A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

17 e 18 de novembro de 2011 Seminário Institucional de Avaliação e Planejamento da Pós-graduação da UFSM Programa de Pós-graduação em Física Conceito na.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "17 e 18 de novembro de 2011 Seminário Institucional de Avaliação e Planejamento da Pós-graduação da UFSM Programa de Pós-graduação em Física Conceito na."— Transcrição da apresentação:

1 17 e 18 de novembro de 2011 Seminário Institucional de Avaliação e Planejamento da Pós-graduação da UFSM Programa de Pós-graduação em Física Conceito na Capes: 4 Início do Curso:  Mestrado: 1994  Doutorado: 1999 Apresentador(a): Prof. Rogério J. Baierle Centro de Ciências Naturais e Exatas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COMITÊ ASSESSOR DA PRPGP

2 UFSM Pontos fortes do Programa  Inserção Social: Nossos alunos são originários de uma grande área do Território Nacional  Inserção Social: Nossos egressos atuam em diferentes Universidades e Institutos Federais de Ensino Tecnológico localizados em uma grande área do Território Nacional.  Todos (praticamente) os alunos possuem bolsa e dedicação integral ao curso  Temos boas publicações com a participação de discentes  Projetos de Pesquisa (PROCAD et al) incluem discentes que fazem estágio em centros de pesquisa já consolidados

3 UFSM Pontos fracos do Programa  Grande renovação do quadro de docentes no ano de 2010  Perda de docentes para centros de pesquisa consolidados  Falta de espaço físico para novos laboratórios  Grande número de publicações concentra-se na parte teórica.  Linhas de pesquisa não muito bem definidas  Número de publicações por docente não é muito alto  Número de publicação em Qualis A não é baixo

4 UFSM O PG-Física da UFSM é antigo. Até o momento já formou mais de 100 mestres e 40 doutores. Sua avaliação na última trienal foi nota 4. O PG-Física da uFSM não tem apresentado índices de crescimento compatíveis que justifiquem uma promoção de conceito. Foi ponderado pelo coordenador que existem grandes dificuldades em atrair pesquisadores. Por outro lado, foi ressaltado que em menos de 5 anos foram contratados 7 novos docentes. O programa se queixou do banco Qualis da física mencionando que inexistem revistas classificadas na linha de física atmosférica. O PG-Física da UFSM possui grande importância, do ponto de vista regional, funcionando como pólo aglutinador do interior do estado do RS. Foi evidenciado, na apresentação do coordenador, que a sua localização geográfica e a presença de programas, como o da UFRGS em Porto Alegre, geram algumas dificuldades como, por exemplo, atrair pesquisadores qualificados para atuar no programa, além de captação de recursos para pesquisa e a permanência no programa de docentes e discentes. Com relação a última avaliação o programa mostrou, em 2010, uma produção científica estável, uma melhor relação entre docentes teóricos (9) e experimentais (6) e uma diminuição da percentagem de docentes colaboradores. Apesar das metas atingidas, da importância e do reconhecimento a programas como este, a uFSM precisa manter e incentivar uma atitude propositiva e arrojada para atrair alunos e pesquisadores e captar recursos, melhorando o seu desempenho e, consequentemente a sua avaliação. Considerando o tamanho do programa, é necessária uma maior atenção ao planejamento através de metas explícitas, favorecendo a associação de linhas de pesquisa similares e a colaboração com programas mais consolidados. O incremento do número de bolsistas de produtividade no corpo docente é uma meta que se alcançada aumentará a produção científica. Relatório CAPES – 2011

5 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 1 PROPOSTA DO PROGRAMA MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças externas Prioridade 1 a 5 Inserir os novos docentes no programa Docentes jovens e com ânimo. Grande carga didática. Perda de docentes para outras IFES (Parcial) Aumentar a produção científica Corpo docente qualificado Corpo docente com pouca experiência Falta de estrutura Física (Parcial) Associação das linhas de pesquisa Reduzido numero de docentes. Concursos não dirigidos.Fim do REUNI Não Criação de novos e Expansão dos laboratórios atuais Novo prédio para o CCNE Novo prédio é somente uma proposta. Falta de financiamento Não

6 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 2 CORPO DOCENTE MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças Externas Prioridade 1 a 5 Manter os atuais docentes Produção regular Novos docentesCarga Didática Parcial Aumentar o número de docentes Novos concursos Concursos não dirigidos ao PG Física Fim do REUNI Parcial Aumentar a produção por docente Docentes Jovens. Carga DidáticaBaixa Experiência Parcial Mais docentes em áreas experimentais Baixa. Alto custo de construção de novos laboratórios Falta de espaço físico para a instalação de um novo laboratório Falta de financiamento para projetos de jovens doutores Sem êxito DP

7 UFSM Gervásio A. Degrazia 1A José Carlos Mombach2 Lucio Strazzabosco Dorneles2 Osvaldo L. L. de Moraes1C Otavio Costa Acevedo2 Paulo C. Piquini1C Rogério José Baierle2 Sérgio G. Magalhães2 Solange Binotto Fagan2 Docente Institui ç ão de Doutorado (ano) Categoria (habilita ç ão)Grupo (Te ó rico : Exp) Ana A. de OliveiraUFSCar (2008)Colaboradora ( M)Supercondutividade (Exp) D é bora Roberti UFSM (2006)Permanente (M e D) Fis. Atm. (Te ó rica) Eleonir CalegariUFSM (2006)Permanente (M e D) Mec. Estat í stica (Te ó rico) F á bio Zimmer UFSM (2007)Permanente (M e D) Mec. Estat í stica (Te ó rico) Gerv á sio Degrazia Alemanha (1988)Permanente (M e D) F í sica da Atmosfera (Te ó rico) L ú cio S. Dornelles UFSM (2003)Permanente (M e D)Magnetismo (Exp.) Luis F. SchelpUFRGS (1995)Permanente (M e D)Magnetismo (Exp.) Jos é C. Mombach UFRGS (1997)Permanente (M e D) Sist. Complexos (Te ó rico) Marcos A. CararaUFRGS (2001)Permanente (M e D)Magnetismo (Exp.) Marcus V. CopettiUFRGS (1988)Permanente (M e D) Astrof í sica (Exp.) ? Osvaldo L. MoraesUFRGS (1998)Permanente (M e D) F í sica da Atmosf é rica (Exp. e Te ó rico) ? Ot á vio C. Acevedo USA (2001)Permanente (M e D) F í sica da Atmosfera (Te ó rico) Paulo P. PiquiniiiUSP (1996)Permanente (M e D) Est. Eletrônica (Te ó rico) Rogemar A. RiffelllUFRGS (2008)Permanente (M) Astrof í sica (Exp.) ? Rog é rio J. Baierle USP (1997)Permanente (M e D) Est. Eletrônica (Te ó rico) Leandro B. da SilvaUFSM (2008)Permanente (M) Est. Eletronica (Te ó rico) Solange B. FaganUFSM (2003)Colaborador Est. Eletrônica (Te ó rico) Vagner AnaborUFSM (2008)Colaborador F í sica da Atmosfera (Exp.) ? Docentes Atuais (18)

8 UFSM GrupoN. Docentes (Perm. e Col.) N. Discentes (M e D) Teórico/Experimental Estrutura Eletrônica 3 Permanentes 1 Colaborador 8 – M 10 - D Teórico Magnetismo3 Permanentes 1 Colaborador 8 – M 7 - D Experimental Astrofísica2 Permanentes3 – M 4 – D Experimental e Teórico Mec. Est. E Sist. Fort. Correl. 3 Permanentes3 – M 4 – D Teórico Física da Atmosfera 4 Permanentes 1 Colaborador 2 – M 14 – D Teórico e Experimental Total15 Perm. 3 Colab. 24 M 39 D (M+D)/Doc=3,5 Distribuição Docente e Discente por área

9 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 3ATIVIDADES DE PESQUISA MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças externas Prioridade 1 a 5 Aprovar maior número de projetos dos Pesq. do PG Física Verba DisponívelConceito 4 – Não lidera CT- INFRA Concentração de verbas no NE e grupos consolidados 1 Parceria com outras PGs da UFSM Vontade RecíprocaNenhuma 2 Parceria com PGs de outras Instituições Vontade Recíproca NenhumaConcentração dos Recursos Número de projetos de pesquisa Física Atmosférica: Possui Recursos (Meteorologia) ; Parte Computacional: PRONEX – Pró-Equip. CT-INFRA Magnetismo e Supercondutividade: Parcerias Exter Astrofísica: Parcerias externas Aumento CT- INFRA 2011 Cluster Computacional (200 mil) AFM – 330 mil

10 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 4 - PRODUÇÃO INTELECTUAL MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças Externas Prioridade 1 a 5 Aumentar o número de publicações. Corpo docente qualificado. 1-Carga Didática 3- Falta de Incentivo 1- Carga Didática 2-Falta de Financiamento 1 Patente (s)BaixaFalta de incentivo Falta de financiamento Trabalhos completos em periódicos estável 40 papers (?)

11 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 5 ATIVIDADES DE FORMAÇÃO Capacidade de formação MESTRADO  Número de discentes matriculados em cada ano  Número de titulados em cada ano 7888 DOUTORADO  Número de discentes matriculados em cada ano  Número de titulados em cada ano 6676 MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças externas Prioridade 1 a 5 Aumentar o número de discentes assalariados Parcerias com outras IFES e IFETs NenhumaCarga Didática dos Discentes Sem êxito Aumentar o número de discentes não assalariados Novos cursos de Graduação Curso de Física da UFSM forma poucos alunos Novos programas de pós graduação em Física Sem êxito

12 UFSM

13 UFSM Concentrado em B1 Problema: Classificação de Qualis C na Física, porém em áreas similares B1 ou superior.

14 UFSM Requisito para o doutorado: 1- Aprovado no exame de defesa de tese 2- Quatro cópias definitivas do exemplar de tese 3- Dois artigos redigidos. Um dos artigos deve estar aceito ou publicado em um periódico com parâmetro de impacto igual ou superior a um (1.0). Cerca de 50 % dos Recursos do PROAP são destinados a incentivar os alunos em Congressos e similares

15 UFSM

16 UFSM EIXO 6 DESTINO DOS MESTRES E DOUTORES EGRESSOS Situação dos egressosMestresDoutores Total de egressos10040 Porcentual de egressos como professores universitários, IFETs ou pesquisadores em institutos de pesquisa ou semelhantes 50 % 80 % Porcentual de egressos que participam em Programas de PG 20 % 30 % Demais destinos relevantes dos egressosEscola Média. Pós Doutorado.

17 UFSM EIXO 7 ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO SATISFAÇÃO INTERNA  Alguns professores insatisfeitos com a UFSM em geral deixaram a instituição e foram para outras instituições  Alguns (poucos) alunos ao terminarem IC ou mestrado vão para outras PG consolidadas  Número restritos de áreas faz com que alguns alunos procurem outros programas de PG  Professores do programa se queixam que não tem redução de carga didática devido ao fato de trabalharem na PG  Alunos se queixam da falta de espaço físico: mesa e local para estudarem.  Professores se queixam da falta de espaço físico dos laboratórios.

18 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 8 INFRA-ESTRUTURA MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças externas Prioridade 1 a 5 Construção de um prédio do CCNE para as PGs UFSM tem conseguido recursos. Salas de aula e parte administrativa Fim do REUNI. Falta de financiamento Sem êxito Construção de novos laboratórios junto aos prédios obtidos com recursos da CT- INFRA. Projetos aprovados com participação da PG Física Redistribuição do espaço físico entre as PGs Falta de Recursos para Prédios Novos Sem êxito Ampliação dos laboratórios atuais Construção de novos prédios Falta de espaço físico no prédio 13 do CCNE Falta de financiamento para a ampliação da infra-estrutura do CCNE Sem êxito

19 UFSM METAS RELATIVAS AO EIXO 9 - INSERÇÃO SOCIAL MetaViabilidadeAmeaças internas Ameaças externas Prioridade 1 a 5 Parceria com os IFETs Novos Campus para os IFETs Nenhuma Carga didática dos Professores dos IFETS dificulta a liberação para a PG Sem êxito Parcerias com instituições Internacionais Projeto de Pesquisas aprovados Não existe a aceitação direta da UFSM Bolsa de estudo Êxito Parcial Parcerias com as escolas de ensino médio Financiamento para formação continuada de professores Nenhuma Carga Didática dos professores Sem êxito

20 UFSM CONSOLIDAÇÃO DOS 9 EIXOS  Inserir os novos docentes na PG Física: Manter o número e nível das Publicações e Conseguirem orientar de forma adequada: Êxito Parcial  Aumentar o número de publicações internacionais e com preferência para Qualis A1, A2 ou B1: Êxito Parcial  Construção de Novos Laboratórios : Sem Êxito  Ampliação do Laboratórios Atuais – Sem Êxito  Aprovação de Projetos de Pesquisa – Êxito Obtido (Não Integral) PRINCIPAIS METAS  Aumentar o conceito do PG Física: Conceito 5 – Consolidação !!!

21 UFSM  Aprovação de Projetos de Pesquisa – Êxito Obtido (Não Integral): 1- Cluster Computacional – (Cálculos mais precisos) 2 - Melhoria do Sistema de Deposição de Filmes (Melhores amostras) 3- Microscópio de força Atômica (AFM) – Melhor Imagens Altos campos e baixas temperaturas SEM CRIOGENIA Objetivo Imediato

22 UFSM Criogenia USP

23 UFSM Coordenador: Rogério J. Baierle Coordenador Subst. Lúcio D. Strazabosco Maiores informações:  Aumentar o conceito do PG Física: Conceito 5 – Consolidação !!! É Possível ? (Futuro)


Carregar ppt "17 e 18 de novembro de 2011 Seminário Institucional de Avaliação e Planejamento da Pós-graduação da UFSM Programa de Pós-graduação em Física Conceito na."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google