A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SME DOT Educação Infantil REDE EM REDE – FASE 3/ 2008.

Cópias: 1
SME DOT Educação Infantil REDE EM REDE – FASE 3/ 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SME DOT Educação Infantil REDE EM REDE – FASE 3/ 2008."— Transcrição da apresentação:

1 SME DOT Educação Infantil REDE EM REDE – FASE 3/ 2008

2 Avaliação 2007 Total: 825 (incluindo as unidades inauguradas após o início da Formação) Inscritos: 742 CPs, ou seja, 89,93% da Rede 1. Avaliações dos Coordenadores Pedagógicos participantes em relação ao impacto do Programa nas Unidades: a. Criança: Porcentual: Valor calculado com base na média obtida nas avaliações (item referente ao Formador Central); Sem Valor (0): refere-se às avaliações que o Formador Local não fez (não desenvolveu a proposta), e/ou dos CPs que não fizeram. AVALIAÇÕES RECEBIDAS TOTAL 439 TABELA II – PORCENTUAL (%) 1 CRIANÇA Grau de mudança observada nas experiências das crianças LINGUAGEM INSCR ITOS AVALIA ÇÕES RECEBI DAS % NadaPoucoMuito Total mente Não Resp. Pólos 1 ao 14: BRINCAR ,380,8425,7963,526,303,52 Pólos 15 ao 18: ARTES ,704,6543,4445,6851,20 Pólos 19 ao 24: ORAL E ESCRITA ,481,9238,4633,7924,451,37 Pólos 25 ao 28: MÚSICA ,800,3726,7463,957,341,53 Pólos 29: DANÇA Pólo 30: TEATRO 16956,257,7746,6645,5500

3 b. Professor: Porcentual: Valor calculado com base na média obtida nas avaliações (item referente ao Formador Central); Sem Valor (0): refere-se às avaliações que o Formador Local não fez (não desenvolveu a proposta), e/ou dos CPs que não fizeram. AVALIAÇÕES RECEBIDAS TOTAL 439 TABELA II – PORCENTUAL (%) 1 PROFESSOR Grau de mudança observada na equipe de professores LINGUAGEM INSC RITO S AVALI AÇÕES RECEB IDAS % NadaPoucoMuito Total mente Não Resp. Pólos 1 ao 14: BRINCAR ,380,4627,4459,9411,101,02 Pólos 15 ao 18: ARTES ,701,7240,1752,584,311,20 Pólos 19 ao 24: ORAL E ESCRITA ,481,096,5941,2051,090 Pólos 25 ao 28: MÚSICA ,800,9326,9758,6012,091,39 Pólos 29: DANÇA Pólo 30: TEATRO 16956,

4 c. Coordenador Pedagógico: Porcentual: Valor calculado com base na média obtida nas avaliações (item referente ao Formador Central); Sem Valor (0): refere-se às avaliações que o Formador Local não fez (não desenvolveu a proposta), e/ou dos CPs que não fizeram. AVALIAÇÕES RECEBIDAS TOTAL 439 TABELA II – PORCENTUAL (%) 1 COORDENADOR PEDAGÓGICO Grau de mudança na prática de atuação LINGUAGEM INSC RITOS AVALI AÇÕES RECEB IDAS % NadaPoucoMuito Total mente Não Resp. Pólos 1 ao 14: BRINCAR ,380,2915,8873,659,151,00 Pólos 15 ao 18: ARTES ,700,5622,7962,4411,672,48 Pólos 19 ao 24: ORAL E ESCRITA ,480,544,1232,9662,360 Pólos 25 ao 28: MÚSICA ,800,6517,9351,4824,235,62 Pólos 29: DANÇA Pólo 30: TEATRO 16956,25048,5551,3300

5 2. Avaliações dos Coordenadores Pedagógicos participantes em relação ao FORMADOR LOCAL: Porcentual: Valor calculado com base na média obtida nas avaliações (item referente ao Formador Local); Coluna Sem Valor (0): refere-se às avaliações que o Formador Local não fez (não desenvolveu a proposta), e/ou dos CPs que não fizeram.

6 Objetivos 2008 Implementar as Orientações Curriculares: Expectativas de Aprendizagens e Orientações Didáticas para a Educação Infantil através do Programa A Rede em rede: a formação continuada na educação infantil; Contribuir para a consolidação do Projeto Pedagógico; Fortalecer a Gestão Pedagógica compartilhada pela equipe gestora de cada Unidade (representada pelo Diretor e Coordenador Pedagógico).

7 Ações que serão Desenvolvidas O Programa A Rede em rede em sua fase 3/ 2008 desenvolver-se-á em quatro frentes: Formação Central (CPs e Diretores) e Local (CPs) Jornadas Pedagógicas: Unidade Seminários: DRE para representantes das Unidades Cursos Optativos: Professores, a critério das DREs

8 Formação Central Formação do Diretor e do Coordenador Pedagógico voltada para uma Gestão Pedagógica compartilhada que qualifique o atendimento oferecido às crianças tendo como subsídio o documento Orientações Curriculares: Expectativas de Aprendizagens e Orientações Didáticas para a Educação Infantil Paulistana (no prelo). Características: 1. Encontros mensais, regionais, dos FCs com os Diretores e Coordenadores Pedagógicos 2. Quinta-feira: 3ª e 4ª (ou 5ª) semana de cada mês 3. Previsão: março a novembro 4. Duração: 4 horas; 5. Manhã e tarde; 6. Grupos constituídos por segmento CEI ou EMEI; 7. Articulação com as Jornadas Pedagógicas, Seminários e Cursos Optativos.

9 PLANO DE FORMAÇÃO CENTRAL Objetivos : Promover o fortalecimento da equipe gestora das UEs de Educação Infantil da rede municipal, representada pelo Diretor e pelo Coordenador Pedagógico de CEIs e EMEIs. Mediar o desenvolvimento das competências individuais e coletivas para gerir questões pedagógicas nas UEs, promovendo crescimento profissional e pessoal. Apoiar o aperfeiçoamento das práticas pedagógicas dos educadores de CEIs e EMEIs de modo a consolidar o Projeto Pedagógico de cada Unidade. Construir com os gestores observáveis dos ambientes de promoção de diferentes aprendizagens nos CEIs e EMEIs, considerando tempos, espaços, materiais e interações, articulados em torno de um Projeto Pedagógico próprio.

10 Conteúdos: 1º semestre: Projeto Pedagógico e cotidiano das UEs de Educação Infantil A gestão das aprendizagens de Cuidado de si, saber de si, relacionar-se e cuidar do ambiente. A gestão das experiências de aprendizagens ligadas ao brincar e imaginar. A gestão pedagógica da relação com as famílias das crianças. 2º semestre: Serão revisitados os mesmos temas, procurando articulá-los a práticas reais das UEs e criar indicadores que ajudem Diretores e CPs a qualificar as práticas de sua U.E. e criar um projeto de intervenção para 2009, com foco num desses temas. PLANO DE FORMAÇÃO CENTRAL

11 Estratégias : Reflexão a partir da leitura de trechos do documento OC e outros textos Análise de bons modelos de gestão Problematização de práticas das U.E.s por meio da análise de registros diversos Elaboração de projeto de intervenção na U.E. PLANO DE FORMAÇÃO CENTRAL

12 Formação Local Contribuir na formação do Coordenador Pedagógico, através da Supervisão de Práticas, para o aperfeiçoamento e consolidação do Plano de Formação desenvolvido pelo mesmo nas unidades, subsidiado pelo documento Orientações Curriculares: Expectativas de Aprendizagens e Orientações Didáticas para a Educação Infantil. Características: 1. Encontros mensais dos Formadores Locais com as Coordenadores Pedagógicos (4 horas); 2. Sugestão: quintas-feiras, 1ª e 2ª semana de cada mês. 3. Previsão: março a novembro 4. Manhã ou Tarde; 5. Grupos constituídos de forma a integrar a participação de CEIs e EMEIs Importante: a. Encontros mensais com Assessor Local e DOT-EI: início em fevereiro b. Terças-feiras: 3ª ou 4ª semana de cada mês. c. Serão formados dois grupos de FLs.

13 PLANO DE FORMAÇÃO LOCAL Justificativa: No decorrer do programa Rede em rede, tanto na fase 1 como na fase 2, investiu-se na formação do CP de modo a fortalecer o seu papel formativo nas U.Es tendo como eixo de trabalho a metodologia de formação e a utilização dos instrumentos do formador. A avaliação realizada no final do ano de 2007 nos mostrou que faz-se necessário a continuidade desse eixo de trabalho em especial na formação local, mais do que apresentando novos conteúdos, contribuindo para seu aprofundamento e apropriação por meio da utilização dos instrumentos do formador e pelo exercício da supervisão de práticas. Objetivos: Aperfeiçoar e consolidar o plano de formação a ser desenvolvido nas U.Es em Exercitar a supervisão de práticas de modo a contribuir para ampliar as competências formativas do CP e consolidar a utilização dos instrumentos do formador.

14 PLANO DE FORMAÇÃO LOCAL Conteúdos: Planos de formação Estratégias formativas: Análise de bons modelos; Tematização/problematização de práticas; Observação; Registro e devolutivas; Planejamento e elaboração de pautas de encontros formativos Coordenação de encontros formativos: o papel do formador Avaliação do processo formativo Estratégias: Análise/problematização coletiva de registros feitos pelos FL de encontros ocorridos nas U.Es. acompanhadas. Reflexão individual e em subgrupos a partir dos registros do CP. Leitura orientada das Orientações Curriculares: Expectativas de Aprendizagens e Orientações Didáticas para a Educação Infantil para subsidiar as tematizações. Leitura e reflexão sobre textos de apoio.

15 PLANO DE FORMAÇÃO LOCAL Ações do CP: Elaboração do plano de formação 2008 Planejamento / elaboração das pautas dos encontros (coletivos) de formação na U.E. Registro dos encontros Planejamento, observação e registro de situações de ensino e aprendizagem (professor/crianças) na U.E. Colaborar com a organização do Seminário. Ações do FL: Coordenação dos encontros de formação local na DRE. Planejamento / elaboração da pauta para esses encontros a partir do roteiro do formador e do que foi discutido nos encontros de formação do formador local. Planejamento, observação e registro de encontros de formação em uma U.E. (cada formador acompanharia uma U.E. de modo que a dupla da DRE acompanhe um CEI e uma EMEI) Organização do material produzido a partir desse acompanhamento em conjunto com o CP para o Seminário.

16 PLANO DE FORMAÇÃO LOCAL Projeção para os encontros de Formação Local: Encontro 1 Apresentação do plano de formação local Socialização dos focos dos planos de formação dos CPs Reflexão sobre os planos de formação: (re)definindo o foco, a justificativa, os tempos para a formação, os objetivos e os conteúdos da formação. Leitura orientada de trechos do documento OC para subsidiar essa reflexão e a reelaboração do plano ressignificando o sentido de atividade. Para o encontro seguinte: O CP deve finalizar o plano definindo, inclusive, os objetivos e conteúdos de cada encontro e levar o plano para o próximo encontro. Encontro 2 Socialização dos planos. Análise de pautas, refletindo sobre as estratégias formativas, ajustando objetivos, conteúdos e estratégias previstas. Elaboração da pauta do próximo encontro formativo na U.E. Definição e combinados sobre as U.E.s que terão seus encontros acompanhados pelo FL. Para os encontros seguintes: Levar a pauta e o registro escrito dos encontros formativos da U.E. e de observação de atividade com crianças conforme solicitação do FL.

17 PLANO DE FORMAÇÃO LOCAL Encontro 3, 4, 5 e 6 Tematização da prática (análise e problematização de registros) Focos para as tematizações / conteúdos Análise das hipóteses dos professores: conhecimentos prévios. Análise das intervenções do formador (CP) Análise das consignas e perguntas: quando são boas? (reflexão e ZDP) Análise do lugar da teoria na formação: como a teoria pode subsidiar a reflexão e a tematização da prática? Análise comparativa entre o planejado e o realizado; entre o que se sustenta e o que se faz. Identificação e análise de problemas e dificuldades enfrentados na condução dos encontros e discussão sobre possíveis soluções. Encontro 7 Avaliação do processo formativo na U.E. e na FL. Análise dos encontros formativos de uma U.E. em conjunto.

18 Profissionais envolvidos Os formadores locais atuarão na formação dos Coordenadores Pedagógicos, de forma articulada com a equipe da DOT EI. Isso envolverá as seguintes atividades: Encontros mensais de 4 horas para cada grupo de Coordenadores Pedagógicos. Observação: o total de horas de cada formador variará de acordo com a quantidade de grupos locais Encontro mensal com o Assessor Local e DOT-EI Planejamento e elaboração de pautas, roteiros e relatórios dos encontros Acompanhamento e avaliação das Jornadas Pedagógicas, dos Seminários e das Publicações, entre outras atividades

19 Jornada Pedagógica Esta proposta versará sobre o Projeto Pedagógico, seu desenvolvimento e características. Colaboradores: Equipes das Unidades e das DREs, formadores locais e centrais, e assessores.

20 Seminários Será realizado um seminário LOCAL em cada DRE, visando a a implementação e consolidação das orientações curriculares e expectativas de aprendizagens, a socialização dos processos e produtos do Programa o diagnóstico e avaliação do mesmo. Observação: 1. Estarão envolvidos, direta ou indiretamente, de acordo com interesses, necessidades e possibilidades, todos os participantes do Rede em rede 2. Os trabalhos da Rede, apresentados no seminário, poderão ser divulgados em publicações, revistas eletrônicas ou DVDs, de acordo com os encaminhamentos regionais de cada DRE. Seminário INTERNACIONAL: novembro

21 Cursos Optativos Serão realizados pelas DREs, em consonância com as diretrizes de SME/ DOT EI, visando o aprofundamento das temáticas propostas nas Orientações Curriculares que contemplem as necessidades dos professores no trabalho cotidiano com as crianças. Estarão envolvidos neste evento as DOTs-P das DREs e os professores (e/ ou outros educadores) das Unidades de Educação Infantil da rede. Para a realização dos cursos serão credenciados Formadores pela SME/ DOT-EI e/ou DRE. A contratação e seu processo serão de responsabilidade da DRE.


Carregar ppt "SME DOT Educação Infantil REDE EM REDE – FASE 3/ 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google