A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues1 Características Básicas do Controle de Estoque Aula 03.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues1 Características Básicas do Controle de Estoque Aula 03."— Transcrição da apresentação:

1 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues1 Características Básicas do Controle de Estoque Aula 03

2 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues2 Introdução: Existem certas características que são comuns a todos os problemas de controle de estoque, não importando se são matérias-primas, material em processo ou produtos acabados. É preciso entender esses traços básicos. Eles são os seguintes: a)Custos associados aos estoques; b)Objetivos do estoque; c)Previsão de incertezas.

3 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues3 Custos Associados aos Estoques: Excluindo o custo de aquisição da mercadoria, os custos associados aos estoques podem ser divididos em três categorias: 1. Custo de pedir: incluem os custos fixos administrativos associados aos processo de aquisição das quantidades requeridas para reposição do estoque - custo de preencher pedido de compra, processar o serviço burocrático, na contabilidade e no almoxarifado, e de receber o pedido e verificação contra a nota e a quantidade física. Os custos de pedir são definidos em termos monetários por pedido.

4 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues4 2. Custos de manter estoque: estão associados a todos os custos necessários para manter certa quantidade de mercadorias por um período. São geralmente definidos em termos monetários por unidade, por período. Os custos de manter incluem componentes como custos, armazenagem, custo de seguro, custo de deterioração e obsolescência e custo de oportunidade de empregar dinheiro em estoque (que poderia ser empregado em outros investimentos de igual risco fora da empresa.

5 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues5 3. Custo total: é definido como a soma dos custos de pedir e de manter o estoque. Os custos totais são importantes no modelo do lote econômico, pois o objetivo deste é determinar a quantidade de pedido que os minimiza.

6 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues6 Objetivos do Estoque: 1. Objetivos de custo: estabelecer os níveis de estoque e sua localização é apenas parte do problema do controle de estoque. Considerando esse objetivo mais amplo, uma questão crítica é balancear os custos de manter e pedir estoques, porque esses custos tem comportamentos conflitantes. Quanto maiores as quantidades estocadas, maiores serão os custos de manutenção.

7 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues7 Quanto maior for a quantidade do pedido, maior será o estoque médio e mais alto será o custo de mantê-lo. No entanto, se maiores as quantidades forem solicitadas, menos pedidos serão feitos e, por conseqüência, menores custos de pedir serão incorridos. O objetivo destas situações é encontrar um plano de suprimento que minimize o custo total.

8 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues8 Qtde Estoc. Maior custo ($) 1a. Situação Maior custo ($) Qtde pedido. Maior estoqu e médio 2a. Situação Menor custo ($) Qtde solicitada Menos pedidos feitos 3a. Situação

9 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues9 Objetivos de nível de serviço: As vezes, a dificuldade em estimar os custos de falta leva ao estabelecimento de um objetivo ligeiramente diferente para o controle de estoque. Ao fixar a disponibilidade conforme a política de que, por exemplo, 98% dos pedidos de um item qualquer devem ser atendidos em 48 horas, devem ajustar-se os custos de manter e pedir de modo que a soma seja minimizada.

10 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues10 Repare que, ao fixar-se a disponibilidade-alvo, os custos de falta de estoque são considerados indiretamente. Deve-se ter grande cautela para fixar o nível de serviço de estoque desta forma. Aumentar a disponibilidade em apenas alguns pontos percentuais, por causa de pressões da área de vendas, tem um efeito dramático no capital investido em estoque. Uma vez que o nível de estoque cresce explosivamente com disponibilidades elevadas, o nível de serviço utilizado, na maioria das vezes, é menor que 100%. Deve-se obter o maior equilíbrio possível entre a produção e o custo total de estoque, de um lado, e o nível de serviço prestado aos clientes, de outro lado

11 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues11 Previsão de Incertezas Controlar o nível de estoque tem seus riscos associados. Nunca se tem certeza da quantidade a ser solicitada pelos clientes e da quantidade a ser enviada para armazenagem. Para complicar ainda mais a situação, não é possível prever com exatidão quando chegarão os suprimentos para iniciar a produção e abastecer os estoques. Uma das primeiras questões consideradas no controle de estoques é a previsão de vendas futuras, da demanda, bem como a estimativa do tempo de ressuprimento (lead time), desde a colocação do pedido no fornecedor, sua produção até a chegada do material em nossas instalações.

12 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues12 Demanda: Prever o produto e qual a quantidade que os clientes deverão comprar é assunto crítico para todo planejamento empresarial. Dessa forma, grande esforço deve ser dedicado ao desenvolvimento deste tópico. Pesquisas de intenção realizadas por telefone, correio ou contatos pessoais podem ser utilizadas e traduzidas em informações de previsão de vendas. Embora essa metodologia pareça ideal, quando se obtém informação diretamente dos clientes, ela apresenta algumas limitações.

13 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues13 O produto analisado pode ter muitos compradores pulverizados e assim necessitaria de uma amostragem maior, o que encareceria o custo da pesquisa. Alem disso, nem sempre os clientes estão dispostos a cooperar e a exatidão da informação fornecida pode ser questionável, porque não estão comprometidos a adquirir o que falam em uma pesquisa. No caso de métodos que servem para o controle de estoques, a previsão de vendas com base no histórico de vendas passadas é a técnica de previsão mais comum (não necessariamente a mais correta).

14 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues14 Gestão de estoques X controle de estoques

15 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues15 Introdução: A visão tradicional é de que os produtos devem ser mantidos em estoque por diversas razões. Seja para acomodar variação nas demandas, seja para produzir lotes econômicos em volumes substancialmente superiores ao necessário, seja para não perder vendas. No entanto, essa visão acarreta para as empresas:

16 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues16 Custos mais altos de manutenção de estoques; Falta de tempo na resposta ao mercado; Risco do inventário tornar-se obsoleto. O controle de estoque exerce influência muito grande na rentabilidade da empresa. Os estoques absorvem capital que poderia estar sendo investido de outras maneiras, desviam fundos de outros usos potenciais e tem o mesmo custo de capital que qualquer outro projeto de investimento da empresa.

17 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues17 Aumentar a rotatividade do estoque libera ativo e economiza o custo de manutenção do inventário. Imaginemos a situação em que a companhia investiu $ 100 milhões em estoque no ano passado. Ela girou estoque apenas duas vezes. Caso os estoques girassem 3 vezes e as vendas se mantivessem no mesmo patamar, o investimento alocado diminuiria em $ 33 milhões. Assumindo que o custo de manutenção de estoque é de 20% aa, isso ocasionaria uma economia de $ 6,6 milhões.

18 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues18 Gestão de estoque: De acordo com Slack, Chambers, Harland et al. (1997:423), esse conceito originou-se na função de compras em empresas que compreenderam a importância de integrar o fluxo de materiais a suas funções de suporte, tanto por meio do negócio, como por meio do fornecimento aos clientes imediatos. Isso inclui a função de compras, de acompanhamento, gestão de armazenagem, planejamento e controle de produção e gestão de distribuição física.

19 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues19 Saída de caixa Fornecedores Compras Estoque de matéria prima Proc. M.P. Estoque em processo Submonta gem Estoque em processo Montagem Estoque de produtos finais Distribuição física Clientes Entrada de caixa Fluxos Materiais e serviços Gestão de estoques Gestão de estoque e o fluxo de material:

20 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues20 No momento de sua criação, a gestão de estoque era vista como um meio de reduzir os custos totais associados com a aquisição e a gestão de materiais. Quando a gestão de estoque não é colocada como um conceito integrado, esses diferentes estágios são gerenciados geralmente por departamentos diferentes. Um diretor de produção provavelmente será responsável pela fábrica, um diretor de compras o será pelas compras e o diretor de vendas contratará a função de distribuição física.

21 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues21 Cada ligação de uma cadeia de suprimentos é gerenciada e controlada de forma independente de qualquer outra parte. Cada elo da cadeia está ciente apenas da demanda do próximo elo. Altas taxas de juros e competição global cada vez maior forçam as empresas a requestionar as formas existentes de controle de estoques. Tradicionalmente, os enfoques de controle de inventário são reativos porque respondem as mudanças como e quando ocorrem olhando apenas para o passado.

22 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues22 As organizações agora exigem estratégias mais proativas porque passam a ser baseadas nas necessidades dos clientes. Para compreender totalmente o papel dos estoques na gestão da logística, é necessário que seja examinado dentro do contexto de todo o negócio. É parte das atividades de planejamento empresarial. É nesse momento que os diversos elementos da gestão de logística precisam ser identificados e posicionados dentro da estrutura do negócio global.

23 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues23 Objetivos da organização Plano de negócio Plano de produto e de vendas Plano das necessidades de recursos Plano de produção Plano financeiro Gerenciamento da demanda Programa mestre da produção Planejamento da capacidade Planejamento das necessidades de material Controle das atividades de produção Controle e planejamento de compras de material A longo prazo a médio prazo A curto prazo

24 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues24 O diagrama anterior fornece : – Um exemplo desta estrutura; – O relacionamento dos elementos de cronograma de curto, médio e longo prazo; – A interação dos diversos elementos. – O processo interativo. Ao mesmo tempo que deve ser reconhecido que a gestão da logística tem envolvimento e participação em toda a estrutura, a ênfase é geralmente identificada com as atividades abordadas dentro dos cronogramas de curto, médio prazo.

25 29/03/2006Prof. Daneelli Rodrigues25 Objetivos da gestão de estoques: Por gestão de estoques entendemos o planejamento do estoque, seu controle e sua retroalimentação sobre o planejamento. O planejamento consiste na determinação dos valores que o estoque terá com o correr do tempo, bem como na determinação das datas de entrada e saída dos materiais do estoque e na determinação dos pontos de pedido de material.

26 Atividade: Estudo de caso – Nestlé: Ler o estudo de caso Dividir a sala em duas equipes, onde cada equipe defenderá seu assunto. Gestão de Estoque x Controle de Estoques. Após, será estabelecido debate entre equipes, onde cada uma deverá expor sua conclusão. 4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues26


Carregar ppt "4/5/2014Prof. Daneelli Rodrigues1 Características Básicas do Controle de Estoque Aula 03."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google