A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Teorias da Administração. GRANDES ESTRUTURAS Século XX = grandes empresas demandando mais do que a organização do chão de fábrica. Necessidade de uma.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Teorias da Administração. GRANDES ESTRUTURAS Século XX = grandes empresas demandando mais do que a organização do chão de fábrica. Necessidade de uma."— Transcrição da apresentação:

1 Teorias da Administração

2

3 GRANDES ESTRUTURAS Século XX = grandes empresas demandando mais do que a organização do chão de fábrica. Necessidade de uma Teoria da Administração mais geral. As grandes empresas passaram a desenvolver fórmulas para se organizarem internamente e profissionalizar sua administração. Isso as tornou capazes de continuar a crescer e sustentar seu crescimento. Precursores dos avanços nessa área: Daniel McCallum Harrington Emerson Pierre du Pont Alfred Sloan PLT – página 86

4 DANIEL McCALLUM O escocês Daniel Craig McCallum (21 de janeiro de de dezembro de 1878) foi um engenheiro ferroviário, conhecido como um dos pioneiros da gestão. Como diretor geral de uma ferrovia nos EUA, desenvolveu um organograma para atribuir a cada chefe de território a responsabilidade e autoridade sobre um número determinado de empregados. A ideia de McCallum logo foi copiada por outras ferrovias e em seguida, por empresas de todos os ramos de atividade, tornando-se a técnica padrão para representar a divisão do trabalho.

5 HARRINGTON EMERSON Harrington Emerson foi um engenheiro e um dos auxiliares de Frederick Taylor, responsável pela popularização da Teoria da Administração Científica e um dos representantes da sua transição em Administração Geral. Os seus principais trabalhos foram a simplificação dos métodos de estudo desenvolvidos por Taylor e o desenvolvimento dos primeiros trabalhos sobre seleção e recrutamento de trabalhadores. Em fundou a Companhia Emerson, que foi a primeira empresa de consultoria em Administração. As ferrovias eram seus clientes mais importantes. Apostava no aumento da eficiência e redução do desperdício.

6 PIERRE du PONT Du Pont criou uma estrutura organizacional hierárquica e centralizada, desenvolveu técnicas de contabilidade e previsão de mercado, adotou estratégias de diversificação e investiu em P&D. Introduziu o princípio do ROI, utlizando a técnica conhecida como a fórmula DuPont. PLT – página 87

7 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E ESTRUTURA PLT – página 88

8 DESCENTRALIZAÇÃO

9 ALFRED SLOAN Quando entrou na empresa, na década de 20, a GM era o caos, um emaranhado de negócios dispersos e desordenados. Endividada e com a produção à beira do colapso, a General Motors quase foi à falência. Sloan assumiu a presidência em 1923 e criou as divisões corporativas. Sua missão: dar suporte à produção, prover recursos financeiros, organizar fábricas, suprir mão-de-obra. A organização, sob seu comando, passaria a ser controlada por orçamentos, sistemas de contratação, relatórios de vendas.

10 ALFRED SLOAN – IMPLANTAÇÃO DA ESTRUTURA Sloan criou quatro grupos de divisões na GM: PLT – página 89 Algumas unidades centrais foram criadas: engenharia civil, recursos humanos, administração de imóveis, compras e vendas.

11 ALFRED SLOAN – POLÍTICA DE PRODUTOS

12 MOONEY E REILEY Mooney e Reiley foram os pioneiros no esforço para criar a definição do processo de administrar, afirmando que a eficiência das operações produtivas, embora importante, não era suficiente para assegurar a realização dos objetivos da empresa. A organização toda deveria ser eficiente e, para isso, precisava da coordenação eficiente de todas as suas inter-relações. Usando a analogia da mente e do corpo para a administração e a organização, Mooney e Reiley formularam seus princípios de organização: Coordenação: o arranjo ordenado do esforço do grupo, para realizar unidade de ação na perseguição de um propósito comum. A coordenação origina-se da autoridade. Princípio escalar: em toda organização, há uma hierarquia dos graus de autoridade e da responsabilidade correspondente. Os líderes, os representantes da autoridade, são designados por meio de delegação. Princípio funcional: distinção entre diferentes tipos de deveres. Todas as organizações têm diferenciação funcional, no sentido de que as pessoas desempenham diferentes tipos de tarefas, como produção, vendas, contabilidade, e assim por diante. A diferenciação cria a necessidade de coordenação. PLT – página 91

13 Gulick e Urwick Para Gulick: O objetivo principal de uma organização é a coordenação. Então, as atividades similares deveriam ser agrupadas sob uma única chefia, para evitar conflitos e ineficiência. Identificou 8 princípios que se aplicavam a todas as organizações: 1.Objetivo: toda organização deveria ser a expressão de um propósito 2.Correspondência: autoridade e responsabilidade 3.Responsabilidade: cada autoridade é responsável por seu subordinado 4.Princípio Escalar: cadeia de comando 5.Amplitude de controle: máximo 6 subordinados 6.Especialização: cada pessoa deve ter apenas uma função 7.Coordenação 8.Definição: tarefa claramente especificada

14 GRAICUNAS Teorizou sobre Amplitude de controle. Graicunas observou que, por desejarem acumular poder e prestígio, os gerentes tentavam supervisionar cada vez mais subordinados, acrescentando seções e departamentos a sua área de autoridade. No entanto, com o aumento da amplitude de controle, aumentavam também os problemas, comprometendo a capacidade de coordenação e provocando atrasos nos processos de tomar decisões. Equação de Graicunas: Graicunas criou uma fórmula para calcular o número total de relacionamentos, conhecida como Equação de Graicunas, em que n é o número de pessoas supervisionadas: n ( 2n/2 + n – 1) Assim, se um chefe tem três pessoas em sua equipe, o número total de relacionamentos é: 3 (2 3/ ) = 18 Em uma equipe com cinco subordinados, o número total de relacionamentos é 100. PLT – página 92

15 ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS NO TERCEIRO MILÊNIO O processo de estruturação é situacional. A estrutura que é eficaz em um momento deixa de ser em outro. Divisão do trabalho, departamentalização, cadeia de comando, descentralização, assessoria, entre outros princípios são perenes. Entretanto, à medida que o século XX chegou ao final, a situação motivou a reformulação das grandes estruturas. A renovação foi feita por meio de 3 soluções principais: 1.Enxugamento: Prática de diminuir o tamanho das organizações (downsizing), por meio da redução de níveis hierárquicos e da quantidade de funcionários. 2.Redes: funcionamento horizontal, com pessoas que se comunicam sem restrição, em todas as direções e com liderança enxuta. Ex. do 11 de setembro. 3.Estruturas matriciais: estruturas organizacionais que coordenam duas atividades ao mesmo tempo. ( áreas funcionais e projetos, áreas funcionais e processos, áreas funcionais e áreas geográficas). PLT – página 93

16 DICA DE LEITURA Liderança Genial de Alfred P. Sloan Autor: Allyn Freeman Editora: QUALITY MARK Ano de Edição: 2009 Nº de Páginas: 264 De R$4,90 a R$76,50 no

17 ESTUDO DE CASO: MST SOCIEDADE ANÔNIMA


Carregar ppt "Teorias da Administração. GRANDES ESTRUTURAS Século XX = grandes empresas demandando mais do que a organização do chão de fábrica. Necessidade de uma."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google