A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A EXPLICAÇÃO CAUSAL MARIA DAS GRAÇAS RUA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A EXPLICAÇÃO CAUSAL MARIA DAS GRAÇAS RUA"— Transcrição da apresentação:

1 A EXPLICAÇÃO CAUSAL MARIA DAS GRAÇAS RUA

2 1 Hipóteses Causais: afirmam que uma variável é causa necessária e causa suficiente de um fenômeno ou evento 1.1 Causalidade é diferente de associação: associação apenas significa que duas variáveis covariam - causalidade exige outros requisitos 2 Hipótese Causal: A mudança no valor de uma variável (explicativa) provoca mudança no valor de outra variável (dependente) - Tal mudança ocorre sem afetar outras variáveis no mesmo ambiente

3 2.1 Variável dependente: efeito ---> é o que se procura explicar 2.2 Variável independente: causal ou explicativa 3 Requisitos da Explicação causal 3.1 Variação: que haja mudança no valor de ambas as variáveis 3.2 Co-variação: que haja nexo entre as duas mudanças de valores

4 3.3 Assimetria ou Direção Causal: direção causa/efeito A causa B não equivale a B causa A - É diferente de relação de interdependência: Exemplo: escolaridade/renda - É diferente de antecedência temporal: SARTORI: nas Ciências Sociais o efeito pode ser causa do evento

5 3.4 Não-espuriedade: A relação entre duas variáveis não pode ser causada por um terceiro fator. Exemplo: consumo de doces se reduz com o casamento é uma relação espúria O consumo de doces se reduz com a idade, que até certo ponto está associada com o casamento. 3.5 Isolamento: seleção de que variáveis se relacionam com que outras. Somente A causa B Se tudo se relaciona com tudo, então é impossível afirmar que alguma coisa seja causa de outra coisa.

6 4 Condicional Contrafactual: é o teste lógico da causalidade. É a essência da definição de causalidade A ocorreu e B ocorreu. - Condicional Contrafactual: Se A não tivesse ocorrido, B poderia ocorrer? É uma situação hipotética, que pode nunca vir a acontecer ou jamais ter acontecido PORÉM: - Deve ser razoável e não absurdo. - Deve ser possível de ocorrer sob certas circunstâncias - Deve esclarecer o que está sendo mantido constante quando se muda o valor da variável explicativa

7 4.1 Ceteris Paribus: as coisas permanecem as mesmas, se outras condições ou variáveis relevantes puderem ser consideradas constantes Implica discriminar componentes sistemáticos e não sistemáticos do evento 5 EFEITO CAUSAL HIPOTÉTICO: é a diferença entre uma ocorrência real e a probabilidade da mesma ocorrência na situação contrafactual -----> é o problema fundamental da inferência causal: nunca se poderá ter certeza sobre a inferência realizada.

8 Nunca poderemos ter certeza quanto ao que de fato ocorre pois pode efetivamente acontecer a ocorrência real e pode efetivamente acontecer a ocorrência contrafactual. Mas nunca poderão ambas ocorrer na mesma circunstância. 6 Além disso: resultados completamente diferentes podem ser encontrados em outras situações devido ao efeito dos componentes não sistemáticos 6.1 Existem variáveis aleatórias que exercem impacto causal

9 7 EFEITO CAUSAL ALEATÓRIO: são efeitos causais resultantes de componentes não sistemáticos, que variam de uma replicação hipotética para outra do mesmo experimento - e podem ser a explicação de um fenômeno. 7.1 Podem assumir a forma de componentes sistemáticos. Exemplo; no Brasil pós-85, as eleições são caracterizadas como eleições de conjuntura.

10 8 Distinções conceituais: 8.1 MECANISMO CAUSAL: é um conjunto de relações postuladas entre a causa e o efeito OU SEJA: como opera a cadeia causal ===> é o que sustenta as teorias, mas é um procedimento operacional e não um conceito - requer: identificação de cada um dos elos da cadeia identificação dos pares de elos identificação da seqüência dos elos 8.2 CAUSALIDADE MÚLTIPLA : a variável dependente tem uma pluralidade de causas: reage a diversas variáveis explicativas

11 - pluricausalidade probabilística: WEBER, A ética protestante e o espírito do capitalismo ===> requer o conceito de afinidade eletiva: numa dada circunstância, qual - entre as diversas variáveis explicativas - exibe maior afinidade com o efeito observado? ===> avalia-se a probabilidade de uma variável explicativa ser a causa daquele efeito.

12 EXPLICAÇÃO TELEOLÓGICA: a finalidade pretendida é que explica os fenômenos ===> explicação funcional Equifinalidade: uma mesma necessidade pode gerar diversas ações. Sempre que existe uma grande variedade de ações que causam uma conseqüência, mas existe uniformidade quanto à conseqüência da ação, diz-se que há EQUIFINALIDADE - equifinalidade: o mesmo resultado pode ser causado por combinações de diferentes variáveis independentes

13 Como caracterizar a equifinalidade? Quando se constata NECESSIDADE: a) Quando obstáculos crescentes a um objetivo, ao invés de provocar a desistência, acabam por gerar mais atividade. b) Quando, apesar das dificuldades, o objetivo é alcançado. c) Quando os atores justificam seu comportamento mediante explicações e motivos diversos, muitas vezes inconsistentes (necessidade latente).

14 8.3 CAUSALIDADE SIMÉTRICA: ocorre quando o efeito, sobre Y, de um aumento de X desaparece à medida que X diminui até o estágio inicial EX: O aumento dos salários causa o aumento da aprovação governamental. Raciocínio básico: se o valor de A aumenta ou diminui, o valor de B igualmente aumenta ou diminui. As variáveis estão diretamente correlacionadas. CAUSALIDADE ASSIMÉTRICA: se o valor de A aumenta, o valor de B diminui; e vice-versa. As variáveis estão inversamente correlacionadas.


Carregar ppt "A EXPLICAÇÃO CAUSAL MARIA DAS GRAÇAS RUA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google