A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FONTES DE INFORMAÇÃO: Objetivo e Conteúdo Mestrandos: Marcio Sembay Gerson Tybuch UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FONTES DE INFORMAÇÃO: Objetivo e Conteúdo Mestrandos: Marcio Sembay Gerson Tybuch UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC."— Transcrição da apresentação:

1 ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FONTES DE INFORMAÇÃO: Objetivo e Conteúdo Mestrandos: Marcio Sembay Gerson Tybuch UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Professora: Ursula Blattmann, Doutora Florianópolis, SC

2 HISTÓRICO Passagem da Linguagem oral para a escrita. A escrita torna-se a tecnologia de comunicação mais avançada até o séc. XV. A invenção da imprensa por Gutenberg originou a disseminação do produto livro. Início do desenvolvimento de métodos para organizar a produção bibliográfica de documentos. (LEVY; McGARRY; 1993,1999).

3 Conceitos Texto é aquilo que inclui dados verbais, visuais, orais e numéricos, na forma de mapas, gravuras e música, ou arquivos de sons gravados, filmes e vídeos; na realidade, tudo desde a epigrafia até as formas mais recentes de discografia. (McGARRY, 1999).

4 Conceitos Documento é tudo aquilo que represente ou expresse por meio de sinais gráficos (escrita, diagramas, mapas, algarismos, símbolos) um objeto, uma idéia ou uma impressão segundo Fonseca (2005).

5 Conceitos Fonte de informação é o mesmo que documento e seu conceito é muito amplo, abrange manuscritos e publicações impressas, além de objeto, como amostras minerais, obras de arte ou peças museológicas.( CUNHA, 2001).

6 TIPOS DE FONTES DE INFORMAÇÃO As determinações dos tipos de fontes estão relacionadas com os canais de recepção de acordo com Araújo (2001), como é mostrado a seguir: Canais formais: periódicos, vídeos, livros, etc.; Canais informais: palestra, reuniões, troca de experiência entre organizações, conversa face a face, etc.; Canais semi-formais: participação em fóruns temáticos (utilizando simultaneamente textos, correio eletrônico) desenvolvimento de pesquisas, utilizando simultaneamente livros.

7 Organização das Fontes de Informação A responsabilidade da guarda do material produzido foi delegado as bibliotecas. Através da utilização de sistemas de classificação. Não basta apenas armazenar informação fora do cérebro; ela deve ser armazenada de modo organizado para que se possa voltar a utilizá-la. (McGARRY, 1999).

8 Organização das Fontes de Informação Um dos principais aspectos a serem considerados na organização de fontes de informação é a acessibilidade do usuário na busca e recuperação das informações. Figueiredo (1999), define usuários como indivíduos com necessidades informacionais únicas e com características educacionais, psicológicas, sociais também únicas.

9 Organização das Fontes de Informação Segundo Grogan, 2001 Apud Cunha, 1991 divide as fontes de informação formais em 3 categorias: Fontes Primárias: Contém novas informações ou novas interpretações de idéias ou fatos conhecidos Fontes secundárias: que contêm informações sobre os documentos primários Fontes terciárias: que tem como função principal orientar o usuário na localização dos documentos primários e secundários.

10 Organização da fontes de informações científicas As informações científicas e tecnológicas têm suas principais fontes nos documentos primários originados de congressos e conferências, periódicos científicos, patentes, pesquisas acadêmicas e outros.

11 Organização das fontes de informações para organizações Fontes pessoais externas; Fontes documentais externas; Fontes pessoais internas; Fontes documentais internas. CHOO (1998).

12 Organização das fontes de informação para organizações As fontes de informação de maior freqüência, relevância e confiabilidade pelos executivos são: – jornais e revistas no item freqüência; – clientes no item relevância; – publicações governamentais no item confiabilidade. BASTOS(2007).

13 Organização fontes de informação na Internet O agrupamento de links de forma sistemática em categorias permite agilizar a localização das informações na WEB. As bibliotecas virtuais que são documentos eletrônicos alojados na WEB e sem localização física, disponibilizam vários tipos de documentos aos usuários que irão acessa-los à distância. Outras fontes disponíveis na Internet são Sites de empresas, instituições, colégios, universidades, portais verticais.

14 Avaliações de Fontes de Informações O que determina a precisão de uma fonte de informação é a conferência das referências, a consistência da bibliografia, as citações entre outras formas: Clareza na apresentação e organização da informação; Coerência com os propósitos do usuário que busca; Atualização e revisão constante são elementos imprescindíveis.

15 Avaliações de Fontes de Informações Segundo Tomaél et al (2004, p.23), para avaliar uma fonte é fundamental identificar o indivíduo ou instituição responsável por sua compilação. É pela credibilidade que um indivíduo ou instituição apresenta que se determinará o grau de confiabilidade das informações contidas em uma determinada fonte de informação.

16 Avaliações de Fontes de Informações Luz at al (2007), numa fonte de informação são observados os seguintes itens: cobertura da fonte; validez do conteúdo; resumos ou informações complementares; coerência na apresentação do conteúdo informacional; oferta de informações filtradas; apresentação de informação original.

17 Avaliação de fontes de informações científicas Uma forma de avaliar a qualidade de uma publicação consiste em verificar o nível de interesse dos outros pela pesquisa. O método mais simples para obter esta medida se dá por meio da qualidade de citações dessa pesquisa na bibliografia ulterior. MEADOWS (1999).

18 Avaliação de fontes de informações científicas A avaliação da produção científica pode ser feita através da elaboração de escalas, que como qualquer instrumento, deve preencher alguns quesitos. (WITTER, 2006). A escala citada pela autora compreende cinco pontos. As regras de instrumentação permitem avaliar criteriosamente artigos, dissertações e teses.

19 Avaliação de fontes de informação para organizações. As informações dessas fontes são analisadas sob o aspecto de sua relevância e confiabilidade. Informação é relevante quando é necessária e útil para o alcance dos objetivos e metas da organização. Informação é confiável quando provém de uma fonte idônea e, por esse motivo, pode ser utilizada como base para se tomar decisões.

20 Avaliação de fontes de informação na Internet Informações de identificação; Consistência das informações; Confiabilidade das informações; Adequação da fonte; Links; Facilidade de uso; Lay-out da fonte; Restrições percebidas; Suporte ao usuário. TOMAÉL (2001).

21 Considerações Finais Organizar as fontes de informações é uma tarefa fundamental para as etapas ulteriores de busca e recuperação. A evolução dos suportes, do físico para o eletrônico, exigiu a evolução dos métodos e técnicas de organização. O objetivo maior desta organização é o usuário. Com a explosão informacional origina-se a era da informação e a valorização da informação.O valor da informação é estipulado pelo usuário (pessoas, organizações, sociedade).A constante avaliação das fontes de informações objetivam monitorar o desempenho do produto -fonte de informação, se o mesmo está atendendo adequadamente aos seus objetivos e as necessidades dos usuários.

22 Referencias Bibliogáficas o ARAÚJO, Eliany A. A construção Social da Informação: dinâmicas e contextos. Ciência da Informação, Brasília, v.2 n.5, out o BASTOS, Jaime S. Y. Utilização de fontes de informação por executivos do setor de tecnologia da informação no Brasil. Revista Fonte Disponível: Acesso em 10 maio o CUNHA, Murilo Bastos da. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, o FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Paradigmas modernos da ciência da informação: em usuários, coleções, referência & informação. São Paulo: Polis ; APB, p o FONSECA, Maria Odila. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: FGV, p. GROGAN, Denis. A Prática do Serviço de Referência. Brasília: Briquet de Lemos, o LEVY, Pierre. As tecnologias da inteligência; o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

23 Referências Bibliográficas LUZ, Carlos C. S; VITORINO, Elizete V; SILVA, Gislene M; MEDEIROS, Graziela M; TROGLIO, Jonathas.Fontes de Informação em educação á distância Disponíveis em meio eletrônico nas universidades federais brasileiras. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v.12, n.1, p , jan./jun., MCGARRY, K. J. O contexto dinâmico da informação: uma análise introdutória. Brasília: Briquet de Lemos, p. MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Tradução de Antonio Agenor Briquet de Lemos. Brasília, DF : Briquet de Lemos/Livros, TOMAÉL, M. I. et al. Avaliação de fontes de informação na Internet: critérios de qualidade. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 11, n. 2, p , Disponível em:. Acesso em: 7 maio TOMAÉL, M. I. et al. Critérios de qualidade para avaliar fontes de informação na Internet. In: TOMAÉL, M. I.; VALENTIM, M. L. P. (Org.). Avaliação de fontes de informação na Internet. Londrina: Eduel, 2004, p WITTER, Geraldina Porto. Produção científica: escalas de avaliação. In: POBLACIÓN, Dinah A. (Dinah Aguiar); WITTER, Geraldina Porto; SILVA, Jose Fernando Modesto da. Comunicação & produção científica : contexto, indicadores e avaliação. São Paulo: Angellara, 2006.


Carregar ppt "ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FONTES DE INFORMAÇÃO: Objetivo e Conteúdo Mestrandos: Marcio Sembay Gerson Tybuch UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google