A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais Santuário de Profissionalismo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais Santuário de Profissionalismo."— Transcrição da apresentação:

1 Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais Santuário de Profissionalismo

2 Algumas Teorias de LIDERANÇA

3 CONCEITOSCONCEITOS Teoria dos Traços Teorias Comportamentais TeoriasContingenciaisTeoriasContingenciais ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS Liderança Visionária Liderança Transformacional Liderança Carismática MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO Envolvimento com a tarefa Gestão dos Sentidos Teorias de Processo Teorias de Conteúdo Conteúdo CONCLUSÃOCONCLUSÃO AMBIENTAÇÃOAMBIENTAÇÃO ROTEIRO

4 AMBIENTAÇÃOAMBIENTAÇÃO ROTEIRO

5 Para quê precisamos de líderes?

6 Para conduzir os Exércitos e colocá-los em ordem, uma vez que o emprego de uma organização militar se faz com base na ESTRATÉGIA......e na TÁTICA!

7 ESTRATÉGIA stratós = exército ágein = conduzir conduzir exércitos para atingir os objetivos globais do conflito

8 TÁTICA tássein = colocar em ordem ordenar os afrontamentos diretos com o inimigo

9 CONCEITOSCONCEITOS Teoria dos Traços Teorias Comportamentais TeoriasContingenciaisTeoriasContingenciais ROTEIRO

10 Liderança é um processo que tem por finalidade influenciar as atividades de um grupo militar, para atingir um objetivo comum

11 INFLUÊNCIA PODERAUTORIDADE compromissoobediência resistência recompensacoercitivo legítimo especialista referencial

12 CONCEITOSCONCEITOS Teoria dos Traços ROTEIRO

13 ASPECTO INATO DO LÍDER ASPECTO INATO DO LÍDER Teoria do Grande Homem Teoria do Grande Homem - Líder superdotado. - Líder superdotado.

14 ASPECTO INATO DO LÍDER ASPECTO INATO DO LÍDER Teoria dos Traços Teoria dos Traços - Traços físicos (aparência, estatura, energia, força física) - Traços físicos (aparência, estatura, energia, força física) - Traços intelectuais (adaptabilidade, entusiasmo, auto-confiança, coeficiente intelectual) - Traços intelectuais (adaptabilidade, entusiasmo, auto-confiança, coeficiente intelectual) - Traços sociais (realização, persistência e iniciativa) - Traços sociais (realização, persistência e iniciativa)

15 CONCEITOSCONCEITOS Teorias Comportamentais ROTEIRO

16 Teoria das Habilidades de Katz Teoria das Habilidades de Katz - Habilidade Técnica (supervisão) - Habilidade Técnica (supervisão) - Habilidade Humana (gerência) - Habilidade Humana (gerência) - Habilidade Conceitual (direção) - Habilidade Conceitual (direção)

17 Teoria dos Estilos (relação líder/liderado). Teoria dos Estilos (relação líder/liderado). - Estilo Autocrático (líder centralizador). - Estilo Autocrático (líder centralizador). - Estilo Democrático (líder delegador). - Estilo Democrático (líder delegador). - Estilo Laissez-faire (ausência de liderança). - Estilo Laissez-faire (ausência de liderança). Teoria da Ênfase (relação líder/liderado) Teoria da Ênfase (relação líder/liderado) - Ênfase na Tarefa (prazos, padrões, metas, tarefas individuais). - Ênfase na Tarefa (prazos, padrões, metas, tarefas individuais). - Ênfase nas Pessoas (relações humanas, trabalho em equipe, ouvir e apoiar). - Ênfase nas Pessoas (relações humanas, trabalho em equipe, ouvir e apoiar).

18 Estilo de Autoridade-Obediência: líderes dão maior ênfase na tarefa e menor ênfase nas pessoas. Centram suas atenções para os resultados organizacionais. Estilo de Autoridade-Obediência: líderes dão maior ênfase na tarefa e menor ênfase nas pessoas. Centram suas atenções para os resultados organizacionais. Estilo Country Club: líderes dão maior ênfase às pessoas e têm menor preocupação com as tarefas. Priorizam as relações sociais e satisfação das necessidades das pessoas. Estilo Country Club: líderes dão maior ênfase às pessoas e têm menor preocupação com as tarefas. Priorizam as relações sociais e satisfação das necessidades das pessoas. Estilo Empobrecido: líderes com baixos níveis de orientação para pessoas e para tarefas. São indiferentes e apáticos. Estilo Empobrecido: líderes com baixos níveis de orientação para pessoas e para tarefas. São indiferentes e apáticos.

19 Estilo Meio de Estrada: líderes demonstram uma preocupação intermediária entre as tarefas e as pessoas. Estilo Meio de Estrada: líderes demonstram uma preocupação intermediária entre as tarefas e as pessoas. Estilo de Administração de Times: líderes com grande ênfase nas pessoas e nas tarefas. Promovem interação entre os participantes. Estilo de Administração de Times: líderes com grande ênfase nas pessoas e nas tarefas. Promovem interação entre os participantes.

20 Liderança amigável Liderança negligente Ênfase na Missão Ênfase nas Pessoas Liderança moderada Liderança democrática Liderança autoritária Trab Eqp, motivação, comprometimento, confiança, eficiência e eficácia Nec das pessoas e relacionamento, trabalho confortável eficiência

21 CONCEITOSCONCEITOS TeoriasContingenciaisTeoriasContingenciais ROTEIRO

22 Teoria do Caminho-Objetivo (House) Teoria do Caminho-Objetivo (House) - envolve fatores situacionais ambientais (tarefa, - envolve fatores situacionais ambientais (tarefa, autoridade e grupo) autoridade e grupo) - envolve fatores situacionais dos subordinados - envolve fatores situacionais dos subordinados (necessidade de controle, experiência e percepção (necessidade de controle, experiência e percepção das habilidades) das habilidades) - o líder ajusta o comportamento a cada situação: - o líder ajusta o comportamento a cada situação: - liderança diretiva. - liderança diretiva. - liderança apoiadora. - liderança apoiadora. - liderança participativa. - liderança participativa. - liderança orientada para o resultado. - liderança orientada para o resultado.

23 Teoria Situacional (Hersey/Blanchard) Teoria Situacional (Hersey/Blanchard) 1. Comportamentos 1. Comportamentos a. Suporte (pessoas) a. Suporte (pessoas) b. Direção (tarefas) b. Direção (tarefas) 2. Estilos de Liderança 2. Estilos de Liderança a. Diretiva a. Diretiva b. De Apoio b. De Apoio c. Participativa c. Participativa d. Delegativa d. Delegativa

24 Teoria da Liderança Situacional (relacionamento – tarefa – maturidade) Teoria da Liderança Situacional (relacionamento – tarefa – maturidade) Compartilhar Delegar Tarefa Relacionamento Persuadir Determinar + Maturidade do Liderado -

25 SISTEMA 1 SISTEMA 1 O líder não confia nos subordinados. O líder não confia nos subordinados. Exerce pressão pelo terror. Exerce pressão pelo terror. Faz muita ameaça e recompensa pouco. Faz muita ameaça e recompensa pouco. Objetivos, decisões e controle ficam a cargo Objetivos, decisões e controle ficam a cargo do líder. do líder. SISTEMA 2 SISTEMA 2 O líder confia pouco nos subordinados. O líder confia pouco nos subordinados. Objetivos, decisões e controle ficam a cargo Objetivos, decisões e controle ficam a cargo do líder que começa a repassar para os do líder que começa a repassar para os subordinados. subordinados. SISTEMA 1 SISTEMA 1 O líder não confia nos subordinados. O líder não confia nos subordinados. Exerce pressão pelo terror. Exerce pressão pelo terror. Faz muita ameaça e recompensa pouco. Faz muita ameaça e recompensa pouco. Objetivos, decisões e controle ficam a cargo Objetivos, decisões e controle ficam a cargo do líder. do líder. SISTEMA 2 SISTEMA 2 O líder confia pouco nos subordinados. O líder confia pouco nos subordinados. Objetivos, decisões e controle ficam a cargo Objetivos, decisões e controle ficam a cargo do líder que começa a repassar para os do líder que começa a repassar para os subordinados. subordinados. TEORIA DOS SISTEMAS DE LIKERT

26 SISTEMA 3 SISTEMA 3 O líder confia em seus subordinados. O líder confia em seus subordinados. Existe comunicação vertical. Existe comunicação vertical. Faz pouca ameaça e recompensa muito. Faz pouca ameaça e recompensa muito. Objetivos, decisões e controle ficam a cargo do líder que delega aos subordinados. Objetivos, decisões e controle ficam a cargo do líder que delega aos subordinados. SISTEMA 4 SISTEMA 4 O líder confia em seus subordinados. O líder confia em seus subordinados. Existe comunicação vertical e horizontal. Existe comunicação vertical e horizontal. Os subordinados são motivados. Os subordinados são motivados. Há comprometimento por parte de todos, visando o máximo rendimento e a conquista de objetivos comuns. Há comprometimento por parte de todos, visando o máximo rendimento e a conquista de objetivos comuns.

27 Outros Modelos de Participação do Líder Outros Modelos de Participação do Líder 1. Autocrático I: decide sozinho. 1. Autocrático I: decide sozinho. 2. Autocrático II: pede informações ao grupo e decide sozinho. 2. Autocrático II: pede informações ao grupo e decide sozinho. 3. Consultivo I: compartilha individualmente, solicita idéias, decide sozinho. 3. Consultivo I: compartilha individualmente, solicita idéias, decide sozinho. 4. Consultivo II: compartilha com a equipe, aceita sugestões, decide sozinho. 4. Consultivo II: compartilha com a equipe, aceita sugestões, decide sozinho. 5. Grupo: compartilha com a equipe, levantam L Aç juntos e decidem em consenso. 5. Grupo: compartilha com a equipe, levantam L Aç juntos e decidem em consenso.

28 MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO Envolvimento com a tarefa Gestão dos Sentidos Teorias de Processo Teorias de Conteúdo Conteúdo ROTEIRO

29 MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO Conteúdo Conteúdo ROTEIRO

30 Teorias de Conteúdo Teorias de Conteúdo 1. Teoria das Necessidades de Maslow 1. Teoria das Necessidades de Maslow 2. Teoria das Necessidades Socialmente Adquiridas de Mc Clelland 2. Teoria das Necessidades Socialmente Adquiridas de Mc Clelland - Realização, afiliação e poder. - Realização, afiliação e poder. 3. Teoria da Motivação-Higiene de Herzberg 3. Teoria da Motivação-Higiene de Herzberg

31 PIRÂMIDE DAS NECESSIDADES DE MASLOW

32 APLICAÇÃO DA TEORIA DE MASLOW À TROPA APLICAÇÃO DA TEORIA DE MASLOW À TROPA 1. Necessidades Fisiológicas: 1. Necessidades Fisiológicas: - salário, condições de trabalho adequadas... - salário, condições de trabalho adequadas Necessidades de Segurança: 2. Necessidades de Segurança: - plano de carreira, estabilidade, apoio de saúde... - plano de carreira, estabilidade, apoio de saúde Necessidades Sociais: 3. Necessidades Sociais: - Atv sociais e esportivas, interação entre superiores e subordinados, Reu fora da OM... - Atv sociais e esportivas, interação entre superiores e subordinados, Reu fora da OM Necessidades de Estima: 4. Necessidades de Estima: - valorização da identidade (e não VM), condecorações, escolha para funções consideradas nobres... - valorização da identidade (e não VM), condecorações, escolha para funções consideradas nobres Necessidades de Auto-realização 5. Necessidades de Auto-realização - incentivo ao comprometimento, compreensão do trabalho como uma das bases de sua vida... - incentivo ao comprometimento, compreensão do trabalho como uma das bases de sua vida...

33 MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO Teorias de Processo ROTEIRO

34 Teorias de Processo Teorias de Processo 1. Teoria do Estabelecimento de Metas 1. Teoria do Estabelecimento de Metas - Objetivos. - Objetivos. 2. Teoria das Expectativas de Vroom 2. Teoria das Expectativas de Vroom - Motivação, Valência e Expectativa. - Motivação, Valência e Expectativa. (M = V x E)

35 MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO Gestão dos Sentidos ROTEIRO Envolvimento com a tarefa

36 Gestão dos Sentidos e Envolvimento com Gestão dos Sentidos e Envolvimento com a Tarefa a Tarefa 1. Teoria do Reforço (Harvard/Skinner) 1. Teoria do Reforço (Harvard/Skinner) - Recompensas. - Recompensas. 2. Teoria da Equidade 2. Teoria da Equidade - Comparação com a recompensa dos seus pares. - Comparação com a recompensa dos seus pares.

37 Gestão dos Sentidos e Envolvimento com Gestão dos Sentidos e Envolvimento com a Tarefa a Tarefa 3. Modelo de Porter/Lawler 3. Modelo de Porter/Lawler - Integração harmoniosa entre esforço-desempenho-recompensa-satisfação. - Integração harmoniosa entre esforço-desempenho-recompensa-satisfação. 4. Valorização do Trabalho - Soldado RP. - Soldado RP.

38 ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS Liderança Visionária Liderança Transformacional Liderança Carismática ROTEIRO

39 Liderança Carismática Liderança Carismática Liderança Visionária Liderança Visionária Liderança Transformacional Liderança Transformacional Liderança Servidora

40 TESES DE GUERDJEF TESES DE GUERDJEF 1. Aprenda a dizer não. 1. Aprenda a dizer não. 2. Plj, mas deixe espaço para o improviso. 2. Plj, mas deixe espaço para o improviso. 3. Concentre-se em uma tarefa por vez. 3. Concentre-se em uma tarefa por vez. 4. O líder não é imprescindível. 4. O líder não é imprescindível. 5. O líder não é o responsável pelo prazer de seus liderados. 5. O líder não é o responsável pelo prazer de seus liderados. 6. Peça ajuda sempre que necessário. 6. Peça ajuda sempre que necessário. 7. Diferencie problemas reais dos imaginários e elimine-os. 7. Diferencie problemas reais dos imaginários e elimine-os. 8. Evite se contaminar pela ansiedade e tensão de seus liderados. 8. Evite se contaminar pela ansiedade e tensão de seus liderados. 9. Pcp e convicções inflexíveis podem ser um grande peso. 9. Pcp e convicções inflexíveis podem ser um grande peso. 10. Saiba a hora de sair de cena. 10. Saiba a hora de sair de cena. 11. Não se preocupe se falam de você e use reserva analítica se falam bem, evitando o convencimento. 11. Não se preocupe se falam de você e use reserva analítica se falam bem, evitando o convencimento. 12. Competir no trabalho, lazer e relações afetivas é a melhor maneira de se esgotar. 12. Competir no trabalho, lazer e relações afetivas é a melhor maneira de se esgotar. 13. A rigidez é apreciável na pedra. Ao líder cabe a firmeza. 13. A rigidez é apreciável na pedra. Ao líder cabe a firmeza. 14. Não abandone as 3 companheiras: intuição, pureza e fé. 14. Não abandone as 3 companheiras: intuição, pureza e fé.

41 ESTE BARCO TAMBÉM É SEU ESTE BARCO TAMBÉM É SEU 1. Nunca desistir das pessoas. 1. Nunca desistir das pessoas. 2. Líderes são disciplinados > horários. 2. Líderes são disciplinados > horários. 3. Liderar pelo exemplo. 3. Liderar pelo exemplo. 4. Todos os integrantes da Eqp são importantes. 4. Todos os integrantes da Eqp são importantes. 5. Defender demais suas L Aç pode silenciar seus liderados. 5. Defender demais suas L Aç pode silenciar seus liderados. 6. Se o líder age como quiser, seus liderados também agirão. 6. Se o líder age como quiser, seus liderados também agirão. 7. Dar atenção total às pessoas quando falarem com você. 7. Dar atenção total às pessoas quando falarem com você. 8. Promulgamos ordens superiores, mas não aceitamos sugestões de baixo. 8. Promulgamos ordens superiores, mas não aceitamos sugestões de baixo. 9. Procure ter a pessoa certa para a missão certa. 9. Procure ter a pessoa certa para a missão certa. 10. Informar tudo! 10. Informar tudo! 11. A liberdade e a franqueza podem melhorar a disciplina. 11. A liberdade e a franqueza podem melhorar a disciplina. 12. Reconhecer erros > confiança e responsabilidade. 12. Reconhecer erros > confiança e responsabilidade. 13. O futuro de cada um depende do sucesso do grupo. 13. O futuro de cada um depende do sucesso do grupo. 14. Até a pior falha pode ser superada. 14. Até a pior falha pode ser superada. 15. Procure fazer o óbvio. Provavelmente será o melhor! 15. Procure fazer o óbvio. Provavelmente será o melhor! 16. Na vida civil o poder corrompe, na militar destrói. 16. Na vida civil o poder corrompe, na militar destrói.

42 CONCLUSÃOCONCLUSÃO ROTEIRO

43 LIDERANÇA MILITAR > COMANDANTE CHEFE + LÍDER

44 Os processos de chefia atuais tendem a privilegiar a microgerência, que se traduz no controle excessivo dos detalhes por parte dos superiores. A microgerência, por sua vez, tende a inibir a autonomia e a iniciativa dos subordinados.

45 Ninguém é capaz de tomar todas as decisões > é preciso dar autonomia. Para cumprir todas as missões é preciso TEMPO e MOTIVAÇÃO.

46 Que tipo de comandantes precisamos?

47 LÍDERCHEFECriaAdministra Prio pessoas Prio estruturas Visão de futuro Visão de curto prazo O quê e Por quê Como e Quando Inspira confiança Exerce controle Desafia o Status Quo Mantém o Status Quo COMPORTAMENTOS LÍDER X CHEFE

48 ANTIGOSNOVOS Separado dos liderados Junto com os liderados Sentimento de superioridade Sentimento de igualdade Autocrático, burocrático Democrático, participativo Objetivos materiais Valores superiores Procura culpa Procura causa Personalidade obediente, enérgica Personalidade lúcida, harmoniosa Dirige o Gp,Sec, Frç, SU, U Incentiva o Dsv da Org PARADIGMAS DO LÍDER

49 Para começar a ser líder, seja autêntico! Para começar a ser líder, seja autêntico!

50 Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais Santuário de Profissionalismo


Carregar ppt "Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais Santuário de Profissionalismo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google