A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

XXIV ENCONTRO NACIONAL 21 A 23/11/2012 BEM–VINDOS A BELO HORIZONTE – MG ! FENAFIM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "XXIV ENCONTRO NACIONAL 21 A 23/11/2012 BEM–VINDOS A BELO HORIZONTE – MG ! FENAFIM."— Transcrição da apresentação:

1

2 XXIV ENCONTRO NACIONAL 21 A 23/11/2012 BEM–VINDOS A BELO HORIZONTE – MG ! FENAFIM

3 DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS – DES-IF – PADRÃO ABRASF ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL- ISSQN FREDERICO GEORGE DA FONSECA 20/11/2012

4 A Declaração Eletrônica de Serviços de Instituições Financeiras (DES-IF) é um documento fiscal de existência exclusivamente digital, para registrar a apuração do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) e as operações das Instituições Financeiras e equiparadas autorizadas a funcionar pelo Banco Central (BACEN) e demais Pessoas Jurídicas obrigadas a utilizar o Plano de Contas das Instituições do Sistema Financeiro Nacional (COSIF). DEFINIÇÃO

5 GERAÇÃO E GUARDA DA DES-IF A geração da DES-IF será feita por meio de serviços informatizados, disponibilizados aos contribuintes, para a importação de dados que a compõem, sua validação e certificação digital. É de responsabilidade do contribuinte o cumprimento da obrigação acessória que consiste em: – Geração das informações, conforme periodicidade estabelecida; – Entrega ao Fisco segundo periodicidade estabelecida; – Guarda da DES-IF

6 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF A DES - IF é constituída de 4 Módulos: 1.Apuração Mensal do ISSQN 2.Informações Comuns aos Municípios 3.Demonstrativo Contábil 4.Demonstrativo das Partidas dos Lançamentos Contábeis

7 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF 1.Apuração Mensal do ISSQN Neste módulo são declaradas as contas tributáveis, os códigos de tributação correspondentes aos itens da lista de serviços e ISS devido.

8 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF 2. Informações comuns aos municípios Neste módulo são declarados o plano de contas, as tarifas cobradas de serviços tabelados pelo BACEN e respectivas contas tributáveis e as tarifas cobradas por serviços não constantes da tabela do BACEN (remuneração variável).

9 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF 3. Demonstrativo Contábil Neste módulo é declarado o balancete anual (escriturado mensalmente) e o demonstrativo de rateio de resultado interno.

10 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF 4. Demonstrativo das partidas de lançamentos contábeis Neste módulo são declarados os lançamentos contábeis de cada conta.

11 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF VANTAGENS PARA OS MUNICÍPIOS Segurança da informação em meio eletrônico; Mais rapidez na prestação de informações; Agilidade na auditoria de valores declarados, com a construção de visões de anomalias, como a falta de recolhimento do ISS como exemplo, apuradas através de ocorrências definidas na ferramenta de auditoria; Facilidade de acesso à informação disponível;

12 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF VANTAGENS PARA OS MUNICÍPIOS Auditoria da IF de forma global; Auditoria de uma dependência da IF por vez; Possibilidade ilimitada de trabalhar a informação e visualizá-la como quiser;

13 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF MAIS VANTAGENS: Avaliação de curva de tendência; Avaliação de um fato (subtítulo do PGCC); Avaliação de um grupo de fatos; Avaliação por conta do COSIF Resumidamente: análise de comportamento fiscal geral ou por contas / fatos, etc.

14 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF MAIS POSSIBILIDADES – AGREGAÇÃO DE MÓDULO DE AUDITORIA: Histórico de auditorias realizadas; Ferramenta de lançamento: análise, registro, geração de demonstrativos e relatórios; Ambiente de saída de dados para lançamento.

15 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF BENEFÍCIOS PARA AS IF Economia de tempo e recursos humanos pela padronização em nível nacional; Redução do custo Brasil na tributação.

16 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF INVESTIMENTO NECESSÁRIO a) Desenvolvimento e implantação do programa validador; b) Estrutura de transmissão e recebimento de dados, com tecnologia de certificação digital; c) Desenvolvimento e implantação do módulo de auditoria da DES-IF.

17 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF PADRONIZAÇÃO ABRASF Além do modelo conceitual da DES-IF adotado pelas capitais, a ABRASF vem padronizando os aspectos gerais de auditoria, unindo as melhores práticas de auditoria de IF das capitais.

18 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF CASO PRÁTICO A partir de informação de suspeita de evasão fiscal passada pelo Fisco de uma Capital, foram utilizados os dados da DES-IF para verificar se a mesma conduta estava ocorrendo em BH. A suspeita era que várias contas (câmbio, cobrança e outras) antes oferecidas à tributação deixaram de ser informadas ou tributadas.

19 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF CASO PRÁTICO Análise dos dados: cruzamento das informações da DES-IF mensal de 2009 a 2012 com as informações dos módulos anuais (balancete e PGCC)

20 MODELO CONCEITUAL DA DES-IF CASO PRÁTICO Foi feito o rastreamento da movimentação das contas; Foram identificadas as contas que deixaram de ser movimentadas abruptamente ou gradativamente em determinado período; Foram identificadas as contas que antes eram oferecidas à tributação e deixaram de ser; Foi detectada em 2011uma perda de ISS no valor anual de R$ ,00. O caso se apresenta como um planejamento fiscal, já que a IF cuidou para que as manobras não representassem uma queda de ISS aparente ao Fisco!

21 REFLEXÃO – DADOS DO BACEN BRASIL: SALDO DA CONTA NO PRIMEIRO SEMESTRE/2012: 37 BILHÕES DE REAIS. ISS POTENCIAL: 1,85 BILHÕES QUANTO SEU MUNICÍPIO ARRECADOU???

22 MUITO OBRIGADO PELA PARTICIPAÇÃO ! Frederico


Carregar ppt "XXIV ENCONTRO NACIONAL 21 A 23/11/2012 BEM–VINDOS A BELO HORIZONTE – MG ! FENAFIM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google