A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FORTALEZA 2010 PROSPOSTA PEDAGÓGICA DE PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA, DO BULLYING E DAS DROGAS: A UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA SOCIAL NA APRENDIZAGEM DAS ESCOLAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FORTALEZA 2010 PROSPOSTA PEDAGÓGICA DE PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA, DO BULLYING E DAS DROGAS: A UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA SOCIAL NA APRENDIZAGEM DAS ESCOLAS."— Transcrição da apresentação:

1 FORTALEZA 2010 PROSPOSTA PEDAGÓGICA DE PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA, DO BULLYING E DAS DROGAS: A UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA SOCIAL NA APRENDIZAGEM DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE FORTALEZA EXISTENTES NA SER III

2 FORTALEZA 2010 PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA E DO BULLYING NO ÂMBITO ESCOLAR: A UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA SOCIAL NA APRENDIZAGEM DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE FORTALEZA EXISTENTES NA SER III. Maria José Esmeraldo Rolim ASUNCIÓN

3 FORTALEZA – CE - BRASIL Orla

4 FORTALEZA – CE - BRASIL

5

6 População hab. IDH0,786 PIB per capitaR$ ,50/ano

7 Como prevenir os atos de violência, do bullying e das drogas e qual a repercussão desses fatores na aprendizagem e como usar a inteligência social nas relações das escolas municipais de Fortaleza? A PERGUNTA DE PARTIDA DO ESTUDO :

8 OBJETIVO DO ESTUDO OBJETO DO ESTUDO : A violência visualizada nas escolas públicas e os meios de minimizá-las. OBJETIVO GERAL : Procurar novas propostas pedagógicas e analisar como os professores orientam os alunos a desenvolver ferramentas que harmonizem a sala de aula, prevenindo e combatendo a violência, o bullying e as drogas. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Prevenir as causas da violência na escola e sua repercussão social; visualizar na cultura familiar os seus problemas relacionados ao bullying e às drogas; identificar experiências da psicologia positiva em outras escolas que diminuíram a violência e o acesso dos alunos às drogas.

9 JUSTIFICATIVA: A pesquisa decorreu do interesse por oferecer um retorno à escola e aos alunos, levando-os a compreender a atual situação de violência e suas diferentes formas no âmbito das escolas, ajudando-os, ainda, a fazer uma reflexão crítica sobre este assunto, a partir das quais poderão organizar diretrizes que busquem solucionar ou, pelo menos, minimizar o problema, melhorando a convivência no contexto da escola. AUTORES CONSULTADOS: Alguns autores subsidiaram as várias teorias e enfoques apresentados a respeito do assunto, no decorrer do trabalho, dentre os quais se citam Mounier (1976) Bourdieu (2009), Silva (1997), Charlot (2005), Gadner (1995) Ferreiro (1993), Jersild (1973), Murad (1985), Sá (1997).

10 O PRESENTE TRABALHO ESTÁ ASSIM ESTRUTURADO: 1ENTENDENDO A VIOLÊNCIA 2 CAUSAS DA VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS 3 CAUSAS DA VIOLÊNCIA NOS DIAS ATUAIS 4 O PERCURSO METODOLÓGICO DO ESTUDO E A METODOLOGIA 5 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS DA PESQUISA 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS 7 SUGESTÕES DA PESQUISA

11 ENTENDENDO A VIOLÊNCIA TIPOS DE VIOLÊNCIA A VIOLÊNCIA SIMBÓLICA A VIOLÊNCIA BRANCA A VIOLÊNCIA INDIRETA A VIOLÊNCIA FAMILIAR BULLYING MOBBING

12 CAUSAS DA VIOLÊNCIA NOS DIAS ATUAIS FALTA DE TRABALHAR INTELIGÊNCIA EMOCIONAL NAS FAMILIAS DESENVOLVER AS POTENCIALIDADES DO ALUNO RESILIÊNCIA VIVÊNCIAS

13 Pesquisa de natureza descritiva, com abordagem qualitativa e quantitativa, daí porque foram utilizados os instrumentos de coleta de dados mais frequentemente utilizados nas ciências comportamentais, como: questionário, entrevistas e pesquisa bibliográfica. METODOLOGIA :

14 Também se recorreu à pesquisa de campo, do tipo estudo de caso, realizada em duas escolas públicas do Município de Fortaleza-CE, as quais foram escolhidas como locus da pesquisa por apresentarem um alto índice de carência e de violência. METODOLOGIA :

15 A pesquisa foi vivenciada na totalidade do social escolar (pais, alunos e professores) da comunidade pesquisada, mudando sempre de atitudes e o que conduziu à reflexão sobre como tratar essa problemática humana, por um enfoque científico. O universo pesquisado foi, portanto, constituído por alunos, pais e educadores vinculados às escolas de Ensino Fundamental do Município e Fortaleza – Ceará – Brasil. Foram entrevistados alunos com faixa de idade 10 a 17 anos. METODOLOGIA :

16 Foi elaborado um questionário para uma amostra constituída por cem (100) professores, que responderam a 34 perguntas fechadas, apontando as fragilidades da sociedade capitalista que precisam ser enfrentadas e corrigidas. Também foram entrevistados duzentos (200) alunos da rede pública municipal de Fortaleza. INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS:

17 Foram, ainda, entrevistados pais e pessoas da comunidade, com a intenção de evidenciar a necessidade de realização de estudos diversos nessa área, para prevenir a violência nas escolas, por meio da estimulação da educação para a cidadania. Os instrumentos de pesquisa utilizados têm em comum o fato de poderem responder, de forma plena, às indagações e perguntas formuladas, dando ao pesquisador as informações que ele pretende obter. INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS:

18 A pesquisa de campo foi do tipo estudo de caso, cujos ambientes pesquisados foram duas escolas públicas do Município de Fortaleza-CE, as quais foram escolhidas como locus da pesquisa por apresentarem um alto índice de carência e de violência.

19 Idades dos estudantes pesquisados Fonte: Pesquisa direta

20 Estado civil dos pais dos estudantes pesquisados Fonte: Pesquisa direta

21 Ocupação dos pais dos estudantes pesquisados Fonte: Pesquisa direta

22 Renda familiar dos pais dos estudantes pesquisados Fonte: Pesquisa direta

23 Causas da violência, apontadas pelos estudantes pesquisados 1. Desgaste nas famílias: separações, mortes, consumo de drogas, falta ou inversão de valores morais e éticos, desprestígio da educação, carência afetiva dos filhos (40%); 2. Pais omissos: ausentes dos problemas escolares, coniventes com os erros dos filhos, não incentivando os estudos, não impondo limites aos filhos, jogando para a escola a responsabilidade da família (63%); 3. Carências múltiplas: desemprego, miséria, exclusão social, falta de tempo para os filhos (35%); 4. Falta de religião (18%); 5. Falta de apoio psicológico e assistência social (8%).

24 Estudantes pesquisados que assistem, ou não, filmes violentos Fonte: Pesquisa direta

25 Relacionamento dos estudantes pesquisados com seus pais Fonte: Pesquisa direta

26 Presença de Bullying na escola Fonte: Pesquisa direta

27 Estudantes que aderem a uma religião e aos valores que apregoa Fonte: Pesquisa direta

28 Reações dos estudantes que presenciam agressões na rua Fonte: Pesquisa direta

29 Riscos aos estudantes, no caminho da escola Fonte: Pesquisa direta

30 Estudantes que já foram vítimas de bullying na escola Fonte: Pesquisa direta

31 Entrevista com alunos sobre outros tipos de bullying, como o indireto e o familiar Fonte: pesquisa direta

32 A violência na escola é reflexo da falta de limites, que já começa em casa, em lares desajustados onde é comum o uso de drogas e, consequentemente, cenas de violência Isolamento na família e na escola. Síntese da pesquisa com estudantes:

33 É necessário um compromisso efetivo, por parte da comunidade familiar e escolar, em relação à formação integral das crianças e dos adolescentes trabalhando desde cedo a autoestima e resolução dos problemas, procurando desenvolver educação dos sentimentos que magoam e fazem parte da inteligência emocional. Síntese da pesquisa com estudantes:

34 O número de crianças privadas de amor, carinho e gentilezas (mesmo que tenham família e condições de sustento) é gritante. Síntese da pesquisa com estudantes:

35 Sem dúvida, todas essas causas escondem maneiras ideológicas dos mais ricos se perpetuarem na dominação e no poder. São situações injustas e humilhantes que nos leva a analisar os interesses das partes em confronto. Síntese da pesquisa com estudantes:

36 CONCLUSÃO: Falta de condições econômicas para os educadores se reciclarem. Não valorização dos profissionais de educação e sua prática. Os recursos legais destinados à educação não chegam, muitas vezes, ao destino final. Necessidade de se revisar as propostas educacionais. A afetividade e as vivências dos alunos e dos professores provêm de culturas bem diferentes e repercutem na aprendizagem. As propriedades intelectuais dos adultos não são resultado único de sua maturação, mas de sua origem social, da sua inteligência emocional e social. Falta trabalhar resiliência e suas influências percebidas no personalismo, no combate diário usando a inteligência social.

37 CONCLUSÃO: Escola- - Conscientização dos educandos sobre violência - Condições para desenvolver ações na comunidade - Participação ativa em projetos dos pais. Políticas publicas: -Devem ser repensadas em sua essência - Maior interação pai, comunidade e escola -Redução da diferenças sociais COM OPORTUNIDADE de crescimento de renda familiar -Estímulo a cultura de paz Mensagem: O caminhar contra todo os tipos de agressões e demais atos violentos devem ser contínuos. As ação de todos os que fazem parte da sociedade como cidadãos, uma constante; tentando formar o sujeito para que se tenha uma escola de qualidade, que ensine e dê exemplo de Paz.

38 Sugere-se que sejam aplicados 10% do PIB na Educação Brasileira em 2014, e que seja favorecida a formação continuada para professores com direito a afastamento para realizar cursos na área de combate e prevenção da violência, das drogas e do bullying. Novas propostas de trabalhar o aluno como todo, usando a inteligência social na escola. SUGESTÃO:

39 OBRIGADA!


Carregar ppt "FORTALEZA 2010 PROSPOSTA PEDAGÓGICA DE PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA, DO BULLYING E DAS DROGAS: A UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA SOCIAL NA APRENDIZAGEM DAS ESCOLAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google