A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROGRAMA ENSINO MÉDIO INOVADOR: a proposta do CURRÍCULO INTEGRADO Profª Drª Monica Ribeiro da Silva Universidade Federal do Paraná

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROGRAMA ENSINO MÉDIO INOVADOR: a proposta do CURRÍCULO INTEGRADO Profª Drª Monica Ribeiro da Silva Universidade Federal do Paraná"— Transcrição da apresentação:

1 PROGRAMA ENSINO MÉDIO INOVADOR: a proposta do CURRÍCULO INTEGRADO Profª Drª Monica Ribeiro da Silva Universidade Federal do Paraná

2 O currículo do Ensino Médio Hierarquias Hierarquias Fragmentos Fragmentos A dualidade A dualidade A ênfase na repetição/reprodução de conceitos A ênfase na repetição/reprodução de conceitos

3 Currículo integrado Experiências: interdisciplinaridade; transversalidade; projetos; currículo por competências Experiências: interdisciplinaridade; transversalidade; projetos; currículo por competências Propostas do Proemi: integração curricular por meio dos macrocampos Propostas do Proemi: integração curricular por meio dos macrocampos

4 PROJETO DE REDESENHO CURRICULAR O Projeto de Redesenho Curricular (PRC) deve apresentar ações relacionadas ao currículo que podem ser estruturadas em diferentes formatos: disciplinas optativas, oficinas, clubes de interesse, seminários integrados, grupos de pesquisas, trabalhos de campos e demais ações interdisciplinares O Projeto de Redesenho Curricular (PRC) deve apresentar ações relacionadas ao currículo que podem ser estruturadas em diferentes formatos: disciplinas optativas, oficinas, clubes de interesse, seminários integrados, grupos de pesquisas, trabalhos de campos e demais ações interdisciplinares A escola deve organizar o conjunto de ações que compõem o PRC a partir dos macrocampos obrigatórios e dos macrocampos de sua opção conforme necessidades e interesses da equipe pedagógica, dos professores, da comunidade escolar, mas, sobretudo, dos adolescentes, jovens e adultos, alunos dessa etapa da educação básica (ProEMI, 2011) A escola deve organizar o conjunto de ações que compõem o PRC a partir dos macrocampos obrigatórios e dos macrocampos de sua opção conforme necessidades e interesses da equipe pedagógica, dos professores, da comunidade escolar, mas, sobretudo, dos adolescentes, jovens e adultos, alunos dessa etapa da educação básica (ProEMI, 2011)

5 Macrocampos Macrocampo: um campo de ação curricular no qual se desenvolvem atividades interativas, integradas e integradoras dos saberes, dos tempos, dos espaços e dos sujeitos envolvidos com a ação educacional. Macrocampo: um campo de ação curricular no qual se desenvolvem atividades interativas, integradas e integradoras dos saberes, dos tempos, dos espaços e dos sujeitos envolvidos com a ação educacional. Os macrocampos se constituem como um eixo a partir do qual se possibilita a integração curricular porque permite a articulação entre formas disciplinares e não disciplinares de organização do conhecimento e favorece a diversificação de arranjos curriculares Os macrocampos se constituem como um eixo a partir do qual se possibilita a integração curricular porque permite a articulação entre formas disciplinares e não disciplinares de organização do conhecimento e favorece a diversificação de arranjos curriculares

6 Proemi e DCNEM Os princípios e ações propostos nos PRCs devem estar articulados em torno da proposição do Trabalho, da Ciência, da Cultura e da Tecnologia como dimensões indissociáveis da formação humana e eixo articulador do currículo (DCNEM; ProEMI, 2011) Os princípios e ações propostos nos PRCs devem estar articulados em torno da proposição do Trabalho, da Ciência, da Cultura e da Tecnologia como dimensões indissociáveis da formação humana e eixo articulador do currículo (DCNEM; ProEMI, 2011) Não se trata de oferecer atividades ora ligas ao trabalho, ora ligadas à cultura ou à ciência ou à tecnologia. O que se está propondo é que todo o currículo do ensino médio se organize a partir de um eixo comum – trabalho, ciência, tecnologia e cultura – e que se integre, a partir desse eixo, o conjunto dos conhecimentos, seja quando se tratar das disciplinas, seja em outras formas de organização do trabalho pedagógico. Não se trata de oferecer atividades ora ligas ao trabalho, ora ligadas à cultura ou à ciência ou à tecnologia. O que se está propondo é que todo o currículo do ensino médio se organize a partir de um eixo comum – trabalho, ciência, tecnologia e cultura – e que se integre, a partir desse eixo, o conjunto dos conhecimentos, seja quando se tratar das disciplinas, seja em outras formas de organização do trabalho pedagógico.

7 Jovens, DCNEM, Proemi A definição e a gestão do currículo inscrevem-se em uma lógica que se dirige, predominantemente, aos jovens, considerando suas singularidades, que se situam em um tempo determinado. Os sistemas educativos devem prever currículos flexíveis, com diferentes alternativas, para que os jovens tenham a oportunidade de escolher o percurso formativo que atenda a seus interesses, necessidades e aspirações, para que se assegure a permanência dos jovens na escola, com proveito até a conclusão da Educação Básica. (ProEMI, 2011) A definição e a gestão do currículo inscrevem-se em uma lógica que se dirige, predominantemente, aos jovens, considerando suas singularidades, que se situam em um tempo determinado. Os sistemas educativos devem prever currículos flexíveis, com diferentes alternativas, para que os jovens tenham a oportunidade de escolher o percurso formativo que atenda a seus interesses, necessidades e aspirações, para que se assegure a permanência dos jovens na escola, com proveito até a conclusão da Educação Básica. (ProEMI, 2011)

8 Macrocampos obrigatórios Acompanhamento pedagógico Acompanhamento pedagógico Iniciação Científica Iniciação Científica

9 Acompanhamento pedagógico Contempla uma ou mais áreas de conhecimento, disciplinas ou conjunto de componentes curricu Contempla uma ou mais áreas de conhecimento, disciplinas ou conjunto de componentes curricu As atividades desenvolvidas neste macrocampo podem estar articuladas a outros macrocampos e ações interdisciplinares da escola, ou ainda, com outros programas e projetos tendo em vista as expectativas dos estudantes em relação à sua trajetória de formação e as dimensões do trabalho, da ciência, da tecnologia e da cultura. (ProEMI, 2011) As atividades desenvolvidas neste macrocampo podem estar articuladas a outros macrocampos e ações interdisciplinares da escola, ou ainda, com outros programas e projetos tendo em vista as expectativas dos estudantes em relação à sua trajetória de formação e as dimensões do trabalho, da ciência, da tecnologia e da cultura. (ProEMI, 2011)

10 Iniciação Científica Devem ser desenvolvidas atividades utilizando laboratórios e outros espaços, por meio de projetos de estudo e de pesquisas de campo envolvendo conteúdos de uma ou mais áreas de conhecimento que contemplem o desenvolvimento de metodologias para a sistematização do conhecimento, por meio da experimentação, da vivência e da observação dos fatos e fenômenos, da coleta e análise de dados e informações e a reflexão sobre os resultados alcançados. Devem ser desenvolvidas atividades utilizando laboratórios e outros espaços, por meio de projetos de estudo e de pesquisas de campo envolvendo conteúdos de uma ou mais áreas de conhecimento que contemplem o desenvolvimento de metodologias para a sistematização do conhecimento, por meio da experimentação, da vivência e da observação dos fatos e fenômenos, da coleta e análise de dados e informações e a reflexão sobre os resultados alcançados. As atividades de cunho científico devem permitir a interface com o mundo do trabalho na sociedade contemporânea, com as tecnologias sociais e sustentáveis, com a economia solidária e criativa, o meio ambiente e outras temáticas presentes no contexto do estudante. (ProEMI, 2011) As atividades de cunho científico devem permitir a interface com o mundo do trabalho na sociedade contemporânea, com as tecnologias sociais e sustentáveis, com a economia solidária e criativa, o meio ambiente e outras temáticas presentes no contexto do estudante. (ProEMI, 2011)

11 Macrocampos de Opção da Escola Cultura Corporal; Cultura Corporal; Cultura e Artes; Cultura e Artes; Comunicação e uso de mídias; Comunicação e uso de mídias; Cultura Digital; Cultura Digital; Participação Estudantil; Participação Estudantil; Leitura e Letramento. Leitura e Letramento.

12 Cultura Corporal Atividades que promovam o desenvolvimento da consciência corporal e do movimento, a compreensão da relação entre o corpo e as emoções e, entre o indivíduo, o outro e o mundo, abordando também a importância de atitudes saudáveis. Atividades que promovam o desenvolvimento da consciência corporal e do movimento, a compreensão da relação entre o corpo e as emoções e, entre o indivíduo, o outro e o mundo, abordando também a importância de atitudes saudáveis. (ProEMI, 2011) (ProEMI, 2011)

13 Cultura e Arte Conhecimentos que incorporem práticas de elaboração nas diversas formas de expressão artística, bem como atividades relacionadas à apreciação e análise da produção artística (pintura, dança, música, reciclagem (5 R5) e ecotécnicas, cinema, teatro e contação de história, dentre outras), ampliando o desenvolvimento do estudante em aspectos relacionados ao senso estético, à relação entre cultura, arte, relações sociais, entre outras. (ProEMI, 2011) Conhecimentos que incorporem práticas de elaboração nas diversas formas de expressão artística, bem como atividades relacionadas à apreciação e análise da produção artística (pintura, dança, música, reciclagem (5 R5) e ecotécnicas, cinema, teatro e contação de história, dentre outras), ampliando o desenvolvimento do estudante em aspectos relacionados ao senso estético, à relação entre cultura, arte, relações sociais, entre outras. (ProEMI, 2011)

14 Comunicação e uso de mídias Processos relacionados à educomunicação e as ações deverão orientar e propor vivências em espaços de atuação que permitam ao jovem acesso às diferentes mídias e tecnologias da informação e da comunicação ampliando a compreensão de métodos, dinâmicas e técnicas. (ProEMI, 2011) Processos relacionados à educomunicação e as ações deverão orientar e propor vivências em espaços de atuação que permitam ao jovem acesso às diferentes mídias e tecnologias da informação e da comunicação ampliando a compreensão de métodos, dinâmicas e técnicas. (ProEMI, 2011)

15 Cultura Digital Desenvolvimento de habilidades para a comunicação em linguagem comum digital nas dimensões local e global, de tempo real e, estabelecer formas de interação que permitam utilizar o ambiente digital em diferentes espaços da vida - trabalho, desenvolvimento de pesquisa, acesso e produção de conhecimento, redes sociais, participação política -, ampliando e potencializando o uso de instrumentos tecnológicos como ferramentas que contribuem para a produção de conhecimentos. (ProEMI, 2011) Desenvolvimento de habilidades para a comunicação em linguagem comum digital nas dimensões local e global, de tempo real e, estabelecer formas de interação que permitam utilizar o ambiente digital em diferentes espaços da vida - trabalho, desenvolvimento de pesquisa, acesso e produção de conhecimento, redes sociais, participação política -, ampliando e potencializando o uso de instrumentos tecnológicos como ferramentas que contribuem para a produção de conhecimentos. (ProEMI, 2011)

16 Participação estudantil Este macrocampo deverá desenvolver ações de incentivo à atuação e organização da juventude nos seus processos de desenvolvimento pessoal, social e de vivência política. Este macrocampo deverá desenvolver ações de incentivo à atuação e organização da juventude nos seus processos de desenvolvimento pessoal, social e de vivência política. As atividades deverão possibilitar o desenvolvimento de metodologias e oportunidades que ampliem as condições de participação e assegurem a pluralidade de manifestação da juventude, estabelecendo formas de apoio para o desenvolvimento de alternativas estruturadas de organização e representação e participação estudantil no contexto escolar e social. (ProEMI, 2011) As atividades deverão possibilitar o desenvolvimento de metodologias e oportunidades que ampliem as condições de participação e assegurem a pluralidade de manifestação da juventude, estabelecendo formas de apoio para o desenvolvimento de alternativas estruturadas de organização e representação e participação estudantil no contexto escolar e social. (ProEMI, 2011)

17 Leitura e letramento Criar alternativas de leitura e produção de textos, explorando diversos gêneros que possibilitem ao estudante utilizar, desenvolver e apreender estratégias para a compreensão da leitura e a organização da escrita em formas mais complexas. As atividades propostas neste macrocampo poderão ser desenvolvidas para o ensino e o estudo de línguas estrangeiras e, estar articuladas a outros macrocampos e ações interdisciplinares da escola. (ProEMI, 2011) As atividades propostas neste macrocampo poderão ser desenvolvidas para o ensino e o estudo de línguas estrangeiras e, estar articuladas a outros macrocampos e ações interdisciplinares da escola. (ProEMI, 2011)

18 Pontos de tensionamento A formação inicial A formação inicial A ênfase na disciplina – no sentido tradicional da disciplina (Young, M. O futuro da educação em uma sociedade do conhecimento: o argumento radical em defesa de um currículo centrado em disciplinas. (2011) A ênfase na disciplina – no sentido tradicional da disciplina (Young, M. O futuro da educação em uma sociedade do conhecimento: o argumento radical em defesa de um currículo centrado em disciplinas. (2011) A ênfase no conhecimento (Young, M. Para que servem as escolas, 2007) A ênfase no conhecimento (Young, M. Para que servem as escolas, 2007)

19 Pontos de tensionamento As finalidades do ensino médio e a questão da dualidade As finalidades do ensino médio e a questão da dualidade O ensino Médio como Educação Básica O ensino Médio como Educação Básica Ampliação do Acesso Ampliação do Acesso Abandono e permanência Abandono e permanência Os sentidos da experiência escolar para os jovens de hoje Os sentidos da experiência escolar para os jovens de hoje

20 Avaliação do ProEMI A maioria das escolas interpretou como inovador os conteúdos e/ou metodologias que não têm sido usuais no desenvolvimento do trabalho pedagógico sem, necessariamente, vincular as sugestões inovadoras aos fundamentos e propostas do Programa ao qual estão vinculadas - o ProEMI ou ainda sem significarem alterações profundas no desenho curricular do ensino médio. A maioria das escolas interpretou como inovador os conteúdos e/ou metodologias que não têm sido usuais no desenvolvimento do trabalho pedagógico sem, necessariamente, vincular as sugestões inovadoras aos fundamentos e propostas do Programa ao qual estão vinculadas - o ProEMI ou ainda sem significarem alterações profundas no desenho curricular do ensino médio.

21 Avaliação do ProEMI Na iniciativa de se atentar para as definições dos eixos norteadores (trabalho, cultura, ciência e tecnologia) da reestruturação curricular, conforme proposto no Documento Orientador do ProEMi e nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, muitas escolas reproduziram nos textos dos PRCs essas proposições, porém desarticuladas das ações propostas. Na iniciativa de se atentar para as definições dos eixos norteadores (trabalho, cultura, ciência e tecnologia) da reestruturação curricular, conforme proposto no Documento Orientador do ProEMi e nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, muitas escolas reproduziram nos textos dos PRCs essas proposições, porém desarticuladas das ações propostas.

22 Avaliação do Proemi A fragmentação do currículo seria superada por meio da discussão de temas que carregam certa transversalidade. A fragmentação do currículo seria superada por meio da discussão de temas que carregam certa transversalidade. É possível notar a referência a determinadas práticas (e não disciplinas) como fazeres que, por suas características aparentemente distantes de um modelo clássico de ensino, promoveriam a integração curricular almejada. (exemplo: atividades de campo) É possível notar a referência a determinadas práticas (e não disciplinas) como fazeres que, por suas características aparentemente distantes de um modelo clássico de ensino, promoveriam a integração curricular almejada. (exemplo: atividades de campo)

23 Avaliação do ProEMI A vinculação das instituições ao ProEMI suscita aos proponentes uma série de reflexões sobre o que sua escola poderia ser. Poucas escolas conseguiram transformar esta motivação em projetos capazes de produzir maior articulação/integração entre áreas e disciplinas: PORTANTO: FICA O DESAFIO! A vinculação das instituições ao ProEMI suscita aos proponentes uma série de reflexões sobre o que sua escola poderia ser. Poucas escolas conseguiram transformar esta motivação em projetos capazes de produzir maior articulação/integração entre áreas e disciplinas: PORTANTO: FICA O DESAFIO!

24


Carregar ppt "PROGRAMA ENSINO MÉDIO INOVADOR: a proposta do CURRÍCULO INTEGRADO Profª Drª Monica Ribeiro da Silva Universidade Federal do Paraná"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google