A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ginástica Geral Prof. Dra. Bruna Oneda 2013

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ginástica Geral Prof. Dra. Bruna Oneda 2013"— Transcrição da apresentação:

1 Ginástica Geral Prof. Dra. Bruna Oneda 2013

2 Ginástica Geral (GG) Federação Internacional de Ginástica Compreende um vasto leque de atividades físicas, nas quais acontecem manifestações gímnicas e/ou culturais. A GG engloba os tipos de ginástica de competição (Ginástica Artística, Ginástica Ritmica Desportiva, Ginástica Aeróbica), a Dança, atividades acrobáticas com e sem aparelhos e também as expressões folclóricas, sem fins competitivos, destinados a todas as idades, acrescentando ainda que ela desenvolve a condição física e a integração social. A GG também contribui para o bem estar físico e psíquico, sendo um fator cultural e social

3 Ginástica Geral

4 O termo GG foi proposto pela FIG no final da década de 1970 e início de 1980, para se referir as atividades da ginástica fora da competição, ou seja, para distinguir os esportes ginásticos do universo não competitivo da ginástica. Em 1984 o termo foi oficializado pelo Comitê de Ginástica Geral (CTGG) da FIG, durante o congresso da FIG nos Jogos Olímpicos de Los Angeles.

5 A concepção da GG da FIG A GG compreende a esfera de ginástica orientada para o lazer e engloba programas de atividades no campo da ginástica (com e sem aparelhos), dança e jogos, conforme as preferências nacionais e culturais. Eventos e competições também podem fazer parte da GG. 3 Grupos de atividades são exemplificados para mostrar sua diversidade: 1) Ginástica e dança: ginástica rítmica, ginástica jazz, aeróbica, condicionamento físico, ballet, dança moderna, dança teatro, folclore; 2) Exercícios com aparelhos: ginástica com e sobre aparelhos, trampolim, trumbling, acrobacias, rodas ginásticas; 3) Jogos: jogos sociais, jogos esportivos, jogos de condicionamento físico, pequenos jogos, jogos de recreação

6 Ginástica Geral... em primeiro lugar uma atividade regular dentro de um contexto de entusiasmo e de jogo, e a participação é, sobretudo, determinada pelo prazer de praticar Objetivos: favorecer a saúde, a condição física e a integração social e despertar o interesse pessoal pela prática de atividades físicas, contribuindo para o bem- estar físico e psicológico de seus praticantes. Além disso, a GG deve oferecer experiências estéticas de movimento aos participantes e aos espectadores Federétion, 1993

7 Ginástica Geral Um de seus compromissos fundamentais é oferecer um vasto campo de atividades para um grande numero de pessoas, proporcionando variedade, diversão e a oportunidade de ser criativo (Federétion, 1993) Na GG não há restrições a regras e as pessoas não são classificadas em melhores e piores, como no esporte de alto nível, mas sim em diferentes. A GG tem um contexto mais educacional e de participação (Prof. Carlos Roberto Alcântara).

8 Paralelo entre GG e ginástica de competição Ginástica GeralGinásticas de Competição Abrangente: ilimitado número de participantes Não existem regras rígidas preestabelecidas Caminha no sentido da ampliação Comparação informal: Não há vencedores ou todos são vencedores Objetiva sobretudo o prazer Seletivas: limitado numero de participantes Regras rígidas preestabelecidas Caminham para a especialização Comparação formal, classificatória e definida por pontos: busca-se um vencedor Objetivam sobretudo, o vencer Ayoub, E. Ginástica Geral e educação física escolar, 2007

9 Ginástica Geral no Contexto Escolar A GG pode proporcionar, além do divertimento e satisfação provocada pela própria atividade (na medida em que busca o resgate do núcleo primordial da ginástica – o divertimento), o desenvolvimento da criatividade, da ludicidade e da participação, a apreensão pelos alunos das inúmeras interpretações da ginástica, e a busca de novos significados e possibilidades de expressão gímnica Ayoub, 2003

10 Ginástica Geral no Contexto Escolar Aprender GG na escola significa estudar, vivenciar, conhecer, compreender, perceber, confrontar, interpretar, problematizar, compartilhar, aprender as inúmeras interpretações da ginástica para, com base nesse aprendizado, buscar novos significados e criar novas possibilidades de expressão gimnica. Com a GG podemos reconstruir a ginástica na educação física escolar numa perspectiva de confronto e síntese e, também, numa perspectiva lúdica, criativa e participativa Ayoub, 2003

11 Ementa Estudo das movimentações das diversas modalidades de ginástica: artística, rítmica, aeróbica, acrobática e das expressões folclóricas nacionais, de forma a democratizar a prática da ginástica geral a partir das possibilidades e limitações de grupos específicos

12 Justificativa É necessária a promoção de debates e enfretamentos de questões que possam dar subsídios para a prática pedagógica na disciplina de ginástica; Fornecer requisitos que o auxiliem na compreensão da realidade a partir do processo histórico do movimento ginástico e suas práticas sociais; Debater a importância das manifestações gímnicas e culturais na contemporaneidade.

13 Objetivo Geral Fornecer aos discentes condições para a compreensão do universo das manifestações gímnicas e culturais, bem como para organizar, e saber aplicar o conhecimento em intervenções pedagógicas na educação.

14 Objetivos Específicos Os discentes deverão ser capazes de: Produzir um programa de ginástica alicerçado em bases teóricas bem estruturadas; Exercer a crítica com autonomia e recursos argumentativos convincentes sobre qualquer programa ou projeto político educacional em ginástica; Estabelecer uma ação didático-pedagógica que corrobore com os ideais planejados

15 Contexto histórico no qual os conhecimentos da cultura gímnica se produziram; Processo histórico da ginástica e suas diferentes concepções de ensino; Relações sobre a idéia de corpo e ginástica no mundo moderno e contemporâneo; Diferentes modelos de ginástica e expressões culturais Conceitos a serem apreendidos:

16 Habilidades a serem desenvolvidas : Relacionar os conhecimentos adquiridos em ginástica à prática pedagógica; Realizar trabalhos individuais e coletivos visando uma produção cultural no seu espaço de trabalho; Reconhecer e aplicar conceitos nas várias linguagens gímnicas; Relacionar a ginástica com outras áreas do conhecimento humano; Elaborar projetos, pesquisas e programas em ginástica geral.

17 Atitudes a serem estimuladas: Valorizar a pesquisa como fonte de aquisição de conhecimento; Valorizar o conhecimento como instrumento de transformação social; Ser crítico nas condutas pessoais e profissionais

18 Conteúdos Unidade 1 – Ginástica: Origens, características e suas possibilidades Apspectos históricos da ginástica e ginástica geral; Ginástica na antiguidade; Escolas e modelos ginásticos: Método Francês, Alemão, Sueco e Dinamarquês; Modelos ginásticos contemporâneos Unidade 2 – Conteúdos da Ginástica Geral e sua aplicabilidade Ginástica artística Ginástica ritmica Ginástica acrobática Danças populares e folclóricas Unidade 3: Planejamento de programas e projetos de ensino em ginástica; Princípios norteadores para o desenvolvimento de uma proposta de ginástica geral na educação física Festivais de ginástica geral

19 Avaliação da aprendizagem A composição das notas será feita através de: 1ºBimestre: Seminário 1 valor: 8,0 (parte teórica 3,0 parte prática: 5,0) Participação valor 2,0 Prova valor: 10 2ºBimestre: Seminário 2 GG: 8,0 (parte teórica: 3,0 parte prática 5,0) Participação nas aulas: Valor 2,0 Apresentação no festival: 10,0 A não participação no festival implica na realização de exame.

20 Seminário 1 Cada grupo deverá apresentar um artigo científico sobre GG. Os seminários deverão ter duração de 10 a 15 minutos e o conteúdo

21 Seminário 2 Cada grupo deverá entregar um plano de aula contendo aquecimento, parte principal e volta a calma. O grupo irá apresentar uma ou mais atividades práticas para o restante da turma que componha a parte principal do plano de aula. A (s) atividade(s) deverão ter duração de 15 a 20 minutos e o conteúdo da (s) mesmas será sorteado entre os grupos (GA, GR, ginástica aeróbica e ginástica acrobática)

22 Festival Cada grupo (mínimo 6 participantes) deverá elaborar e apresentar uma coreografia. Tempo mínimo: 3 minutos Abranger todas as modalidades ginásticas trabalhadas no semestre Tema e Música: deverão ser entregues 15 dias antes do festival

23 Bibliografia Básica CORTEZ, Gustavo Pereira. Dança, Brasil: Festas e Danças Populares. Belo Horizonte: Leitura, LOBAN, Rudolf. Dança Educativa Moderna. São Paulo: Ícone, RODWELL, Peter. Ginástica Acrobática para desenvolver o físico: exercícios de agilidade, suspensão e saltos. Rio de Janeiro: Ediouro, 1990.

24 Bibliografia Complementar CONCEIÇÃO, Ricardo Batista. Ginástica escolar. Rio de Janeiro: Sprint, PAVLOVIC. Ginástica aeróbica: Uma nova cultura física. Rio de Janeiro: Sprint, VIEIRA, Ester de Azevedo. Ginástica Ritmica Desportiva. 3. ed. São Paulo: Ibras, AYOUB, Eliana. Ginástica Geral e Educação física escolar. 2. ed:Campinas: Editora da Unicamp, BREGOLATO, Roseli Aparecida. Cultura Corporal da Ginástica. 3 ed. São Paulo: Ícone Editora, 2008.

25 Caminho para acessar a matéria Blog da professora Para alunos Ginástica Geral Senha: univap

26


Carregar ppt "Ginástica Geral Prof. Dra. Bruna Oneda 2013"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google