A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia Antiácidos Daniela Martí Barros.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia Antiácidos Daniela Martí Barros."— Transcrição da apresentação:

1 Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia Antiácidos Daniela Martí Barros

2 Trato Gastrointestinal Principal sistema endócrinos do organismo. Possui sua própria rede neuronal – plexo de Auerbach e plexo de Meissner. Controle hormonal -secreções endócrinas (gastrina) -Secreções parácrinas (histamina)

3 Trato Gastrointestinal As principais funções do TGI que são importantes do ponte de vista farmacológico: secreção gástrica vômito (emese) motilidade do intestino e expulsão das fezes formação e secreção da bile

4 Anatomy of Stomach Cardiac Zone Gastric Zone types of cells: parietal chief mucus endocrine enterochromaffin Pyloric Zone Illustration from LifeART, MediClip, © Williams & Wilkins, a Waverly Company. parietal principal secretoras de muco

5 Regulação da Secreção Gástrica A secreção das células parietais é uma solução isotônica de HCl (150 mmol/l), com pH <1. O Cl - é transportado ativamente para o interior de canalículos existentes nas cels. A entrada do Cl - é acompanhada pela entrada de K +

6 Regulação da Secreção Gástrica O K + é trocado por H + através da bomba de prótons. O H 2 CO 3 é formado no interior da cel e dissociado através da anidrase carbônica, formando H + e HCO3 - O HCO3 - é trocado por Cl - através da membrana basal.

7 Regulação da Secreção Gástrica Principais estímulos que atuam sobre as células parietais: gastrina acetilcolina histamina as prostaglandina E 2 e I 2 inibem a secreção gástrica

8 Parietal Cell Stimulation & Secretion Acetylcholine Histamine Gastrin atropine H-2 Blocker Gastric Gland Illustrations from LifeART, MediClip, © Williams & Wilkins, a Waverly Company.

9 Gastrina Estimula a secreção de ácidos pelas células parietais. Aumenta indiretamente a secreção de pepsinogênio e estimula o fluxo sangüíneo e motilidade gástrica. O conteúdo gástrico rico em aa e pequenos peptídeos atuam diretamente sobre as cels gástricas. O leite e o cálcio tb estimulam a secreção gástrica.

10 Gastrina Tumores raros de cels secretoras de gastrina GASTRINOMAS (Síndrome de Zollinger-Ellison).

11 Acetilcolina Liberada por neurônios, estimula receptores muscarínicos específicos presentes nas cels. parietais e nas células que contêm histamina.

12 Histamina As cels. parietais são estimuladas pela histamina que atua sobre receptores H 2. Estes receptores respondem a quantidades inferiores à conc. limiar que atua sobre os receptores H 2 nos vasos. A histamina provém dos mastócitos.

13 ÚLCERA PÉPTICA A gênese da úlcera péptica envolve: infecção na mucosa por Helicobacter pylori desequilíbrio entre os mecanismos de lesão da mucosa (ácido, pepsina) e mecanismos protetores (muco, bicarbonato, síntese de PGE 2 e PGI 2 )

14 Principais condições patológicas que requerem redução da secreção ácida As principais condições patológicas que requerem redução da secreção ácida: ulceração péptica (duodenal ou gástrica) esofagite de refluxo Síndrome de Zollinger-Ellison (tumor de gastrina).

15 Terapêutica utilizada para inibir ou neutralizar a secreção de ácido gástrico Considerações importantes: H. pylori – bacilo Gram negativo provoca gastrite crônica. Adm AINES - síntese de prostaglandinas, secreção de muco e de bicarbonato.

16 Terapêutica utilizada para inibir ou neutralizar a secreção de ácido gástrico Antagonistas dos receptores H 2. Inibidores da Bomba de Prótons. Antiácidos

17 Antagonistas dos receptores H 2 Inibem competitivamente as ações de histamina em todos os receptores H 2. Inibem a secreção ácida estimulada pela histamina e pela gastrina e reduzem a secreção ácida estimulada pela ACh. Podem ocorrer recidivas quando suspende o tratamento.

18 Antagonistas dos receptores H 2 Principais representantes: cimetidina ranitidina nizatidina famotidina

19 Inibidores da Bomba de Próton Efeitos indesejáveis: Cefaléia, diarréia (às vezes graves) Erupções cutâneas Tonteiras, sonolência e confusão mental Ginecomastia Dor nos músculos e nas articulações

20 Antagonistas dos receptores H 2 EFEITOS INDESEJADOS: Raros Diarréia, tontura, dores musculares, erupções cutâneas transitórias e hipergastrinemia. Cimetidina – pode provocar ginecomastia em homens por afinidade moderada em receptores androgênios.

21 Antagonistas dos receptores H 2 EFEITOS INDESEJADOS: Cimetidina – inibe citocromo P 450 e pode retardar o metabolismo (potenciando a ação) de algumas drogas: anticoagulantes orais, fenitoína, carbamazepina, quinidina, nifedipina, teofilina e ADT. Ranitidina – tem menor ef. sobre os receptores androgênicos e sistema P450.

22 Acetylcholine Histamine Gastrin atropine H-2 Blocker ATP cAMP Ca++ Energy H+/K+ ATPase Pump H+ K+ mast cell Vagus Nerve from circulation

23 Inibidores da Bomba de Prótons Omeprazol – inbidor irreversível da H + /K + - ATPase (bomba de prótons). Acumula-se preferencialmente em áreas de pH muito baixo, nos canalículos secretórios das cels parietais gástricas – ef específico sobre essas cels. Lansoprazol e pantoprazol

24 Inibidores da Bomba de Prótons Principais indicações: úlceras pépticas resistentes aos antagonistas H 2. esofagite de refluxo terapia para infecção Helicobacter pylori Síndrome de Zollinger-Ellison (rara – droga de escolha)

25 Antagonistas dos receptores H 2 Aspectos farmacocinéticos e efeitos indesejáveis: Bem absorvidos por v.o. cimetidina e ranitidina – (2x dia) preparações IM e EV famotidina e nizatidina – (1x dia)

26 Inibidores da Bomba de Próton Aspectos farmacocinéticos: Adm VO – cápsula revestidas, rapidamente degradado em pH baixo. Dose diária – ef prolongado 2-3 dias devido ao acúmulo nos canalículos.

27 Proton Pump Inhibitors MOA of Proton Pump Inhibitors

28 Antiácidos Atuam ao neutralizar o ácido gástrico, elevando o pH. Inibe a ativadade péptica (cessa com pH 5,0) Mais comuns: sais de magnésio e de alumínio

29 Antiácidos Sais de magnésio – provocam diarréia. Sais de alumínio – provocam constipação Útil a utilização da mistura destes sais

30 Antiácidos Principais preparações: Hidróxido de alumínio (não produz alcalose sistêmica) Trissilicato de magnésio Gel de hidróxido de alumínio Bicarbonato de sódio (provoca alcalose, provoca eructação e estimula a secreção de gastrina secundária da secreção)

31 Tratamento da Infecção por H. pylori Terapia combinada: Omeprazol, amoxacilina e metronidazol Outras combinações: - omeprazol + claritromicina e amoxacilina ou tetraciclina + metronidazol e quelatos de bismuto.

32 Drogas que protegem a mucosa Quelatos de bismuto – utilizado em esquemas de combinação no tratamento da infecção por H. pylori, reveste a base da úlcera, adsorve a pepsina, potencializa a síntese local de prostaglandinas e estimula a secreção de bicarbonato. Sucralfato (Al(OH) 3 + sacarose sulfatada Misoprostol (análogo estável da PGE 1 )

33 A unidade, um ideal de unidade, paira no ar nestes tempos....O menino que festejamos não sonhou menos. Ele veio à terra para que todos sejam uma só coisa. E deu sua vida para que seu sonho se realize... Feliz Natal e um Super Ano Novo


Carregar ppt "Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia Antiácidos Daniela Martí Barros."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google