A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXAME FÍSICO DOS PÉS Introdução a Podologia II TÉCNICO EM PODOLOGIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXAME FÍSICO DOS PÉS Introdução a Podologia II TÉCNICO EM PODOLOGIA."— Transcrição da apresentação:

1 EXAME FÍSICO DOS PÉS Introdução a Podologia II TÉCNICO EM PODOLOGIA

2 Anatomia dos pés OSSOS O pé humano é composto de 26 ossos assim distribuídos: sete ossos do tarso (tálus, calcâneo, cubóide e os três cuneiformes); cinco ossos do metatarso; 14 falanges (três para cada um dos dedos, exceto para o hálux, que tem apenas duas).

3 LIGAMENTOS E ARTICULAÇÕES Os ossos são mantidos unidos através dos ligamentos, que são em se totalizam em um número de 107, formando as articulações. No pé, as articulações são em número de 33. Anatomia dos pés

4 MÚSCULOS Os movimentos do pé são realizados pelos músculos. Os músculos são classificados em extrínsecos e intrínsecos. Os músculos extrínsecos possuem origem abaixo do joelho e inserção no pé, e realizam os movimentos do tornozelo como dorsiflexão, a plantiflexão, a inversão e eversão, além de atuarem na movimentação dos artelhos (dedos). Os músculos intrínsecos são representados pelos que se originam abaixo da articulação do tornozelo, podendo situar-se no dorso ou na planta do pé, estes músculos realizam a movimentação dos artelhos. Anatomia dos pés

5

6 CIRCULAÇÃO O sangue que irriga os pés percorre uma longa rota arterial. Após suprir a região com oxigênio e nutrientes, ele volta por veias ao coração, levando produtos residuais. O suprimento arterial do pé é fornecido principalmente pela artéria tibial posterior e tibial anterior. Anatomia dos pés

7 MOVIMENTOS DO TORNOZELO E PÉ Dorsiflexão é o movimento de aproximação do dorso do pé à parte anterior da perna. A amplitude desse movimento é em torno de 20°. Os músculos que atuam neste movimento são o tibial anterior, o extensor longo dos dedos e o fibular terceiro. Plantiflexão consiste em abaixar o pé procurando alinhá-lo em maior eixo com a perna, elevando o calcanhar do chão. A amplitude média desse movimento é de 50°. Esse movimento é realizado principalmente pelos músculos sóleo e gastrocnêmios.

8 Inversão ocorre quando a borda medial do pé dirige-se em direção a parte medial da perna. A amplitude máxima deste movimento é de 20°. Realizado principalmente pelo músculo tibial posterior, e auxiliado pelos músculos gastrocnêmios, sóleo e flexor longo dos dedos. Eversão ocorre quando a borda lateral do pé dirige-se em direção a parte lateral da perna. A amplitude máxima é de 5°. Realizado principalmente pelos músculos fibular curto e longo, auxiliado pelos músculos extensor longo dos dedos e fibular terceiro. MOVIMENTOS DO TORNOZELO E PÉ

9 Abdução é o movimento que ocorre no plano transverso, com os artelhos apontando para fora. A adução consiste no movimento oposto, de apontar os artelhos para dentro. MOVIMENTOS DO TORNOZELO E PÉ

10 EXAME FÍSICO DOS PÉS

11 Inicia-se com a Anamnese ou História do paciente; E em seguida faz-se a avaliação clínica; EXAME FÍSICO DOS PÉS

12 MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DOS PÉS NO EF INSPEÇÃO: é a observação do cliente; PALPAÇÃO: é a exploração por meio do tato e da pressão;

13 INSPEÇÃO Inspeção deve incluir a investigação minuciosa de vesículas, descolorações, escaras, trofismo de pele, edemas, traumas, problemas cardíacos, linfáticos, etc. Compara-se cada área bilateralmente, observando-se o trofismo muscular e o contorno da anatomia local; Inspecione a aparência externa do sapato e do pé. Avaliar o contorno e a forma geral do pé; Verificar alteração vasomotora, incluindo perda de pêlos no pé, alterações nas unhas do pé.

14 Vista anterior em pé

15 Vista Lateral em pé

16 Vista posterior em pé

17 Tipos de pés

18 PALPAÇÃO Diferença de tensão e textura dos tecidos; Diferença na espessura dos tecidos, edemas intracapsular ou extracapsular; Observar textura da pele e das unhas; Anormalidades ou deformidades; Dor à palpação; Variações de temperatura; Pulsos, tremores, fasciculações; Ressecamento ou umidade excessiva; Sensibilidade anormal. Lesões;

19 HEPATITES As hepatites virais são doenças provocadas por diferentes agentes etiológicos que têm preferência pelo tecido hepático (vírus A, B, C, D, E). Sua importância é grande pelo número de pessoas atingidas e pela possibilidade de complicações das formas agudas (insuficiência hepática) e crônicas (cirrose e câncer de fígado). Os sintomas podem não estar presentes como nas hepatites B, C e D ou as pessoas podem apresentar cansaço, fadiga, dor no abdome direito, icterícia, colúria (urina cor de coca-cola) e acolia fecal (fezes esbranquiçadas).

20 HEPATITES A e E: fecal-oral, água e alimentos contaminados; B, C e D: via sanguínea e secreções;

21 HEPATITE B A hepatite B é transmitida principalmente por via sexual e; parenteral: instrumentos para uso de drogas injetáveis; inaláveis; lâminas de barbear e depilar, escovas de dentes, alicates de unha, material para colocação de piercing e tatuagens; acidentes por exposição a material biológico e procedimentos cirúrgicos, odontológicos e hemodiálise que não aplicam as normas de biossegurança; vertical (da mãe para o filho); domiciliar (pessoas que moram na mesma casa de um portador de hepatite B). A medida mais eficaz de prevenção da infecção é a vacinação contra a hepatite B e o uso de preservativo.

22 PROBLEMAS DOS PÉS Entorse do Tornozelo Fraturas do Pé Esporões do Calcâneo Doença de Sever Bursite Posterior do Tendão de Aquiles Bursite Anterior do Tendão de Aquiles Neuralgia Tibial Posterior Dor na Superfície Plantar do Antepé Lesão Nervosa Dor nas Articulações dos Dedos do Pé Unha Encravada Onicomicose Alteração da Cor das Unhas Joanete Pé Diabético Conteúdos a serem trabalhados em outros encontros...

23 Joanetes

24 Unha encravada

25 Onicomicose

26 Pé diabético

27

28

29 Referências Magee DJ. Perna, Tornozelo e Pé In: Magee, DJ, editor. Disfunção Musculoesquelética. 3 ed. São Paulo: Manole; p Palmer, LM.; Epler, ME. Tornozelo e Pé: In: Palmer, LM.; Epler, ME. Fundamentos das Técnicas de Avaliação Musculoesquelética. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; p DRAKE, Richard L; VOGL, Wayne; MITCHELL, Adam W. M. Gray: anatomia para estudantes. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

30


Carregar ppt "EXAME FÍSICO DOS PÉS Introdução a Podologia II TÉCNICO EM PODOLOGIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google