A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Da Escolástica e o Pensamento Moderno dos sécs XVI e XVII.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Da Escolástica e o Pensamento Moderno dos sécs XVI e XVII."— Transcrição da apresentação:

1 Da Escolástica e o Pensamento Moderno dos sécs XVI e XVII

2 Escolástica: corrente filosófica da I. Média. Razão do nome PROFESSORES ERAM CHAMADOS DE ESCOLÁSTICOS. Scholásticos = os que tinham tempo livre para estudar na I.M, quer dizer, geralmente eram religiosos.

3 Escolástica Razões para o surgimento da escolástica: Baixa Idade Média – surgimento das cidades e das monarquias nacionais- surgiram escolas nas cidades. Os jovens que não eram religiosos, passaram a freqüentar as universidades, onde se debatia textos filosóficos e teológicos. Estímulo ao conhecimento racional. Universidade de Bolonha Universidade de Oxford 1168.

4 Escolástica Universidades: Caráter universal- atraíam jovens de todo o mundo. Estudavam teologia, direito canônico, medicina e artes. Tornavam-se clérigos ou aristocratas que deveriam trabalhar na burocracia do Estado. Para os mais pobres a ascensão social estava em entrar na universidade e seguir uma carreira religiosa.

5 Expoente da Escolástica; São Thomas de Aquino.(séc. XII) Os escolásticos, em sua grande maioria foram seguidores de Aristóteles. Isso é explicável porque no início da Idade Média- época das invasões bárbaras, os manuscritos da Antiguidade ficaram confinados nos mosteiros.

6 São Thomás de Aquino

7 Expoente da Escolástica; São Thomas de Aquino.(séc. XII) Base de São Thomas- Aristóteles- sua Filosofia foi chamada realismo; o que dava identidade ao homem é o corpo unido especificamente à alma. Separou a Filosofia da Teologia como tendo objetos distintos. Adotou o princípio da abstração de Aristóteles, para conhecer.

8 Expoente da Escolástica: São Thomas de Aquino.(séc. XII) São Thomas disse que poderia provar racionalmente a existência de Deus.- o seja há uma lógica filosófica que prova a existência de Deus. Baseado em princípios Aristótélicos formulou as 5 vias da Existência de Deus. Deus seria a perfeição puro ato. Só o puro ato poderia explicar o movimento e a existência.

9 Expoente da Escolástica; São Thomas de Aquino.(séc. XII) Primeira Via: para que as coisas existam deve existir algo que mova ( potência). Deus é pura potência o que move e não é movido! Motor Imóvel. Segunda Via: Deus é causa eficiente de todos os seres- a causa realmente eficaz. Terceira Via: Deus é necessário, se não movesse nada existiria, o resto é contingente, isto é, poderia ou não existir.

10 Quarta via: As coisas apresentam graus de perfeição variável, portanto só podem proceder de um grau máximo de perfeição- Deus. Quinta Via: As coisas em si não são capazes de se ordenar, porque só o conhecimento ordena. Logo, foram ordenadas por algo exterior a elas- Puro Conhecimento.

11 Avicena e Averróis- Filósofos árabes na Idade Média. Contexto histórico: os árabes na Idade Média invadiram Portugal e Espanha. Além disso, devido às cruzadas houve intenso contacto com o mundo oriental. O pensamento de Aristóteles foi difundido e até alguns pergaminhos roubados....

12 Avicena e Averróes Avicena; comentou obras de Aristóteles. Fundiu platonismo, aristotelismo e religião islâmica.Deus é o intelecto agente que sofreu emanações e deu origem ao mundo. Deus é o animador do mundo, uma energia existente no universo desde toda a eternidade.

13 Pensamento Moderno Contexto: formação do Estado Moderno = há necessidade de legitimar o absolutismo. Princípio das nacionalidades: não é mais o catolicismo que unifica uma nação. Humanismo e Reforma: homem retoma a sua auto-confiança com as navegações e difusão do saber. A hierarquia católica passa a ser questionada, depois de 15 séculos hegemônicos. Denuncia-se a corrupção do clero.

14 Pensamento Moderno – Política e Ética Maquiavel Aético O Príncipe - Primeiro Grande Tratado de Política Virtude: consiste na manutenção do poder pelo príncipe e não em praticar atos bons. Fortuna:sorte que governa os atos

15

16 Pensamento Moderno- Político- Social Thomas More- autor de Utopia = Em nenhum lugar Humanista católico- chanceler de Henrique VIII, perdeu literalmente a cabeça. Em Utopia- nome da ilha-não haveria propriedade privada, trabalhar-se-ia poucas horas, a felicidade não estaria no acúmulo de riquezas, haveria ausência de dinheiro e liberdade religiosa Utopia é governada por Ademo (sem povo), sua capital é Amauroto ( Evanescente), junto ao rio anidro (sem água.)

17 Thomas More

18 Pensamento Moderno- Antecipa Decartes. Thomás Campanella: dominicano, insurgiu-se contra o Aristotelismo e o Platonismo, dedicou-se à magia e á astrologia. Foi torturado pela inquisição espanhola, escapou da morte por fingir-se de louco. Foi reabilitado pelo Papa Urbano VIII.

19 Pensamento Moderno Na prisão, na ausência de livros disso que filosofar não é ler e pensar, mas pensar pelo contacto com a natureza. Autoconsciência- antecipa o penso, logo existo de Descartes – idéia de que tenho certeza que existo, porque penso. Magia= seria a arte prática que se serve das propriedades ativas e passivas das coisas naturais para produzir efeitos extraordinários, dos quais se ignora a causa.

20 Pensamento Moderno- Crítica à hierarquia e à escolástica Erasmo de Roterdã- Elogio da Loucura. Padre católico, seu livro foi incluído no Index. Nessa obra atacou a sociedade da época, com sua comédia de aparências e máscaras, contrapondo a ela a loucura da Cruz de Cristo. Critica o poder eclesiástico e as disputas escolásticas, defendia a Filosofia como conhecimento sapiencial de vida.

21 Erasmo de Roterdã

22 Pensamento Moderno- Retorno à natureza e a moral determinada pela cultura. Michel de Montaigne. Era cético em relação à razão, professando crença na fé – fideísmo. Busca o paraíso perdido, manisfesta o desejo de retorno à natureza, glorificando a figura do bom selvagem. Identifica a Moral com os costumes. Busca da sabedoria= dizer sim à vida em qualquer circunstância, ser feliz é uma espécie de carpe dien.

23 Montaigne

24 Pensamento Moderno- Panteísmo. Nicolau de Cusa: cardeal, neoplatonista. É impossível conhecer Deus, porque a mente humana não tem estrutura para captá-lo. Deus complica as coisas e explica. Deus está contraído no Universo. Cada ser resume o universo inteiro tudo é Deus. Isso é chamado Panteísmo.

25 Revolução Científica século XVI e XVII. Idéia de que a razão é quem constrói seus próprios caminhos em busca do entendimento das coisas. Diferente da concepção medieval de que deve ser iluminada por Deus No Renascimento procura-se decifrar a linguagem do Universo. Pensadores como Copérnico diziam que o universo só poderia ser compreendido através de números. No renascimento inicia-se um processo de secularização do ensino-escola civis, ainda que a o clímax desse processo se dê com o Iluminismo. Houve ainda certo sincretismo e mistura de matemática com magia o que se chamou de Hermetismo.

26 Geocentrismo Sobre o Geocentrismo- vide Aristóteles, que difundiu a versão de que a Terra era o Centro do Universo-fixa e imóvel e foi originada em Ptolomeu na Obra Almagesto. Fala-se de sistema Aristotélico-Ptolomaico. Características desse Sistema: Terra Fixa. A sua volta os astros executam um movimento circular e uniforme determinadas por 55 esferas concêntricas ( que tem um centro em comum a Terra) Opaca e pesada situa-se no centro do mundo sublunar Um primeiro motor movimenta essa esfera externa, que por sua vez, move todas as outras, em conta to entre si. Todas as esferas e corpos externos ao mundo sublunar são imutáveis, incorruptíveis e luminosos.

27 Geocentrismo

28 Copérnico- Heliocentrismo ( ) Sistema corpenicano opôs-se ao sistema Aristotélico- ptolomaico: Autor do Heliocentrismo. Segundo esse sistema: * Deus estaria no Centro do Universo O universo estaria limitado pela esfera de estrelas fixas. A terra seria esférica e giraria em torno do sol Os planetas desenvolveriam um movimento circular perfeito em torno do Sol, sendo transportados por esferas cristalinas que giram. A Terra gira em torno de seu próprio eixo. Visão Neoplatônica de um Deus que Geometriza.

29 Tycho Brahe.( ) Astrônomo dinamarquês: Defendeu o Geocentrismo. Em torno da Terra girariam a Lua, o Sol e as estrelas fixas em órbitas circulares. Em torno do Sol giram apenas 5 planetas excedentes. Porém falou sobre o Sistema orbital, os planetas não são transportados por esferas materiais, mas descrevem órbitas.

30 Galileu-Galilei ) O Geocentrismo foi contestado pelo Heliocentrismo defendido como hipótese científica por Nicolau Copérnico no século XIV e estudada como hipótese Matemática por Galileu- Galilei, no século XVI. Aguarde a próxima aula!

31 Foi advertido pela igreja Católica que o instruiu para ensinar o Heliocentrismo como hipótese matemática e não como verdade científica. Realizou tal empreitada no livro Os 2 Grandes Sistemas de Mundo. Foi condenado à prisão domiciliar perpétua ao afirmar que a Bíblia estaria errada no livro de Josué, dizendo que o Sol havia parado, quando é a Terra que gira em torno do Sol.

32 Kepler ( ) Admitiu órbitas elípticas. De caráter neoplatônico e pitagórico, acreditava na perfeita harmonia do universo, relacionando os 5 sólidos regulares ( cubo, tetraedo, dodecaedro, octaedro e icosaedro) com número e distância entre os planetas.

33 Sir Isaac Newton( Sir Isaac Newton( ) causou verdadeira revolução na ciência depois de Galileu Galilei- com a lei da Gravidade.

34 Como Pai da Física Clássica demonstrou matematicamente a hipótese copernicana e estabeleceu a metodologia científica. Física Clássica: corpuscularismo (Natureza escrita em caracteres corpusculares, mas com sintaxe matemática: leis da inércia, da gravidade, da ação e da reação, cálculo infinitesimal( derivadas espaço em relação ao tempo; integral- velocidade no tempo que é a aceleração. Deus-ordem no universo revela o projeto de um Ser Inteligente e Poderoso- prova da sua existência.

35


Carregar ppt "Da Escolástica e o Pensamento Moderno dos sécs XVI e XVII."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google