A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Objetivo geral Analisar e interpretar os resultados da avaliação educacional para (re)planejamento das ações pedagógicas implementadas em sala de aula,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Objetivo geral Analisar e interpretar os resultados da avaliação educacional para (re)planejamento das ações pedagógicas implementadas em sala de aula,"— Transcrição da apresentação:

1

2 Objetivo geral Analisar e interpretar os resultados da avaliação educacional para (re)planejamento das ações pedagógicas implementadas em sala de aula, a serem definidas pelas unidades escolares envolvidas no processo de avaliação. Objetivos específicos Apresentar a Matriz de Referência, analisando os descritores que norteiam a elaboração dos itens presentes nos testes de Língua Portuguesa e Ciências Humanas. Apresentar e interpretar a Escala de Proficiência, considerando os agrupamentos de seus intervalos (Padrões de Desempenho Estudantil). Analisar e interpretar pedagogicamente os resultados da avaliação de Língua Portuguesa e Ciências Humanas. Apresentar a Matriz de Competências para a Produção de Textos. Analisar e interpretar pedagogicamente os resultados da avaliação de Produção de Textos.

3 Testes de Proficiência Questionários Contextuais Oferecem uma medida do DESEMPENHO ESCOLAR

4 Os Testes de Proficiência têm como objetivo aferir habilidades que são esperadas dos estudantes em diferentes etapas de escolarização. Essas habilidades são descritas por descritores. Um conjunto de descritores formam uma Matriz de Referência. A Matriz de Referência apresenta o objeto de uma avaliação. Ao falarmos da relação Testes, Habilidades, Descritores e Matriz de referência pensamos: O que compreendemos por Habilidades?

5 Segundo Perrenoud (1999), competências referem-se ao domínio prático de um tipo de tarefas e de situações. Tais domínios práticos só podem ser alcançados se junto com eles forem desenvolvidos as habilidades dos estudantes, o que só se pode realizar a partir da compreensão do conteúdo que explica aquele domínio. Exemplo: Para realizar procedimentos básicos de leitura, por exemplo, o estudante precisa acionar diversas habilidades leitoras tais como localizar, identificar, inferir e distinguir elementos textuais presentes na superfície textual ou sugeridas pelo texto. O conjunto dessas habilidades em tópicos/eixos temáticos constituem uma competência.

6 Elemento base de origem dos testes utilizados no SADEAM. Garante legitimidade e transparência à avaliação. É formada por um conjunto de tópicos ou temas que representam uma subdivisão de acordo com conteúdo, competências de área e habilidades. Cada tema apresenta um conjunto de habilidades Cada habilidade é descrita por um descritor. Os descritores apresentam as habilidades consideradas básicas e possíveis de serem aferidas por meio do instrumento utilizado em avaliações em larga escala.

7 Conjunto de descritores Conteúdo programático da área de conhecimento a ser avaliada Nível de operação mental necessário para a aprendizagem Descritores originados do cruzamento entre conteúdos programáticos e as habilidades e competências cognitivas que lhes são próprias. Habilidades de leitura

8 Matriz Agrupa as habilidades passíveis de avaliação em um teste de proficiência. Tema / Tópico Representa uma subdivisão de acordo com o conteúdo, competências de área e habilidades. Descritor Descreve cada uma das habilidades da Matriz. Item Avalia apenas uma única habilidade.

9 Matriz de Referência de Língua Portuguesa – SADEAM Tópicos e seus Descritores – 5º ano do Ensino Fundamental I. Procedimentos de Leitura D1Localizar informações explícitas em um texto. D3Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D4Inferir uma informação implícita em um texto. D6Identificar o tema de um texto. D11Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. II. Implicações do Suporte, do Gênero e/ou do Enunciador na Compreensão do Texto D5Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.). D9Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros. III. Relação entre Textos D15Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido. IV. Coerência e Coesão no Processamento do Texto D2Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto. D7Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa. D8Estabelecer relação causa/consequência entre partes e elementos do texto. D12Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc. V. Relações entre Recursos Expressivos e Efeitos de Sentido D13Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados. D14Identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações. VI. Variação Linguística D10Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.

10 MATRIZ DE REFERÊNCIA DE CIÊNCIAS HUMANAS ENSINO MÉDIO

11 É uma questão do teste em larga escala. Avalia uma única habilidade, portanto o item é unidimensional. Obtém um resultado por estudante, que permite avaliar as hipóteses levantadas por ele. Na formulação de um item, deve-se considerar: GRAU DE DIFICULDADE (diz respeito à adequação entre a formulação do item e a capacidade de resposta do estudante) GRAU DE DIFICULDADE (diz respeito à adequação entre a formulação do item e a capacidade de resposta do estudante) DISCRIMINAÇÃO (capacidade de o item de distinguir estudantes com diferentes níveis de habilidade) DISCRIMINAÇÃO (capacidade de o item de distinguir estudantes com diferentes níveis de habilidade)

12 ENUNCIADO SUPORTE COMANDO DISTRATORES GABARITO Esse item avalia a habilidade de identificar efeitos de ironia ou humor.

13

14 5º ANO

15 7º ANO

16 9º ANO

17 1º EM

18 3º EM

19 CIÊNCIAS HUMANAS

20

21

22

23

24

25

26 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL DE ESTUDANTES POR PADRÃO DE DESEMPENHO DISTRIBUIÇÃO DO PERCENTUAL DE ESTUDANTES POR NÍVEL DE PROFICIÊNCIA E PADRÃO DE DESEMPENHO PARTICIPAÇÃO PROFICIÊNCIA MÉDIA – MÉDIAS COMPARADAS

27

28

29

30 1. Observe a participação. 2. Determine a quantidade de estudantes da escola em cada padrão de desempenho. Ex: cálculo abaixo do básico 100% 79 13,9% x 100X = ,9 X = 1098,1 / 100 X = aproximadamente 11 estudantes.

31 A ESCALA DE PROFICIÊNCIA foi desenvolvida com o objetivo de traduzir medidas em diagnósticos qualitativos do desempenho escolar. Ela orienta, por exemplo, o trabalho do professor com relação as competências que seus estudantes desenvolveram, apresentando os resultados em uma espécie de régua onde os valores obtidos são ordenados e categorizados em intervalos ou faixas que indicam o grau de desenvolvimento das habilidades para os estudantes que alcançaram determinado nível de desempenho.

32 PADRÕES DE DESEMPENHO ESTUDANTIL ESTABELECIMENTO E MONITORAMENTO DAS METAS DE QUALIDADE EDUCACIONAL CARACTERIZAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR GRAU DE REALIZAÇÃO DAS AÇÕES EDUCACIONAIS POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS À PROMOÇÃO DA EQUIDADE IDENTIFICAÇÃO DO PERCENTUAL DE ESTUDANTES EM RISCO PEDAGÓGICO (EVASÃO, REPROVAÇÃO OU ABANDONO) Os Padrões de Desempenho são categorias definidas a partir de cortes numéricos que agrupam os níveis da Escala de Proficiência, com base nas metas educacionais estabelecidas pelo SADEAM. Esses cortes dão origem a quatro Padrões de Desempenho – Abaixo do básico, Básico, Proficiente e Avançado – os quais apresentam o perfil de desempenho dos estudantes.

33 Escola: 220,7 Os estudantes ainda não desenvolveram as habilidades relacionadas a esta competência. Os estudantes identificam o tema de um texto desde que esse venha indicado no título, como no caso de textos informativos curtos, noticias de jornal ou revista e textos instrucionais. Os estudantes fazem a identificação do tema de um texto, valendo-se de pistas textuais. Os estudantes identificam o tema em textos de tipo e gênero menos familiares que exijam a realização de inferências nesse processo. Esses estudantes já desenvolveram a competência de identificar tema em textos. Os estudantes identificam o tema de um texto mesmo quando esse tema não está marcado apenas por pistas textuais, mas é inferido a partir da conjugação dessas pistas com a experiência de mundo do leitor. Justamente por mobilizar intensamente a experiência de mundo, estudantes com este nível de proficiência conseguem identificar o tema em textos que exijam inferências, desde que os mesmos sejam de gênero e tipo familiares.

34

35

36

37

38

39

40

41 PADRÕES DE DESEMPENHO CIÊNCIAS HUMANAS

42 Produção Textual Propostas Temáticas e Perfis de Escritores 1º e 3º anos - Ensino Médio

43

44

45

46

47 ENTENDENDO OS NÍVEIS DE ESCRITA E O PERFIL DE ESCRITOR COMPREENDIDO POR ELES A partir das propostas de produção textual aplicadas em cada etapa da avaliação do Ensino Médio, mediu-se o nível de desenvolvimento dos alunos em relação às competências atreladas ao domínio da comunicação escrita, estabelecidas pela Matriz de Competências de Produção de Texto. Cada aluno recebeu uma nota, variável entre 0 (zero) e 10 (dez) pontos, para cada competência, conforme a divisão por nível estabelecida na Matriz. A média aritmética das notas das 5 (cinco) competências constitui a nota final do aluno, que também pode ser interpretada com base nas descrições dos níveis da Matriz. Mesmo apresentando notas alocadas em níveis diferentes da Matriz, o resultado final mostra que a proficiência do aluno está ligada ou pende para as habilidades descritas no nível em que a nota final pode ser alocada, definindo o perfil de escritor atrelado a esse intervalo de pontuação.

48

49 Para um melhor entendimento, veja a simulação a seguir. O aluno, após ter seu texto sinalizado como normal, recebeu as seguintes notas nas competências avaliadas: CompetênciaHabilidade avaliada Nota média das duas correções NívelClassificação do nível IRegistro6,0III Básico IITema / Tipologia Textual8,0IV Adequado IIICoerência8,0IV Adequado IVCoesão6,0III Básico VProposta de Intervenção6,0III Básico Total6,8IV Adequado Mesmo com resultados alocados no nível III nas Competências II, IV e V, a nota final desse aluno, 6,8 pontos, aloca sua proficiência no nível IV, Adequado. A partir da nota final obtida pelo aluno, pode-se definir o seu perfil de escritor de acordo com a descrição do nível no qual sua nota está alocada.

50

51

52

53 REGISTRO 4,0 TEMA/TIPOLOGIA 6,0 COERÊNCIA 4,0 COESÃO 4,0 PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 2,0 TOTAL 4,0

54

55

56

57 REGISTRO 8,0 TEMA/TIPOLOGIA 6,0 COERÊNCIA 6,0 COESÃO 8,0 PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 8,0 TOTAL 7,2

58


Carregar ppt "Objetivo geral Analisar e interpretar os resultados da avaliação educacional para (re)planejamento das ações pedagógicas implementadas em sala de aula,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google