A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso EFA – Secundário Profissional Técnico de Secretariado Ano Lectivo 2009/10 Trabalho realizado por: Anabela Casimiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso EFA – Secundário Profissional Técnico de Secretariado Ano Lectivo 2009/10 Trabalho realizado por: Anabela Casimiro."— Transcrição da apresentação:

1 Curso EFA – Secundário Profissional Técnico de Secretariado Ano Lectivo 2009/10 Trabalho realizado por: Anabela Casimiro

2 A formação está a cargo da animadora, com a função de evitar que a reunião se converta num monólogo ou que os intervenientes falem todos ao mesmo tempo. No final, deverá ser lavrada a acta da reunião. É fundamental que cada elemento da equipa se sinta ouvido e com confiança para expor as suas ideias sem constrangimentos. AGENDA

3 O grupo do painel estará disposto em sala de reuniões da empresa, numa mesa em forma de U com a animadora ao centro. Os formandos devem ser recebidos e guiados até ao local da formação e, logo que termine, serão acompanhados até à porta. AGENDA

4 Pretende-se que com esta formação, os participantes adquiram atitudes e comportamentos ao nível das relações Inter- Pessoais no contexto empresarial, entendendo a importância que a auto-estima exerce no ambiente de trabalho e no sucesso da empresa. OBJECTIVO GERAL

5 A convocatória foi enviada aos participantes 15 dias antes da reunião de formação. Posteriormente enviamos aos participantes uma recordatória 5 dias antes da reunião, com (data, hora de início e local). Será entregue a todos os participantes material de suporte ( pastas de trabalho, bloco de apontamentos, caneta, manual de relações inter-pessoais). INFORMAÇÃO

6 PERFIL DA ANIMADORA: A animadora não manifesta preferência por nenhum participante, é imparcial nos seus julgamentos; é aberta aceitando as opiniões de cada um e está receptiva a novos pontos de vista; está disponível e disposta a dedicar o tempo necessário para preparação da reunião de modo a envolver todos os participantes; é uma pessoa atenta às reacções de cada um e a compreender as suas necessidades; também é muito flexível, focalizando os seus objectivos mas adaptando-se aos objectivos do grupo; construtiva, fazendo os participantes cooperarem e dispor as suas vontades e capacidades. É fundamental que cada elemento da equipa se sinta ouvido e com confiança para expor as suas ideias sem constrangimentos. :

7 Convocatória Formadora: Anabela Casimiro – Licenciada em Psicologia no ISPA Data: Hora início: 9 h Hora fim: 17h Interrupção das 10,30h às 10,45h para brunch Interrupção para almoço das 13h às 14h Duração: 7 horas Local:.Sala de reuniões na Empresa THAGOS Formandos: 20 participantes

8 Apresentação do Citeforma O Citeforma é um Centro de Formação Profissional de Gestão I.E.F.P. - Instituto do Emprego e Formação Profissional TIPO DE REUNIÃO: Reunião de Formação RELAÇÕES INTER-PESSOAIS

9 FORMAÇÃO RELAÇÕES INTER-PESSOAIS São normas simples, que os vão fazer sentir mais confortáveis nas vossas funções e que acabará por passarem uma imagem mais profissional. De seguida, vamos abordar alguns temas para melhoramento do nosso desempenho na empresa, e colmatar algumas lacunas a nível de relações inter-pessoais.

10 Um por todos e todos por um... O auto conhecimento deve visar a auto-estima, a auto-confiança e o auto - domínio, uma forma de inteligência emocional, para comunicar de forma construtiva. Cada um deve conhecer a origem das suas emoções para assim poder lidar com elas, não deixando que a adversidade deteriore os relacionamentos. Uma pessoa sem auto-domínio tem manifestações irracionais, e assim, não conquista o respeito dos outros e torna-se companhia indesejável. As emoções devem ser suaves pela razão. Comunicar não é só falar, os gestos, a expressão corporal, o olhar e até o vestir, transmitem sempre muito do que pensamos e sentimos.

11 plano da formação OBJECTIVOS ESPECÌFICOS: Conhecer os traços de personalidade em termos individuais e colectivos; Descobrir o seu estilo pessoal; Permitir um melhor conhecimento dos recursos pessoais e a sua aplicação na vida profissional; Desenvolver uma maior flexibilidade nos relacionamentos com terceiros; saber lidar com situações de tensão e desgaste no quotidiano profissional e estabelecer objectivos realistas;

12 Identificar os problemas emergentes das relações interpessoais; Prever e preparar-se positivamente para situações de tensão e conflito. Descodificar os comportamentos não verbais;

13 Comunicar ideias de forma clara e precisa em situações individuais e de grupo. Ouvir e compreender o que os outros dizem. Aceitar críticas sem fortes reacções emocionais defensivas (tornando-se hostil ou "fechando-se"). Dar feedback aos outros de modo útil e construtivo. Percepção e consciência de necessidades, sentimentos e reacções dos outros. Reconhecer, diagnosticar e lidar com conflitos e hostilidade dos outros. Modificar o meu ponto de vista e comportamento no grupo em função do feedback dos outros e dos objectivos a alcançar.

14 Criar um ambiente de trabalho em que reine a confiança, a transparência, onde não haja receio de compartilhar ideias e onde ninguém esteja sempre certo..

15 A auto-estima pode ser considerada a responsável pelo sucesso ou não. Há duas atitudes que nos faz elevar a auto-estima, criando mais autoconfiança e auto-respeito: vivendo conscientemente, tendo em mente o que se faz para poder crescer profissionalmente e pessoalmente e analisando sempre o próprio comportamento. Uma vida bem sucedida depende do uso adequado da nossa inteligência, isto é, do conjunto de metas que estabelecemos e dos desafios que enfrentamos. AUTO-ESTIMA NO TRABALHO

16 O ser humano é fruto do meio em que vive e é gerido por necessidades básicas que o motivam ou não, são elas necessidades psicológicas: participação, autoconfiança e afeição; necessidades de auto-realização: como impulso para realizar o próprio potencial, estar em contínuo auto desenvolvimento.

17 O ambiente em que vivemos reflecte-se no nosso dia-a- dia. Assim, o ambiente pode influenciar o nosso comportamento, também nos influencia a forma como o ambiente é moldado, decorado, o tipo de roupa permitido, a climatização, o visual, as cores das paredes, flores no ambiente, obras de arte, quadros, conforto em geral, entre outros factores.

18 A ética da nossa empresa reflecte o carácter dos seus dirigentes, ou seja, compromisso com a sociedade, respeito aos clientes, fornecedores e parceiros de negócio; dando segurança a toda a cadeia de clientes e fornecedores envolvidos com a nossa empresa. ÉTICA NA EMPRESA

19 FEEDBACK É a comunicação entre uma pessoa ou grupo no sentido de fornecer-lhes informação. Ajuda os colaboradores ou grupo a melhorar o seu desempenho na empresa.

20 A empatia é indispensável no ambiente de trabalho, deve ser leal, respeitoso, amigo e humilde. Cumprimentar os colegas são atitudes que demonstram educação e respeito pelos demais. O facto do trabalho exigir concentração do colaborador não significa que ele não possa ser cordial e abrir um espaço na agenda para ajudar os companheiros de equipa.

21 CONFLITOS PENDENTES Qualquer problema referente ao trabalho, dúvida sobre decisões, responsabilidades que não foram bem entendidas, alguém que ficou magoado com outro por algum motivo, enfim, qualquer tipo de desconforto deve ser esclarecido para evitar a discórdia no ambiente. O funcionário deve conversar para resolver o assunto, caso contrário, isso poderá gerar antipatia. Os conflitos são inevitáveis dentro do ambiente de trabalho, mas necessitam de ser administrados e compreendidos de forma eficaz.

22 Saber ouvir os colegas É essencial escutar todos os elementos da equipa, mesmo aqueles que têm menos experiência. Assim, estimula a participação e a receptividade de novas ideias e soluções. Argumentar com um ar de superioridade as opiniões colocadas numa reunião, não só intimida quem está a desenvolver a ideia, como passa uma imagem de que é uma pessoa adversa.

23 As sessões de ginástica são realizadas na nossa empresa por profissionais de Educação Física, sendo compostas de exercícios físicos, tais como: alongamento, relaxamento e reforço muscular, além de actividades recreativas e de integração, adequando-se às realidades da nossa empresa. O programa é continuamente avaliado e planejado, desenvolvido de forma colectiva pelos trabalhadores, no tempo e local de trabalho, referindo-se à melhoria das condições de saúde, socialização e qualidade de vida do trabalhador, por meio do exercício físico orientado.

24 As vantagens da actividade física dos colaboradores: - Redução dos efeitos decorrentes do sedentarismo pela adopção de práticas regulares e adequadas de actividades físicas dentro e fora da empresa -Diminuição de problemas relacionados a problemas de postura -Melhoria das relações interpessoais -Melhoria do ambiente de trabalho.

25 Conclusão Esta formação tem como principal objectivo mostrar a importância das relações interpessoais na empresa, já que essas relações podem constituir-se em diferencial no mercado extremamente competitivo em que a nossa organizações está inserida. Foram dadas sugestões de actividades que promoveriam maior entrosamento entre os colaboradores e que, com certeza, se reflectiriam nos clientes.

26 Pós-Formação Elaboração de Relatórios; Elaboração da Acta; Cartas de Agradecimento.


Carregar ppt "Curso EFA – Secundário Profissional Técnico de Secretariado Ano Lectivo 2009/10 Trabalho realizado por: Anabela Casimiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google