A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

WebQuests. O que são Webquests? WebQuest é um modelo extremamente simples e rico para dimensionar usos educacionais da Web, com fundamento em aprendizagem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "WebQuests. O que são Webquests? WebQuest é um modelo extremamente simples e rico para dimensionar usos educacionais da Web, com fundamento em aprendizagem."— Transcrição da apresentação:

1 WebQuests

2 O que são Webquests? WebQuest é um modelo extremamente simples e rico para dimensionar usos educacionais da Web, com fundamento em aprendizagem cooperativa e processos baseados na construção do saber. Foi proposto por Bernie Dodge em 1995 e hoje já conta com mais de dez mil páginas na Web, com propostas de educadores de diversas partes do mundo

3 O que são Webquests? Navegar na internet pode ser um processo de busca de informações valioso na construção do conhecimento, gerando um rico ambiente interactivo facilitador e motivador de aprendizagem, bem como pode ser um dispersivo e inútil recolher de dados sem relevância que não agregam qualidade pedagógica ao uso da rede.

4 O que são Webquests? WebQuest pretende ser, e tem mostrado sê-lo efectivamente, uma metodologia de motivação de alunos e professores num uso da internet voltado para o processo educacional, estimulando a pesquisa, o pensamento crítico e a produção de materiais através do protagonismo dos alunos.

5 O que são Webquests? Em linhas gerais, uma WebQuest parte da definição de um tema e objectivos por parte do professor, uma pesquisa inicial e disponibilização de links seleccionados acerca do assunto, para consulta orientada dos alunos. Estes devem ter uma tarefa, exequível e interessante, que norteie a pesquisa. Para o trabalho em grupos, os alunos podem assumir papéis diferentes, como o de especialistas, visando gerar trocas entre eles. Tanto o material inicial como os resultados devem ser publicados na web, on- line.

6 O que são Webquests? WebQuest não exige softwares específicos além dos utilizados para navegar na rede, produzir páginas, textos e imagens. Isso faz com que seja muito fácil usar a capacidade instalada em cada escola, sem restrição de plataforma ou soluções, centrando a produção de WebQuests na metodologia pedagógica e na formação de docentes.

7 Duração de Webquest: 1.Webquest curto: Com a duração de uma a três aulas ou secções, tem o objectivo de estimular a aquisição de algum conhecimento específico e a integração deste ao que já conhecem, por parte dos alunos. 2.Webquest longo: Com duração de cinco aulas até vinte aulas, procura estimular uma série de habilidades, mostradas no próximo slide. O webquest longo tem que ser planeado com dedicação, pois os alunos terão tempos diferentes para completá-lo, e devem ser inseridas actividades paralelas de extensão, não obrigatórias.

8 Habilidades Estimuladas pela actividade: 1.Comparar: Identificar e articular diferenças e semelhanças entre coisas. 2.Classificar: Agrupar coisas em categorias definidas através de seus atributos. 3.Induzir: Inferir generalizações ou princípios através da observação e da análise. 4.Deduzir: Inferir consequências e condições de princípios e generalizações. 5.Analisar erros: Identificar e articular erros no pensamento dos outros e no próprio pensamento. 6.Construir suporte: Provar as proposições através de argumentações. 7.Abstracção: Identificar e articular o tema subjacente e o padrão geral das informações. 8.Analisar perspectivas: Identificar e articular a perspectiva pessoal sobre os assuntos estudados e problemas que surgem.

9 Habilidades Estimuladas pela actividade: 1.WebQuests são essencialmente actividades em grupo. Mesmo que o grupo não esteja presente no mesmo espaço (exemplo: webquests entre escolas). 2.WebQuests podem ser melhorados através da adição de elementos motivadores em torno da estrutura básica, dando, por exemplo, aos participantes um papel para seguir (cientista, detective, repórter); pode-se estimulá-los a interagir por ou construir um cenário (como por exemplo, a mini-ONU da PUC. 3.WebQuests podem ser planeados para serem mono ou interdisciplinares, mas é desejável que sejam interdisciplinares porque assim é a orientação do trabalho com Informática.

10 Como criar uma Webquest? A WebQuest é concebida e construída segundo uma estrutura lógica que contém os seguintes elementos estruturantes: 1.Introdução 2.Tarefa 3.Processo 4.Recursos 5.Orientações 6.Avaliação 7.Conclusão

11 1.Introdução: Onde se explicita o contexto da webquest, oferecendo algumas informações sobre o assunto e as áreas do conhecimento envolvidas; 2.Tarefa: O que deve ser feito. Interessante e cativante, de modo a despertar a curiosidade do aluno; 3.Processo: A descrição dos passos pelos quais os alunos vão percorrer para completar a tarefa, de maneira detalhada 4.Recursos: Os recursos, preferencialmente disponíveis na web, são o material que deve ser consultado para a consecução de cada passo da tarefa Como criar uma Webquest?

12 5.Orientações: sobre como podem organizar a informação que estão recolhendo, como questões- chave, instruções, instrumentos de recolha de dados, frisos cronológicos, etc.; 6.Avaliação: Onde os participantes terão a oportunidade de avaliar os seus desempenhos de acordo com critérios estipulados pelo coordenador do projeto. Pode ser individual e/ou coletiva; 7.Conclusão: Na conclusão os alunos são recordados do que aprenderam e sua importância. Podem ser delineados novos passos. Como criar uma Webquest?

13 Não há uma fórmula pronta para a criação de produtos nos moldes da proposta metodológica sugerida por Bernie Dodge e Tom March. Mesmo assim, aponta-se aqui um possível caminho cujas fases são: 1.Defina tema e fontes Defina tema e fontesDefina tema e fontes 2.Reveja as instruções do modelo Reveja as instruções do modeloReveja as instruções do modelo 3.Defina a tarefa Defina a tarefaDefina a tarefa 4.Determine as fontes Determine as fontesDetermine as fontes 5.Estruture o processo e recursos Estruture o processo e recursosEstruture o processo e recursos 6.Escreva a introdução Escreva a introduçãoEscreva a introdução 7.Escreva a conclusão Escreva a conclusãoEscreva a conclusão 8.Finalize a primeira versão Finalize a primeira versãoFinalize a primeira versão 9.Reveja o WebQuest Reveja o WebQuestReveja o WebQuest 10.Utilize outros materiais Utilize outros materiaisUtilize outros materiais Como criar uma Webquest?

14 WebQuest é uma investigação cujas fontes são, sobretudo, informações veiculadas no ciberespaço. Assim, a primeira coisa a fazer é imaginar conteúdos de saber que possam ser aprendidos com o apoio de recursos existentes na rede mundial de computadores. Mais concretamente, para definir o tema deve: 1.Escolher um assunto cujo desenvolvimento pode melhorar as aulas. 2.Situar o assunto escolhido no currículo. 3.Imaginar uma abordagem que crie interesse. 4.Assegurar-se de que há fontes suficientes (e adequadas aos alunos) na Web. 1- Definir tema e fontes:

15 Criar um novo webquest em Deves estar registado como professor. Utiliza um dos modelos apresentados para a estrutura do teu webquest. 2- Reveja as instruções do modelo:

16 3- Delineie a tarefa: O modelo do Webquest tem em comum com a pedagogia de projectos a crença de que devemos saber para fazer e não apenas saber por saber. Por essa razão, a alma de uma WebQuest é a Tarefa. Se a tarefa for mal definida, a WebQuest não será um desafio capaz de entusiasmar os alunos. Assim, no processo de planeamento, convém dedicar bastante tempo e os melhores esforços no desenho de uma tarefa com impacto, desafio e motivação. Criar uma tarefa com essas características exige sobretudo clareza, compreensão de como funcionam as nossas habilidades cognitivas, e muita criatividade. Para estruturar a tarefa, experimente o caminho indicado pelas seguintes dicas:

17 3- Delineie a tarefa: 1. Ler com atenção Taskonomia: Taskonomia 2. Estudar um resumo da classificação dos saberes de acordo com Bloom e associados, cuja tradução pode ser encontrada em: Bloom e associadosBloom e associadoswww.webquest.futuro.usp.br/recursos/bloom.html Tarefas bem concebidas devem exigir que os alunos trabalhem mais que a dimensão conhecimento. Boas tarefas exigirão uma ou mais das dimensões crescentemente complexas nesta ordem: compreensão, aplicação, análise, síntese, avaliação.

18 3- Definição da tarefa: 3. Examinar algumas Tarefas de boas WebQuests. Pesquise na página sites portugueses que utilizam o webquest. Dentro de cada um deles existem a vários exemplos de webquests. 4. Dar asas à imaginação. Fuja do convencional. Esqueça o que faz normalmente na sala de aula. Imagine trabalhos que os alunos possam produzir e que, ao mesmo tempo, sejam situações dos fazeres quotidianos da vida em sociedade. 5. Discuta as suas ideias com amigos, professores ou orientadores. Teste suas ideias. Exponha-as para ver como as pessoas reagem. Procure auxílio. Troque ideias. Tudo isso pode enriquecer o seu trabalho. A tarefa deverá ser algo que os alunos possam fazer. Outro cuidado: escolha coisas que acontecem ou podem acontecer no mundo em que vivemos. Se possível, evite coisas muito escolares como seminários, palestras, questionários etc.

19 4- Determine as fontes: As fontes preferenciais de informação devem ser recursos disponíveis na Internet. No âmbito do tema escolhido, há material suficiente (e adequado aos alunos) no espaço Web. Chegou a hora de filtrar esses recursos para ficar apenas com aquelas referências que vai utilizar na Webquest. Talvez seja conveniente resolver se será necessário utilizar recursos offline. Para tanto, deve: 1. Examinar os endereços Web já selecionados. 2. Verificar se há mais endereços que valha a pena considerar. 3. Filtrar tudo e ficar apenas com aquilo que realmente interessa. 4. Julgar conveniência ou necessidade de utilizar fontes não disponíveis na Internet (livros, revistas, folhetos, artigos, discos, vídeos etc.) 5. Estabelecer a lista de recursos (on e off line) que acha adequada para a consecução da Tarefa.

20 5- Estruture o processo e recursos: Agora é preciso elaborar o roteiro que irá ajudar os alunos a obterem bons resultados na Tarefa. Lembre-se de que o Processo é uma espécie de receita, indicando passo a passo a direcção que os alunos deverão seguir. Outra coisa: os recursos que seleccionou serão apresentados na medida que os alunos necessitarem deles. Não há, obviamente, uma única forma de estruturar Processo e Recursos, mas as indicações que seguem reflectem modos de fazer de muitos produtores de WQ's. Na estruturação de Processo e Recursos, convém: 1. Especificar expectativas quanto ao trabalho em grupo. Como regra, WebQuests são processos de investigação conduzidos por um grupo. O modo de trabalhar dos grupos a serem constituídos dependerá da natureza da tarefa, de particularidades interessantes, de dinâmicas adequadas para a WQ. Por isso é importante estabelecer com clareza a constituição do grupo, como a dinâmica que deverá ocorrer etc.

21 5- Estruture processo e recursos: 2. Definir papéis dos componentes do grupo quando for o caso. Na maioria das WebQuests, a Tarefa exige visões diferentes do problema. Geralmente isso é representado por papéis característicos cuja representação garante estudos baseados em diferentes olhares. É por essa razão que convém definir bem as características de cada papel ou personagens que você criar. 3. Estabelecer os passos a serem seguidos no estudo das fontes (Recursos) e na elaboração do produto ou produtos resultantes da Tarefa.

22 6- Escreva a introdução: Após ter uma boa ideia do que os alunos irão fazer. Já estruturou uma sugestão de como fazer que, certamente, irá ajudar os alunos a elaborarem certos saberes. Chegou a hora de elaborar a Introdução. Nessa parte da WQ, deve: 1. Escrever um texto dirigido aos alunos. Converse com o grupo. Seja directo. Use linguagem clara e compreensível. 2. Motivar os utilizadores da WQ. O texto da introdução deve funcionar como aqueles pequenos trechos que acompanham manchetes de jornais: directos, provocantes, envolventes, motivadores.

23 6- Escreva a introdução: 3. Ser breve Como regra geral, introduções são textos de um ou dois pequenos parágrafos. Muito raramente a Introdução poderá ser algo mais elaborado. 4. Evitar desmotivação Muita gente escreve introduções como se estas fossem a primeira parte de livros didácticos tradicionais. Entre outras coisas, dão explicações etimológicas, resumem o que vai ser apresentado, contam alguma história exemplar. Essa é uma prática centrada no assunto, não nos leitores. Fuja desse modo tradicional de escrever introduções.

24 7- Escreva a conclusão: À semelhança da Introdução, a Conclusão deve ser algo claro, breve e simples. Para concluir a WQ convém seguir uma ou mais das seguintes direcções: 1. Reafirmar aspectos de interesse registados na Introdução. 2. Realçar a importância daquilo que os alunos aprenderam. 3. Apontar caminhos que podem ajudar os alunos a continuarem estudos e investigações sobre o tema.

25 8- Finalize a primeira versão: A WebQuest está praticamente pronta. Basta agora rever o texto, escolher uma ou outra imagem para embelezar, etc. 9- Rever Webquest: Antes de considerar pronto o seu trabalho, convém testá-lo de alguma forma. Pode fazer isso com um pequeno grupo de alunos; ou pode pedir que dois ou três colegas seus avaliem o seu trabalho. Use Uma Rubrica Para Avaliar WebQuests. Uma Rubrica Para Avaliar WebQuestsUma Rubrica Para Avaliar WebQuestswww.webquest.futuro.usp.br/recursos/comoavaliar.html Imprima o material e entregue-o aos seus avaliadores. Depois deles preencherem a folha de avaliação, faça os devidos acertos no seu material.

26 10- Utilize outros materiais Selecting a WebQuest Project (inglês) edweb.sdsu.edu/webquest/project-selection.html WebQuest Task Design Worksheet (inglês) edweb.sdsu.edu/webquest/task-design-worksheet2.html webquest.sdsu.edu/matrix.html WebQuests (português)

27 Tarefa: Uma Webquest sobre webquests: Mãos à Obra !!!


Carregar ppt "WebQuests. O que são Webquests? WebQuest é um modelo extremamente simples e rico para dimensionar usos educacionais da Web, com fundamento em aprendizagem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google