A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EDUCAÇÃO ESPECIAL: HISTÓRIA, ETIOLOGIA, CONCEITOS E LEGISLAÇÃO VIGENTE Profª Elisandra André Maranhe Profª Olga Maria P. Rolim Rodrigues.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EDUCAÇÃO ESPECIAL: HISTÓRIA, ETIOLOGIA, CONCEITOS E LEGISLAÇÃO VIGENTE Profª Elisandra André Maranhe Profª Olga Maria P. Rolim Rodrigues."— Transcrição da apresentação:

1 EDUCAÇÃO ESPECIAL: HISTÓRIA, ETIOLOGIA, CONCEITOS E LEGISLAÇÃO VIGENTE Profª Elisandra André Maranhe Profª Olga Maria P. Rolim Rodrigues

2 UNIDADE I HISTÓRIA DO ATENDIMENTO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA

3 HISTÓRIA GERAL PRÉ-HISTÓRIA (CULTURA PRIMITIVA) Povo nômade que sobrevivia da caça e da pesca Indivíduo que não ajudava na caça e na pesca Era abandonado em ambientes perigosos

4 HISTÓRIA GERAL ANTIGUIDADE ESPARTA ATENAS PESSOAS COM DEF. FÍSICA OU MENTAL SUBUMANOS ELIMINADOS OU ABANDONADOS Ideais de perfeição

5 HISTÓRIA GERAL IDADE MÉDIA Eliminá-las ou abandoná-las ADVENTO DO CRISTIANISMO CONTRA OS DESÍGNIOS DE DEUS FILHAS DE DEUS ACOLHIDAS EM CONVENTOS E IGREJAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA GANHAM ALMA

6 HISTÓRIA GERAL IMAGENS RETRATADAS DA ÉPOCA CRIANÇAS COM ASPECTOS SINDRÔMICOS

7 HISTÓRIA GERAL SUGERIMOS: LER O LIVRO OU ASSISTIR O FILME O CORCUNDA DE NOTRE-DAME LIVRO FILME

8 SÉCULO XIII HISTÓRIA GERAL PRIMEIRA INSTITUIÇÃO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (COLÔNIA AGRÍCOLA NA BÉLGICA) IDADE MÉDIA ALIMENTAÇÃO, EXERCÍCIOS E AR PURO PARA MINIMIZAR OS EFEITOS DA DEFICIÊNCIA Tratamento

9 SÉCULO XIV HISTÓRIA GERAL PRIMEIRA LEGISLAÇÃO IDADE MÉDIA CUIDADOS COM A SOBREVIVÊNCIA E COM OS BENS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA MENTAL RESPONSÁVEL: O REI (COMO FORMA DE PAGAMENTO)

10 HISTÓRIA GERAL PRIMEIRA LEGISLAÇÃO IDADE MÉDIA PESSOA COM DEFICIÊNCIA MENTAL X PESSOA COM DOENÇA MENTAL LOUCA NATURAL (IDIOTIA PERMANETE) LUNÁTICA (ALTERAÇÕES PSIQUIÁTRICAS TRANSITÓRIAS)

11 SÉCULO XVI HISTÓRIA GERAL PARACELSO (MÉDICO) IDADE MODERNA CARDANO (FILÓSOFO) DM PROBLEMA MÉDICO LOUCURA E IDIOTIA ENFERMIDADE OU PRODUTO DE INFORTÚNIOS NATURAIS NOVAS LEIS DM PROBLEMA MÉDICO PREOCUPAÇÃO COM A EDUCAÇÃO

12 SÉCULO XVI HISTÓRIA GERAL THOMAS WILLIS IDADE MODERNA POSTURA ORGANICISTA DA DM PRODUTO DE ESTRUTURA E EVENTOS NEURAIS

13 SÉCULO XVII HISTÓRIA GERAL JOHN LOCKE IDADE MODERNA RECÉM-NASCIDO IDIOTA TABULA RASA CARÊNCIA DE EXPERIÊNCIAS (ORIGEM NA CRENÇA DA EDUCABILIDADE) SUGERE-SE OS EVENTUAIS ATRASOS DE DESENVOLVIMENTO

14 SÉCULO XVIII HISTÓRIA GERAL FODÉRÉ IDADE CONTEMPORÂNEA TRATADO DO BÓCIO E DO CRETINISMO HEREDITARIEDADE DA DM (FATALISMO GENÉTICO DO CRETINISMO)

15 SÉCULO XIX HISTÓRIA GERAL ITARD IDADE CONTEMPORÂNEA VICTOR O SELVAGEM DE AVEYRON PRIMEIRO PROGRAMA SISTEMÁTICO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

16 SÉCULO XIX HISTÓRIA GERAL ITARD IDADE CONTEMPORÂNEA IDIOTIA = DEFICIÊNCIA BIOLÓGICA PINEL X IDIOTIA = INSUFICIÊNCIA CULTURAL PROBLEMA PERSISTENTE ATÉ HOJE AVALIAÇÃO

17 SÉCULO XIX HISTÓRIA GERAL IDADE CONTEMPORÂNEA IDIOTIA CRETINISMO ESQUIROL RESULTADO DE CARÊNCIAS INFANTIS OU CONDIÇÕES PRÉ E PERI-NATAIS PROBLEMÁTICAS AVALIAÇÃO POR RENDIMENTO ESCOLAR PEDAGOGO

18 SÉCULO XIX HISTÓRIA GERAL IDADE CONTEMPORÂNEA SÉGUIN SISTEMATIZOU A METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL PARA DIFERENTES TIPOS E NÍVEIS DE DEFICIÊNCIA E REFERENTES ÀS MAIS DIVERSAS ÁREAS DA VIDA DO EDUCANDO

19 SÉCULO XX HISTÓRIA GERAL IDADE CONTEMPORÂNEA J. H. PESTALLOZZI CRIAÇÃO DE SISTEMA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL COM MATERIAIS E JOGOS SÉCULO XIX FROEBEL ESCOLA PÚBLICA PARA TODAS CÇAS M. MONTESSORI BINET / SIMON SURGEM AS ESCOLAS MONTESSORIANAS PUBLICAÇÃO DE ESCALA MÉTRICA DE INTELIGÊNCIA

20 HISTÓRIA NO BRASIL DETERMINADA PELOS MESMOS COSTUMES E INFORMAÇÕES VINDAS DA EUROPA SÉCULO XVIII SALVADOR RIO DE JANEIRO RODA DE EXPOSTOS SÉCULO XIX SÃO PAULO

21 HISTÓRIA NO BRASIL BREVE HISTÓRICO 1874: 1ª INSTITUIÇÃO P/ DM - HOSPITAL JULIANO MOREIRA (BA) 1903: 1ª ESCOLA ESPECIAL P/ CÇAS ANORMAIS (P. BOURNEVILLE) (+ TARDE: PAVILHÃO PARA CÇAS – HOSPÍCIO JUQUERY) 1ª DÉCADA DE 1900: MOVIMENTO ESCOLA-NOVA – ENTRADA DA PSICOLOGIA NA EDUCAÇÃO (USO DE TESTES) DÉCADA DE 30: HELENA ANTIPOFF – CRIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE DIAGNÓSTICO E CLASSES ESPECIAIS 1960: CRESCIMENTO DAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS (APAEs) 1973: CRIAÇÃO DO CENTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL (CENESP)

22 HISTÓRIA NO BRASIL BREVE HISTÓRICO 1986: CRIAÇÃO DA COORDENADORIA NACIONAL PARA INTEGRAÇÃO DA PESSOA PORTADORA DE DEF. (CORDE) 1990: APROVADO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1996: LEI DAS DIRETRIZES E BASES – AJUSTA-SE À LEGISLAÇÃO FEDERAL, APONTANDO QUE A EDUCAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DEVE DAR-SE PREFERENCIALMENTE NA REDE REGULAR DE ENSINO 1998: MEC – ADAPTAÇÕES NOS PCNs 2001: PUBLICAÇÃO DAS DIRETRIZES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ESPECIAL NA EDUCAÇÃO BÁSICA

23 UNIDADE II CONCEITO DE DEFICIÊNCIA MENTAL

24 ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE IMPEDIMENTO DEFICIÊNCIA INCAPACIDADE PERDA OU ANORMALIDADE DAS FUNÇÕES OU DA ESTRUTURA ANATÔMICA, FISIOLÓGICA OU PSICOLÓGICA DO CORPO HUMANO RESTRIÇÃO OU PERDA, RESULTANTE DO IMPEDIMENTO, PARA DESENVOLVER HABILIDADES CONSIDERADAS NORMAIS PARA O SER HUMANO DESVANTAGEM INDIVIDUAL, RESULTANTE DO IMPEDIMENTO OU DA DEFICIÊNCIA, QUE LIMITA OU IMPEDE O CUMPRIMENTO OU DESEMPENHO DE UM PAPEL SOCIAL, DEPENDENDO DA IDADE, SEXO E FATORES SOCIAIS E CULTURAIS

25 AAMR MANUAL DE 2002 RETARDO MENTAL A DEFICIÊNCIA É CARACTERIZADA POR LIMITAÇÕES SIGNIFICATIVAS NO FUNCIONAMENTO INTELECTUAL E NO COMPORTAMENTO ADAPTATIVO, COMO EXPRESSO NAS HABILIDADES PRÁTICAS, SOCIAIS E CONCEITUAIS, ORIGINANDO-SE ANTES DOS DEZOITO ANOS DE IDADE.

26 UNIDADE III ETIOLOGIA DA DEFICIÊNCIA MENTAL

27 INCIDÊNCIA DEPENDE DE: DEFINIÇÃO ADOTADA; CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO; REPRESENTATIVIDADE DA POPULAÇÃO ESTUDADA; VARIÁVEIS: IDADE, NÍVEL SÓCIO-ECONÔMICO E CULTURAL, CONDIÇÕES EDUCATIVAS E DE SAÚDE DA POPULAÇÃO

28 INCIDÊNCIA CENSO DEMOGRÁFICO BRASILEIRO (2001): DECLARARAM-SE PES. COM DEFICIÊNCIA: 14,5% DA POPULAÇÃO >%: NORDESTE (16,8%) E <%: SUDESTE (13,1%)

29 CAUSAS E FATORES DE RISCO PRÉ-NATAIS MATERNOS: DESORDENS GENÉTICAS, FILHOS NATIMORTOS, PREMATUROS, OU ABORTOS RECORRENTES, INCOMPATIBILIDADE SANGÜÍNEA, IDADE DA MÃE, DOENÇAS INFECCIOSAS, EXPOSIÇÃO AO RAIO-X, USO DE DROGAS, FUMO OU ÁLCOOL, INGESTÃO DE REMÉDIOS, HIPERTENSÃO E EPILEPSIA, ENTRE OUTROS; PSICOLÓGICOS: DESORDENS PSIQUIÁTRICAS, NÃO ACEITAÇÃO DA GRAVIDEZ; SOCIAIS: RENDA FAMILIAR MUITO BAIXA, FALTA DE ASSISTÊNCIA MÉDICA PRÉ-NATAL.

30 CAUSAS E FATORES DE RISCO PERI-NATAIS CONDIÇÕES DO PARTO: TRABALHO DE PARTO DEMORADO, APRESENTAÇÃO ANORMAL DO BEBÊ, USO DE FÓRCEPS, PROLAPSO DO CORDÃO UMBILICAL, DEPRESSÃO ANESTÉSICA, RUPTURA TARDIA OU PRÉVIA DA PLACENTA, ETC.; CONDIÇÕES DO BEBÊ: PREMATUROS, BAIXO PESO, HIPERBILIRRUBINA, HIPOTONIA, HIPERTONIA, TAMANHO ANORMAL DA CABEÇA, CONVULSÕES, TREMORES, ANÓXIA, CHORO REDUZIDO, APGAR ALTERADO, DIFICULDADES RESPIRATÓRIAS, ICTERÍCIA, FACE SINDRÔMICA, ENTRE OUTROS.

31 CAUSAS E FATORES DE RISCO PÓS-NATAIS CONDIÇÕES DO BEBÊ: DOENÇAS, ANORMALIDADES CONGÊNITAS, REAÇÃO DIMINUÍDA AO SOM E AO ESTÍMULO VISUAL, ATRASO NO DESENVOLVIMENTO MOTOR, VERBAL OU ADAPTATIVO, PESO E ALTURA AQUÉM DO ESPERADO, DESIDRATAÇÃO, DESNUTRIÇÃO; CONDIÇÕES SOCIAIS: ABANDONO E MAUS TRATOS, DESORGANIZAÇÃO FAMILIAR, ORGANIZAÇÃO INADEQUADA DO AMBIENTE FÍSICO E TEMPORAL DO LAR, PRESENÇA DE EVENTOS ESTRESSANTES DA VIDA E REDUÇÃO DAS INTERAÇÕES POSITIVAS DA MÃE COM A CRIANÇA NA PRIMEIRA INFÂNCIA.

32 DESORDENS GENÉTICAS ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ALTERAÇÕES GÊNICAS MALES PROVOCADOS POR ALTERAÇÕES NO NÚMERO DE CROMOSSOMOS CAUSAS MAIS FREQÜENTES DE DEFICIÊNCIA MENTAL EX. SÍNDROME DE DOWN E SÍNDROME DE FRA-X MALES PROVOCADOS POR ALTERAÇÕES EM GENES ESPECÍFICOS

33 DESORDENS GENÉTICAS ALTERAÇÕES METABÓLICAS ALTERAÇÕES ENDÓCRINAS INCAPACIDADE DE PRODUZIR DETERMINADAS PROTEÍNAS OU ENZIMAS EX. FENILCETONÚRIA E HIPOTIREOIDISMO GENES NÃO-FUNCIONATES

34 PREVENÇÃO CONDIÇÕES AMBIENTAIS IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DESTAS CONDIÇÕES E ENCAMINHAMENTOS PARA SERVIÇOS ESPECIALIZADOS POSSIBILITAM TRABALHOS PREVENTIVOS ATENUAM OU AGRAVAM OS FATORES DE RISCO PROGRAMAS DE PROMOÇÃO DE SAÚDE E DE ESTIMULAÇÃO

35 UNIDADE IV LEGISLAÇÃO VIGENTE

36 LEGISLAÇÃO O QUE É? ORIGINÁRIA DE PROCESSO LEGISLATIVO QUE CONSTRÓI A PARTIR DE UMA SUCESSÃO DE ATOS, FATOS E DECISÕES POLÍTICAS, ECONÔMICAS E SOCIAIS, UM CONJUNTO DE LEIS COM VALOR JURÍDICO, NOS PLANOS NACIONAL E INTERNACIONAL, PARA ASSEGURAR ESTABILIDADE GOVERNAMENTAL E SEGURANÇA JURÍDICA ÀS RELAÇÕES SOCIAIS ENTRE CIDADÃOS, INSTITUIÇÕES E EMPRESAS SUGERIMOS LEITURA DA LEI Nº 9394, DE 20/12/96, QUE ESTABELECE AS DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL

37 AGRADECIMENTOS MUITO OBRIGADA!!! TENHA UM BOM CURSO!!!


Carregar ppt "EDUCAÇÃO ESPECIAL: HISTÓRIA, ETIOLOGIA, CONCEITOS E LEGISLAÇÃO VIGENTE Profª Elisandra André Maranhe Profª Olga Maria P. Rolim Rodrigues."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google