A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

17-10-12 REPORTAGEM Professora Franciele. Definição do gênero É uma notícia que, pelo seu interesse, vai ser desenvolvida, ampliada; ou ainda constitui-se.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "17-10-12 REPORTAGEM Professora Franciele. Definição do gênero É uma notícia que, pelo seu interesse, vai ser desenvolvida, ampliada; ou ainda constitui-se."— Transcrição da apresentação:

1 REPORTAGEM Professora Franciele

2 Definição do gênero É uma notícia que, pelo seu interesse, vai ser desenvolvida, ampliada; ou ainda constitui-se de um assunto de interesse. A reportagem não possui uma estrutura rígida, mas geralmente costuma estabelecer conexões com o fato central, anunciado no que chamamos de lead (introdução). A partir daí, desenvolve-se a narrativa do fato principal (gerador da reportagem), ampliada e composta por meio de citações, trechos de entrevistas, depoimentos, dados estatísticos, pequenos resumos, dentre outros recursos. É sempre iniciada por um título, como todo texto jornalístico.

3 Características do gênero Pode surgir de uma notícia, a qual mereça ampliação, detalhamento, ou de assuntos de interesse comum que estão sempre servindo como base de matérias das grandes revistas, jornais e sites (educação, saúde, tecnologia, etc.); Enfoca um assunto, não um fato como a notícia, por isso é mais ampla quanto à exposição das informações;

4 Não deve apresentar opinião quanto ao assunto desenvolvido; prioriza a informatividade e, para isso, faz uso de discursos de autoridade (direto e indireto) criados a partir da relação de coerência com o tema; Usa 3ª. pessoa; Pode apresentar dados, informações objetivas, pesquisas (inclusive mencionadas no (s) texto (s) de apoio); Ao longo do texto, é possível trazer causas, consequências do problema (tema) discutido; Não deve ter parágrafo conclusivo. Uma sugestão é fechar com um discurso de autoridade.

5 ESTRUTURA Título Título auxiliar Lead (introdução) / Fato gerador (notícia) X assunto de interesse comum Desenvolvimento – informações Discursos direto e indireto de autoridade Pequenos trechos de relato

6 Texto para análise e discussão Um show de descontrole Anfetamina emagrece, mas faz muito mal. Seu consumo cresce no Brasil Com a promessa de tornar esbelto, da noite para o dia, o corpo de qualquer um, fórmulas de emagrecimento sempre fizeram sucesso estrondoso. O problema é que os obcecados pela forma nem sempre são informados de que a base dessas composições ditas milagrosas é uma dose cavalar de anfetamina, um poderoso estimulante que age no sistema nervoso central. O efeito é fulminante: a substância tira a fome, o paciente não come e emagrece rapidamente. Em contrapartida, fica agitado, irritado, sofre de insônia, de perda de memória e de depressão. Apesar dessas constatações, fórmulas que contêm anfetamina continuam sendo prescritas a quem não tem nenhuma indicação médica para usá-la. Um relatório das Nações Unidas divulgado na semana passada mostrou que o Brasil é o campeão mundial no consumo de anfetaminas e que, nos últimos anos, o uso dessas substâncias aumentou mais de 500% no país.

7 O medicamento só pode ser vendido com receita especial, sujeita à retenção na farmácia, com identificação tanto do médico quanto do paciente. Mas não é o que acontece no Brasil, numa demonstração de inabilidade tanto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quanto dos conselhos regionais e federal de medicina. "Enquanto lá fora a fiscalização é rígida, aqui não há controle algum. O uso dessa substância engloba riscos, é criminoso e jamais deve ter indicação cosmética", afirma Elisaldo Carlini, diretor do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Universidade Federal de São Paulo, e integrante do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos, da ONU. Vende-se anfetamina também pela internet, e a substância sai clandestinamente do Brasil. Em janeiro, a FDA, agência americana de controle de alimentos e remédios, chegou a publicar um alerta sobre dois produtos brasileiros que são vendidos nos Estados Unidos como suplementos dietéticos mas contêm anfetamina, entre outras substâncias controladas.

8 Além da anfetamina, as fórmulas costumam reunir mais de uma dúzia de componentes, como laxantes, diuréticos, antidepressivos e hormônios tireoidianos. Depois da interrupção do tratamento com esse tipo de composição mirabolante, é preciso cuidado redobrado. Quem já consumiu remédios para emagrecer costuma engordar mais do que antes e apresenta mais dificuldade para perder peso, já que, depois de uso continuado da anfetamina, o metabolismo fica lento e a capacidade de queimar gordura diminui. "Inibidores de apetite têm um papel importante no tratamento da obesidade, mas seu uso não pode ser de maneira alguma vulgarizado. Quem quer emagrecer precisa de um acompanhamento médico sério. Acreditar nessas composições é muito arriscado", afirma o endocrinologista Henrique Suplicy, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. A melhor solução para um emagrecimento saudável e definitivo permanece então bem distante das promessas das fórmulas e dietas da moda. A adoção de uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos regulares continuam a ser as escolhas mais adequadas. Além da mudança de hábitos e, claro, muita persistência. (Revista Veja, 2006.)

9 Proposta 1. Redija, a partir da leitura dos textos, uma reportagem sobre a decisão de parar de fumar. Use no máximo 15 linhas.

10 Texto 2 Tabagismo no Brasil: Dados do IBGE Pesquisa Especial de Tabagismo (Petab) realizada pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde, com atuação técnica do Instituto Nacional do Câncer (dados de 2008): - 17,1% da população com 15 anos ou mais são usuários de produtos derivados de tabaco, 85,4% delas diariamente. - Maior parcela dos fumantes diários consome entre 15 e 24 cigarros por dia. - Os maiores percentuais de fumantes estão entre homens, na região Sul, na área rural, entre os menos escolarizados e os de menor rendimento domiciliar per capita. - 52,1% dos fumantes afirmam planejar ou pensar em parar de fumar, mas apenas 7,2% a curto prazo. - 65% pensaram em parar de fumar por causa das advertências nos maços de cigarro. -93% dos fumantes sabem que cigarro pode causar doenças graves. -

11 Comparação NOTÍCIA x REPORTAGEM -Trata de um fato específico, dando informações de como ele ocorreu ou ocorrerá; -Tem um lead/lide objetivo (O quê?/Quem?/Quando?/Onde?); -Os discursos de autoridade citados estão relacionados ao fato em questão, detalham este acontecimento; -Usa 3ª. pessoa. -Trata de um assunto, é mais ampla (causas, efeitos do tema em questão); -A introdução pode partir de um fato, mas abordará o assunto de modo amplo; -Os discursos de autoridade citados têm importância na área sobre a qual se está dando informações; -Pode conter pequenos trechos de relato; -Usa 3ª. pessoa.


Carregar ppt "17-10-12 REPORTAGEM Professora Franciele. Definição do gênero É uma notícia que, pelo seu interesse, vai ser desenvolvida, ampliada; ou ainda constitui-se."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google