A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TEMA: A VISÃO DO FARMACÊUTICO A EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO AMBULATÓRIO DE QUIMIOTERAPIA FARM. SANDRA MARIA ASFORA HAZIN Serv. de Quimioterapia de PE -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TEMA: A VISÃO DO FARMACÊUTICO A EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO AMBULATÓRIO DE QUIMIOTERAPIA FARM. SANDRA MARIA ASFORA HAZIN Serv. de Quimioterapia de PE -"— Transcrição da apresentação:

1 TEMA: A VISÃO DO FARMACÊUTICO A EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO AMBULATÓRIO DE QUIMIOTERAPIA FARM. SANDRA MARIA ASFORA HAZIN Serv. de Quimioterapia de PE - SEQUIPE Recife, 2013

2 Principal instrumento para a qualidade da farmacoterapia. Principal instrumento para a qualidade da farmacoterapia. Atua em várias etapas da terapia antineoplásica (TA), não limitando-se apenas à dispensação da prescrição médica ou ainda manipulação propriamente dita. Atua em várias etapas da terapia antineoplásica (TA), não limitando-se apenas à dispensação da prescrição médica ou ainda manipulação propriamente dita. FARMACÊUTICOS EM ONCOLOGIA Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

3 Fornecendo Informações sobre: Fotossensi- bilidade Doses usuais e ajuste Ordem e tempo de infusão Estabilidade Incompatibi- lidade físico- química Toxicidade acumulativa Formas e vias de administra- ção Farmaco- dinâmica Dose máxima Farmaco- cinética O FARMACÊUTICO NA COMUNICAÇÃO COM A EQUIPE MULTIDISCIPLINAR

4 O conjunto de atitudes, comportamentos, compromissos, inquietações, valores éticos, funções, conhecimentos, responsabilidades e destrezas do farmacêutico na prestação da farmacoterapia, com o objetivo de alcançar resultados terapêuticos definidos para a saúde e qualidade de vida do paciente``. ´´ O conjunto de atitudes, comportamentos, compromissos, inquietações, valores éticos, funções, conhecimentos, responsabilidades e destrezas do farmacêutico na prestação da farmacoterapia, com o objetivo de alcançar resultados terapêuticos definidos para a saúde e qualidade de vida do paciente``. SEGUNDO A OMS, ATENÇÃO FARMACÊUTICA (AF) É:

5 O foco da atenção farmacêutica para o paciente está no aconselhamento e monitoramento da terapia farmacológica. O foco da atenção farmacêutica para o paciente está no aconselhamento e monitoramento da terapia farmacológica. Conhecer em detalhes os aspectos intrínsecos dos medicamentos em uso é essencial; Conhecer em detalhes os aspectos intrínsecos dos medicamentos em uso é essencial; O aconselhamento deve ser precedido de todas as informações necessárias para garantir a adesão ao tratamento; O aconselhamento deve ser precedido de todas as informações necessárias para garantir a adesão ao tratamento; Usar sempre material informativo, de caráter educativo com orientação direta ao paciente e ao cuidador. Usar sempre material informativo, de caráter educativo com orientação direta ao paciente e ao cuidador. ATENÇÃO FARMACÊUTICA AO PACIENTE ONCOLÓGICO Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

6 Efeitos dos citostáticos; Efeitos dos citostáticos; Terapêutica de suporte utilizada; Terapêutica de suporte utilizada; Efeitos adversos relevantes; Efeitos adversos relevantes; Interações medicamentosas. Interações medicamentosas. O conteúdo do aconselhamento ao paciente deve abranger: CUIDADOS FARMACÊUTICOS AO PACIENTE Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

7 Esta estratégia merece atenção especial, pois medicamentos são substâncias químicas que podem interagir: Esta estratégia merece atenção especial, pois medicamentos são substâncias químicas que podem interagir: Com nutrientes Com outros agentes químicos Entre si Podendo desencadear respostas prejudiciais ao tratamento medicamentoso oncológico.POLIFARMÁCIAPOLIFARMÁCIA

8 Ocorrem entre: Os diversos quimioterápicos usados; Os diversos quimioterápicos usados; Os medicamentos não quimioterápicos usados antes, durante e após a quimioterapia. Os medicamentos não quimioterápicos usados antes, durante e após a quimioterapia. Os diversos quimioterápicos usados; Os diversos quimioterápicos usados; Os medicamentos não quimioterápicos usados antes, durante e após a quimioterapia. Os medicamentos não quimioterápicos usados antes, durante e após a quimioterapia. Os quimioterápicos: Os quimioterápicos: – e os não quimioterápicos; – e os produtos fitoterápicos; – e os alimentos; – e o álcool; – e o tabaco. Os quimioterápicos: Os quimioterápicos: – e os não quimioterápicos; – e os produtos fitoterápicos; – e os alimentos; – e o álcool; – e o tabaco. INTERAÇÕES FARMACOLÓGICAS MAIS IMPORTANTES NO TRATAMENTO ONCOLÓGICO

9 Os pacientes da terapia antineoplásica são candidatos ao desenvolvimento de potenciais reações adversas devido a: Poliquimioterapia; Poliquimioterapia; Margem terapêutica estreita dos medicamentos em uso; Margem terapêutica estreita dos medicamentos em uso; Tratamento prolongado; Tratamento prolongado; Concomitância com outros tratamentos de suporte Concomitância com outros tratamentos de suporte. FARMACOVIGILÂNCIAFARMACOVIGILÂNCIA Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

10 Nessa área o farmacêutico tem colaborado muito com: A detecção e identificação de reações adversas e dos fatores de riscos para o desenvolvimento destas; A detecção e identificação de reações adversas e dos fatores de riscos para o desenvolvimento destas; Além de propor medidas de intervenção e prevenção, visto que as reações adversas a medicamentos são algumas causas de internamento onerando custos. Além de propor medidas de intervenção e prevenção, visto que as reações adversas a medicamentos são algumas causas de internamento onerando custos. Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi FARMACOVIGILÂNCIAFARMACOVIGILÂNCIA

11 Caso quantidade insuficiente chegue aos receptores: Infusões rápidas demais : O fármaco pode parecer ineficaz. O fármaco pode parecer ineficaz. Podem mimetizar esquemas posológicos inapropriados; Podem mimetizar esquemas posológicos inapropriados; Concentrações excessivas no sítio de ação, podem acarretar toxicidade. Concentrações excessivas no sítio de ação, podem acarretar toxicidade. O sucesso terapêutico poderia ser alcançado com tempo de infusão, dose ou intervalo posológico correto. FÁRMACOS PODEM SER ADMINISTRADOS ERRONEAMENTE

12 Aumento da concentração induz à toxicidade Diminuição da concentração afeta sua eficácia FAIXA TERAPÊUTICA ESTREITA

13 DOSAGEM SUBTERAPÊUTICA SUPERDOSAGEM INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS SELEÇÃO INADEQUADA DO MEDICAMENTOEXTRAVASAMENTO Resultam de situações diversas: PROBLEMAS RELACIONADOS A MEDICAMENTOS (PRMs)

14 Definição: É uma reação adversa a medicamento (RAM) que pode ocorrer na quimioterapia com antineoplásicos vesicantes e irritantes. Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi EXTRAVASAMENTOEXTRAVASAMENTO

15 PACIENTES QUE ESTÃO EM TRATAMENTO HÁ MUITO TEMPO FIBROSE VENOSA PH DE CARÁTER ÁCIDO ALTAS CONCENTRAÇÕES DA DROGA DÉFICIT NUTRICIONAL CONDIÇÕES QUE PROPICIAM O EXTRAVASAMENTO

16 Promovem a vasoconstrição; Promovem a vasoconstrição; Reduz o fluxo sanguíneo local; Reduz o fluxo sanguíneo local; Reduz a absorção pelo tecido circunvizinho. Reduz a absorção pelo tecido circunvizinho. Promovem a vasoconstrição; Promovem a vasoconstrição; Reduz o fluxo sanguíneo local; Reduz o fluxo sanguíneo local; Reduz a absorção pelo tecido circunvizinho. Reduz a absorção pelo tecido circunvizinho. TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO EM CASO DE EXTRAVASAMENTO Compressas frias:

17 Promovem a vasodilação; Promovem a vasodilação; Facilita a absorção de fluídos; Facilita a absorção de fluídos; Diminui a concentração de droga no local. Diminui a concentração de droga no local. Promovem a vasodilação; Promovem a vasodilação; Facilita a absorção de fluídos; Facilita a absorção de fluídos; Diminui a concentração de droga no local. Diminui a concentração de droga no local. TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO EM CASO DE EXTRAVASAMENTO Compressas quentes:

18 CORTICÓIDESHIDROCORTISONADEXAMETASONA APLICAÇÃO TÓPICA OU SUBCUTÂNEA. TRATAMENTO FARMACOLÓGICO EM CASO DE EXTRAVASAMENTO OU

19 Tiossulfato de sódio 10% Dimetilsulfóxido 90-99% Hialuronidase 150 UI Bicarbonato de Sódio Efeito alcalinizante ANTÍDOTOS UTILIZADOS NO EXTRAVASAMENTO

20 Evitar exposição de luz com drogas fotossensíveis nas áreas afetadas; Evitar exposição de luz com drogas fotossensíveis nas áreas afetadas; Dor persistente após 48hs; Dor persistente após 48hs; Progressão da área afetada para ulceração ou necrose. Progressão da área afetada para ulceração ou necrose. ORIENTAÇÕES EM CASO DE EXTRAVASAMENTO Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

21 Detecção do extravasamento Interromper a infusão sem retirar o dispositivo venoso Aspirar o volume máximo possível de droga extravasada Retirar o dispositivo venoso Comunicar o farmacêutico Verificar o tipo de droga infundida Identificar os sinais e sintomas apresentados pelo paciente Indicar a aplicação de compressas frias ou quentes e corticóides Orientar o paciente sobre os cuidados a serem tomados Fazer notificação da reação adversa no prontuário ENFERMEIRO FARMACÊUTICO ENFERMEIRO E FARMACÊUTICO INTERVENÇÕES DO ENFERMEIRO E DO FARMACÊUTICO NO EXTRAVASAMENTO

22 Hoje não é mais recomendada por causa do risco de extravasamento, que pode ocorrer mesmo na presença de adequado retorno sanguíneo, no momento da aspiração com a agulha. Hoje não é mais recomendada por causa do risco de extravasamento, que pode ocorrer mesmo na presença de adequado retorno sanguíneo, no momento da aspiração com a agulha. Apresenta como desvantagem o aumento da incidência de efeitos adversos gerados pela elevada concentração. Apresenta como desvantagem o aumento da incidência de efeitos adversos gerados pela elevada concentração. ADMINISTRAÇÃO EM BOLUS – CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

23 As Características Físico-Químicas das Soluções são de Fundamental Importância SEQUÊNCIA DA ORDEM DE INFUSÃO Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

24 pH Índice que indica a acidez, a neutralidade ou alcalinidade de um meio qualquer IMPORTÂNCIA FLEBITES Fatores envolvidos: - pH baixo - alta velocidade de fluxo POTENCIAL HIDROGENIÔNICO

25 Medicações ou soluções irritantes; Medicações ou soluções irritantes; Medicações diluídas ou misturadas inapropriadamente; Medicações diluídas ou misturadas inapropriadamente; Infusão muito rápida; Infusão muito rápida; Presença de pequenas partículas na solução. Presença de pequenas partículas na solução. Medicações ou soluções irritantes; Medicações ou soluções irritantes; Medicações diluídas ou misturadas inapropriadamente; Medicações diluídas ou misturadas inapropriadamente; Infusão muito rápida; Infusão muito rápida; Presença de pequenas partículas na solução. Presença de pequenas partículas na solução. Quanto mais ácida a solução Maior risco de flebite química CONTRIBUEM PARA O DESENVOLMENTO DE FLEBITE QUÍMICA

26 A concentração do medicamento pode ser controlada: pela velocidade de infusão pelo volume de diluição ou com a associação desses dois procedimentos CONTROLE DE CONCENTRAÇÃO

27 FOCO DA ATIVIDADE DO FARMACÊUTICO Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

28 FARMACOTERAPIA PATOLOGIAS ANÁLISES CLÍNICAS FITOTERAPIA FARMACOCINÉTICA FARMACODINÂMICA CONHECIMENTOS DIVERSOS

29 ATRIBUIÇÕES EXCESSIVAS Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

30 DIVERSAS ATIVIDADES Fonte:http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi

31 FUNDAMENTAL!!!FUNDAMENTAL!!!

32 EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NA TERAPIA ANTINEOPLÁSICA

33

34 Obrigada!!!


Carregar ppt "TEMA: A VISÃO DO FARMACÊUTICO A EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO AMBULATÓRIO DE QUIMIOTERAPIA FARM. SANDRA MARIA ASFORA HAZIN Serv. de Quimioterapia de PE -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google