A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

XXXII Congresso Brasileiro de Teologia Moral O PARADIGMA DO CUIDADO NO ÂMBITO DA SAÚDE Luciane Lúcio Pereira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "XXXII Congresso Brasileiro de Teologia Moral O PARADIGMA DO CUIDADO NO ÂMBITO DA SAÚDE Luciane Lúcio Pereira."— Transcrição da apresentação:

1

2 XXXII Congresso Brasileiro de Teologia Moral O PARADIGMA DO CUIDADO NO ÂMBITO DA SAÚDE Luciane Lúcio Pereira

3 Ética do cuidado: desafio na formação do profissional da saúde Cenário de desafios Cenário de desafios Contexto desumanizador Contexto desumanizador Cuidado humanizado Cuidado humanizado Possibilidades Possibilidades Ação interdisciplinar Ação interdisciplinar Requisitos Requisitos Habilidades comunicativas Habilidades comunicativas Formação Bioética Formação Bioética

4 CENÁRIO

5 Avanço tecnológico e desenvolvimento social...graças aos avanços tecnológicos, nas últimas décadas verificou-se um crescimento fantástico na produção de serviços e bens materiais, entretanto, desumanamente distribuídos, fazendo com que 2/3 da humanidade viva em grande pobreza. (BOFF, 1999)

6 As Imagens de Nosso Tempo ESPERANÇA DE VIVER MELHOR EXCLUSÃO E PRIVAÇÃO DAS CONDIÇÕES MATERIAIS, SOCIAIS E HUMANAS MÍNIMAS PARA A EXISTÊNCIA

7 DESCOMPASSO ENTRE O PROGRESSO TECNOLÓGICO E O PROGRESSO SOCIAL PERDA DO EQUILÍBRIO NAS RELAÇÕES

8 PERDA DO EQUILÍBRIO DO HOMEM COM A NATUREZA COM O AMBIENTE COM O PRÓPRIO HOMEM SOCIEDADE INDIVIDUALISMO - PENSAMENTO A CURTO PRAZO

9 Contextualizando na área da saúde... Organizações complexas = alta tecnologia e sistema psicossocial específico Organizações complexas = alta tecnologia e sistema psicossocial específico Desafio de conciliar o avanço científico e tecnológico com o mundo do indivíduo e da dignidade humana Desafio de conciliar o avanço científico e tecnológico com o mundo do indivíduo e da dignidade humana

10 Dantes os homens podiam facilmente dividir-se em ignorantes e sábios, em mais ou menos sábios ou mais ou menos ignorantes. Mas o especialista não pode ser subsumido por nenhuma destas duas categorias. Não é um sábio porque ignora formalmente tudo quanto não entra em sua especialidade; mas também não é um ignorante porque é ´um homem de ciência´ e conhece muito bem a pequeníssima parcela do universo em que trabalha. Teremos de dizer que é um sábio-ignorante – coisa extremamente grave – pois significa que é um senhor que se comportará em todas as questões que ignora, não como um ignorante, mas com toda a petulância de quem, na sua especialidade, é um sábio (Ortega y Gasset, apud POMBO, 2003)

11 FRAGMENTAÇÃO E ISOLAMENTO X INTEGRAÇÃO E VISÃO SISTÊMICA CUIDADO HUMANIZADO

12 CUIDADO, CUIDAR... CUIDADO, CUIDAR... Cuidado = cogitar, pensar, colocar atenção, mostrar interesse, revelar uma atitude de desvelo e de preocupação. O cuidado é uma expressão de nossa humanidade, sendo essencial para o nosso desenvolvimento e realização como seres humanos. (Waldow,2006)

13 Resgate de valores Volta à Essência Humana Ética e Respeito Qualidade de Vida Proteção Meio Ambiente Responsabilidade social Espiritualidade

14 O Cuidado no contexto do profissional da saúde SIGNIFICADO COMPROMISSO COMPETÊNCIA

15 Parar e pensar... Qual o significado das nossas escolhas ? Por que eu escolhi esta profissão? Qual o significado da minha atuação para a transformação da Sociedade ? Qual o significado da vida e do cuidado do ser humano? O que esperamos da vida? O que a vida espera de nós?

16 competência Ser competente é saber fazer bem o dever Ser competente é saber fazer bem o dever QUERER – a intencionalidade da ação, a vontade política QUERER – a intencionalidade da ação, a vontade política... Ocupar o lugar que lhe compete na organização social.... Ocupar o lugar que lhe compete na organização social.(RIOS,1994) bem Verdade (do ponto de vista do conhecimento) Valor (do ponto de vista da atitude)

17 COMPROMISSO VIDA SOCIEDADE PROFISSÃO SI MESMO

18 5 Cs do CUIDADO 1. Compaixão 2. Competência 3. Confiança 4. Consciência 5. Comprometimento (Roach,1993)

19 Possibilidade de mudança da lógica estabelecida para a superação dos desafios da sociedade...Interdisciplinaridade...

20 O fazer em saúde, seja nas relações interpessoais (dos profissionais com os usuários e dos profissionais entre si), seja no diagnóstico e terapêutica, passa a ser o resultado da complementação de saberes e práticas específicas e comuns das diversas categorias. O fazer em saúde, seja nas relações interpessoais (dos profissionais com os usuários e dos profissionais entre si), seja no diagnóstico e terapêutica, passa a ser o resultado da complementação de saberes e práticas específicas e comuns das diversas categorias. MALTA et al 2000

21 EQUIPE - Definição Grupo de pessoas que compartilham, pelo menos, de um objetivo que só pode ser atingido pelo esforço conjunto de todos (Hardingham)

22 Porém... CÓDIGO DE ÉTICA DOS ENFERMEIROS (2007) CÓDIGO DE ÉTICA DOS ENFERMEIROS (2007) A Enfermagem é uma profissão comprometida com a saúde e qualidade de vida da pessoa, família e coletividade. O Profissional de Enfermagem atua na promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, com autonomia e em consonância com os preceitos éticos e legais. A Enfermagem é uma profissão comprometida com a saúde e qualidade de vida da pessoa, família e coletividade. O Profissional de Enfermagem atua na promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, com autonomia e em consonância com os preceitos éticos e legais.

23 GRUPOSEQUIPES Expressam um propósito comum Concordam com as metas de performance Definem uma abordagem comum de trabalho Desenvolvem altos níveis de conhecimentos complementares Permanecem mutuamente responsáveis pelos resultados

24 Autonomia e interdependência

25 dependência mútua independência LIMITES E POSSIBILIDADES

26 (Goldim, 2002) COMPETÊNCIAS TÉCNICAS E CIENTÍFICAS COMPETÊNCIAS ÉTICAS E HUMANISTAS EXCELÊNCIA PROFISSIONAL

27 Robert Keohane e Joseph Nye (1977), que lançaram a teoria da interdependência, buscando explicar a necessidade das relações internacionais entre os países frente ao forte movimento de globalização e integração regionais, como alternativa para superar os problemas econômicos, demográficos, sociais, políticos e ambientais, através da negociação e cooperação entre os diferentes representantes e atores sociais. DEPENDÊNCIA RECÍPROCA

28 Linhas de divisão Linhas de divisão Independência Independência Emancipação Emancipação Linhas de entrelaçamento Linhas de entrelaçamento Integração Integração Dependência Mútua Dependência Mútua

29 Atitude concretas, responsáveis, éticas e sensíveis... Conhecimento das nossas potencialidades e limitações... Fazer escolhas que redirecionem e transformem a realidade... Renúncia do interesse individual para perceber melhor o coletivo...

30 PARALELISMOPARALELISMOMULTIDISCIPLINARMULTIDISCIPLINAR PERSPECTVISMO CONVERGÊNCIA INTERDISCIPLINARINTERDISCIPLINAR

31 Interdisciplinaridade é um continuum no qual as esferas de justaposição, fusão, transcendência, circulam em diferentes sentidos e configuram modos de trabalhar com os encontros, diálogos e conexões entre os saberes científicos. Interdisciplinaridade é um continuum no qual as esferas de justaposição, fusão, transcendência, circulam em diferentes sentidos e configuram modos de trabalhar com os encontros, diálogos e conexões entre os saberes científicos. (Olga Pombo) Interdisciplinaridade é um continuum no qual as esferas de justaposição, fusão, transcendência, circulam em diferentes sentidos e configuram modos de trabalhar com os encontros, diálogos e conexões entre os saberes científicos. Interdisciplinaridade é um continuum no qual as esferas de justaposição, fusão, transcendência, circulam em diferentes sentidos e configuram modos de trabalhar com os encontros, diálogos e conexões entre os saberes científicos. (Olga Pombo)

32 Desenvolvimento das Habilidades Comunicativas como Requisito para a atuação interdisciplinar de Cuidado

33 CUIDADO INTERDISCIPLINAR MEDIADO PELA COMPREENSÃO DE SI E DO OUTRO COMUNICAÇÃO

34 REPRESENTA UM PROCESSO DE TROCA, ONDE AS PESSOAS EXPRESSAM O QUE SENTEM E PENSAM, E TAMBÉM RECEBEM ESTAS INFORMAÇÕES DO OUTRO REPRESENTA UM PROCESSO DE DAR E RECEBER FEEDBACK

35 COMUNICAÇÃO VERBAL associada as palavras expressas NÃO VERBAL todas as formas de comunicação que não envolva as palavras

36 COMPETÊNCIA INTERPESSOAL habilidade de lidar eficazmente com relações interpessoais, de lidar com outras pessoas de forma adequada às necessidade de cada uma e às exigências da situação (MOSCOVICI,1996)

37 Cada pessoa é única... subjetivismos subjetivismos experiências experiências valores valores interesses interesses expectativas expectativas Significados diferentes para experiências comuns Negociação de significados

38 INFLUÊNCIAS NO PROCESSO COMUNICATIVO A SUBJETIVIDADE DAS FORMAS DE EXPRESSÃO OS VALORES PESSOAIS O CONTEXTO A INTERAÇÃO DAS MENSAGENS VERBAIS E NÃO-VERBAIS

39 Está comprovado que nunca se alcança realmente uma boa comunicação antes que duas pessoas se decidam a trabalhar para isso. Precisamos de estudo e prática para aprender a difícil arte da comunicação (Powell; Brady, 2001)

40 Aprendizado da Comunicação OPORTUNIDADES SISTEMATIZADAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES COMUNICATIVAS DIMENSÃO INDIVIDUALIZADA AUTO- CONHECIMENTO EFETIVAÇÃO DAS INTERAÇÕES CONSTRUÇÃO DE RELAÇÕES SIGNIFICATIVAS

41 SIGNIFICADO DA COMUNICAÇÃO COMPETENTE É um processo interpessoal; É um processo interpessoal; Atinge o objetivo dos comunicadores; Atinge o objetivo dos comunicadores; Pressupõe conhecimentos básicos de comunicação; Pressupõe conhecimentos básicos de comunicação; Há consciência do verbal e do não verbal na interação; Há consciência do verbal e do não verbal na interação; Exige clareza e objetividade; Exige clareza e objetividade; Promove auto-conhecimento. Promove auto-conhecimento. (BRAGA, 2005)

42 Formação Bioética para uma nova atuação

43 Formação Profissional LDB Aponta para a necessidade de uma postura inovadora e flexível que permita a formação de um profissional crítico, criativo, consciente e ético. (Erdmann,2005) o que se verifica é que os princípios norteadores da sua prática são mais inspirados na competitividade do que na cooperação e solidariedade. x

44 Fragmentação e ultra especialização profissional Em todos os campos, o desenvolvimento das especializações e dos compartimentos burocráticos tendem a encerrar os indivíduos num domínio de competência parcial e fechado, de onde deriva a fragmentação e a diluição da responsabilidade e da solidariedade(...). Morin, 2005

45 Formação profissional na área da saúde A formação bioética se apresenta como possibilidade de preparo do futuro profissional para o enfrentamento das questões persistentes e emergentes da ética da vida, numa visão mais integral do ser humano. Vivenciamos como atores e expectadores uma formação e atuação do profissional tecnicista, fragmentada, marcada pela pressão de mercado e destituída de valores humanos.

46 Desafios da formação moral e ética dos profissionais de saúde (REGO, ROSITO, YAMADA, 2007) formação de pessoas comprometidas com o diálogo, respeitadoras dos direitos humanos e daqueles que divergem de suas posições Transformar o atual paradigma centrado na tecnologia e na intervenção aos agravos dentro de espaços físicos dos serviços hospitalares sair do território do ensino centrado em normas deontológicas inserir a bioética como seiva ao longo dos cursos viabilizar o cuidado como direito de cidadania

47 Levantamento – Ensino de Bioética Incipiência do ensino de bioética Incipiência do ensino de bioética Importância do ensino de bioética Importância do ensino de bioética Restritos essencialmente a área de Medicina (secundariamente Enfermagem, Teologia, Odontologia, Ciências Biológicas e Biomedicina) Restritos essencialmente a área de Medicina (secundariamente Enfermagem, Teologia, Odontologia, Ciências Biológicas e Biomedicina) Descrição de Metodologias empregadas Descrição de Metodologias empregadas Descrição de conteúdos ainda muito associados a Deontologia; Descrição de conteúdos ainda muito associados a Deontologia; Importância do preparo docente para a atuação nesta disciplina. Importância do preparo docente para a atuação nesta disciplina.

48 Em Bioética é preciso educar-se... (Hossne, 2006) UMA CONSTATAÇÃO: UMA CONSTATAÇÃO: A Bioética representa um elo entre as ciências biológicas e as ciências humanas, olhando para o futuro da humanidade tendo como características principais o pluralismo e a interdisciplinaridade UMA ATENÇÃO: UMA ATENÇÃO: Não se pode obter formação em bioética empregando uma sistemática valida para outras áreas, mas insuficiente em bioética. A formação em bioética exige, sim, conhecimentos científicos pragmáticos, como subsídio para a reflexão e a deliberação, mas exige, sobretudo, uma sistemática de formação utilizada nas ciências humanas UMA EXIGÊNCIA: UMA EXIGÊNCIA: Sobre quem se dedica a bioética – (...) busquem sempre aprimorar não apenas conhecimentos, mas comportamentos. Quero crer que é incoerente atuar em bioética de forma que não seja eticamente adequada.

49 SOMOS A SOMA DE NOSSAS DECISÕES E AÇÕES QUEM SOMOS ? Intenções - ações = NADA Intenções + ações = VONTADE

50 É o cuidado e o enternecimento pela inalienável dignidade da vida que move as pessoas e os movimentos a protestar, a resistir e a mobilizar-se para mudar a história. (BOFF, 1999) É o cuidado e o enternecimento pela inalienável dignidade da vida que move as pessoas e os movimentos a protestar, a resistir e a mobilizar-se para mudar a história. (BOFF, 1999)

51 OBRIGADA!


Carregar ppt "XXXII Congresso Brasileiro de Teologia Moral O PARADIGMA DO CUIDADO NO ÂMBITO DA SAÚDE Luciane Lúcio Pereira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google