A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Imigrantes e Vulnerabilidade em VIH: Desafios à Prevenção Sónia Dias III Congresso da CPLP VIH/Sida e IST.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Imigrantes e Vulnerabilidade em VIH: Desafios à Prevenção Sónia Dias III Congresso da CPLP VIH/Sida e IST."— Transcrição da apresentação:

1 Imigrantes e Vulnerabilidade em VIH: Desafios à Prevenção Sónia Dias III Congresso da CPLP VIH/Sida e IST

2 Abordagem clássica: O imigrante como ameaça de infecção VIH/SIDA Saúdee Migração Saúde e Migração Abordagem da Equidade em Saúde: - saúde como um direito humano fundamental - saúde debilitada como sinal de desvantagem - cuidados de saúde adequados como um direito básico

3 Desigualdades e iniquidades sociais no acesso a recursos, informação, serviços e cuidados de saúde Migração: Fenómeno actual e complexo Diferentes tipos de migração - motivos, condições e percursos Impacto para os países envolvidos e populações Migração e Vulnerabilidade Não é a migração em si, mas as condições em que se processa que determinam a vulnerabilidade das populações migrantes: - políticas de imigração - contexto socioeconómico e laboral - situação legal - diferenças culturais e linguísticas - isolamento e segregação social

4 Algumas dificuldades na prevenção e controlo do VIH/SIDA Vários determinantes de saúde concorrentes

5 PolíticosSocio-EconómicosSocio-Culturais - Contexto socio-político: instabilidade social e política, guerra, fome, mobilização da população - Direitos Humanos: discriminação/estigmatização de determinados grupos Determinantes associados ao VIH - Pobreza, fracos recursos, desemprego e condições habitacionais - Inequidade/ Desigualdade - Comercialização do sexo - Abuso de substâncias - Questões culturais, religião - Normas Sociais e relativas aos papeis de género - Redes sociais - Literacia e acesso à Educação - Acesso aos meios de informação e comunicação Socio-Demográficos Epidemiológicos Infra-Estruturas Racismo e Segregação - Características demográficas, sexo, dados relativos à fertilidade e mortalidade - Padrões e níveis de migração e mobilização - Estadio da epidemia - Prevalência de IST e VIH/SIDA Cuidados de Saúde: - desigualdades no acesso a informação, prevenção e tratamento - pouca disponibilidade e acessibilidade - Programas de prevenção e controlo da infecção VIH/SIDA e IST´s - Políticas de saúde na área da prevenção e controlo do VIH/SIDA Individuais - Predisposição genética - Susceptibilidade individual e exposição a riscos - Factores comportamentais e psicossociais - Estilos de vida

6 Algumas dificuldades na prevenção e controlo do VIH/SIDA Vários determinantes de saúde concorrentes Dificuldade em identificar a importância de cada determinante (prioridade da intervenção) Processos complexos de interdependência entre as questões de Migração Saúde

7 Algumas dificuldades na prevenção e controlo do VIH/SIDA Pouca colaboração/cooperação intersectorial entre os diferentes promotores/doadores envolvidos nos diferentes projectos Pequenos projectos com pouco impacto ao nível macro (nacional) IMPACTO E SUSTENTABILIDADE Não existe uma forma simples e única para intervir nestes determinantes São necessárias abordagens multisectoriais e em diferentes níveis – intervenções complexas

8 Algumas dificuldades em Investigação: Intervir nos determinantes reafirma um pressuposto primordial da saúde pública: - Dados sobre migração e saúde: informação dispersa e insuficiente Necessidade de agir (ganhos para os países de acolhimento, de origem e migrantes)

9 Imigrantes e Acesso aos Serviços de Saúde na área do VIH/sida Sónia Dias, Ana Gama & Henrique Barros

10 Objectivos Descrever a procura de informação sobre VIH nos serviços de saúde por parte de uma população imigrante. Determinar a proporção de imigrantes que realizaram o teste VIH e identificar os factores associados à sua realização.

11 Inquérito por questionário aplicado a 1280 imigrantes oriundos de Países de Língua Portuguesa ( 522 PALOP; 758 Brasil) Aplicação dos questionários no Centro Nacional de Apoio ao Imigrante (CNAI), em Lisboa, durante 1 mês e no horário de funcionamento do Centro. Questionários aplicados oralmente e preenchidos por entrevistadores treinados Participação anónima, confidencial e voluntária. Consentimento oral informado obtido. Métodos

12 Características sociodemográficas - sexo, idade, nível educacional, situação profissional; - país de origem, tempo de residência em Portugal, situação de imigração. Factores relacionados com VIH/Sida e teste VIH - Serviços que utilizaria se tivesse questões relacionadas com VIH/Sida; - Procura de informação sobre VIH/Sida: fonte preferencial de informação e procura de informação no SNS; - Realização do teste VIH. Questionário:

13 TotalAfricanosBrasileiros %% Total100,040,859,2 Sexo Mulheres48,147,148,8 Homens51,952,951,2 Anos de escolaridade 0-47,315,41, ,738,625, ,032,455,3 13 ou mais16,113,617,8 Situação profissional Empregado79,170,385,1 Não empregado20,929,714,9 Situação de imigração Regular53,166,944,2 Processo de regularização/Irregular 46,933,155,8 média (d.p.) Idade (anos)33,0 (8,9)33,4 (9,3)32,6 (8,6) Tempo de residência (anos)7,6 (6,5)11,0 (7,1)5,8 (5,9) Características sociodemográficas

14 TotalAfricanosBrasileiros Hospital42,345,840,0 Centro de Saúde36,338,534,8 Medicina privada4,22,95,1 Não sabe8,86,910,0 Serviços que utilizaria se tivesse questões relacionadas com VIH

15 Fonte preferencial de informação sobre VIH/Sida TotalAfricanosBrasileiros Sim9,914,86,5 Não90,185,293,5 Procura de informação sobre VIH/Sida no SNS TotalAfricanosBrasileiros Médicos63,870,559,2 Internet20,914,225,5 Amigos e família 5,4 4,6 5,9 TV, Rádio, Jornais 2,3 2,2 Organizações na comunidade, ONG 1,4 1,9 1,1 Enfermeiros 1,4 0,8 1,8 Farmácia 0,9 0,8 1,1 Outro 1,7 2,5 1,2 Não precisa de informação 0,8 0,4 1,1 Não consegue obter informação 0,7 1,3 0,3

16 TotalAfricanosBrasileiros Teste VIH Sim54,251,755,9 Não45,848,344,1 País onde fez o último teste Portugal62,983,349,8 Outro37,116,750,2 Realização do teste VIH

17 Discussão Falta de informação sobre os serviços de saúde e VIH disponíveis 9 % não sabem onde iriam se tivessem questões relacionadas com VIH/Sida Potencial lacuna no conhecimento dos imigrantes sobre VIH/Sida Cerca de 64% recorreria aos médicos como principal fonte de informação sobre VIH/Sida Apenas cerca de 10% já procuraram informação sobre VIH/Sida no SNS Realização do teste VIH: Uma maior proporção de Brasileiros já fez o teste A maioria dos africanos fez o último teste em Portugal Cerca de 46% dos participantes nunca fez o teste VIH

18 Populações imigrantes heterogéneas Diferentes necessidades Intervenções ao nível da prevenção e controlo do VIH/Sida ajustadas às especificidades dos diferentes grupos de imigrantes. Discussão

19 Oportunidades e Desafios na prevenção do VIH/sida...

20 Investigação Desenvolver sistemas de vigilância epidemiológica com indicadores de primeira e segunda geração: - acumular dados comportamentais e biológicos - captar a heterogeneidade e explicar modificações nos padrões epidemiológicos Desenvolver instrumentos que permitam avaliar: - a acessibilidade e qualidade dos serviços de saúde no contexto do VIH - a eficácia das intervenções de prevenção implementadas Necessidade de maior evidência científica: Conduzir novas investigações para melhor compreender as barreiras e disparidades no acesso aos serviços de saúde

21 Acesso aos Cuidados de Saúde - Eliminar o estigma e discriminação associados à migração e VIH/SIDA; - Adequar as estruturas e o seu funcionamento (horário, localização, custo); - Garantir igual acesso a informação, prevenção, diagnóstico, tratamento e cuidados em VIH/SIDA. - Sensibilizar e capacitar os profissionais de saúde; Adequação à diversidade cultural e necessidades específicas das populações imigrantes serviços culturalmente sensíveis e com meios para reduzir as barreiras linguísticas Efectivos ganhos em saúde para os migrantes - Promover a relação entre a comunidade e os serviços de saúde

22 Prevenção e controlo da infecção pelo VIH/Sida Estratégias adequadas às diferentes populações imigrantes que permitam reduzir a sua vulnerabilidade ao VIH/Sida Estratégias inovadoras para a promoção da utilização dos serviços de saúde para informação, prevenção, diagnóstico, tratamento e cuidados em VIH/Sida

23 Necessidade de estratégias inovadoras de prevenção e controlo do VIH: Envolvimento e participação activa das comunidades no planeamento e desenvolvimento de intervenções para prevenção do VIH Identificação de necessidades, dificuldades e recursos para o desenvolvimento de estratégias adequadas de promoção do acesso e utilização dos serviços de saúde Estratégias para difusão de informação, melhoria do acesso e utilização dos serviços de saúde e generalização do diagnóstico Mobilização de Parcerias Comunitárias Comunidades imigrantes, organizações e associações, decisores políticos, sectores público e privado, comunidade científica Identificação de problemas e soluções adequadas e inovadoras ao nível da prevenção e controlo do VIH/Sida nas populações imigrantes Empowerment e participação comunitária

24 É necessário intervir nos determinantes de nível macro Intervenção nos determinantes macro- sociais É necessária uma abordagem integrada no que respeita à Migração e Saúde. Forte impacto nas desigualdades/inequidades sociais Redução da Vulnerabilidade em Saúde e VIH/SIDA Cooperação internacional entre os países de origem, trânsito e destino.

25


Carregar ppt "Imigrantes e Vulnerabilidade em VIH: Desafios à Prevenção Sónia Dias III Congresso da CPLP VIH/Sida e IST."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google