A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NF-e x NF Formulário (1/3) - A empresa necessita de certificado digital (modelo A1 ou A3); - Cada NF-e é gerada em arquivo digital (formato XML) e transmitida.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NF-e x NF Formulário (1/3) - A empresa necessita de certificado digital (modelo A1 ou A3); - Cada NF-e é gerada em arquivo digital (formato XML) e transmitida."— Transcrição da apresentação:

1

2 NF-e x NF Formulário (1/3) - A empresa necessita de certificado digital (modelo A1 ou A3); - Cada NF-e é gerada em arquivo digital (formato XML) e transmitida ao Fisco via Internet; - Precisa ter seu uso autorizado pela RFB, ou seja, todos os campos enviados são consistidos em tempo real pelo Fisco;

3 - Para acompanhamento das mercadorias, é obrigatória a emissão do DANFE (Documento Auxiliar da NF-e); - Requer Solução Geradora de NF-e ou digitação via programa da RFB; - A quantidade de informações tratada aumenta significativamente, principalmente no detalhamento dos Itens da Nota. NF-e x NF Formulário (2/3)

4 Exemplos de novas informações exigidas no tratamento da NF-e: - Código do País; - Código do Município; - Códigos de Situação Tributária (PIS,COFINS,IPI) do Item; - Valor PIS e COFINS do Item; - Valor da Base de Cálculo / ICMS ST do Item; - Código do Gênero do Item (Produtos Primários). NF-e x NF Formulário (3/3)

5 NF-e (Fluxo Contribuinte e Fisco)

6 - A NF-e trata informações de ICMS/IPI, envolvendo especificamente itens (mercadorias) ou serviços prestados sob incidência do ICMS; - A NF-em é de âmbito municipal, onde a legislação já exige este tratamento (Joinville, São Paulo, etc.) - trata dos serviços prestados sob incidência do ISS. * Locação não possui tratamento para emissão de documento fiscal. NF-e x NF-em (municipal)

7 NF-e (Vantagens e Desvantagens) Vantagens EmpresaFisco Aumento da Confiabilidade na Nota Fiscal XX Redução de Custos com a emissão do DANFE para trânsito das mercadorias X Maior competitividade no mercado (legalidade) X Diminuição da Sonegação X Rapidez no acesso às informações XX Eliminação do Papel XX Cruzamento eletrônico das informações X Integração entre os fiscos, agilizando o processo de fiscalização (compartilhamento de informações) X

8 - Requerimento para Homologação (fase testes) - Requerimento para Produção (início oficial) - Após iniciar processo de Produção, não será mais permitido emissão de NF em formulário. - No caso de não funcionamento do site da RFB, é necessário utilizar formulário DANFE de Contingência (papel-moeda). NF-e – Trâmites Legais

9 Emissor NF-e – Programa da RFB

10

11

12

13

14 SPED Contábil / Fiscal

15 É uma ferramenta homologada que permite o manuseio padronizado de arquivo contábil construído de acordo com as regras definidas para o leiaute a ser utilizado pelo Sistema público de escrituração digital - Sped. Sped Contábil

16 Sped Contábil (funcionalidades)

17 - Diário Geral Completo ou Diário Resumido (com Diário Auxiliar); - Livro Razão (com modelo configurável pelo programa gerador); - Livro Balancetes Diários e Balanço. * Cada arquivo Digital é importado para o SPED Contábil separadamente. Sped Contábil (o que é gerado ao Fisco)

18 - Estruturar as informações da contabilidade tradicional para seguir os padrões do Sped Contábil. Ex.: Vincular o plano de contas atual com o plano de contas referencial disponibilizado pelo Fisco. Sped Contábil x Contabilidade Normal (1/2)

19 Sped Contábil x Contabilidade Normal (2/2)

20 Sped Fiscal

21 - Assim como no SPED Contábil, a EFD possui programa próprio denominado PVA, no qual é realizada a validação do arquivo digital contendo as informações de Notas Fiscais, Apuração de Impostos e outros dados de interesse do Fisco. - Este arquivo deverá ser assinado digitalmente e transmitido mensalmente, via Internet, ao ambiente Sped. Sped Fiscal – Escrituração Fiscal Digital (1/2)

22 A EFD substitui os seguintes livros e declarações: - Registro de Entradas; - Registro de Saídas; - Apuração de ICMS e IPI; - Livro de Inventário; - SINTEGRA; - A partir de 2010 isenta a entrega da DIME em SC e da GIA em outros Estados. Sped Fiscal – Escrituração Fiscal Digital (2/2)

23 Sped Fiscal x Sintegra (1/4)

24 Sped Fiscal x Sintegra (2/4) Novos Registros (Uso Geral): - Informações Complementares do Documento Fiscal; - Observações Fiscais do Documento Fiscal; - Cadastro de Unidades de Medida, Itens e Clientes/Fornecedores; - Detalhamento dos Itens do Documento Fiscal.

25 Sped Fiscal x Sintegra (3/4) Novos Registros (Uso Geral): - Dados de Importação / Exportação do Documento Fiscal; - Total Diário por Item vendido em ECF; - Totais por Cartão Débito / Crédito; - Apuração de ICMS e IPI; - Ajustes de ICMS e IPI.

26 Sped Fiscal x Sintegra (4/4) Novos Registros (Uso Específico): - Movimento de Combustíveis por Tanque, Bomba e Bico; - Operações com Medicamentos; - Operações com Armas de Fogo; - Detalhamento Transporte Aéreo, Aquaviário, Rodoviário.

27 Sped Fiscal (Visão do Fisco Estadual) (1/3) - Apesar do layout unificado em nível nacional, cada UF poderá exigir ou desobrigar determinados registros, desde que os mesmos não afetem a escrituração na sua totalidade.

28 Alguns exemplos: Em Santa Catarina foi publicado manual próprio da EFD, dispensando a apresentação dos seguintes registros: - Registro das Faturas nas Compras e Vendas a Prazo (Registro C140); Sped Fiscal (Visão do Fisco Estadual) (2/3)

29 - Detalhamento dos Itens Vendidos em Cupom Fiscal (Registro C470); - Controles de Créditos Fiscais ICMS (Registro 1200 e 1210); Na Bahia, é exigida a apresentação do Registro C495 (Resumo Mensal de Itens do ECF). Sped Fiscal (Visão do Fisco Estadual) (3/3)

30 SPED Fiscal - Impactos Práticos (1/2) - A Gestão da Empresa precisa ir além da emissão do Faturamento; - O volume de informações se tornou muito maior e a consistência das mesmas aumentou significativamente;

31 - As informações gerenciais necessitarão de controle mais apurado, devendo permanecer disponíveis ao Fisco a qualquer tempo; - Mudança cultural, obrigando as empresas a investimentos em treinamento, principalmente na Escrituração das Notas de Entrada e emissão das Notas Eletrônicas. SPED Fiscal - Impactos Práticos (2/2)

32 SPED e NF-e - Empresas X Contabilidade - O tráfego de informações e documentos deixará de ser físico. Somente via meio magnético. - As obrigações acessórias (escriturações digitais) deverão partir de uma única fonte: o Sistema de Gestão Empresarial

33 SPED e NF-e – Reflexos nos Sistemas - Novas Tabelas para atender as exigências do Fisco; - Poucas soluções de Faturamento tratam as questões tributárias e fiscais, sendo que algumas ainda hoje nem sequer geram o SINTEGRA; - Não basta atender apenas a NF-e, é preciso atender também o SPED Contábil e Fiscal, sem deixar de atender primeiramente as necessidades de Gestão da Empresa.

34 SPED e NF-e - Reflexos na Empresa Dicas 1) Não deixe pra resolver a situação quando estiver se aproximando o seu prazo 2) Consulte o seu Contador e Planeja o que terá que ser providenciado 3) Verifique que providências a sua Assessoria de Software já está tomando 4) Pesquise e analise as opções de mercado

35 SPED e NF-e - Reflexos na Empresa Dicas 5) Ao investir em Sistema de Gestão, lembre-se desta nova realidade 6) O desafio não é Simples, mas é possível programar-se com antecedência 7) Solução Completa não significa necessariamente Solução Cara e/ou Complexa


Carregar ppt "NF-e x NF Formulário (1/3) - A empresa necessita de certificado digital (modelo A1 ou A3); - Cada NF-e é gerada em arquivo digital (formato XML) e transmitida."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google