A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tendências alimentares para controle da hidrolipodistrofia Dra. Fernanda Machado Soares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tendências alimentares para controle da hidrolipodistrofia Dra. Fernanda Machado Soares."— Transcrição da apresentação:

1 Tendências alimentares para controle da hidrolipodistrofia Dra. Fernanda Machado Soares

2 ETIOLOGIA: Hidrofilia excessiva da matriz extracelular, resultando em alterações primárias e microcirculatórias no tecido adiposo (Alquier & Pavot);

3 EPIDEMIOLOGIA Afeta a 80% a 90% das mulheres pós adolescência; 41% dizem que a sua diminuição aumenta o auto-estima; O controle do peso não esta relacionado com a incidência da celulite; Hábitos de exercício não são decisivos; A dieta pode ser um fator importante;

4 MATRIZ EXTRACELULAR PROTEOGLICANAS = POLISSACARIDEOS LIGADOS À PROTEÍNA 10% DA MATÉRIA GEL HIDRATADO POROSO (HIDROFILICO) RESISTÊNCIA A COMPRESSÃO 95% DA PROTEOGLICANA É CONSTITUÍDA DE CARBOIDRATO, SENDO 60% AÇÚCAR. GLICOPROTEÍNAS = COLÁGENO + ELASTINA 90% DA MATÉRIA ESTRUTURA PARCIALMENTE HIDROFÓBICA RESISTÊNCIA A TENSÃO PROTEÍNAS FIBROSAS E ESTRUTURAIS.

5

6 PROCESSO INFLAMATÓRIO GORDURA, ESTROGÊNIO, INSULINA E PROLACTINA HIPERTROFIA E HIPERPLASIA DOS ADIPÓCITOS ESTRESSE OXIDATIVO ACÚMULO DE GLICOSE NO TECIDO ADIPOSO AUMENTO DA PRODUÇÃO DE RADICAIS SUPERÓXIDO NA MITOCONDRIA AUMENTO DE ADIPOCINAS INFLAMATÓRIAS

7 PROCESSO INFLAMATÓRIO ADIPOCINAS INFLAMATÓRIAS AUMENTO DA PRESSÃO CAPILAR REDUÇÃO DO FLUXO LINFÁTICO RETENÇÃO DE FLUIDOS (EDEMA INTERCELULAR) ACOMODAÇÃO DE FIBROBLASTOS E REMODELAÇÃO DA MATRIX EXTRACELULAR

8 Fisiopatogenia Hiperpolimerização das macromoléculas da substância fundamental amorfa (SFA), aumento das toxinas nos líquidos intersticiais, prejuízo da circulação sanguínea e linfática.

9 CLASSIFICAÇÃO CLÍNICA

10 Fase inicial Tecido normal sem alterações. Fase edematosa Tecido conjuntivo imerso nos líquidos intersticiais – dilatação de pequenos vasos. Fase de polimerização Paredes capilares deixam passar líquido (contendo mucopolissacarídeos e electrólitos), para o tecido cutâneo, impedindo o seu funcionamento; Mucopolissacarídeos (substância fundamental) polimerizam-se => um aumento da viscosidade do meio => retenção de água e compressão de terminações nervosas e estruturas circulatórias; Tecido conjuntivo mais espesso (consistência gelatinosa e densa); Fase fibrosa Estruturas vasculares nervosas comprimem-se, formando uma barreira que impede o funcionamento dos intercâmbios vitais, provocando uma diminuição de colágeno e aumentando a presença de fibrina; Trabéculas fibrosas fecham a hipoderme em múltiplos alvéolos, onde são aprisionados os adipócitos; Fase esclerótica Tecido conjuntivo cada vez mais espesso e hermético – esclerose progressiva.

11

12 PROFILAXIA COM SUPLEMENTAÇÃO NUTRICIONAL DIURÉTICOS ANTI-INFLAMATÓRIOS NATURAIS FLAVONÓIDES PROTEÍNAS E ÁCIDOS GRAXOS POLISSACARÍDEOS MUSSILAGINOSOS CHOCOLATE SACIANTE

13 DIURÉTICOS NATURAIS Mecanismo de ação dos diuréticos osmóticos. A presença na luz do túbulo proximal renal de um soluto impermeante (representado pelos pontos vermelhos) retém água e dilui o sódio e demais eletrólitos, fazendo com que haja um vazamento de água e solutos através dos espaços intercelulares do interstício para a luz tubular. JILÓ ABÓBORA AGRIÃO DENTE DE LEÃO ÁGUA DE COCO MAÇÃ ABACAXI MELANCIA MELÃO CAPIM CIDREIRA CARQUEJA CAVALINHA CHAPÉU DE COURO ERVA DOCE (FUNCHO) QUEBRA-PEDRA

14 DIURÉTICOS NATURAIS Capim-cidreira Chá das folhas (30 g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia, adoçado com adoçante estévia. Carqueja Chá das folhas (30 g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia. Cavalinha Chá das folhas (30 g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia, adoçado com adoçante estévia. Chapéu-de-couro Chá das folhas (30 g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia, adoçado com adoçante estévia. Erva-doce (funcho) Chá das folhas e sementes (30 g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia, adoçado com adoçante estévia. Quebra-pedra Chá das folhas e raízes (50 g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia.

15 CHÁ DIURÉTICO EMAGRECEDOR CASCA DE ABACAXI E JILÓ 1L DE ÁGUA CASCA DE 1 ABACAXI 7 JILÓS FATIADOS Ferver a casca de abacaxi lavada com os jilós por 15 minutos. Coar. Resfriar. Beber 1 copo em jejum pela manhã e 4 ao longo do dia.

16 ANTI-INFLAMATÓRIOS NATURAIS OMEGA 3 ALICINA PRÓPOLIS ZINCO CÁLCIO MAGNÉSIO SILICIO VITAMINA A VITAMINA B1 E B6 VITAMINA C VITAMINA E

17 FLAVONÓIDES VITIS VINIFERAVITIS VINIFERA FITOSTEROLFITOSTEROL LICOPENOLICOPENO QUERCETINAQUERCETINA BAICALEÍNABAICALEÍNA RUTINARUTINA Promovem a inibição da enzima fosfolipase (responsável pela hidrólise de fosfolipídeos da membrana celular) impedindo a formação de mediadores inflamatórios (leucotrienos e prostaglandinas).

18 PROTEÍNAS E ÁCIDOS GRAXOS COLÁGENO HIDROLISADO GLUTAMINA CLA

19 POLISSACARÍDEOS MUSSILAGINOSOS RAÇÃO HUMANA

20 CHOCOLATE SACIANTE Distribuição:

21 Obrigada!


Carregar ppt "Tendências alimentares para controle da hidrolipodistrofia Dra. Fernanda Machado Soares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google