A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Os modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e pequenas empresas Bruno L.T. Correa Rodrigo De Pretto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Os modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e pequenas empresas Bruno L.T. Correa Rodrigo De Pretto."— Transcrição da apresentação:

1 Os modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e pequenas empresas Bruno L.T. Correa Rodrigo De Pretto

2 Publicação: Revista brasileira de Administração cientifica Autores: Emanoel Alvez dos Santos Carlos Eduardo Silva

3 Introdução Idade média: O empreendedor era um administrador dos projetos do Estado; Idade moderna: Surgem os riscos, o empreendedor faz acordos contratuais com o Estado; Idade contemporânea: Empreendedor confundido com gerente da empresa. Brasil: Surge a partir da criação do SEBRAE e SOFTEX, visando incentivar a inovação e criatividade. Década de 1990.

4 Metodologia Pesquisa bibliográfica; Dados secundários: livros artigos publicações cientificas Objetivo: descritivo, pretende identificar, descrever, comparar e classificar os diversos modelos de plano de negócios e sua relevância para as MPE

5 Fundamentos de Empreendedorismo O empreendedorismo ainda não é uma ciência. por enquanto, não existem padrões que possam nos garantir que a partir de certas circunstâncias, haverá um empreendedor de sucesso; Assim, a ação de abrir empresas, ou empreendedorismo empresarial, é uma das diversas formas de empreender;

6 Fundamentos de Empreendedorismo ser empreendedor não significa apenas abrir seu próprio negócio, mas também, criar algo novo e diferente, mudar e transformar valores, seja fornecendo produtos ou serviços tanto de forma diferente como de forma renovada e única é empreendedor quem busca a mudança, reage a ela e a explora como sendo uma oportunidade.

7 O Empreendedor como Ser Social o empreendedorismo consiste em um fenômeno social no qual o empreendedor convive com seus interagentes em uma relação integrada à empresa e ao seu ambiente A ação do empreendedor em seu ambiente de articulação tem reflexos em outros grupos sociais de sua interação

8 O Papel do Empreendedorismo no Desenvolvimento Econômico O papel do empreendedorismo envolve mais do que apenas o aumento de produção e renda per capita; envolve iniciar e constituir mudanças na estrutura do negócio e da sociedade

9 O Papel do Empreendedorismo no Desenvolvimento Econômico Através da inovação que é o fator essencial ao crescimento econômico; Além de desenvolver novos bens e serviços, estimula-se o interesse no investimento de novos empreendimentos.

10 Formação e Capacitação para o Empreendedorismo O fundamental é preparar as pessoas para agir e pensar por conta própria, com criatividade, liderança e visão de futuro, para inovar; Para que um funcionário interno possa ser empreendedor, faz-se necessário investir em formação profissional, oportunizando a ele as condições básicas para que desperte a criatividade; Capacidade empreendedora oportuniza a tomar decisões difíceis.

11 Micro e pequenas empresas

12 A Relevância das MPEs no Desenvolvimento Econômico Participação no PIB; Enorme geração de empregos; Nesse cenário, as MPEs despertam interesse como nova dimensão da competitividade global por sua flexibilidade de ação, potencial de complementaridade com as grandes empresas. Apesar de sua grande importância, são organizações que, na maioria das vezes, carecem de conhecimentos de gestão eficiente.

13 Os Desafios das Micro e Pequenas Empresas no Brasil Estatísticas do SEBRAE mostram que metade das micro e pequenas empresas fecham as portas com menos de dois anos de existência. Falta de planejamento na abertura do negócio; Fluxo de caixa; Concorrência nas proximidades; Potencial dos consumidores.

14 RESULTADOS E DISCUSSÕES Essa é a grande finalidade do plano de negócios. Torna-se essencial o empreendedor planejar seu empreendimento. Ferramenta preventiva e solucionadora de situações, bem como poderá ser um instrumento de avaliação dos resultados.

15

16 Importância do Plano de negócios O planejamento é um processo que jamais termina em uma empresa. Sendo assim, entende-se que o plano de negócios é uma ferramenta dinâmica, que deve ser atualizada constantemente, pois o ato de planejar é dinâmico e corresponde a um processo cíclico.

17 Importância do Plano de negócios As pessoas; A oportunidade; As possibilidades de riscos; Tipo de negócio ou serviço; Os objetivos perseguidos; Os preços; Os recursos financeiros disponíveis; Ambiente externo; Concorrência, Os clientes atuais e potenciais O estabelecimento de estratégias.

18 Modelo Dolabela (2005) Destaca-se nesse plano a singularidade e a linguagem utilizada na composição; Foca com bastante propriedade os pontos essenciais intrínsecos: quem são os empreendedores, qual é o produto/serviço, quais e quantos são os clientes; Percebeu-se a ausência de algumas áreas funcionais: Gestão de produção; Gestão de pessoas.

19 Modelo Peters e Hisrich (2004) Direcionado para médias e grandes empresas O principal aspecto desse cenário está no alto grau de complexidade que este modelo apresenta; Sua amplitude possibilita ser utilizada para diversas finalidades: Aquisição de capital junto às instituições financeiras; Busca de sócios ou acionistas etc.

20 Modelo SEBRAE (2007) Possui como foco principal: Os produtos e serviços comercializados; A estratégia de preços; Planejamento financeiro das operações; Fluxo de caixa (entradas e saídas da empresa); Projeções futuras. Percebeu-se falhas referentes a: Gestão de pessoas; Gestão da produção.

21 Modelo Biagio (2001) Possível ser utilizado por empresas de qualquer porte,nascente ou estabelecida no mercado; Apresenta limitada disponibilidade na área de gestão de pessoas;

22 Modelo Dornelas (2005) É o mais adequado e completo a ser utilizado nas MPEs, pois ele apresenta os principais elementos em sua estrutura, com base na abrangência de cada área funcional. Além do seu propósito ser direcionado a este tipo de empresas, demonstrou-se um grau suficiente de simplicidade e objetividade.

23

24 Mortalidade das empresas 58% das empresas de pequeno porte fecharam as portas antes de completar cinco anos; No ano anterior este índice era de 62%.

25 Entre os principais motivos descritos pelos empreendedores estão; falta de clientes (29%); capital (21%); concorrência (5%); burocracia e os impostos (7%). Segundo o Sebrae, outros fatores influenciam no processo de mortalidade das MPEs como a falta de planejamento, de técnicas de marketing, de avaliação de custos e fluxo de caixa, entre outros. *SEBRAE 2011


Carregar ppt "Os modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e pequenas empresas Bruno L.T. Correa Rodrigo De Pretto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google