A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INCIDÊNCIA DOS TIPOS HISTOPATOLÓGICOS DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS EM PACIENTES SUBMETIDAS À VÍDEO-HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA Canelas, Ana Clara de Novaes; Andrade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INCIDÊNCIA DOS TIPOS HISTOPATOLÓGICOS DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS EM PACIENTES SUBMETIDAS À VÍDEO-HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA Canelas, Ana Clara de Novaes; Andrade."— Transcrição da apresentação:

1 INCIDÊNCIA DOS TIPOS HISTOPATOLÓGICOS DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS EM PACIENTES SUBMETIDAS À VÍDEO-HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA Canelas, Ana Clara de Novaes; Andrade Jr., Claudio Moura de; Pimentel, Marco Antonio de Oliveira; Santos, Luiz Carlos da Silva; Ferreira, Maria Tereza Ribeiro Alves INTRODUÇÃO Os pólipos endometriais continuam sendo alvo de estudo e dentre os tumores uterinos é o mais freqüente. Trata-se de neoformação da mucosa endometrial, revestida por epitélio com quantidade variável de glândulas, estroma e vasos sangüíneos. Podem ser sésseis ou pediculados, únicos ou múltiplos, variam de volume, podendo ser pequenos ou ocupar toda cavidade uterina. O principal sintoma da é o sangramento uterino anormal, que pode se apresentar como discreta perda sangüínea até hemorragia intensa. A sinusorragia poderá ocorrer no pólipo endometrial que se projetou para canal cervical ou vagina, e caso haja diminuição no aporte sangüíneo ocorrerá necrose com conseqüente queixa de leucorréia com odor fétido e sangramento. Pólipos endometriais poderão ser causa de infertilidade, funcionando como verdadeiros tampões quando localizados próximos as regiões cornuais impedindo a espermomigração, e se muito volumosos, agem como corpo estranho e podem impedir a implantação do ovo. São classificados em glandulares, fibrosos ou fibrocísticos com ou sem atipias. O fundo uterino e as regiões cornuais são os locais encontrados com maior freqüência, encontra-se prevalência na quinta década e sua incidência é de 24% na população em geral. A malignização do pólipo é rara, variando de 3,5 % a 6%. OBJETIVOS 1.Avaliar a incidência dos diversos tipos histológicos de pólipos endometriais – hiperplásicos, atróficos, funcionais, endometrial-endocerivcal-mistos, adenomiomatoso e adenoma poliplóide atípico – e correlacionar os dados obtidos com as variáveis previamente estabelecidas, como idade, fase da vida e uso de TRH. MATERIAL E MÉTODOS Foi realizado estudo retrospectivo de 100 laudos cirúrgicos e histopatológicos de pacientes submetidas à vídeo- histeroscopia cirúrgica para polipectomia com ressectoscópio monopolar. Das pacientes avaliadas a média de idade foi de 47 anos – sendo a idade mínima 24 e a máxima 70 anos; destas 58% estavam no menacme e 42% no climatério. CONCLUSÃO Neste grupo de estudo encontramos com maior freqüência os pólipos endometriais com características histopatológicas funcionais, resultado contraditório de acordo com a literatura pesquisada, que relata serem os pólipos hiperplásicos mais freqüentes. Uma possível causa pode ser o fato dos pólipos hiperplásicos, no passado, terem sido diagnosticados mais tardiamente. Com o avanço dos métodos diagnósticos, como a vídeo-histeroscopia e a ultra-sonografia, é possível identificar o pólipo endometrial mais precocemente, como no caso do pólipo funcional. A média de idade manteve-se semelhante entre estes grupos, indicando que independente do tipo histopatológico os pólipos endometriais funcionais e hiperplásicos são encontrados mais amiúde em mulheres com idade entre 40 e 45 anos. A presença de maior prevalência dos pólipos endometriais funcionais e hiperplásicos encontrados, em mulheres no menacme, compartilha com a literatura médica, pólipos atróficos no climatério também compartilha com a literatura RESULTADOS A partir da análise dos laudos histopatológicos, observamos uma maior freqüência dos pólipos do tipo funcional (43%), seguido dos tipos fibroso (25%), hiperplásico (19%) e fibro-cístico (13%). Ao considerarmos os pólipos fibrosos e fibro-císticos como atróficos e correlacionarmos com a média de idade das pacientes, observamos uma média de 56,6 anos para os pólipos atróficos; 45 anos para os hiperplásicos e 44 para os funcionais. Nas pacientes pós menopausa, o tipo histológico mais encontrado foi o atrófico (71%), seguido pelo funcional (19%). Já no menacme a prevalência foi do pólipo funcional (62%). Não foram encontrados neste estudo pólipos endometriais dos tipos endometrial- endocervical misto, adenomiomatoso e adenomioma polipóide atípico.


Carregar ppt "INCIDÊNCIA DOS TIPOS HISTOPATOLÓGICOS DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS EM PACIENTES SUBMETIDAS À VÍDEO-HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA Canelas, Ana Clara de Novaes; Andrade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google