A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NUTRIÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA BIOLOGIA M.17 PALAVRA Multimídia X SAIR Abertura: Nosso corpo é formado por cerca de dez trilhões de células vivas... Capítulo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NUTRIÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA BIOLOGIA M.17 PALAVRA Multimídia X SAIR Abertura: Nosso corpo é formado por cerca de dez trilhões de células vivas... Capítulo."— Transcrição da apresentação:

1 NUTRIÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA BIOLOGIA M.17 PALAVRA Multimídia X SAIR Abertura: Nosso corpo é formado por cerca de dez trilhões de células vivas... Capítulo 1: Sistema digestório Capítulo 2: Cuidados com a nutrição Resolução dos exercícios Slides Capítulo 3: Sistema cardiovascular Capítulo 4: Sistemas linfático e imunitário Animação: Nutrição e circulação DO EDITOR

2 X SAIR Esfriamento da Terra e primeiras c é lulas: 3 bilhões de anos Nosso corpo é formado por cerca de dez trilhões de células vivas... SPL/LATINSTOCK

3 X SAIR Capítulo 1 Sistema digestório SPL/LATINSTOCK

4 X SAIR Organização do sistema digestório Língua Glândula salivar (sublingual) Glândula salivar (submandibular) Faringe Glândula salivar (parótida) Esôfago Fígado Estômago Pâncreas Colo descendente (intestino grosso) Reto Ceco Apêndice vermiforme Ânus Jejuno (intestino delgado) Vesícula biliar 1 Sistema digestório

5 X SAIR Digestão e deglutição Esôfago Alimento Língua Epiglote Laringe Proeminência laríngea (pomo-de-adão) Faringe Traqueia Palato mole Epiglote fechando a traqueia. Esôfago 1 Sistema digestório

6 X SAIR Digestão no estômago Componentes do estômago humano, em diferentes escalas de ampliação 1 Sistema digestório

7 X SAIR Ativação de três enzimas pancreáticas envolvidas na digestão Digestão no intestino delgado 1 Sistema digestório

8 X SAIR Suco digestórioEnzimaspH ótimoSubstratosProdutos SalivaAmilase salivarNeutroPolissacarídiosMaltose e glicose Suco gástrico PepsinaÁcidoProteínasPeptonas ReninaÁcidoCaseína solúvelCaseína insolúvel Suco pancreático QuimotripsinaAlcalinoProteínas e peptonasOligopeptídios TripsinaAlcalinoProteínas e peptonasOligopeptídios AmilopsinaAlcalinoPolissacarídiosMaltose e glicose RNase (ribonuclease)AlcalinoRNANucleotídios DNase (desoxirribonuclease)AlcalinoDNANucleotídios LipaseAlcalinoLipídios Ácidos graxos e glicerol Suco entérico CarboxipeptidaseAlcalinoOligopeptídiosAminoácidos AminopeptidaseAlcalinoOligopeptídiosAminoácidos DipeptidaseAlcalinoDipeptídiosAminoácidos MaltaseAlcalinoMaltoseGlicose SacaraseAlcalinoSacaroseGlicose e frutose LactaseAlcalinoLactoseGlicose e galactose Principais enzimas digestivas humanas 1 Sistema digestório

9 X SAIR Absorção de nutrientes Estrutura da parede do intestino delgado 1 Sistema digestório.

10 X SAIR Absorção no intestino grosso e defecação Representação do intestino grosso em corte Colo transversal Colo ascendente Íleo Apêndice vermiforme Ceco Reto Ânus Fezes Colo descendente 1 Sistema digestório Papila ileal

11 X SAIR Controle nervoso e hormonal da digestão Principais hormônios relacionados ao controle da digestão Vesícula biliar Fígado Estômago Pâncreas Duodeno 1 Sistema digestório

12 X SAIR SPL/LATINSTOCK Capítulo 2 Cuidados com a nutrição

13 X SAIR Cuidados com a nutrição Nutrição: conjunto de processos que abrange: ingestão e digestão do alimento; absorção das substâncias úteis pelas células do corpo. Dieta: tipos e quantidades de alimento que ingerimos. Precisa conter carboidratos, lipídios, proteínas, sais minerais, vitaminas e água. 2 Cuidados com a nutrição

14 X SAIR Tipos de nutriente Nutrientes energéticos: fornecem energia às células (glicídios e lipídios). Nutrientes plásticos: fornecem aminoácidos necessários à produção de nossas próprias proteínas. Vitaminas: substâncias orgânicas necessárias em pequenas quantidades. A maioria atua como auxiliar em reações químicas catalisadas por enzimas. Sais: nutrientes inorgânicos que participam da formação de estruturas como os ossos, do impulso nervoso e coagulação sanguínea. Água: não é propriamente um nutriente. Todas as reações químicas celulares ocorrem em meio aquoso. Participa como reagente em diversas reações celulares. Aminoácidos: nosso corpo necessita de 20 tipos diferentes de aminoácido para produção de nossas próprias proteínas. 2 Cuidados com a nutrição

15 X SAIR Composição de alimentos* Descrição do alimento Umidade (%) Energia (kcal) Proteínas (g)Lipídios (mg) Carboidratos (mg) Produtos animais frescos crus Carne bovina magra (contrafilé) Carne bovina gorda (contrafilé) Ovo de galinha Peixe (filé de merluza) Leites e derivados Leite de vaca em pó integral Leite de vaca em pó desnatado Iogurte natural Cereais e derivados Arroz integral cru Aveia em flocos crua Macarrão de trigo cru Pão de trigo tipo francês Cuidados com a nutrição

16 X SAIR Composição de alimentos* Descrição do alimento Umidade (%) Energia (kcal) Proteínas (g)Lipídios (mg) Carboidratos (mg) Verduras e legumes crus Alface lisa Batata-doce Brócolis Feijão-preto Frutas Abacate Banana-nanica Laranja-pera, suco Mamão formosa Cuidados com a nutrição

17 X SAIR Principais vitaminas e sintomas de sua deficiência VitaminaPrincipal uso no corpoSintomas de deficiênciaPrincipais fontes B1 (Tiamina) Auxilia na oxidação dos carboidratos. Estimula o apetite. Mantém o tônus muscular e o bom funcionamento do sistema nervoso. Previne o beribéri. Perda de apetite, fadiga muscular, nervosismo, beribéri. Cereais na forma integral e pães, feijão, fígado, carne de porco, ovos, fermento de padaria, vegetais de folha. B2 (Riboflavina) Auxilia na oxidação dos alimentos. Essencial à respiração celular. Mantém a tonalidade saudável da pele. Atua na coordenação motora. Ruptura da mucosa da boca, dos lábios, da língua e das bochechas. Vegetais de folha (couve, repolho, espinafre etc.), carnes magras, ovos, fermento de padaria, fígado, leite. B3 (Niacina ou ácido nicotínico) Mantém o tônus nervoso e muscular e o bom funcionamento do sistema digestório. Previne a pelagra. Inércia e falta de energia, nervosismo extremo, distúrbios digestivos, pelagra. Levedo de cerveja, carnes magras, ovos, fígado, leite. B5 (Ácido pantotênico) É componente da coenzima A, participante de processos energéticos celulares. Anemia, fadiga e dormência dos membros. Carne, leite e seus derivados, verduras e cereais integrais. 2 Cuidados com a nutrição

18 X SAIR Principais vitaminas e sintomas de sua deficiência VitaminaPrincipal uso no corpoSintomas de deficiênciaPrincipais fontes B6 (Piridoxina) Auxilia na oxidação dos alimentos. Mantém a pele saudável. Doenças da pele, distúrbios nervosos, inércia e extrema apatia. Levedo de cerveja, cereais integrais, fígado, carnes magras, leite. B8 (Biotina) Atua como coenzima em processos energéticos celulares, na síntese de ácidos graxos e das bases nitrogenadas púricas. Inflamações na pele e distúrbios neuromusculares. Carnes, legumes, verduras e bactérias da flora intestinal. B9 (Ácido fólico) Importante na síntese das bases nitrogenadas e, portanto, na síntese de DNA e multiplicação celular. Anemia, esterilidade masculina, na gravidez, predispõe a uma má- -formação do feto conhecida como espinha bífida. Vegetais verdes, frutas, cereais integrais e bactérias da flora intestinal. B12 (Cianocobalamina) É essencial para a maturação das hemácias e para a síntese de nucleotídios. Anemia perniciosa, distúrbios nervosos. Carne, ovos, leite e seus derivados. C (Ácido ascórbico) Mantém a integridade dos vasos sanguíneos e a saúde dos dentes. Previne infecções e o escorbuto. Inércia e fadiga em adultos, insônia e nervosismo em crianças, sangramento das gengivas, dores nas juntas, dentes alterados, escorbuto. Frutas cítricas (limão, lima, laranja), tomate, couve, repolho, outros vegetais de folha, pimentão. 2 Cuidados com a nutrição

19 X SAIR Principais vitaminas e sintomas de sua deficiência VitaminaPrincipal uso no corpoSintomas de deficiênciaPrincipais fontes A (Retinol) Necessária para o crescimento normal e para o bom funcionamento dos olhos, do nariz, da boca, das orelhas e dos pulmões. Previne resfriados e várias infecções. Evita a cegueira noturna. Cegueira noturna (xeroftalmia), olhos secos em crianças, cegueira total. Vegetais amarelos (cenoura, abóbora, batata-doce, milho), pêssego, nectarina, abricó, gema de ovo, manteiga, fígado. D (Calciferol) Atua no metabolismo do cálcio e do fósforo. Mantém os ossos e os dentes em bom estado. Previne o raquitismo. Problemas nos dentes, ossos fracos, contribui para os sintomas da artrite, raquitismo. Óleo de fígado de bacalhau, fígado, gema de ovo. E (Tocoferol) Promove a fertilidade. Previne o aborto. Atua no sistema nervoso involuntário, no sistema muscular e nos músculos involuntários. Esterilidade masculina, aborto. Óleo de germe de trigo, carnes magras, laticínios, alface, óleo de amendoim. K (Filoquinona) Previne hemorragias. Atua na coagulação do sangue. Hemorragias. Vegetais verdes, tomate, castanha. 2 Cuidados com a nutrição

20 X SAIR Alguns minerais e suas funções no organismo humano FunçõesFontes Cálcio Componente importante dos ossos e dos dentes. Essencial à coagulação do sangue; necessário para o funcionamento normal de nervos e músculos. Vegetais, leite e laticínios. Cloro Principal ânion no líquido extracelular. Importante no balanço de líquidos do corpo. Sal de cozinha e muitos tipos de alimento. Cobalto Componente da vitamina B12. Essencial para a produção das hemácias. Carnes e laticínios. Cobre Componente de muitas enzimas. Essencial para a síntese da hemoglobina. Fígado, ovos, peixe, trigo integral e feijão. CromoImportante para o metabolismo energético. Carne, cereais integrais e levedo de cerveja. Enxofre Componente de muitas proteínas. Essencial para a atividade metabólica normal. Carnes e legumes. Ferro Componente da hemoglobina, mioglobina e enzimas respiratórias. Fundamental para a respiração celular. Fígado, carnes, gema de ovo, legumes e vegetais verdes. 2 Cuidados com a nutrição

21 X SAIR Alguns minerais e suas funções no organismo humano FunçõesFontes Flúor Componente dos ossos e dos dentes. Protege os dentes contra as cáries. Água fluorada. Fósforo Componente importante dos ossos e dos dentes. Essencial para o armazenamento e a transferência de energia no interior das células (componente do ATP); componente do DNA e do RNA. Leite e laticínios, carnes e cereais. Iodo Componente dos hormônios da tireoide, que estimulam o metabolismo. Frutos do mar, sal de cozinha iodado e laticínios. Magnésio Componente de muitas coenzimas. Necessário para o funcionamento normal de nervos e músculos. Cereais integrais, vegetais verdes. Manganês Necessário para a ativação de diversas enzimas. Cereais integrais, gema de ovo e vegetais verdes. 2 Cuidados com a nutrição

22 X SAIR Alguns minerais e suas funções no organismo humano FunçõesFontes Molibdênio Importante para a ação de algumas enzimas, atuando como cofator. Cereais integrais, leite e leguminosas. Potássio Principal cátion no interior das células. Influencia a contração muscular e a atividade dos nervos. Carnes, leite e muitos tipos de frutas. Selênio Importante para enzimas que previnem câncer. Carne, moluscos, fígado e leguminosas. Sódio Principal cátion no líquido extracelular. Importante no balanço de líquidos do corpo; essencial para a condução do impulso nervoso. Sal de cozinha e muitos tipos de alimento. Zinco Componente de dezenas de enzimas, como as envolvidas na digestão. Diversos alimentos. 2 Cuidados com a nutrição

23 X SAIR Necessidades nutricionais Ingestão de glicídio: conversão em glicose e posterior conversão em glicogênio (músculos e fígado) Excessos de glicídios: conversão em gordura e armazenamento no tecido adiposo Nos períodos entre as refeições: fígado reconverte o glicogênio em glicose, que é liberada no sangue; células usam glicose para montar ATP na respiração celular. 2 Cuidados com a nutrição

24 X SAIR Taxa metabólica Estimativa das calorias despendidas por uma pessoa jovem de 64 kg durante as atividades diárias Atividade N o de horas X Massa corporal X N o de kcal = kcal necessárias por hora, por kg Dormindo Sentado3641,4268,8 Escrevendo5641,6512 Em pé2641,8230,4 Andando Em exercício Total = 3.059,2 2 Cuidados com a nutrição

25 X SAIR Dieta protetora e dieta balanceada Dieta protetora: quantidade mínima de alimento que uma pessoa adulta precisa ingerir. Deve ser suficiente para fornecer cerca de kcal/dia. Abaixo desse mínimo ocorre subnutrição. Dieta balanceada: fornece nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo, além do conteúdo energético. Deve fornecer a uma pessoa adulta a quantidade de energia de que ela necessita (cerca de kcal/dia). Distribuída entre 50% e 60% de glicídios (carboidratos), 25% e 35% de gorduras e 15% e 25% de proteínas. 2 Cuidados com a nutrição

26 X SAIR Necessidades nutricionais Kwashiorkor doença que afeta uma criança quando nasce outra: deficiência grave de aminoácidos essenciais Marasmo: subnutrição, causada pela quantidade insuficiente de alimento Criança desnutrida CORBIS/LATINSTOCK 2 Cuidados com a nutrição

27 X SAIR Cuidados com o sistema digestório Preferir alimentos frescos e naturais. Verduras, legumes e frutas: contêm nutrientes e vitaminas, além de fibras que estimulam o movimento do bolo alimentar no tubo digestório. Não exagerar na ingestão de alimentos gordurosos (principalmente de origem animal). 2 Cuidados com a nutrição

28 X SAIR Algumas perturbações comuns do sistema digestório humano Cáries dentárias: corrosão do esmalte dental por bactérias que vivem na boca humana alimentando-se dos restos de comida. Infecções intestinais: causadas pela multiplicação de vírus, bactérias ou protozoários patogênicos adquiridos por meio da alimentação Vômito: contrações violentas do abdômen e estômago em resposta a alimentos estragados ou rapidez da ingestão Diarreia: aumento do peristaltismo intestinal devido à ingestão de alimentos deteriorados, alergias ou infecções Prisão de ventre: diminuição do peristaltismo intestinal devido à dieta pobre em fibras, geralmente Úlceras pépticas: feridas geradas pela ação do HCl na parede do estômago Apendicite: inflamação do apêndice cecal Pancreatite: inflamação do pâncreas, causada pela retenção de enzimas pancreáticas e degeneração do pâncreas 2 Cuidados com a nutrição

29 X SAIR SPL/LATINSTOCK Capítulo 3 Sistema cardiovascular

30 X SAIR Organização do sistema cardiovascular Representação esquemática do coração 3 Sistema cardiovascular

31 X SAIR Organização do sistema cardiovascular 3 Sistema cardiovascular

32 X SAIR Organização do sistema cardiovascular 3 Sistema cardiovascular

33 X SAIR Organização do sistema cardiovascular Esquema dos vasos sanguíneos 3 Sistema cardiovascular

34 X SAIR Organização do sistema cardiovascular 3 Sistema cardiovascular Veia Esfíncteres pré-capilares Esfíncteres abertos Artéria

35 X SAIR Fisiologia da circulação Veia cava superior Veia cava inferior Artéria pulmonar Veias pulmonares Átrio direito Ventrículo direito Átrio esquerdo Ventrículo esquerdo Esquema da circulação sistêmica e da circulação pulmonar 3 Sistema cardiovascular

36 X SAIR Ciclo cardíaco 3 Sistema cardiovascular

37 X SAIR Frequência cardíaca Esquema do coração em corte longitudinal 3 Sistema cardiovascular

38 X SAIR Pressão sanguínea Esquema do funcionamento do esfigmomanômetro Artérias do braço Manômetro Bolsa de ar inflável Estetoscópio 1. Pressão arterial: Sistólica = 120 mmHg Diastólica = 80 mmHg 2. Pressão na bolsa de ar maior que 120 mmHg interrompe o fluxo sanguíneo para o braço. 3. Pressão na bolsa de ar entre 80 mmHg e 120 mmHg permite fluxo de sangue durante a sístole; o som da passagem do sangue é audível no estetoscópio 4. Pressão na bolsa menor que 80 mmHg permite fluxo de sangue durante a sístole e a diástole; os sons não são mais audíveis no estetoscópio. 3 Sistema cardiovascular

39 X SAIR Pressão sanguínea Representação esquemática de uma veia 3 Sistema cardiovascular

40 X SAIR Algumas doenças cardiovasculares Arteriosclerose: perda gradual da elasticidade da parede das artérias Angina do peito: consequência do estreitamento de uma ou mais artérias coronárias, com redução da circulação de sangue em certas regiões do miocárdio, diminuição da nutrição e da oxigenação Infarto do miocárdio: morte de células musculares cardíacas causada pela interrupção do fornecimento de sangue Isquemia cerebral: morte de células nervosas causadas pela interrupção do fornecimento de sangue Hipertensão arterial: elevação da pressão arterial ou pressão alta. Ela aumenta os riscos de ataques cardíacos e derrames de sangue no tecido cerebral. 3 Sistema cardiovascular

41 X SAIR SPL/LATINSTOCK Capítulo 4 Sistemas linfático e imunitário

42 X SAIR Componentes do sistema linfático Esquema do sistema linfático. Em A, parte do sistema linfático humano; em B, rede de vasos e linfonodos da região do pescoço; em C, estrutura interna de um linfonodo; em D, estrutura interna de um capilar linfático. As setas indicam o sentido do fluxo da linfa. Linfonodos Veia Artéria Saída da linfa filtrada Chegada da linfa Válvulas 4 Sistemas linfático e imunitário

43 X SAIR Células e órgãos imunitários Macrófagos: células que se movimentam continuamente entre os tecidos e fazem fagocitose de micro-organismos, restos de células mortas, resíduos celulares. Linfócitos B: produzem os anticorpos. Linfócitos T matadores (T citotóxicos ou T CD8): reconhecem e matam células corporais alteradas, atacam células estranhas à pessoa, sendo os principais responsáveis pela rejeição de órgãos transplantados. Linfócitos T auxiliadores (T CD4): comandantes do mecanismo de defesa. Recebem informações dos macrófagos sobre a presença de agentes estranhos ao corpo e estimulam outros linfócitos a combatê-los. 4 Sistemas linfático e imunitário

44 X SAIR Células e órgãos imunitários Esquema de anticorpo Cadeia pesada do anticorpo Sítios de reconhecimento do antígeno Antígeno Cadeia leve do anticorpo Cadeia pesada Região de ligação com o antígeno Regiões constantes Cadeia leve Linfócito B Liberação de anticorpos Antígenos na parede bacteriana Anticorpo ligado ao antígeno 4 Sistemas linfático e imunitário

45 X SAIR Modo de ação do sistema imunitário Apresentação de antígenos pelo macrófago 4 Sistemas linfático e imunitário

46 X SAIR Modo de ação dos principais componentes do sistema imunitário 4 Sistemas linfático e imunitário ANTÍGENOS Presentes em vírus, bactérias, protozoários, vermes etc.; substâncias estranhas (toxinas etc.) ANTÍGENOS Apresentados na superfície de células infectadas por vírus. Antígenos de células transplantadas MACRÓFAGO Fagocita e apresenta antígenos a linfócitos CD4. Produz substâncias que ativam linfócitos CD4 LINFÓCITO B Identifica um antígeno específico e liga-se a ele LINFÓCITO T AUXILIADOR (CD4) Produz substâncias que ativam a diferenciação de linfócitos B e de linfócitos T matadores (CD8) Interleucina Destruição da célula infectada Anticorpos

47 X SAIR Imunizações ativa e passiva: vacinas e soros Produção de anticorpos após duas exposições a um mesmo antígeno 4 Sistemas linfático e imunitário

48 X SAIR 4 Sistemas linfático e imunitário Nutrição e circulação Clique na imagem abaixo para ver a animação.

49 X SAIR SPL/LATINSTOCK Navegando no módulo

50 X SAIR NUTRIÇÃO HUMANA consiste em ingerir e em assimilar NUTRIENTES estão presentes nos ALIMENTOS tipos e quantidades ingeridas compõem a DIETA na espécie humana é ONÍVORA pode ser classificada em DIETA PROTETORA DIETA BALANCEADA os principais são VITAMINAS ÁGUA SAIS MINERAIS são as principais fontes de ELEMENTOS QUÍMICOS exemplos são Cálcio (Ca) Fósforo (P) Ferro (Fe) etc. PROTEÍNAS são fontes de são NUTRIENTES PLÁSTICOS AMINOÁCIDOS GLICÍDIOSLIPÍDIOS são NUTRIENTES ENERGÉTICOS são as principais fontes de ENERGIA é obtida por meio da RESPIRAÇÃO CELULAR pode ser medida em QUILOCALORIAS (kcal) é a que fornece um mínimo de é a que fornece cerca de Navegando no módulo

51 X SAIR SPL/LATINSTOCK FIM SEQUÊNCIA DIDÁTICA Adaptação e consultoria: Professor Fábio Levi de Oliveira Revisão: Lara Milani (coord.), Adriana B. dos Santos, Alexandre Sansone, Amanda Ramos, Anderson Félix, André Annes Araujo, Aparecida Maffei, David Medeiros, Greice Furini, Maria Fernanda Neves, Renata Tavares Diagramação: Adailton Brito de Souza, Gustavo Sanches, Keila Grandis, Marlene Moreno, Valdei Prazeres, Vicente Valenti VÍDEOS Palavra do autor Produção: Estúdio Moderna Produções Edição: 3D LOGIC MULTIMÍDIA Consultoria e revisão técnica: Professores Alexandre Albuquerque da Silva e Vanessa Shimabukuro Edição: Daniela Silva Produção: Cricket Design Locução: Núcleo de criação © 2009, Grupo Santillana/Sistema UNO Uso permitido apenas em escolas filiadas ao Sistema UNO. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, arquivada ou transmitida, de qualquer forma, em qualquer mídia, seja eletrônica, química, mecânica, óptica, de gravação ou de fotocópia, fora do âmbito das escolas do Sistema UNO. A violação dos direitos mencionados constitui delito contra a propriedade intelectual e os direitos de edição. GRUPO SANTILLANA Rua Padre Adelino, 758 – Belenzinho São Paulo SP – Brasil – CEP Vendas e Atendimento: Tel.: (11) Fax: (11)

52 X SAIR X SAIR BIOLOGIA M.17 NUTRIÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA

53 X SAIR 1 Em 16 de agosto de 1960, o piloto da força aérea americana Joseph Kittinger bateu o recorde mundial, ao saltar de um balão de hélio a pés ( metros). Durante a queda, ele enfrentou temperaturas de até –70 °C cerca de 1% da pressão atmosférica ao nível do mar (760 mmHg) e, de acordo com ele próprio, quebrou a barreira do som, chegando a km/h. Para enfrentar as condições impostas pela altitude, Kittinger usou uma roupa pressurizada, mas uma das luvas apresentou problemas e não pressurizou. Então, as diferenças entre sua pressão sanguínea e a pressão atmosférica causaram inchaço e dor na mão, enquanto ele subia. O gráfico que melhor representa a relação entre a pressão arterial de Kittinger e a pressão atmosférica desde o solo até o início do salto é: ENEM – BIOLOGIA M.17

54 X SAIR ENEM – BIOLOGIA M.17 Pressão arterial sistólica Pressão atmosférica Pressão arterial sistólica Pressão atmosférica Pressão arterial sistólica Pressão atmosférica Pressão arterial sistólica Pressão atmosférica Pressão arterial sistólica Pressão atmosférica Pressão 30 cm Altitude (em pés) a) b) c) d) e) Pressão

55 X SAIR RESPOSTA: D Em um indivíduo saudável a pressão arterial sistólica é equivalente ao peso de uma coluna de mercúrio de 120 mmHg, enquanto a pressão atmosférica ao nível do mar é equivalente ao peso de uma coluna de mercúrio de 760 mmHg. A pressão atmosférica diminui à medida que se sobe na atmosfera, enquanto a pressão sanguínea, no caso em questão, não se altera. ENEM – BIOLOGIA M.17

56 X SAIR 2 Leia o texto a seguir: (...) Essas pessoas foram expostas a doses tremendas de radiação ionizante, entre 2 e 20 Gray (unidade de medida da radiação absorvida pela matéria), o suficiente para causar a síndrome da radiação aguda (ARS, sigla em inglês), diagnosticada em pelo menos 134 das mil pessoas que ali estavam. A doença agride o organismo, destruindo as células-tronco da medula. (...) O sistema imunitário é fortemente debilitado, deixando campo aberto para infecções, que são a principal causa de mortes nesses casos. (...) Scientific American Brasil, ano 4, n. 49. O texto trata dos funcionários da usina nuclear de Chernobyl que tentaram controlar o acidente, acontecido em Sobre ele responda: a) A medula a que se refere o texto é a medula espinal, que gera as células sanguíneas, inclusive os leucócitos. O acidente gerou um quadro parecido com meningite. b) A medula citada no texto é a óssea, responsável pela produção de células sanguíneas, inclusive os glóbulos brancos. E o acidente gerou um quadro parecido com anemia. c) A medula a que se refere o texto é a medula espinal, que faz parte do sistema nervoso, que controla os leucócitos. O acidente gerou um tipo de hemorragia. ENEM – BIOLOGIA M.17

57 X SAIR RESPOSTA: D A medula óssea contém células-tronco capazes de gerar as hemácias, os leucócitos e as plaquetas. A radiação debilitou o sistema imunitário, pois destruiu as células-tronco da medula, impedindo a produção de glóbulos brancos, em um quadro semelhante ao desencadeado pela leucemia (câncer na medula óssea). d) A medula citada no texto é a óssea, responsável pela produção de células sanguíneas, inclusive os glóbulos brancos. E o acidente gerou um quadro parecido com a leucemia. e) A medula citada é a medula da adrenal, responsável pela produção de corticoides, que deprimem o sistema imunitário, gerando um quadro semelhante à aids. ENEM – BIOLOGIA M.17

58 X SAIR QUESTÕES ENEM Elaboração: Fábio Levi Revisão técnica: Roberta Bueno Revisão: Lara Milani (coord.), Alexandre Sansone, André Annes Araujo, Débora Baroudi, Fabio Pagotto, Flávia Yacubian, Greice Furini, Luiza Delamare, Maria Fernanda Neves, Renata Tavares, Valéria C. Borsanelli Diagramação: Adailton Brito de Souza, Gustavo Sanches, Keila Grandis, Marlene Moreno, Valdei Prazeres, Vicente Valenti © 2009, Grupo Santillana/Sistema UNO Uso permitido apenas em escolas filiadas ao Sistema UNO Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, arquivada ou transmitida, de qualquer forma, em qualquer mídia, seja eletrônica, química, mecânica, óptica, de gravação ou de fotocópia, fora do âmbito das escolas do Sistema UNO. A violação dos direitos mencionados constitui delito contra a propriedade intelectual e os direitos de edição. GRUPO SANTILLANA Rua Padre Adelino, 758 – Belenzinho São Paulo SP – Brasil – CEP Vendas e Atendimento: Tel.: (11) Fax: (11) FIM


Carregar ppt "NUTRIÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA BIOLOGIA M.17 PALAVRA Multimídia X SAIR Abertura: Nosso corpo é formado por cerca de dez trilhões de células vivas... Capítulo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google