A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dores em Ginecologia Dr. Homero Gonçalves Jr.. Dores em Ginecologia Conceitos de dor Conceitos de dor Tipos de dor: Tipos de dor: Somáticas Somáticas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dores em Ginecologia Dr. Homero Gonçalves Jr.. Dores em Ginecologia Conceitos de dor Conceitos de dor Tipos de dor: Tipos de dor: Somáticas Somáticas."— Transcrição da apresentação:

1 Dores em Ginecologia Dr. Homero Gonçalves Jr.

2 Dores em Ginecologia Conceitos de dor Conceitos de dor Tipos de dor: Tipos de dor: Somáticas Somáticas Viscerais (dores pélvicas) Viscerais (dores pélvicas) Dores extragenitais (pélvicas) Dores extragenitais (pélvicas) Funções – disfunções – patologias Funções – disfunções – patologias Sistematizando a dor pélvica (grupos) Sistematizando a dor pélvica (grupos) Abordagem: Abordagem: Anamnese Anamnese Exame físico e ginecológico Exame físico e ginecológico Sucintas avaliações adicionais Sucintas avaliações adicionais Exames complementares Exames complementares

3 Dores em Ginecologia Conceitos de dor Conceitos de dor A dor é uma experiência humana universal e isto torna ao mesmo tempo, muito fácil e muito difícil falar sobre ela. A dor é uma experiência humana universal e isto torna ao mesmo tempo, muito fácil e muito difícil falar sobre ela. SZASZ, 1976 A palavra dor dificilmente exprime, por mais adjetivada que esteja, a riqueza de cada experiência vivida que pretende descrever. A palavra dor dificilmente exprime, por mais adjetivada que esteja, a riqueza de cada experiência vivida que pretende descrever. SANCHES, 1979

4 Dores em Ginecologia PADRÃO DE DOR Cortex Tálamo Formação reticular MEDULA IMPULSOS NOCICEPTIVOS Melzac (in Sanches, 1979)

5 Dores em Ginecologia

6 Tipos de dor Tipos de dor Rápidas ou epicríticas: (somáticas) Sistema leminiscal – fibras A Rápidas ou epicríticas: (somáticas) Sistema leminiscal – fibras A Boa objetivação Boa objetivação Localização precisa Localização precisa Lentas ou protopáticas (viscerais) Sistema para-leminiscal – fibras C Lentas ou protopáticas (viscerais) Sistema para-leminiscal – fibras C Má objetivação, localização imprecisa Má objetivação, localização imprecisa Impossibilidade de se afastar da fonte de estímulo Impossibilidade de se afastar da fonte de estímulo

7 Dores em Ginecologia Dolorigênese: Dolorigênese: Processo complexo: Processo complexo: Estímulo nociceptivo + Fatores emocionais DOR Estímulo nociceptivo + Fatores emocionais DOR

8 Dores em Ginecologia Quadros extragenitais: Quadros extragenitais: Enteroproctológicos: Enteroproctológicos: Enterocolites Enterocolites Verminoses Verminoses Diverticulites Diverticulites Crises apendiculares Crises apendiculares Perisigmoidites Perisigmoidites Urológicos: Urológicos: Uretrites crônicas Uretrites crônicas Litíases Litíases Compressões ureterais Compressões ureterais Ortopédicos: Ortopédicos: Lombalgias (irradiação) Lombalgias (irradiação) Instabilidades de lombos sacras (L4 – L5) Instabilidades de lombos sacras (L4 – L5) Diferenças de tamanho dos membros inferiores Diferenças de tamanho dos membros inferiores

9 FunçãoDisfunçãoPatologia MenstruaçãoDismenorréiaProgressivaincapacitanteEndometriose Ovulação Dor intermenstrual Congestão gonadal CoitoTraumaLubrificaçãoDispareuniasTrauma:VesicalAno-retal Parturição Dilatação e expulsão TraumaCongestão Inst. Ortopédicas Distopias:GenitaisVesicaisAnoret. Dores em GinecologiaAnorgasmia

10 Inflamações DIP Bilateral Perimenstrual Aguda - Intensa Seqüelas (?) Hidrossalpinges Aderências Congestões Diag. Diferencial Apendicite PIP Manipulações unilaterais ocasionais

11 Dores em Ginecologia Disfunções Constipação; flatulências; disquesias Distúrbios altos do TGI; espasmos Distúrbios da secreção e eliminação: Bile e urina Distúrbios de postura Patologias Fecalomas Úlceras Litíases Hérnias discais Instabilidades 4 grupos 1.Lesões pélvicas mínimas: subliminares 2.Lesões funcionais 3.Lesões grosseiras 4.Ausência de lesões Outras causas

12 Dores em Ginecologia

13

14

15

16 Diagnóstico: recursos tradicionais Diagnóstico: recursos tradicionais Anamnese Anamnese Exame físico e ginecológico Exame físico e ginecológico Exames complementares Exames complementares Quadros típicos: diagnóstico mais fácil Quadros típicos: diagnóstico mais fácil Quadros atípicos: Quadros atípicos: Avaliação mais vagarosa Avaliação mais vagarosa Quantificação dos fatores emocionais e das disfunções associadas Quantificação dos fatores emocionais e das disfunções associadas Avaliação multidisciplinar a tempo e a hora Avaliação multidisciplinar a tempo e a hora

17 Dores em Ginecologia Anamnese (Questões objetivas clássicas e questões subjetivas de cada paciente) Anamnese (Questões objetivas clássicas e questões subjetivas de cada paciente) Deixar falar; provocar o falar Deixar falar; provocar o falar Acreditar na queixa; mostrar interesse Acreditar na queixa; mostrar interesse Anamnese partida em várias consultas Anamnese partida em várias consultas Nunca sugerir a princípios, aspectos emocionais Nunca sugerir a princípios, aspectos emocionais Induzir com sutileza a paciente às conclusões Induzir com sutileza a paciente às conclusões Saber o que a paciente quer Saber o que a paciente quer

18 Dores em Ginecologia Exame ginecológico: Exame ginecológico: Completo, de rotina, com cuidados adicionais: Completo, de rotina, com cuidados adicionais: Inspeção dinâmica e ausculta antes da palpação, quando necessário Inspeção dinâmica e ausculta antes da palpação, quando necessário Palpação por áreas, e cuidadosa avaliação dos cólons Palpação por áreas, e cuidadosa avaliação dos cólons Atenção à varizes de vulva e mmii Atenção à varizes de vulva e mmii Palpação e ordenha de uretra Palpação e ordenha de uretra Toque retal, sempre Toque retal, sempre

19 Dores em Ginecologia

20

21

22

23

24

25 Outras avaliações Outras avaliações Avaliação ortopédica mínima: postura, posição dos ombros, medida de m. inferiores Avaliação ortopédica mínima: postura, posição dos ombros, medida de m. inferiores Punho percussão, avaliação da musculatura para-vertebral Punho percussão, avaliação da musculatura para-vertebral Peso, marcha, etc. Peso, marcha, etc.

26 Dores em Ginecologia Exames complementares: Exames complementares: Sangue: leucograma; VHS Sangue: leucograma; VHS Urina: EAS, piúria e hematúria; culturas (hematúria microscópica) Urina: EAS, piúria e hematúria; culturas (hematúria microscópica) Fezes: parasitológico e protozooscópico, pesquisa de sangue oculto Fezes: parasitológico e protozooscópico, pesquisa de sangue oculto Ultrassonografia: abdominal total e transvaginal (Doppler) Ultrassonografia: abdominal total e transvaginal (Doppler) Histerossalpingografia (histersocopia) Histerossalpingografia (histersocopia) Videolaparoscopia Videolaparoscopia Outros: flebografias Outros: flebografias

27 Dores em Ginecologia Videolaparoscopias: Videolaparoscopias: Representam o recurso mais valioso no diagnóstico das dores, mas devem ser interpretadas em conjunto com os demais dados semióticos Representam o recurso mais valioso no diagnóstico das dores, mas devem ser interpretadas em conjunto com os demais dados semióticos Não devem preceder aos demais exames Não devem preceder aos demais exames Em 1/3 das dores crônicas, as laparoscopias são negativas Em 1/3 das dores crônicas, as laparoscopias são negativas Frequentemente não se consegue estabelecer correlação entre o achado e a dor Frequentemente não se consegue estabelecer correlação entre o achado e a dor Podem ser substituídas pelas microlaparoscopias (anestesia local e sedação) Podem ser substituídas pelas microlaparoscopias (anestesia local e sedação)

28 Dores em Ginecologia Videolaparoscopia: Videolaparoscopia: Achados: Achados: Kresch e cols. (1973): Kresch e cols. (1973): Pacientes com dor e laparoscopias para esterilização (achados mais comuns no grupo com dor) Pacientes com dor e laparoscopias para esterilização (achados mais comuns no grupo com dor) Aderências: 51% Aderências: 51% Endometriose: 32% Endometriose: 32% Sanches (1979): Sanches (1979): Aderências: 43% Aderências: 43% Frouxas, velamentosas ou rígidas Frouxas, velamentosas ou rígidas Associadas à hiperemia Associadas à hiperemia Conjunção de fatores Conjunção de fatores

29 Dores em Ginecologia Videolaparoscopias: Videolaparoscopias: Achados: Achados: Consenso (2001) Consenso (2001) Endometriose (2 a 74%) Endometriose (2 a 74%) Aderências (0 a 52%) Aderências (0 a 52%) DIP (0 a 29%) DIP (0 a 29%) Cistos (0 a 17%) Cistos (0 a 17%) Varicoceles (0 a 3%) Varicoceles (0 a 3%) Miomatoses (0 a 5%) Miomatoses (0 a 5%) Nada (3 a 92%) Nada (3 a 92%)

30 Dores em Ginecologia

31

32

33 Conclusões: Conclusões: Achados negativos, mesmo na endoscopia não descaracterizam as queixas de dor Achados negativos, mesmo na endoscopia não descaracterizam as queixas de dor Reiniciar a pesquisa quando necessário Reiniciar a pesquisa quando necessário Valorizar a somação de estímulos Valorizar a somação de estímulos Considerar para etiologias multifatoriais, os tratamentos múltiplos: clínico, psicoterápico e/ou cirúrgico Considerar para etiologias multifatoriais, os tratamentos múltiplos: clínico, psicoterápico e/ou cirúrgico


Carregar ppt "Dores em Ginecologia Dr. Homero Gonçalves Jr.. Dores em Ginecologia Conceitos de dor Conceitos de dor Tipos de dor: Tipos de dor: Somáticas Somáticas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google