A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 2 – Carreira Disciplina: Planejamento de Carreira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 2 – Carreira Disciplina: Planejamento de Carreira."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 2 – Carreira Disciplina: Planejamento de Carreira

2 Carreira Etimologicamente, a palavra carreira se origina do latim via carraria, estrada para carros.

3 Definição de Carreira Carreira é diferente do vínculo contratual Carreira é diferente do vínculo contratual Pode ser: Pode ser: Sucessão de CargosSucessão de Cargos Processo de EscolhaProcesso de Escolha

4 Carreira Tradicional Mobilidade linear, planejada, ascendente na escola hierárquica ou no status profissional, dependente da empresa, crescentemente complexa, marcada por sinais visíveis e inequívocos de progresso em seus diferentes estágios.

5 CARREIRA CARREIRA INTERNA X CARREIRA EXTERNA

6 CARREIRA EXTERNA EXTERNA Etapas concretas exigidas por uma profissão Sucessão de cargos ocupados ao longo da trajetória profissional INTERNA INTERNA É a maneira como a vida profissional de uma pessoa se desenvolve e é vista por ela. Atividades voltada ao desenvolvimento humano

7 CARREIRA EXTERNA ESTRUTURA EM LINHA ESTRUTURA EM LINHA ESTRUTURA EM REDE ESTRUTURA EM REDE ESTRUTURA PARALELA ( EM Y) ESTRUTURA PARALELA ( EM Y)

8 SISTEMA DE DIFERENCIAÇÃO NA CARREIRA Sistema criado para organizar as expectativas da empresa e valorizar os diferentes tipos de trabalho e de qualificação: Sistema criado para organizar as expectativas da empresa e valorizar os diferentes tipos de trabalho e de qualificação: SISTEMA CENTRADO NO TRABALHO SISTEMA CENTRADO NO TRABALHO (Funções e Cargos)(Funções e Cargos) SISTEMA CENTRADO NAS PESSOAS SISTEMA CENTRADO NAS PESSOAS (Habilidade e Competências)(Habilidade e Competências)

9 CARREIRA SISTEMA CENTRADO NO TRABALHO SISTEMA CENTRADO NO TRABALHO (Funções e Cargos) (Funções e Cargos) Foco nas características do cargo e da posição. Atenção voltado ao resultado sem preocupação com o ocupante. SISTEMA CENTRADO NAS PESSOAS (Habilidade e Competências) Foco na capacidade e a competência das pessoas. Não importa o trabalho e resultado que apresentam. HOJE CONSIDERA-SE UM SISTEMA HIBRIDO TRABALHO + PESSOAS

10 O desafio Posicionamento significativo no mercado de trabalho Face externa do desafio: compreender o contexto de transformação do universo organizacional; Face interna do desafio: compreender nossos desejos e nossas possibilidades de inserção nesse contexto.

11 Novo conceito de carreira Novo conceito de carreira Novo contrato de carreira entre indivíduo e organização, com redefinição de responsabilidades e atribuições Novo contrato de carreira entre indivíduo e organização, com redefinição de responsabilidades e atribuições

12 O novo contrato de carreira 1) A pessoa assume uma responsabilidade maior pela gestão de sua própria carreira, em um processo caracterizado pelo constante embate entre desejos e possibilidades, custos e benefícios. 2) A carreira é caracterizada mais como um processo de aprendizagem e desenvolvimento do que como uma seqüência cronológica de posições ocupadas.

13 O novo contrato de carreira 3) A navegação dos indivíduos nesse ambiente modificado exige: desenvolvimento contínuoknow-how desenvolvimento contínuoknow-how rede de relacionamentosknow-whom rede de relacionamentosknow-whom identidade profissionalknow-why identidade profissionalknow-why

14 CARREIRA INTERNA DESENVOLVIMENTO VOCACIONAL DESENVOLVIMENTO VOCACIONAL Crescimento: Formação do autoconceito na relação com as figura adultas significativas (Modelagem) Crescimento: Formação do autoconceito na relação com as figura adultas significativas (Modelagem) Exploração: Exploração das possibilidade ocupacionais Exploração: Exploração das possibilidade ocupacionais Estabelecimento: Ocupar um lugar no mundo ocupacional Estabelecimento: Ocupar um lugar no mundo ocupacional Permanência: Manutenção do lugar conquistado Permanência: Manutenção do lugar conquistado Declínio: Diminuição da atividade ocupacional (Aposentadoria) Declínio: Diminuição da atividade ocupacional (Aposentadoria) (Super – 1970)

15 TESTE VOCACIONAL Leia atentamente cada uma das 60 afirmações abaixo e escolha as 15 que mais tenham a ver com você. Em caso de dúvida lembre de fatos de sua vida, reflita bem e faça sua escolha.

16 Fase 1 – Crescimento Neste período, geralmente associada com a infância e a pré- adolescência, a ocupação é uma mera idéia e a carreira tem pouco significado, exceto em termos de estereótipos ocupacionais e metas superficiais de sucesso. Nessa etapa a pessoa inicia o processo de treinamento ou educação necessário para qualquer que seja a ocupação escolhida.

17 Fase 2 – Educação Treinamento Durante essa etapa as metas ocupacionais vão sendo esclarecidas e modificadas. Existem muitos pontos de escolha e, dependendo da ocupação, esse processo tanto pode ser muito complicado quanto mínimo, podendo demorar desde alguns meses até vários anos.

18 Fase 3 – Ingresso no mundo profissional Para a maioria das pessoas, independente de seu nível de preparo, essa é uma época de adaptação importante, à medida que aprendem as realidades do trabalho e suas próprias reações. O processo educacional raramente prepara as pessoas para o lado aparentemente irracional e político da vida organizacional, ou para o fato de que muito do trabalho em cada ocupação envolve não apenas lógica e razão, mas também trabalhar com pessoas e seus sentimentos. O principal aprendizado pessoal começa nesse ponto e um auto-conceito ocupacional começa a se desenvolver, quando o ocupante da carreira põe em prática seus próprios talentos, motivos e valores na aflitiva situação do trabalho real. Para a maioria das pessoas, independente de seu nível de preparo, essa é uma época de adaptação importante, à medida que aprendem as realidades do trabalho e suas próprias reações. O processo educacional raramente prepara as pessoas para o lado aparentemente irracional e político da vida organizacional, ou para o fato de que muito do trabalho em cada ocupação envolve não apenas lógica e razão, mas também trabalhar com pessoas e seus sentimentos. O principal aprendizado pessoal começa nesse ponto e um auto-conceito ocupacional começa a se desenvolver, quando o ocupante da carreira põe em prática seus próprios talentos, motivos e valores na aflitiva situação do trabalho real.

19 Fase 4 Treinamento Básico - Socialização A duração e intensidade desse período diferem em razão da ocupação, da complexidade do trabalho, do grau de responsabilidade que a sociedade atribui à profissão e da posição da empresa quanto à importância do ensino dos elementos da cultura aos novos membros. Quanto maior a responsabilidade da profissão, maior e mais intenso é o período de socialização. Essa etapa é uma fonte importante de aprendizado pessoal, porque agora a organização começa a fazer exigências às quais o indivíduo precisa responder. O ocupante da carreira enfrenta escolhas reais quanto a permanecer ou não na profissão e/ou organização, e isso também depende de como ele reage ao processo de socialização

20 Fase 5 – Admissão como Membro De alguma forma o indivíduo reconhece através de rituais formais, ou tipos de atribuições recebidas que passou do estágio de treinamento e foi aceito como colaborador integral. Nessa etapa começa a surgir uma auto-imagem significativa como membro da profissão ou organização. Motivos e valores começam a ser esclarecidos através da percepção das reações às diferentes situações desafiadoras em que escolhas precisam ser feitas. Começa-se a ter uma percepção melhor das próprias capacidades, forças e fraquezas.

21 Fase 6 – Estabilização no Emprego São nos primeiros cinco a dez anos de uma carreira que a maioria das organizações decide se o indivíduo pode contar com um futuro de longo prazo de permanência na carreira. A posse é concedida formal ou simbolicamente, dependendo da ocupação ou da empresa. Na maioria das organizações o processo não é tão formal, mas ainda assim existem certas regras, tais como promoção por resultados alcançados e/ou tempo de serviço

22 Fase 7 – Crise no meio de Carreira Embora não seja claro se essa é uma crise ou uma etapa, existem evidências crescentes de que, em sua maioria, as pessoas passam por algum tipo de reavaliação sobre si mesmas, quando estão bastante avançadas em suas carreiras, questionando-se sobre suas escolhas iniciais (escolhi a carreira certa?), sobre seus níveis de realização (realizei tudo o que esperei realizar?) e sobre seu futuro (devo continuar ou mudar?). Esse tipo de reflexão indolor, muitas vezes leva a uma redescoberta de carreira ou à reafirmação de metas que estavam presentes, mas não conscientes. Quando as pessoas tornam essas metas mais conscientes, dão a impressão de estar fazendo importantes mudanças de carreira. Entretanto, essas mudanças raramente são vivenciadas pelo ocupante da carreira como grandes crises ou ruptura, mas é uma fase criticamente importante, geralmente vivenciada como uma reavaliação, finalmente estou fazendo o que realmente quero fazer com minha vida!.

23 Fase 8 – Avanço – Recomeço - Estabilização O conhecimento resultante dessa reavaliação leva a decisões sobre como o restante da carreira será administrado. Nessa etapa, cada pessoa desenvolve uma solução pessoal que a orientará nos seus próximos passos. Para algumas, é a determinação de galgar a escada tão alto quanto o possível; para outras, é a redefinição das áreas de trabalho que querem seguir; e para muitas, envolve uma avaliação complexa de como equilibrar as exigências do trabalho, família e assuntos pessoais. Aquelas, cujas aptidões não lhes permitam maior ascensão profissional, podem ter de enfrentar uma difícil adaptação psicológica. Para muitas pessoas, porém, a estabilização nessa fase é uma escolha baseada na percepção de que suas aptidões, objetivos, motivos e valores não requerem maiores aspirações.

24 Fase 9 - Desligamento Inevitavelmente a pessoa desacelera seu ritmo de atividades, torna- se menos envolvida, começa a pensar na aposentadoria e se prepara para essa etapa. Entretanto, algumas pessoas enfrentam a perspectiva da aposentadoria negando agressivamente sua realidade, continuando a trabalhar normalmente e evitando a todo custo tentativas de outras pessoas para ajudá-los nessa preparação. Inevitavelmente a pessoa desacelera seu ritmo de atividades, torna- se menos envolvida, começa a pensar na aposentadoria e se prepara para essa etapa. Entretanto, algumas pessoas enfrentam a perspectiva da aposentadoria negando agressivamente sua realidade, continuando a trabalhar normalmente e evitando a todo custo tentativas de outras pessoas para ajudá-los nessa preparação.

25 Fase 10 - Aposentadoria Nessa fase o profissional sente que, tendo se preparado ou não, a organização ou a profissão não proporcionam mais um papel significativo para a pessoa. O que acontece à auto-imagem ocupacional nessa fase varia muito de pessoa para pessoa. Alguns se aposentam cedo porque a ocupação os incentiva a fazê-lo (por exemplo, atletas profissionais) ou porque desejam e têm condições de começar outras carreiras. Para outros, a aposentadoria pode ser traumática, resultando na perda de saúde física ou mental.

26

27 PLANEJAMENTO DE CARREIRA

28 Compreendendo a situação VOCÊ

29 Modelo de Gestão Mundo Empresarial Pressões do Ambiente Externo Pressões do Ambiente Interno M O DE L O TRADICIONAL NOVO MODELO DE GESTÃO DE PESSOAS

30 Pressões do Ambiente Externo Globalização Turbulência do Ambiente Produtos e Serviços de Alto Valor Agregado Novas Arquiteturas Organizacionais e de Negócios Flexibilidade Velocidade de Resposta Cadeia de Valor: do possuir para gerenciar Revisão da Entrega De: Para: Produtos Performance e Serviços e conveniência Maior necessidade de comprometimento das pessoas

31 Maior autonomia e liberdade - ambientes mais democráticos têm mais chances de comprometer as pessoas. Maior competitividade profissional - contínuo das pessoas exigindo um compromisso da empresa com o desenvolvimento Maior longevidade profissional - demandando suporte para migração de carreiras e um desenvolvimento profissional sustentado. Volatilidade do conhecimento e da informação - a atualização contínua suportada pela empresa é vital para o desenvolvimento profissional Pressões do Ambiente Interno

32 Características do Novo Modelo de Gestão de Pessoas FOCO PAPEL DA PESSOA PAPEL DA EMPRESA Tradicional Novo Modelo Controle Desenvolvimento Passivo Ativo Objeto do controle Gestão do seu desenvolvimento e da sua carreira Ativo Controle das pessoas: Econômico e Político Ativo Suporte ao desenvolvimento das pessoas Individual Organizacional

33 PLANEJAMENTO INDIVIDUAL DE CARREIRA

34 AUTOCONHECIMENTO - Âncoras de carreira - Interesses - Aptidões - Competências - Habilidades - Estilo de vida

35 TESTE VOCACIONAL 1.Ajudar pessoas 2. Trabalhar em grupo 3. Fazer projetos 4. Conhecer nosso corpo 5. Conversar com muitas pessoas 6. Criar 7. Coordenar 8. Ser determinado 9. Apoiar os outros 10. Ter novas idéias 11.Viajar muito 12. Colocar projetos em prática 13. Questionar 14. Mudar as coisas 15. Ser prático 16. Usar a lógica 17. Ser compreensivo 18. Correr riscos 19. Novidades 20. Disciplina Eu gosto de:

36 20. Disciplina 21. Competir 22. Atividades físicas 23. Festas 24. Colecionar 25. Ser preciso 26. Rapidez 27. Escrever 28. Cantar 29. Ajudar o próximo 30. Ser intuitivo 31.Ficar navegando na Internet 32. Ter uma posição de destaque 33. Usar a imaginação 34. Estar sempre acompanhado 35. Ajudar os mais necessitados 36. Deixar tudo em ordem 37. Tomar iniciativas 38. Ser descontraído 39. Analisar o mundo 40. Ser diplomático TESTE VOCACIONAL Eu gosto de:

37 41.Atividades concretas 42. Atividades descontraídas 43. Desafios 44. Sentimentos e emoções 45. Pouca responsabilidade 46. Estar no controle 47. Ler 48. Ser detalhista 49. Dar conselhos aos amigos 50. Convencer os outros 51. Fazer tudo do meu jeito 52. Superar obstáculos 53. Ser sensível 54. Fazer experiências 55. Cuidar da aparência 56. Ser controlador 57. Estabilidade 58. Economizar 59. Ser realista 60. Ser justo TESTE VOCACIONAL Eu gosto de:

38 Agora relacione os números selecionados com as letras do quadro abaixo. Agora relacione os números selecionados com as letras do quadro abaixo. Marque aqui as quinze afirmações escolhidas TESTE VOCACIONAL 1. B 2. E 3. D 4. D 5. E 6. D 7. C 8. A 9. B 10. D 11. E 12. C 13. B 14. D 15. A 16. C 17. B 18. A 19. D 20. C 21. A 22. A 23. E 24. C 25. C 26. A 27. D 28. E 29. B 30. D 31. D 32. E 33. D 34. E 35. B 36. C 37. A 38. E 39. D 40. B 41. C 42. E 43. A 44. B 45. E 46. C 47. D 48. C 49. B 50. A 51. D 52. A 53. B 54. D 55. E 56. C 57. C 58. C 59. C 60.B

39 Faça a contagem dos pontos e verifique quais letras aparecem em maior quantidade. Coloque abaixo os resultados: LETRAS A B C D E PONTOS________________________________ TESTE VOCACIONAL

40 Você é uma pessoa que precisa resolver tudo muito rápido e de forma prática, sem muitas análises da situação. O que move sua vida é o desafio e a possibilidade de competir, com o outro e consigo mesmo. Para tal, não se importa em correr riscos e ter que convencer os outros do seu ponto de vista. Sua força vem do seu determinismo e da sua vontade de tomar iniciativas. Fique atento a carreiras que envolvam competitividade e uma certa dose de agressividade. Exemplos: Direito, engenharia de produção, publicidade e propaganda, esporte, alguns ramos da medicina, engenharia ambiental, jornalismo. A

41 Você se preocupa muito com o lado emocional da vida e quer ajudar os outros de qualquer maneira, seja de forma individualizada, seja com um sentimento de justiça social que almeja ajudar e melhorar o mundo, de uma forma geral. Você é sensível e compreensivo, mas briga muito em prol da justiça, sempre pronto a questionar algo que julga estar prejudicando alguém; mas para isso é diplomático e busca sempre o diálogo, uma de suas maiores armas. No geral, busca contribuir para o bem- estar geral das pessoas. Exemplos: Psicologia, Serviço Social, Fonoaudiologia, Nutrição, Terapia Ocupacional, Enfermagem, Direito, Ciências Sociais, Ecologia, Educação Física, Fisioterapia, Pedagogia. B

42 Você tem uma tendência a ser mais racional (uso da lógica) e trabalha muito com o lado objetivo e concreto da vida, sempre ligado nos avanços da tecnologia. Gosta de estar no controle e organizar as rotinas, através de planos e metas que tenta seguir, de forma meticulosa. Gosta também das coisas em ordem, valorizando a disciplina. Prefere uma rotina estável e tende a ser realista. Colocar seus planos em prática é o que lhe faz feliz. Exemplos: Todas as modalidades de engenharia, administração, biblioteconomia, ciências exatas em geral, ciências contábeis, computação, desenho industrial, estatística, matemática, ciências econômicas. C

43 Você é dono de um espírito curioso e navega pelo mundo das idéias, sempre querendo descobrir novos caminhos, através da análise do mundo em que vive. Fazer experiências para mudar as coisas ao seu redor lhe atrai muito. Para isso valoriza o lado intelectual do mundo, e se envolve muito em atividades de leitura e escrita. A novidade é o que faz você seguir vivendo. Exemplos: Filosofia, arqueologia, arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes plásticas, astronomia, direito, física, história, geografia, letras, lingüística, música, psicologia, teologia, biologia, medicina. D

44 Você tem duas características básicas: gosta de se comunicar e de aparecer em público, seja pessoalmente, seja pelo seu trabalho. Aprecia o trabalho em equipe e se envolve muito em discussões e troca de idéias. Além de discutir, valoriza muito a exposição de suas idéias. Considere carreiras que lidem com o público, lidem com a imagem e com o objetivo de divulgar coisas; além das áreas de comunicação. A linguagem é o seu instrumento de trabalho, quer ela seja verbal, visual, ou outra qualquer. Exemplos: Publicidade e propaganda, letras, moda, artes cênicas, artes plásticas, cinema e vídeo, dança, decoração, fonoaudiologia, letras, lingüística, música, produção cultural, relações públicas, turismo. E

45 INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS - LINGUÍSTICA - LÓGICO - MATEMÁTICA - INTRAPESSOAL - INTERPESSOAL - VISUAL - ESPACIAL - CORPO - CINESTÉSICA - MUSICAL

46 INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS LÓGICO-MATEMÁTICA - LÓGICO-MATEMÁTICA: ordenar fatos, objetos e números. ALBERT EINSTEIN - ESPACIAL - ESPACIAL: perceber objetos e adivinhar suas formas ocultas. OSCAR NIEMAYER - LINGUÍSTICA - LINGUÍSTICA: comanda a habilidade de escrever, falar e ouvir. CHICO BUARQUE

47 MUSICAL: - MUSICAL: ouvir músicas, distinguir melodias e notas musicais. MOZART CINESTÉSICA: -CORPO/CINESTÉSICA: manipular objetos e manter controle harmônico sobre os movimentos MIKAHAIL BARISCNIKOV INTERPESSOAL : - INTERPESSOAL : entender o outro MARTIN LUTHER KING INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS

48 INTRAPESSOAL: - INTRAPESSOAL: entender o próprio eu, formando modelo acurado e verídico de si FREUD

49 Motivadores de Carreira Tipos de atividades que satisfazem/desagradam Tipos de atividades que satisfazem/desagradam Raramente únicos Raramente únicos Composição dos motivadores como ferramenta de escolha do foco de atuação frente a propostas Composição dos motivadores como ferramenta de escolha do foco de atuação frente a propostas

50 ÂNCORAS DE CARREIRA AS APTIDÕES - TF: TÉCNICO FUNCIONAL - AG: ADMINISTRATIVA GERAL - AI: AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA - SE: SEGURANÇA/ESTABILIDADE - CE: CRIATIVIDADE / EMPREENDEDOR - VS: VONTADE DE SERVIR - PD: PURO DESAFIO - EV: ESTILO DE VIDA

51 TÉCNICO FUNCIONAL FOCO NAS ÁREAS DE COMPETÊNCIA FOCO NAS ÁREAS DE COMPETÊNCIA TENDÊNCIA PARA ESPECIALIZAÇÃO TENDÊNCIA PARA ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DESAFIADOR TRABALHO DESAFIADOR AUTO-ESTIMA DEPENDE DO EXERCÍCIO DO TALENTO AUTO-ESTIMA DEPENDE DO EXERCÍCIO DO TALENTO PREOCUPAÇÃO COM O CONTEÚDO INTRÍNSECO DO TRABALHO PREOCUPAÇÃO COM O CONTEÚDO INTRÍNSECO DO TRABALHO PARTICIPAÇÃO NAS DECISÕES E AUTONOMIA NA EXECUÇÃO PARTICIPAÇÃO NAS DECISÕES E AUTONOMIA NA EXECUÇÃO RECONHECIMENTO: RECONHECIMENTO: Dos pares Dos pares Oportunidades de desenvolvimento Oportunidades de desenvolvimento

52 ADMINISTRAÇÃO - GERENCIAL FOCO NA RESPONSABILIDADE POR DECISÕES FOCO NA RESPONSABILIDADE POR DECISÕES ALTO GRAU DE MOTIVAÇÃO PARA ATINGIR O TOPO ALTO GRAU DE MOTIVAÇÃO PARA ATINGIR O TOPO COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS: IDENTIFICAR E SOLUCIONAR PROBLEMAS, INFLUENCIAR E LIDERAR PESSOAS, SUPORTAR ALTOS NÍVEIS DE RESPONSABILIDADE COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS: IDENTIFICAR E SOLUCIONAR PROBLEMAS, INFLUENCIAR E LIDERAR PESSOAS, SUPORTAR ALTOS NÍVEIS DE RESPONSABILIDADE RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Promoções na escala hierárquica Promoções na escala hierárquica Sinais de Status Sinais de Status Poder de decisão e veto Poder de decisão e veto

53 AUTONOMIA/INDEPENDÊNCIA/ PRINCIPAL FOCO: FAZER AS COISAS À SUA MANEIRA PRINCIPAL FOCO: FAZER AS COISAS À SUA MANEIRA POUCA TOLERÂNCIA À SUBORDINAÇÃO, PREFERE NÃO TER DE SE REPORTAR A OUTROS POUCA TOLERÂNCIA À SUBORDINAÇÃO, PREFERE NÃO TER DE SE REPORTAR A OUTROS TENDÊNCIA PARA PROFISSÕES AUTÔNOMAS TENDÊNCIA PARA PROFISSÕES AUTÔNOMAS PREFEREM TRABALHAR EM PROJETOS PREFEREM TRABALHAR EM PROJETOS RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Auto promoção Auto promoção Maior liberdade de ação Maior liberdade de ação

54 SEGURANÇA/ESTABILIDADE FOCO ESTÁ NA PREVISIBILIDADE E SEGURANÇA FINANCEIRA FOCO ESTÁ NA PREVISIBILIDADE E SEGURANÇA FINANCEIRA AUTO-SATISFAÇÃO É OBTIDA ATRAVÉS A IDENTIFICAÇÃO COM A ORGANIZAÇÃO AUTO-SATISFAÇÃO É OBTIDA ATRAVÉS A IDENTIFICAÇÃO COM A ORGANIZAÇÃO PROCURA POR ORGANIZAÇÕES COM ESTRUTURA DE CARREIRA E CARGOS BEM DEFINIDAS PROCURA POR ORGANIZAÇÕES COM ESTRUTURA DE CARREIRA E CARGOS BEM DEFINIDAS MOTIVAÇÃO MAIS EXTRÍNSECA DO QUE INTRÍNSECA MOTIVAÇÃO MAIS EXTRÍNSECA DO QUE INTRÍNSECA RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Lealdade Lealdade Desempenho Desempenho

55 CRIATIVIDADE/ EMPREENDEDOR FOCO NA CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE NOVOS NEGÓCIOS FOCO NA CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE NOVOS NEGÓCIOS DESAFIOS CRIATIVOS CONSTANTES DESAFIOS CRIATIVOS CONSTANTES AUTO-SATISFAÇÃO: POSSE DO EMPREENDIMENTO AUTO-SATISFAÇÃO: POSSE DO EMPREENDIMENTO NECESSIDADE DE PODER E LIBERDADE NECESSIDADE DE PODER E LIBERDADE RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Evidência pessoal Evidência pessoal Reconhecimento Público Reconhecimento Público

56 VALOR SOCIAL FOCO EM VALORES CENTRAIS QUE PERSONIFICAM EM SEU TRABALHO FOCO EM VALORES CENTRAIS QUE PERSONIFICAM EM SEU TRABALHO DESEJO DE MELHORAR O MUNDO DE ALGUMA FORMA DESEJO DE MELHORAR O MUNDO DE ALGUMA FORMA NECESSIDADE DE INFLUENCIAR AS ORGANIZAÇÕES NA DIREÇÃO DE SEUS VALORES NECESSIDADE DE INFLUENCIAR AS ORGANIZAÇÕES NA DIREÇÃO DE SEUS VALORES TRABALHOS VOLTADOS AO FATOR HUMANO TRABALHOS VOLTADOS AO FATOR HUMANO RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Por sua contribuição Por sua contribuição Posições mais influentes Posições mais influentes Compartilhamento de seus valores Compartilhamento de seus valores

57 PURO DESAFIO O FOCO ESTÁ NA SUPERAÇÃO CONTÍNUA DE OBSTÁCULOS O FOCO ESTÁ NA SUPERAÇÃO CONTÍNUA DE OBSTÁCULOS NECESSIDADE DE SEMPRE PROCURAR DESAFIOS MAIORES NECESSIDADE DE SEMPRE PROCURAR DESAFIOS MAIORES ALTAMENTE COMPETITIVOS ALTAMENTE COMPETITIVOS MOTIVAÇÃO ESTÁ NA AUTO- SUPERAÇÃO MOTIVAÇÃO ESTÁ NA AUTO- SUPERAÇÃO RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Pela solução de problemas Pela solução de problemas Pela responsabilização por novos projetos ou procura de solução para problemas difíceis. Pela responsabilização por novos projetos ou procura de solução para problemas difíceis.

58 ESTILO DE VIDA O FOCO ESTÁ EM INTEGRAR O TRABALHO AO ESTILO DE VIDA EM SUA TOTALIDADE O FOCO ESTÁ EM INTEGRAR O TRABALHO AO ESTILO DE VIDA EM SUA TOTALIDADE BUSCA DE EQUILÍBRIO ENTRE A VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL BUSCA DE EQUILÍBRIO ENTRE A VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL PROCURAM ORGANIZAÇÕES QUE DEMONSTREM PREOCUPADOS COM AS PESSOAS E SUAS FAMILIAS PROCURAM ORGANIZAÇÕES QUE DEMONSTREM PREOCUPADOS COM AS PESSOAS E SUAS FAMILIAS DIFICULDADE EM ACEITAR MUDANÇAS GEOGRÁFICAS DIFICULDADE EM ACEITAR MUDANÇAS GEOGRÁFICAS RECONHECIMENTO RECONHECIMENTO Pela solução de problemas Pela solução de problemas Pela responsabilização por novos projetos ou procura de solução para problemas difíceis. Pela responsabilização por novos projetos ou procura de solução para problemas difíceis.


Carregar ppt "Capítulo 2 – Carreira Disciplina: Planejamento de Carreira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google