A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ISO/IEC 15504 (SPICE) Prof. Alexandre Vasconcelos 1/39.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ISO/IEC 15504 (SPICE) Prof. Alexandre Vasconcelos 1/39."— Transcrição da apresentação:

1 ISO/IEC (SPICE) Prof. Alexandre Vasconcelos 1/39

2 Projeto SPICE e ISO/IEC Norma ISO/IEC (desenvolvida pela ISO e pelo IEC, com o apoio do projeto SPICE - Software Process Improvement and Capability dEtermination) Padrão Internacional para Avaliação de Processos de Software Tem como modelo de referência de Processo a Norma ISO/IEC /39

3 Objetivos Determinar a capacidade dos processos de uma empresa Orientar a empresa para uma melhoria contínua de seus processos 3/39

4 Benefícios Para Indústria de Software –Fornecedores de software submetem-se a apenas um esquema de avaliação de software –Organizações de desenvolvimento de software têm uma ferramenta para iniciar e manter um processo contínuo de melhoria Para os Compradores de Software –Permite determinar a capacidade dos fornecedores de software e avaliar os riscos na seleção de um fornecedor sobre outro 4/39

5 Histórico Janeiro de 1992: estudo da ISO sobre as necessidades e os requisitos de um padrão internacional para avaliação de processos de SW; : Criação do projeto SPICE e elaboração da versão inicial; Realização de trials - Fase 1 (35 avaliações); 1996: Versão PDTR (Previous Draft Technical Report); 1997: Versão DTR, Trials - Fase 2 (70 avaliações); 1998: Versão TR2, Início dos Trials - Fase 3; : Transformação em Norma ISO/IEC /39

6 Propósito de Uso Auto-compreensão do estado de processos de software Auto-determinação de adequabilidade de processos para determinados (classe de) requisitos Determinação da adequabilidade dos processos de uma organização (fornecedora) no atendimento a um (uma classe de) contrato particular 6/39

7 Requisitos para uma avaliação Uma avaliação de processo para ser conforme com a 15504, tem que satisfazer três requisitos básicos: –ser verificada por um avaliador competente –ter como referência um modelo de avaliação de processo compatível (ex ) –ser realizada seguindo um processo compatível 7/39

8 Hoje Cobre todos os aspectos da Qualidade do Processo de Software e tem sido elaborada num esforço de centros técnicos espalhados pelo mundo (EUA, Canadá, América Latina, Europa, Pacífico Norte e Pacífico Sul) Um grupo de estudos da ABNT tem participando do processo de desenvolvimento, além de trabalhar nas versões da norma para o português 8/39

9 Composição da Norma : Conceitos e Vocabulário (Concepts and Vocabulary) Normativo - Publicação : Executando uma Avaliação (Performing an Assessment) Normativo - Publicação 2003, apresenta os Requisitos para uma avaliação compatível com a : Guia sobre Executando uma Avaliação (Guidance on performing an assessment) Informativo - Publicação 2004, apresenta um Exemplo de um processo de avaliação : Guia sobre Utilização do Resultado de Avaliação (Guidance on using assessment results) Informativo - Publicação 2004, apresenta um Guia para orientação na melhoria de processos : Um Exemplo de Modelo de Avaliação de Processo (An exemplar process assessment model) Informativo - Publicação 2005, apresenta um Modelo de capacidade para a Engenharia de Software com base nos processos da ISO /39

10 Visões da Framework ISO/IEC :  Estrutura e requisitos para modelos de capacidade de processo e métodos de avaliação de processo  Para entidades desenvolvedoras de modelos e métodos Modelo ISO/IEC :  Exemplo de um modelo, no caso para software (com base na ISO/IEC 12207)  Para organizações intensivas em software Salviano, Clenio F., /39

11 Modelo de Processo da ISO A arquitetura dos modelos é denominada de arquitetura contínua, com duas dimensões: –dimensão de processo (relacionada a “o que fazer”, organizada em processos específicos); –dimensão de capacidades de processo (relacionada ao “quão bem fazer qualquer coisa”, organizada em níveis de capacidade genéricos).. A define um exemplo de um modelo compatível com a : denominado de ISO/IEC , e representa um conjunto de melhores práticas para a engenharia de software. nível de capacidade de processos pa pb... pn processos 11/39

12 Relação de modelos para avaliação de processo e métodos de avaliação de processo. Salviano, Clênio Figueiredo /39

13 Processos : Dimensão de Processos 13/39

14 48 processos que estão organizados em 3 categorias de processo e 10 grupos de processo 14/39

15 15/39

16 Identificação: ACQ.1 Nome: Preparação para aquisição (Acquisition preparation ) Propósito: estabelecer as necessidades e objetivos da aquisição e comunicá-los aos potenciais fornecedores. Resultados: –R1 - o conceito ou a necessidade de aquisição, desenvolvimento ou melhoria é estabelecido; –R2 - os requisitos de aquisição necessários, definindo as necessidades do projeto, são definidos e validados; –R3 - os requisitos conhecidos do cliente são definidos e validados; –R4 - uma estratégia de aquisição é desenvolvida; e –R5 - os critérios de seleção do fornecedor são definidos. Práticas Base: –ACQ.1.BP1: Establish the need. Establish a need to acquire, develop, or enhance a system, software product or service. [Outcome: 1] –ACQ.1.BP2: Define the requirements. Identify the customer/stakeholder requirements for a system and/or software product or service. [Outcomes: 2, 3] –ACQ.1.BP3: Review requirements. Analyze and validate the defined requirements against the identified needs. Validate the requirements to reduce risk of misunderstanding by the potential suppliers. [Outcome: 3] –ACQ.1.BP4: Develop acquisition strategy. Develop a strategy for the acquisition of the product according to the acquisition needs. [Outcome: 4] –Note 1: The strategy may include reference to the life cycle model, schedule and selection criteria. –ACQ /39 Exemplo: Processo de Aquisição - The Acquisition Process Group (ACQ)

17 : Dimensão de Capacidades 17/39

18 Nível 5 :Processo Otimizando Nível 4 :Processo Previsível Nível 3 :Processo Estabelecido Nível 2 :Processo Gerenciado Nível 1 :Processo Executado Nível 0 :Processo Incompleto 18/39

19 Existe uma falha geral na satisfação do propósito do processo Existem poucos (ou difíceis de serem identificados) produtos de trabalho ou resultados de processos Nível 0 - Incompleto 19/39

20 O propósito do processo é geralmente alcançado –talvez de uma forma não planejada e acompanhada As pessoas da organização reconhecem que uma ação deve ser executada e quando isto deve ser feito Existem produtos de trabalho para o processo e eles evidenciam a satisfação do propósito do processo Nível 1 - Executado 20/39

21 O processo produz produtos de trabalho de acordo com procedimentos específicos –Processo planejado e acompanhado Os produtos de trabalho estão conforme os padrões e requisitos especificados A execução do processo passa a construir produtos de trabalho que satisfazem os requisitos de qualidade especificados, dentro do cronograma de tempo e dos recursos necessários Nível 2 - Gerenciado 21/39

22 O processo é executado e gerenciado utilizando um processo definido A implantação de um processo usa uma versão customizada e aprovada de um processo padrão O processo utiliza um processo padrão que é capaz de atingir seus resultados definidos Nível 3 - Estabelecido 22/39

23 O processo definido é executado consistentemente na prática, dentro de limites de controle definidos Medições detalhadas de desempenho são coletadas e analisadas A qualidade dos produtos é conhecida de forma quantitativa O processo passa a ser executado consistentemente dentro de limites definidos para atingir seus resultados Nível 4 - Previsível 23/39

24 O desempenho do processo é continuamente melhorado O processo consegue repetibilidade em atingir suas metas de negócio definidas Otimização contínua do processo envolve experiências de ideias e tecnologias inovadoras Nível 5 - Otimizando 24/39

25 Avaliação de Processo com a ISO A define os requisitos para uma avaliação compatível com a inclui os principais elementos de um processo de avaliação de processo. 25/39

26 Elementos de um processo de avaliação de processo 26/39

27 Requisitos para uma avaliação compatível com a 15504: 27/39

28 Pontuação de Atributo de Processo Um valor tem que ser atribuído a cada atributo de processo, baseado nos dados validados. composta pelos seguintes valores: –“N”: o atributo não foi atingido pelo processo; –“P”: o atributo foi atingindo apenas parcialmente pelo processo; –“L”: o atributo foi atingido largamente pelo processo; e –“F”: o atributo foi atingido completamente (em inglês, fully) pelo processo. Para estar em um nível de capacidade, um processo tem que ter notas “L” ou “F” nos atributos do nível e “F” em todos os atributos dos níveis anteriores. 28/39

29 Exemplos de Pontuação de Atributos de Processo 29/39

30 Melhoria de Processo (ISO 15504) A ISO/IEC descreve um guia para orientação da melhoria de processo, tendo como referência um modelo de processo e como uma das etapas a realização de uma avaliação de processo 30/39

31 1 - Examinar necessidades da organização 2 - Inicia processo de melhoria 3 - Avalia Processo 4 - Planeja Melhoria 5 -Implementa melhoria 6 - Confirmar melhoria 7 - Matem melhoria 8 - Monitorar desempenho Melhoria de Processo ISO/IEC /39

32 Utilização da ISO/IEC QuemPorqueComoQuando Organizações de software O que fazer para melhorar o processo de software Guia para Gerenciar o processo e práticas Guia de referência Documentos de treinamento Durante o desenvolvimento ou revisão do processo de software Avaliadores do Processo Determinar como as organizações gerenciam processos de software e seus resultados Lista de Verificação Antes e durante a avaliação do processo de software 32/39

33 33/39

34 Comparação com outros Modelos 34/39

35 ASPECTOS ABORDADOS ISO 9001/9000-3ISO/IEC 12207CMM ISPICE /ISO OBJETIVOS Certificar a empresa de acordo com o contrato de fornecimento do software. Estabelece um entendimento para todos os processos envolvidos com software. Motivar a capacitação da organização de acordo com níveis estabelecidos. Motivar a capacitação, promover melhoria e ter o conhecimento para avaliar os processos. NORMAsim nãosim ABORDAGEM Verificação do acordo de processos a padrões documentados É apresentado o conceito dos processos para aquisição, fornecimento, operação e manutenção de software. Avaliação dos processos e enquadramento da empresa em um dos níveis de maturidade. Avaliação dos processos da empresa em relação a níveis de ccapacidade. ORGANIZAÇÃO ALVO Empresa que precisa de uma certificação Empresa em geral Empresa que necessita da comprovação formal de sua capacidade. Empresa em geral ÓRGÃO DE DESENVOLVIMENTO ISO SEI – Software Engineering Institute ISO/IEC 35/39

36 Conclusão É um Modelo para definir modelos de avaliação  Não pressupõe modelos de ciclo de vida de software, tecnologias de software ou metodologias de desenvolvimento Na prática, uma avaliação de processos de software é conduzida utilizando o Modelo de Avaliação de Processos e não o Modelo de Referência de Processos 36/39

37 Referências Software Process Improvement and Capability dEtermination Melhoria e Avaliação de Processo com ISO/IEC (SPICE) e CMMI, Texto acadêmico – UFLA César, Ana Cristina Freitas César. Aplicando Padrões de Qualidade no Sistema de Referência Bibliográfica, Texto acadêmico – FIP /Page4.htmlhttp://www.isospice.com/articles/15/4/TR /Page4.html 37/39

38 Referências Lima,Geovane Nogueira. SPICE/ ISO Apresentação Costa, Keilla. SPICE Apresentação Salviano, Clenio F MPE - Desenvolvendo um Método para Avaliação de Processos de Software em MPEs Utilizando a ISO/IEC 15504, Salviano, Clenio F. Novidades dos modelos do CMMI, SPICE/ISO e MPS-BR, /39

39 Referências Salviano, Clênio Figueiredo. Livro: Melhoria e Avaliação de Processo de Software com o Modelo ISO/IEC : 2006 Fernandes, Jorge H.C. SPICE e ISO 15504, 2004 Cortês, Mário L. Modelo de Qualidade de SW, /39


Carregar ppt "ISO/IEC 15504 (SPICE) Prof. Alexandre Vasconcelos 1/39."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google