A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração em Serviços de Enfermagem II Docente: Esp. Kelly Veridiany Nascimento

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração em Serviços de Enfermagem II Docente: Esp. Kelly Veridiany Nascimento"— Transcrição da apresentação:

1 Administração em Serviços de Enfermagem II Docente: Esp. Kelly Veridiany Nascimento

2 Será que você é um líder?

3 O líder O líder é confundido com o chefe ou com qualquer pessoa que ocupe formalmente uma posição de direção Katz e Kahn defendem que toda organização necessita de líderes devido à imperfeição do desenho organizacional

4 Líder Motiva e entusiasma Diz: “Nós” Diz: “Você Poderia?” Diz: “ O que você Acha....?” Sugere Vislumbra o futuro Chefe Inspira Medo, coage Diz: “Eu” Diz: “Faça” = Imperativo! Ordena Enxerga o hoje

5 Energia e motivação frente a desafios Confiança em suas habilidades Criatividade Conhecimento do negócio onde atua Facilidade em identificar comportamentos e interpretar as informações Flexibilidade para mudar com facilidade Ética, integridade e honestidade Tranquilidade Paciência e inteligência emocional para administrar conflitos Principais Características de um Líder

6 Coordenação das atividades de grupo Planejamento das atividades Estabelecimento de políticas Comunicação entre o grupo e o MA Determinação de recompensas e punições Papel da figura paterna O papel de “bode expiatório” Principais Características de um Líder

7 Exemplos de Alguns Líderes

8 Jesus Mahatma GandhiNelson Mandela Adolf HitlerGetúlio VargasFidel Castro

9 Barack Obama LulaRoberto Justus Líderes Modernos

10 Definições de Liderança É o processo de persuasão pelo qual um indivíduo induz um grupo a buscar objetivos defendidos pelo líder ou partilhados pelo líder e seus seguidores (Gardner, 1990 p. 1) Chiavenatto, define liderança como a influência interpessoal exercida numa situação e dirigida através do processo da comunicação humana para o alcance de diversos objetivos específicos O líder torna tão palpável e sedutora uma visão que os outros a subscrevem com avidez (Bunnis, 2001) Líder é alguém que tem seguidores (Peter Drucker) (guro ou pai da administração)

11 Liderança O significado de liderança é basicamente a condução e coordenação dos grupos Nas organizações, os significados atribuídos à liderança refletem mais do que qualquer processo da administração da administração de pessoal, a filosofia da instituição, a política de pessoal adotada e s propostas de trabalho desenvolvidas nessas organizações Não há um consenso entre os cientistas sociais sobre a definição de liderança, mas considerando as mais variadas definições, o elemento comum é a presença de dois termos: o elemento influenciador ou agente influenciador e as pessoas influenciadas

12 AdministradoresLíderes Têm um cargo designado na organização formalNão costumam ter autoridade delegada, obtêm o poder por outros meios, como a influência Têm uma fonte legítima de poder devida à autoridade delegada que acompanha o cargo Têm maior variedade de papéis do que os administradores Enfatizam o controle, a tomada de decisões, a análise das decisões e os resultados Focalizam o processo de grupo e enfatizam as relações interpesssoais Manipulam pessoas, ambiente, dinheiro, tempo e outros recursos para o alcance de metas da organização Manipulam idéias e condutas

13 Para existir liderança precisa haver precisa haver MOTIVAÇÃO MOTIVAÇÃO Vídeo Motivação: Daniel Godrin “ O coração no poder” “ O coração no poder”

14 Exercícios Avaliativos Listar outras características que, em sua opinião, um líder deve ter De acordo com sua opinião, como os administradores de enfermagem em início de carreira poderiam aprender funções administrativas importantes e desenvolver habilidades de liderança? De que forma se tornam líderes e administradores concomitantemente? Que características de liderança você possui? Você nasceu com estas características ou desenvolveu de maneira consciente? Se foi este o caso, como elas foram desenvolvidas?

15 A evolução da Teoria da Liderança O estudo cient í fico da lideran ç a teve in í cio no s é culo XX Os primeiros trabalhos focalizaram conceitos abrangentes de lideran ç a, como as caracter í sticas ou os comportamentos do l í der Atualmente, as pesquisas estão voltadas para a influência do l í der em uma cultura organizacional e para rela ç ão interativa entre o l í der e seus seguidores

16 Teorias da Liderança Teoria do Grande Homem As primeiras tentativas sistem á ticas de estudar a lideran ç a durante o in í cio do s é culo XX concentraram-se na "TEORIA DO GRANDE HOMEM PARA LIDERAN Ç A". Atualmente podemos nos referir à ela como " TEORIA DA GRANDE PESSOA“ Esta teoria postulava que os l í deres j á nascem l í deres, não são fabricados, e que os tra ç os necess á rios para uma pessoa ser um l í der eficaz são inerentes a ela

17 Teorias da Liderança Teoria dos Traços ou das Características As primeiras teorias sobre tra ç os de lideran ç a têm sido criticadas em v á rias dimensões: - A metodologia inadequada para identifica ç ão desses tra ç os Os pesquisadores simplesmente geravam listas de tra ç os ao compararem pessoas que eram rotuladas como l í deres com aquelas que não eram consideradas l í deres, sem mensurar esses tra ç os ou testar diferen ç as significativas - As listas de tra ç os associados à lideran ç a ficaram tão grandes que passaram a não ter significado

18 Teorias da Liderança Teoria dos Traços ou das Características - Os resultados dessa pesquisa foram inconsistentes, diferentes l í deres apresentavam diferentes tra ç os - Não foi encontrado qualquer tra ç o inerente à lideran ç a que se relacionasse consistentemente com o desempenho do grupo e, tamb é m, nas diferentes situa ç ões requeridas - In ú meros estudos conduzidos para determinar os tra ç os de personalidade que têm rela ç ão com uma lideran ç a eficaz descobriram que nem todos os l í deres possuem os mesmo tra ç os de personalidade

19 Liderança Autoritária ou Autocrática Forte controle sobre o grupo de trabalho Uso da coerção para motivar as pessoas Dirige as pessoas por comandos Comunicação flui de cima para baixo A tomada de decisões não envolve as pessoas Dá ênfase à diferença “eu” e “você” A crítica é passível de punição

20 Liderança Autoritária Produtividade = Criatividade, autonomia e automotivação= baixos Em que momento ela é útil? Em situações críticas Onde encontrá-la? Forças armadas e outras organizações militares

21 Que tipo de Líder você é?

22 Liderança Democrática Mantêm menos controle Usa prêmios econômicos e pessoais como motivação Guia as pessoas mediante sugestões e orientações A comunicação flui para cima e para baixo A tomada de decisões envolve outras pessoas É enfatizado o “nós” em vez do “eu” e do “você” A crítica é construtiva

23 Líderança Democrática É adequada a grupos que trabalham unidos por longos períodos, promove a autonomia e o crescimento de cada funcionário É especialmente eficaz quando a cooperação entre o grupo são necessárias Demanda maior tempo por consultarem as pessoas È menos produtiva que a autoritária

24 Resultados da Liderança Democrática Produção Interação Qualidade, Satisfação no trabalho = QVT Ocorre a transferência de pode e influência e isso pode se uma ameaça, especialmente para pessoas inseguras e com pouca experiência profissional, nesse caso é bom que o líder tenha mais experiência e conhecimento que seus subordinados Produção não tão alta quando a da liderança autocrática mas a de melhor qualidade

25 Liderança Liberal ou Laissez-Faire É permissivo com pouco ou nenhum controle Motiva com seu apoio quando solicitado pelo grupo ou pelas pessoas Oferece pouca ou nenhuma orientação Usa a comunicação de baixo para cima e de cima para baixo entre os membros do grupo Dispersa por todo o grupo a tomada de decisões Enfatiza o grupo Não faz críticas

26 Liderança Laissez-Faire Resulta em muita criatividade e produtividade Pode ocorrer frustração e apatia do grupo pelo fato dessa liderança não ser dirigida Qualidade (porque não tem ninguém para ficar cobrando ou direcionando as atitudes) Quando os problemas são insuficientemente definidos, há a necessidade de brainstoing para a geração de soluções alternativas

27 Liderança Acreditava-se que os líderes tinham um estilo de liderança predominante Ao final da década de 40 e início dos anos 50 descobriu-se que a maioria dos líderes não se encaixavam em um só estilo, mas em algum ponto no continuum, reagindo a cada situação nova (Esse pensamento foi o precursor da teoria da liderança situacional ou contingencial )

28 Teorias da Liderança Teorias da Liderança Liderança Transformacional ou Transacional É baseado na relação de troca entre subordinados e líder Os líderes transacionais caracterizam-se por exibirem um comportamento de recompensas contingenciais e um comportamento dinâmico de administração por exceção A necessidade de que as organizações se modifiquem e se adaptem rapidamente, ao mesmo tempo criando uma força de trabalho com alto nível de desempenho, tornou-se cada vez mais evidente nos últimos anos Os líderes transacionais monitoram constantemente o desempenho de seus seguidores

29 Teorias da Liderança Teorias da Liderança Liderança Transformacional ou Transacional Os líderes transacionais apresentam as seguintes características: Compreendem o que seus seguidores desejam receber a partir de seu trabalho, tentando proporcionar aos seguidores aquilo que eles desejam, se o desempenho dos seguidores for merecedor de recompensa Deixam claro os vínculos entre desempenho e recompensas Trocam recompensas e promessas de recompensas por níveis de desempenho especificados Respondem aos interesses de seus seguidores se eles estiverem desempenhando de maneira satisfatória

30 Teorias da Liderança Teoria X e Y Teoria X Teoria X Considera o homem um ser preguiçoso e pouco merecedor de confiança Teoria X Teoria X Liderança autoritária Líderes autoritários são orientados para “tarefas” e tendem a determinar o caminho de seus seguidores TAREFAS = QUANTIDADE Teoria Y Teoria Y Considera o homem um ser autodiretivo e criativo no trabalho Teoria Y Teoria Y Liderança democrática Tendem a ser orientados pelo grupo, dando liberdade no trabalho São orientados por pessoas PESSOAS = QUALIDADE

31 Teorias da Liderança Teoria X e Y (Baixa) Produção (Elevada) (Baixa) Produção (Elevada) (Elevada) (Elevada) Pessoas Pessoas (Baixa) (Baixa) do líder Figura 35. As coordenadas de comportamento do líder

32

33 Estes estudos tentaram identificar várias dimensões no comportamento do líder, concluído pela existência de duas delas Teorias da Liderança Estudos de Ohio Estrutura Inicial Consideração

34 Teorias da Liderança Estudos de Ohio Importância desse estudo foi que pela primeira vez o comportamento de um líder não foi representado em 2 eixos separados mas, em 4 quadrantes representando a interação entre esses estilos (Elevada) (Elevada) Consideração Consideração (Baixa) (Baixa) (Baixa) Estrutura Inicial (Elevada) (Baixa) Estrutura Inicial (Elevada) Estrutura baixa Consideração elevada Consideração elevada Estrutura elevada Consideração elevada Consideração elevada Estrutura baixa Consideração baixa Consideração baixa Estrutura Elevada Consideração baixa Consideração baixa

35 Teorias da Liderança Grid Gerencial (Rede Administrativa) de Blake Mouton as pessoas A Grade Gerencial de Blake Mouton enfoca o exercício da liderança sob dois aspectos: quando o líder enfoca a produção (resultados), ou quando o líder enfoca as pessoas A Grade Gerencias representa as duas ênfases e a interação delas De acordo com a pontuação recebida pelo líder, fica estabelecido o seu estilo de liderança

36 Teorias da Liderança Grid Gerencial (Rede Administrativa) de Blake Mouton A Grade Gerencial de Blake Mouton é esquematizada por dois eixos No eixo horizontal, é representada a “produção” e no vertical, o interesse por pessoas” É estabelecida a graduação de 0 a 9 em cada eixo Segundo a pontuação, existem 5 estilos de liderança: “coutry club”, “tarefa”, “meio termo”, e “equipe”

37 Teorias da Liderança Os Estilos de Liderança da Rede Administrativa (Elevada) (Elevada) Consideração Consideração (Baixa) (Baixa) (Baixa) Estrutura Inicial (Elevada) (Baixa) Estrutura Inicial (Elevada) 1-9 Coutry Club 9-9 Equipe Equipe Empobrecido Tarefa Meio Termo Meio Termo

38 “Pessoas empreendedoras são as que chegam no topo das organizações, já que possuem a visão da empresa como um todo – e isso faz com que tenham a capacidade de prever e se preparar para as mudanças do mercado” Empreendedorismo

39 “Alguém que se aventura e assume riscos, que reúne capital e o trabalho requeridos para o negócio e supervisiona seus mínimos detalhes, caracterizando- se pela convivência com o risco, a inovação e a gerência do negócio” A Marshall “ São pessoas que inovam. A inovação é o instrumento específico dos empreendedores, o meio pelo qual eles exploram a mudança como uma oportunidade para um negócio ou serviço diferente" (guru da administração) Peter Drucker (guru da administração) Conceito de empreendedorismo

40 CHIAVENATO, Idalberto. Introdu ç ão à Teoria Geral da Administra ç ão. Edi ç ão Compacta. 2. ed. Editora Campus, KURCGANT, P. Administra ç ão em enfermagem. São Paulo:EPU, MARQUIS,B.L., HUSTON, C.J. Administra ç ão e lideran ç a em enfermagem: teoria e pr á tica. Tradu ç ão: GARCEZ, R. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, DORNELAS, Jose Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em negocios. Rio de Janeiro: Campus, p. Bibliografia

41 Minist é rio da Sa ú de. Portaria n.1884 de 11 de novembro de Elabora ç ão de Projetos F í sicos de Estabelecimentos Assistências de Sa ú de. Di á rio Oficial, Bras í lia, DF, dez MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Introdu ç ão a Administra ç ão. 7 ª ed. Editora Atlas, 2007 POTTER, P. A.; PERRY, A. G. Fundamentos de enfermagem. 4 ed. v.1.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, SMELTZER, S.; BARE, B, G. Brunner & Suddarth: Tratado de enfermagem m é dico-cirurgico. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

42 Nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados. Nosso medo mais profundo é que somos poderosos além de qualquer medida. Nós nos perguntamos: Quem sou eu para ser Brilhante, Maravilhoso, Talentoso e Fabuloso? Na realidade, quem é você para não ser? Nelson Mandela Nelson Mandela


Carregar ppt "Administração em Serviços de Enfermagem II Docente: Esp. Kelly Veridiany Nascimento"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google