A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REVISÃO Instituições Educativas e Saúde Romina Carla Pucci.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REVISÃO Instituições Educativas e Saúde Romina Carla Pucci."— Transcrição da apresentação:

1 REVISÃO Instituições Educativas e Saúde Romina Carla Pucci

2 Saúde Mental

3 NORMAL OU PATOLOGICO?? NORMAL: CONFORME A REGRA, REGULAR, COMUM (LAROUSSE) A NORMALIDADE SÓ PODE SER EM RELAÇÃO A... VOCÊ ESTÁ BEM NA SUA PELE?? Saúde Mental

4 FAMILIA ESCOLAHOSPITAL SOCIEDADE

5 Saúde Mental Ser normal é o pilar sobre o qual repousa a estrutura social. Sem ele a sociedade estaria ameaçada (...) Seu epitáfio: Nasceu homem e morreu encanador. Mas cuidado! Nós também corremos o risco de morrermos meros analistas. Este destino espreita a todos. O analista que se acreditar normal, atribuindo-se assim o direito de preconizar normas a seus analisandos, poderá tornar-se altamente tóxico para eles. Como dizia Freud: ninguém conduzirá seus analisandos mais além do exercício de sua própria capacidade de questionar- se. (pg 182)

6 Saúde Mental Antiguidade: loucura era vista como algo sobrenatural/ contato direto com Deus Idade Média: Delimitação nítida dos espaços onde eram excluídos aqueles que não se adaptavam às normas da sociedade. Fora dos muros os loucos, leprosos e os fora da norma. Dentro os razoáveis, os civilizados

7 Saúde Mental

8 1) Loucos colocados à margem da sociedade (custódia do Estado, sem qualquer finalidade curativa) 2) Pinel (1793) observa o comportamento dos loucos, sem violência e desconforto, loucura=doença/ separação entre mania e melancolia/ Tratamento com conteúdo moralizante. Médico: agente da ordem social, moral dominante.

9 Saúde Mental Década de 60: Franco Basaglia – Luta Antimanicomial Contracultura Antipsiquiatria Comunidades terapeuticas 1978 – Lei 180

10 Prevenção...

11 Atuação profissional que extrapola os limites do consultório e lida com a saúde mental – psico-higiene. Psicólogo: função social Evitar a doença e promover um melhor nível de saúde Diagnóstico precoce das doenças mentais, possibilitar não só uma taxa mais elevada de curas como a diminuição do sofrimento. Promoção não só da ausência de doenças, mas o desenvolvimento pleno do indivíduo e da comunidade. Psico-higiene: ir ao encontro das pessoas em suas ocupações e tarefas ordinárias e cotidianas, nos distintos níveis de organização, como instituições, grupos, comunidade e sociedade. Bleger (Psiquiatra e psicanalista argentino – )

12 Lapassade (Frances ) Propõe análise da instituição como uma forma de intervenção e um movimento crítico da instituição. Critica as relações instituidas e constitui um movimento paralelo de intervenção e teorização – relação dialética. PARA Provocar movimentos de quebra do que já está estabelecido para sair da mesmice, o que é fixo, instituido. Critica a instituição não em relação a eficácia, mas a sua natureza Compreende a realidade em 3 níveis: Grupo – base da vida cotidiana Organização – o equipamento material Instituição – a instituição propriamente dita Objetivo maior: AUTO GESTÃO DOS GRUPOS

13 Guillhon de Albuquerque Instituição: conjunto de práticas sociais, configuradas na apropriação de um objeto, um determinado tipo de relação social sobre o qual reivindica o monopólio, no limite com outras práticas. Escola – objeto – educação Atores instituicionais: pessoas que estão tendo práticas sociais em relação a um determinado objeto. Objeto Institucional – ex: educação (imaterial/ impalpável) Âmbito institucional Atores Institucionais - agentes institucionais (privilegiados, subordinados e pessoal) - mandante - clientela - público

14 INSTITUIÇÃO: ESCOLA

15 Pro dia nascer feliz

16 Escola Tradicional Homem é um papel em branco que vai sendo preenchido – passivo – receptivo - depositário O mundo é exterior ao indivíduo A escola visa manter o status quo Professor (detém o poder) autoritarismo Aluno (não é visto como um sujeito autônomo)

17 Escola Construtivista Homem: dotado de consciência, tem livre arbítrio, possui intenções, atribui significado às experiências e aos estímulos a partir de seus objetivos. S-O-R Indivíduo: ativo, aprende por si próprio a conquistar o conhecimento Os alunos não fazem o que bem entende e devem respeitar as regras feitas por eles mesmos. Professor é mediador entre o aluno e o conhecimento. Construção do conhecimento Avaliação: contínua O método é partir do conhecimento e vivência do aluno, oferecer uma situação problema, aguçar ou despertar a curiosidade do aluno

18 Escola Construtivista

19 Escola Humanista O professor cria meios para que o aluno por si próprio chegue ao seu objetivo. Indivíduo: é um vir-a-ser, não está acabado O aluno é o centro Democracia: os alunos são responsáveis pelos próprios atos Autonomia: Liberdade para aprender Objetivo: auto-realizarão Não existe prova, nem método: cada professor vai encontrar a sua forma pessoal de se colocar em sala de aula. Relações: EU-TU

20 Escola Humanista

21

22 Estátua de Davi - Firenze

23

24

25 Trecho: Sociedade dos poetas mortos

26 A utopia está no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia então? Serve para isso, para que eu não deixe de caminhar...


Carregar ppt "REVISÃO Instituições Educativas e Saúde Romina Carla Pucci."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google