A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Educação Infantil no Brasil: Avaliação Qualitativa e Quantitativa Apoio: BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento Promoção: MEC – Ministério da Educação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Educação Infantil no Brasil: Avaliação Qualitativa e Quantitativa Apoio: BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento Promoção: MEC – Ministério da Educação."— Transcrição da apresentação:

1 Educação Infantil no Brasil: Avaliação Qualitativa e Quantitativa Apoio: BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento Promoção: MEC – Ministério da Educação – Brasil 2010

2 Coordenação Maria Malta Campos Pesquisadores Responsáveis Yara Lúcia Esposito Fúlvia Rosemberg Dalton Francisco de Andrade (UFSC) Pesquisadores Sandra Unbehaum Nelson Gimenes Estatísticas Raquel Valle Miriam Bizzochi Pesquisadora Visitante Eliana Bhering (UFR J) Colaboradores Marcos Bassi (UNISUL) Marta W. Grosbaum Bolsista de Pesquisa Beatriz Abuchaim Assistente Técnica Maria Helena Bottura EQUIPE DE PESQUISA

3 Belém Ana Maria Orlandina Tancredi Carvalho Campo Grande Regina Aparecida Marques de Souza Florianópolis Jodete Bayer Gomes Füllgraf Fortaleza Silvia Helena Vieira Cruz Rio de Janeiro Eliana Maria Bahia Bhering Teresina Olivette Rufino Borges Prado Aguiar CAPITAIS ONDE A PESQUISA FOI REALIZADA

4 TRÊS DIMENSÕES DA PESQUISA 1.Avaliar a qualidade de uma amostra de 150 instituições de educação infantil de 6 capitais brasileiras. 2. Estimar o impacto da freqüência a creches e pré-escolas nos resultados obtidos na Provinha Brasil por alunos de segunda série do Ensino Fundamental. 3. Caracterizar a política municipal de educação infantil em 6 capitais brasileiras.

5 ESCALAS DE OBSERVAÇÃO Escala de avaliação de ambientes para bebês e crianças pequenas Autores: Thelma Harms, Debby Cryer e Richard M. Clifford Faixa etária de 0 a 2 anos e 6 meses 39 itens, divididos em 7 subescalas Tradutores: Mara Campos-de-Carvalho (USP – CINDEDI) e Eliana Bhering (UFRJ) – Versão não publicada. Revisão e Adaptação: Equipe FCC Escala de avaliação de ambientes de EI Autores: Thelma Harms, Debby Cryer e Richard M. Clifford Faixa etária de 2 anos e 7 meses a 5 anos 43 itens, divididos em 7 subescalas Tradução e adaptação para Português (Portugal): Isabel Abreu-Lima, Cecília Aguiar, Ana Madalena Gamelas, Teresa Leal, Ana Isabel Mota Pinto Revisão e Adaptação para Português (Brasil): Equipe FCC ITERS-R - CRECHEECERS-R – PRÉ-ESCOLA

6 VISÃO GERAL DAS SUB-ESCALAS ITERS-R - CRECHE I – Espaço e Mobiliário II – Rotinas de Cuidado Pessoal III – Falar e Compreender IV – Atividades V – Interação VI – Estrutura do Programa VII – Pais e Equipe ECERS-R – PRÉ-ESCOLA I – Espaço e Mobiliário II – Rotinas de Cuidado Pessoal III – Linguagem e raciocínio IV – Atividades V – Interação VI – Estrutura do Programa VII – Pais e Equipe

7 PONTUAÇÃO 1--3Inadequado 3--5Básico 5--7Adequado 7--8,5Bom 8,5--10Excelente

8 RESULTADOS CRECHE

9 MÉDIAS NAS SUB-ESCALAS - CRECHE

10 SUB-ESCALA I – ESPAÇO E MOBILÁRIO – CRECHE

11 3. Recursos para relaxamento e conforto 7. 1 Acesso a várias áreas aconchegantes e confortáveis na sala (Ex.: áreas com tapetes macios, almofadão mole para crianças pequenas sentarem, cadeira estofada ou sofá de tamanho adequado à criança) Bebês que não se locomovem são colocados na área aconchegante quando apropriado.

12 SUB-ESCALA II – ROTINAS DE CUIDADO PESSOAIS – CRECHE

13 7. Refeições e merendas São avaliados: a adequação dos horários às necessidades das crianças o balanceamento nutricional das refeições os procedimentos de higiene as interações sociais durante as refeições

14 8. Sono 1.1 Medidas não adequadas para sono (Ex.: área lotada;). área lotada significa que as crianças estão colocadas em berços / colchonetes com espaçamento entre eles inferior a 90 cm, enquanto dormem. Esta distância é essencial para controlar infecções transmitidas pelo ar e assegurar que os membros da equipe não tenham dificuldade no acesso às crianças, devido a excessiva proximidade entre os berços. 1.4 Crianças deixadas indevidamente em berços (ou colchonetes, etc.). (Ex.: por mais de 15 minutos enquanto acordadas, ou por mais de 2-3 minutos quando descontentes; uso do berço como castigo).

15 SUB-ESCALA III – FALAR E COMPREENDER – CRECHE

16 14. Uso de livros 5.3 Diariamente, a equipe lê livros para aquelas crianças interessadas, individualmente ou em grupos pequenos. * 5.1 Diariamente, há pelo menos 12 livros apropriados para bebês/ crianças pequenas (mas não menos do que 2 livros por criança no grupo), acessíveis na maior parte do dia.

17 7.1 Área de livros para crianças pequenas é organizada para uso independente. 14. Uso de livros

18 SUB-ESCALA IV – ATIVIDADES – CRECHE

19 18. Música e Movimento 5.2 Equipe canta informalmente com as crianças, diariamente. 5.3 Além de cantar, a equipe proporciona outras experiências musicais, diariamente (Ex.: fitas cassetes ou CD; tocar violão para as crianças; tocar música durante o sono ou para dançar).

20 SUB-ESCALA V – INTERAÇÃO – CRECHE

21 26. Interação criança-criança 5.1 Equipe facilita interações positivas entre todas as crianças (Ex.: coloca bebês onde eles possam ver e reagir a outros bebês; ajuda crianças pequenas a acharem duplicata de um brinquedo; inclui crianças com deficiência nas brincadeiras com outras crianças).

22 RESULTADOS PRÉ

23 MÉDIAS NAS SUB-ESCALAS – PRÉ-ESCOLA

24 SUB-ESCALA I – ESPAÇO E MOBILÁRIO – PRÉ

25 4. Organização da sala para atividades 1.1 Não há áreas de interesse definidas. 7.2 As áreas estão organizadas para que as crianças as utilizem de forma independente (ex. estantes abertas e etiquetadas, caixas para brinquedos etiquetadas; as estantes abertas não estão superlotadas; o espaço para brincar está próximo da área onde os brinquedos são guardados).

26 7. Espaços para motricidade ampla 7.2 A área externa tem alguma proteção às intempéries (ex. sombra no verão, sol no inverno,quebra-vento e boa drenagem, escoamento de água). 3.1 O espaço para os jogos motores amplos é geralmente seguro (ex. há suficiente material de amortização do impacto – área acolchoada - sob os equipamentos de escalar; há cercas nas áreas externas).

27 8. Equipamentos de motricidade ampla 1.1 São muito poucos os equipamentos destinados aos jogos e às atividades motoras amplas.

28 SUB-ESCALA IV – ATIVIDADES – PRÉ

29 São avaliadas as atividades proporcionadas às crianças e os materiais disponíveis para tanto. Os materiais são avaliados com relação a sua quantidade, variedade e quanto ao tempo que ficam disponíveis na sala para serem utilizados pelas crianças. MATERIAIS NÃO DISPONÍVEISMATERIAIS DISPONÍVEIS ÀS CRIANÇAS

30 24. Brincadeira de faz de conta 5.4 Há uma área para brincadeiras de faz de conta claramente definida, com espaço para brincar e para arrumar de forma organizada.

31 25. Natureza/Ciências Avalia se há jogos, materiais ou atividades acessíveis diariamente, tais como: coleções de objetos naturais (ex. pedras, insetos, sementes), coisas vivas para cuidar e observar (ex. plantas, animais de estimação), livros, jogos ou brinquedos de natureza / ciências (ex. cartões para equivalência e cartões de seqüências com motivos da natureza).

32 SUB-ESCALA VI – ESTRUTURA DO PROGRAMA – PRÉ

33 36. Atividade em grupo 3. 1 Algumas oportunidades para brincar são desenvolvidas em pequenos grupos ou individualmente. 3.2 Algumas oportunidades para as crianças fazerem parte de pequenos grupos por elas selecionados.


Carregar ppt "Educação Infantil no Brasil: Avaliação Qualitativa e Quantitativa Apoio: BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento Promoção: MEC – Ministério da Educação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google