A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO E EMPREENDORISMO Estudando com ProfªSimony.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO E EMPREENDORISMO Estudando com ProfªSimony."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO E EMPREENDORISMO Estudando com ProfªSimony

2 O ESPIRITO EMPREENDEDOR

3 A idéia de espírito empreendedor está associada a pessoas realizadoras, que mobilizam recursos e correm riscos para iniciar organizações de todos os tipos. Embora existam empreendedores em todas as áreas da ação humana, em seu sentido restrito o conceito refere-se às pessoas que criam empresas - organizações, pessoas criativas que colocam e praticam suas habilidades no mundo dos negócios. O espírito empreendedor envolve emoção,paixão, impulso, inovação, risco e intuição. Mas deve também reservar um amplo espaço para a racionalidade. Saber localizar metas e objetivos globais e localizar os meios adequados para chegar lá, da melhor maneira possível.

4 O ensino de empreendedorismo. A adoção do método de formação de empreendedores criado pelo consultor Fernando Dolabela é um exemplo (vide seu livro O segredo de Luiza). Outro exemplo é o programa Brasil Empreendedor,lançado pelo Governo Federal, cuja meta é capacitar mais de dois milhões de empresários.

5 DEFINIÇÃO E HISTÓRICO DO EMPREENDEDORISMO DEFINIÇÃO E HISTÓRICO DO EMPREENDEDORISMO A pessoa que assume o risco de começar uma empresa é um empreendedor. Empreendedor do latim imprendere, que significa decidir realizar tarefa difícil e laboriosa (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, 2001), colocar em execução Empreendedor do latim imprendere, que significa decidir realizar tarefa difícil e laboriosa (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, 2001), colocar em execução (Dicionário Aurélio, 1975). Tem o mesmo significado da palavra francesa entrepreneur, que deu origem à inglesa entrepreneurship (comportamento do empreendedor). Abrir um empreendimento significa, para o trabalhador,a passagem para o outro lado da relação de trabalho. É preciso, pois, além de ter espírito empreendedor, preparar-se para trilhar esse novo caminho, que, embora difícil, pode ser compensador e resultar em sucesso pessoal e independência econômica.

6 Mitos sobre empreendedores Mito 1 Empreendedores nascem feitos.Mito 2 Qualquer um pode começar um negócio. Mito 3 Dinheiro é o fator mais importante para montar uma empresa. Mito 4 Empreendedores não têm chefe e são completamente independentes. Mito 5 Empreendedores devem ser jovens e cheios de energia. Mito 6 Empreendedores trabalham mais do que executivos de grandes companhias. Mito 7 Empreendedores são jogadores Mito 8 Qualquer empreendedor com uma boa idéia pode atrair investimentos de risco.

7 Algumas características comuns a todos os empreendedores Integridade – é uma qualidade do caráter, ligada à honestidade e à coerência entre princípios e atitudes, como base do compromisso com as pessoas e com o negócio. Liderança – é a capacidade de reunir as forças de um grupo em torno de um objetivo, transformando as pessoas em parceiros, estimulando seu crescimento e dando exemplo para manter a motivação elevada. Comunicação e relacionamento – é a capacidade de expressar de forma clara as próprias idéias e emoções, e também de ouvir os outros. Essas características auxiliam no desenvolvimento da habilidade de conviver e interagir com as outras pessoas.

8 Senso administrativo – é a capacidade de agir para prevenir ou corrigir problemas decorrentes das variações do mercado, reconhecendo e analisando, no dia a dia, mudanças na economia e no comportamento dos clientes. Visão de oportunidade – é o talento natural de estar sempre atento ao que acontece ao redor. É ser capaz de identificar as necessidades dos clientes e transformar isso em um negócio. Motivação – é estar sempre disposto e entusiasmado para trabalhar em busca da realização de objetivos. Iniciativa – é a capacidade de, ao perceber um problema ou detectar uma oportunidade, agir rapidamente para solucioná-lo ou aproveitá-la.

9 Organização/planejamento – todo empreendimento precisa ser organizado. É necessário ter metas, planejar como alcançá-las e controlar os resultados. Acompanhar sistematicamente os custos, as vendas e o desenvolvimento das metas faz parte do dia a dia do empreendedor. Quem não for capaz de organizar-se tem poucas chances de ser um bom empresário. Determinação/perseverança – é ser capaz de enfrentar e superar as dificuldades sem se deixar abater, tendo claro que obstáculos podem surgir e vencê-los é a condição para atingir os objetivos. Criatividade/inovação – é a capacidade de buscar soluções novas e adequadas para os problemas, de estar o tempo todo procurando as melhores formas de atender os desejos do cliente, melhorando a qualidade e reduzindo os custos.

10 56% dos pequenos e micronegócios fecham antes de completar cinco anos. Fonte Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE-SP). Causas para esta realidade: deficiências no planejamento; deficiências no planejamento; falhas na gestão; falhas na gestão; brigas entre sócios. brigas entre sócios.

11 Os perigos mais comuns: - não identificar adequadamente qual será o novo negócio; - não reconhecer apropriadamente qual será o tipo de cliente a ser atendido; - não saber escolher a forma legal de sociedade mais adequada; - não planejar suficientemente bem as necessidades financeiras do novo negócio; -erra na escolha do local adequado para o novo negócio; - não sabe administrar o andamento das operações do novo negócio; - não sabe administrar o andamento das operações do novo negócio; - não ter conhecimento sobre a produção de bens ou serviços com padrão de qualidade e de custo; - ter pouco domínio sobre o mercado fornecedor; - ter pouco domínio sobre o mercado fornecedor; - não sabe vender e promover os produtos/serviços; - não saber tratar adequadamente o cliente

12 Peter Drucker disse que a finalidade do processo de planejamento é enfrentar a incerteza do futuro.

13 Sabemos que somente uma parte do futuro é incerta ou desconhecida. Outra parte é conhecida e previsível. As duas situações exigem preparação, senão a empresa fará parte da estatística apontada pelo SEBRAE, ou será atropelada pelos acontecimentos.

14 Empreendedorismo e desenvolvimento econômico A transformação dos atores sociais em veículos de criação e difusão do espírito empreendedor, poderá canalizar comportamentos para o objetivo do desenvolvimento.

15 O Mercado - O mercado no sistema econômico, é formado pelas pessoas que querem comprar e pelas que querem vender bens e serviços, ou seja, os consumidores e os empresários. - O mercado no sistema econômico, é formado pelas pessoas que querem comprar e pelas que querem vender bens e serviços, ou seja, os consumidores e os empresários.

16 O ciclo de vida das empresas Fase pioneira - fase inicial,fácil controle e flexibilidade Fase de expansão – aumento de funcionários,aproveitamento de oportunidades Fase de regulamentação – definição de rotinas, crescimento das atividades da organização Fase de burocratização – organização se torna piramidal Fase de reflexibilização – fase de readaptação à flexibilidade

17 Quem são seus parceiros no negocio? Todo negocio acontece graças a uma reunião de esforços. Exige a conjunção de vários parceiros,que participam direta e indiretamente do seu sucesso. O acionista O empregado O cliente O fornecedor A sociedade

18 Empresas em virtude do ramo de atividade podem ser classificadas em: Empresas industriais Comerciais Prestadoras de serviço

19 Bens de produção - São os bens que servem para produzir outros bens, como por exemplo,máquina de costura,prensas, componentes,matérias primas ou seja, máquinas e equipamentos que são utilizados para fabricar outros bens.

20 Bens de consumo – são aqueles que atendem, diretamente, à demanda. Eles são destinados ao consumo final dos consumidores. Existem dois tipos de bens de consumo: Duráveis por exemplo: televisores, geladeira, aparelho de som, carro, liquidificador, pois são bens que não possuem consumo imediato; Não duráveis são bens destinados ao consumo final e são consumidos imediatamente pelos consumidores, por exemplo: alimentos, produtos de higiene e limpeza, etc.

21 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica,em linguagem escrita, um negócio que se quer iniciar ou que já está iniciado. Geralmente é escrito por empreendedores quando há intenção de se iniciar um negócio, mas também pode ser utilizado como ferramenta de marketing interno e gestão. Pode ser uma representação do modelo de negócios a ser seguido. Reúne informações tabulares e escritas de como o negócio é ou deverá ser. De acordo com o pensamento moderno, o plano de negócio é um documento vivo, no sentido de que deve ser constantemente atualizado para que seja útil na consecução dos objetivos dos empreendedores e de seus sócios. O plano de negócios também é utilizado para comunicar o conteúdo aos investidores de risco, que podem se decidir a aplicar recursos no empreendimento.

22 Por que escrever um Plano de Negócios (PN)? Lembre-se de que informação nunca é demais. Com este plano de negócios você poderá identificar os possíveis riscos. O PN não é estático. Alocar recursos para o empreendimento.

23 Bibliografia Básica Bibliografia Básica CHIAVENATO, I. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor. São Paulo: Saraiva, DORNELAS, J.C.A. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. 2 ed. Rio de Janeiro: Campus, DEGEN, R. O empreendedor: fundamentos da iniciativa empresarial. 8 ed. São Paulo: Makron Books, DRUCKER, P. Inovação e espírito empreendedor: práticas e princípios.5 ed. São Paulo: Pioneira, 1998.


Carregar ppt "GESTÃO E EMPREENDORISMO Estudando com ProfªSimony."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google