A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO, CONHECIMENTO E INOVAÇÃO: Construindo a Excelência Sandra Regina da Luz Inácio, PhD.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO, CONHECIMENTO E INOVAÇÃO: Construindo a Excelência Sandra Regina da Luz Inácio, PhD."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO, CONHECIMENTO E INOVAÇÃO: Construindo a Excelência Sandra Regina da Luz Inácio, PhD

2 AS DIFERENÇAS ENTRE ADMINISTRADOR, GESTOR, EMPREENDEDOR E EMPRESÁRIO ADMINISTRADOR: Operacional. GESTOR: Intelectual (Estratégias). EMPREENDEDOR: Dons Natos ou Adquiridos através do Empreendedorismo (Aquisição de Traços). EMPRESÁRIO: Qualquer Pessoa que Possua um CNPJ.

3 Abordando as questões chave da Gestão do Conhecimento podemos atingir resultados de negócios excepcionais Conhecimento Resultados de Negócios Excepcionais Questões chave: Podemos aumentar nossos ativos de conhecimento ? Nós sabemos o que nós precisamos saber? (Quais são nossas necessidades de conhecimento?) O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES QUE BUSCAM A EXCELÊNCIA

4 O Advento da Globalização Eliminação das fronteiras Eliminação das barreiras comerciais Aumento da concorrência Maior competitividade Mais inovação em menos tempo

5 A MASSIFICAÇÃO DA INTERNET Democratização do acesso à informação; Trabalho virtual x Empresa virtual; Comércio eletrônico; Espionagem eletrônica; Acesso global à informação; Fácil acesso às informações através da Internet.

6 DADOS: Gráficos, Números, Estatísticas, etc. INFORMAÇÕES: é tudo que somos bombardeados todos os dias, seja ela boa ou ruim. CONHECIMENTO só é conhecimento se colocado em ação, caso contrário, só é informação. Conhecer é o processo de compreender e internalizar as informações recebidas, possivelmente que combinando-as de forma a gerar mais conhecimento. (Gonçalvez, 1995) DADOS, INFORMAÇÕES E CONHECIMENTO

7 O conhecimento torna-se: a maior fonte de vantagens competitiva sustentável hoje. Pessoas e empresas se diferenciam pelo que sabem. O que fazer com o conhecimento ? Como gerenciar o valor agregado das informações? SOMENTE ATRAVÉS DAS PESSOAS!!! SOCIEDADE EM MUDANÇAS: A SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

8 TRANSFORMANDO... DADOS EM INFORMAÇÕES E INFORMAÇÕES EM CONHECIMENTO O modelo mental de cada pessoa interfere na codificação e decodificação dos dados, informações e conhecimentos, acarretando muitas vezes distorções individuais que poderão ocasionar problemas no processo de comunicação. O nosso cérebro trabalha por repetição, temos que lhe dar novos referências ainda não conhecidos por ele.

9 TIPOS DE CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL Conhecimento Formal ou Tácito: O conhecimento formal está registrado nos documentos e por ser concreto pode ser facilmente armazenado e recuperado pelas organizações. Conhecimento Informal ou Tácito O conhecimento informal são idéias, suposições, conjecturas, pontos de vista geralmente gerados durante o processo de produção do conhecimento formal. O conhecimento informal é muito valioso por se caracterizar como a terceira inteligência: a intuítiva. Por seu caráter abstrato, coletar, registrar, estruturar, compartilhar e reutilizar este tipo de conhecimento é um verdadeiro desafio.

10 INTELIGÊNCIA ORGANIZACIONAL Capacidade de uma organização como um todo reunir informação, inovar, criar conhecimento e atuar efetivamente baseada no conhecimento que ela gerou através das pessoas. É Interativa, agregadora e complexa a coordenação das inteligências humanas e de máquinas dentro de uma organização.

11 TIPOLOGIA ORGANIZACIONAL: UMA NOVA FERRAMENTA DE CONHECIMENTO EFETIVO

12 Caráter Personalidade Temperamento

13

14 Caráter: É o resultado do temperamento natural, moldado pela disciplina e educação recebidas na infância, crenças, princípios e motivações. Personalidade: Aquilo que mostramos aos outros que somos (Máscara) Temperamento: Combinação de características congênitas que inconscientemente afetam o que fazemos, gostamos, escolhemos e como reagimos: NO CONTROLE: Como Convivemos com as Pessoas NA INCLUSÃO: Parte Espiritual e Intelecto (Alma) NO AFETO: Como nos Relacionamos Afetivamente.

15 TEORIA DOS TEMPERAMENTOS INÍCIO E EVOLUÇÃO NA HISTÓRIA Atribui-se a Hipócrates (460 – 370 a.C.) o fato da medicina preocupar-se com problemas psiquiátricos e comportamentais. Como resultado de suas cuidadosas observações dos diferentes comportamentos humanos, formulou uma teoria para explicá-los. É uma teoria bioquímica em sua essência, que relacionou os temperamentos aos humores do corpo ou fluidos orgânicos (hoje falamos em hormônios como a serotonina e a dopamina, entre outras substâncias bioquímicas que podem induzir ou afetar o comportamento humano).

16

17 TIPOLOGIA ORGANIZACIONAL: QUAIS SUAS UTILIDADES? Podemos aplicá-la na prática É uma das melhores teorias que podemos usar para analisar o comportamento humano Deve ser usada como instrumento de avaliação do ser humano É uma teoria com fundamentos psíquicos Pode e deve ser aplicada nas empresas.

18 TEMPERAMENTOS A APLICAÇÃO DA TEORIA DEVE SERVIR PARA: Estimular o auto-conhecimento para uma confrontação com pontos fortes e fracos do temperamento e uma tomada de posição quanto a como trabalhar com eles para que seja possível superar dificuldades na área comportamental dentro das empresas e de nossas vidas Propiciar um auto-conhecimento para trabalhar o relacionamento humano. Desenvolver um relacionamento com as pessoas, com a sociedade e a empresa, de forma que haja uma harmonia e m todas as áreas da vida.

19 SANGÜÍNEO – Pontos Fortes Cordial, eufórico; Vive para o presente, conseqüentemente, tem a tendência de ser otimista; Bom companheiro, Receptivo por natureza; Natureza apaixonada, emotiva, espontânea, bondosa; Compreensivo - consegue sentir, verdadeiramente, as alegrias e tristezas dos indivíduos com quem convive; Comunicativo - gosta do convívio social. É a vida do grupo, por causa do seu jeito alegre; Simpático, Crédulo; Possui um repertório inesgotável de casos interessantes os quais narra dramaticamente; Fala antes de pensar, mas sua franca sinceridade desarma muitos dos seus interlocutores, obrigando- os a reagir com a mesma disposição de espírito; Amável, amistoso e compassivo.

20 SANGÜÍNEO – Pontos Fracos Pouco prático; Desorganizado; Agitado, barulhento; Raramente é bom estudante, isso porque é muito inquieto; Indisciplinado; Ânimo fraco (não é resoluto ou leal); Não conhece as suas limitações; Medroso; Exagerado; Egoísta; Volúvel (seus sentimentos mudam rapidamente) Impulsivo; Inseguro; Egocêntrico; Emocionalmente instável.

21 COLÉRICO – Pontos Fortes Enérgico - vivaz, ativo, ardente; Prático; Independente; Vontade férrea; Decidido – toma com facilidade decisões para si mesmo e para os outros; Para ele, "a vida é atividade" – não precisa ser estimulado pelo meio em que vive, ao contrário é ele quem estimula seu ambiente com idéias, planos e ambições infindáveis; Possui um cérebro perspicaz e prático – sua atividade tem sempre um objetivo; Toma atitudes definidas diante de problemas e muitas vezes é encontrado em campanhas contra injustiças sociais ou situações prejudiciais à moral; Não vacila sob a pressão do que os outros possam pensar; Não se amedronta diante das adversidades; elas o encorajam; Audacioso - possui uma firmeza inabalável e freqüentemente obtém sucesso, onde os outros fracassam É persistente; Otimista; Chefe nato.

22 COLÉRICO – Pontos Fracos Insensível; Irado; Auto-suficiente; Agressivo, cruel; Amargo; Rancoroso; Impetuoso; Orgulhoso; Arrogante; Vaidoso; Astucioso; Impaciente; Sarcástico.

23 MELANCÓLICO – Pontos Fortes Analítico; Abnegado; Amigo muito fiel; Esteta – gosta das belas artes; Sua excepcional habilidade analítica o capacita a diagnosticar apuradamente os obstáculos e perigos de qualquer projeto de cujo planejamento participe; Habilidoso; Minucioso; Idealista; Dedicado; Sensível; Leal; Inteligente.

24 MELANCÓLICO – Pontos Fracos Egocêntrico – é inclinado a auto-análise complacente, uma benévola auto- contemplação que paralisa a energia e a vontade; Hipocondríaco; Desconfiado; Pessimista; Teórico; Confuso Crítico e inflexível; Perfeccionista; Caprichoso; Deprimido e sombrio; Tendência a retroceder ao passado – fuga da realidade; Vingativo.

25 FLEUMÁTICO– Pontos Fortes Calmo, frio, bem equilibrado; A vida para ele é uma experiência feliz, serena e agradável – pouco se envolve; Coerente; eficiente, Prático Sente mais emoção do que demonstra e tem grande capacidade de apreciar as belas artes e as melhores coisas da vida; Embora seja tímido, gosta do convívio social, tem muitos amigos; Tem um mordaz senso de humor –consegue manter muitas pessoas "as gargalhadas" sem jamais deixar escapar um sorriso; Possui a capacidade única de encontrar algo de engraçado nos outros e nas ações deles; Possui um cérebro organizado, ótima memória e, freqüentemente é um ótimo imitador; Simpático e de bom coração; Cumpridor das obrigações; Nunca aceitará a liderança por sua própria vontade, mas quando ela lhe é imposta prova ser um chefe capaz. Diplomata - exerce uma influência conciliadora sobre as pessoas e é um pacificador inato

26 FLEUMÁTICO – Pontos Fracos Moroso e indolente; Provocador; Calculista; Egoísta; Indeciso; Temeroso; Desconfiado; Pretensioso; Desmotivado; Contemplativo.

27 SUPINA– Pontos Fortes Fiel e Leal; Adora servir; Bom pensador; Muito gentil; Relaciona-se muito bem com pessoas; Cavalheiro; Muito amoroso; Extremamente bondoso; É um buscador; Bom orador.

28 SUPINA– Pontos Fracos Baixa-estima; Dificuldades para decidir; Interioriza demais as emoções; Pouca iniciativa; Relaciona-se muito bem com pessoas; Muito dependente; Sofre muito pelos outros; Inseguro; Pouco expressivo; De humor sanzonal.

29 TIPOLOGIA ORGANICACIONAL: APLICAÇÕES PRÁTICAS Estimular o auto-conhecimento para uma confrontação com pontos fortes e fracos do temperamento e uma tomada de posição quanto a como trabalhar com eles. Respeitar mais as pessoas pelo que elas são e não pelo rótulo que lhes impomos. Gerenciamento de pessoas, familiares, clientes, fornecedores e empresa, através da tipologia organizacional.

30 TIPOLOGIA ORGANICACIONAL: APLICAÇÕES PRÁTICAS Levantar, comparar e analisar as características dos temperamentos dos profissionais, independente da área ou cargo ocupados, como ferramenta para desenvolvimento e aproveitamento das suas habilidades natas, criativas e inovadoras. Verificar, dentro do atual estágio, se as características do temperamento podem ser de grande auxílio ao desenvolvimento profissional e organizacional de sucesso.

31 E, mais importante do que tudo em um tempo como o nosso, de constantes transformações: Lembre-se sempre que nada há de permanente, exceto a mudança.

32 O verdadeiro caminho da sabedoria pode ser identificado por apenas três coisas: 1.Precisa ter amor; 2. Deve ser prático; e 3. Pode ser trilhado por qualquer um. Paulo Coelho

33 CONTATO DS CONSULTORIA EMPRESARIAL E EDUCACIONAL Site: Telefones: (11) / / Artigos Publicados:


Carregar ppt "GESTÃO, CONHECIMENTO E INOVAÇÃO: Construindo a Excelência Sandra Regina da Luz Inácio, PhD."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google