinho Conceição Pacheco Conceição Pacheco


Carregar ppt "Atividades para melhorar o diálogo e a convivência na sala de aula Rosario Ortega e Rosario del Rey."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google