A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Voluntariado em Megaeventos e sua Relação com o Receptivo das Cidades-Sede Rodrigo Tadini – Departamento de Turismo - UFF.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Voluntariado em Megaeventos e sua Relação com o Receptivo das Cidades-Sede Rodrigo Tadini – Departamento de Turismo - UFF."— Transcrição da apresentação:

1 O Voluntariado em Megaeventos e sua Relação com o Receptivo das Cidades-Sede Rodrigo Tadini – Departamento de Turismo - UFF

2 Os eventos são acontecimentos que fazem parte da vida de todos os seres humanos desde o início dos tempos de nossa existência e tem como característica fundamental propiciar uma ocasião diferenciada e especial, extraordinária ao encontro de pessoas, com uma finalidade específica a qual constitui o tema principal do evento e justifica a sua realização.

3 Os Eventos estão estabelecendo-se como parte importante e integrada ao desenvolvimento turístico e às estratégias de marketing das cidades. O termo Turismo de Eventos tem sido empregado para descrever esta situação, dado o desenvolvimento de marketing sistemático de Eventos Especiais como atrativos turísticos.

4

5

6

7

8 Sob a perspectiva da experiência do visitante, os benefícios que compõem o evento podem ser divididos em 3 níveis: Serviços essenciais, benefícios genéricos e benefícios-alvo. (Getz, 1989)

9

10 Benefícios Genéricos Espetáculo / Exibição ( apelo visual) Compartilhamento e Sociabilização (apelo emocional) Autenticidade Ritual Jogos (Competição)

11

12 Os benefícios-alvo são aqueles que diferenciam os eventos e geram vantagens competitivas. Para o autor, os visitantes esperam ser atendidos com serviços básicos, procuram benefícios genéricos de todos os eventos, mas a sua atração para determinado evento em um ambiente competitivo requer algo mais. As características que podem servir de base para a definição dos benefícios-alvo são: Singularidade e Interatividade!

13

14

15

16

17 O exercício da hospitalidade engloba o estudo tanto do espaço geográfico de sua ocorrência – a cidade ou o campo – quanto dos aspectos que se relacionam direta ou indiretamente com seu desenvolvimento: o planejamento e a organização de seus recursos materiais, humanos, naturais e/ou financeiros. Implica, também, na preservação dos traços culturais, na manutenção das tradições sem, contudo, se afastar da evolução natural a que tudo e todos estão sujeitos ao longo do tempo, como tem sido apontado na literatura.

18 18

19 De acordo com Moragas (2001), o voluntário de eventos esportivos é uma pessoa que assume o compromisso individual e filantrópico de colaborar com o melhor de suas habilidades na organização destes acontecimentos, assumindo as responsabilidades delegadas a ele sem receber qualquer forma de pagamento ou recompensa material. Dentro do evento esportivo, a ação voluntariada assume contornos bastante específicos. O voluntário passa a ser um agente da hospitalidade, um interlocutor entre culturas diversas, tendo a responsabilidade de interagir com pessoas de diferentes hábitos, classes sociais e religiosas, integrando-as ao ambiente do evento.

20

21 A função básica da Hospitalidade é estabelecer um relacionamento ou promover um relacionamento já estabelecido. Os atos relacionados com a Hospitalidade obtém este resultado no processo de troca de produtos e serviços, tanto materiais quanto simbólicos entre aqueles que dão hospitalidade (anfitriões), e aqueles que a recebem (os hóspedes). Uma vez que os relacionamentos necessariamente se desenvolvem dentro de estruturas morais, uma das principais funções de qualquer ato de hospitalidade é (no caso de um relacionamento já existente) consolidar o reconhecimento de que os anfitriões e os hóspedes já partilham do mesmo universo moral ou (no caso de um novo relacionamento) permitir a construção de um universo moral que tanto o anfitrião quanto o hóspede concordam em fazer parte.

22

23

24 Segundo Cuskelly (2004) um dos grandes desafios dos gestores de eventos esportivos é gerir a motivação e a satisfação dos voluntários, sabendo entender de que forma os voluntários esportivos se sentem recompensados em suas atividades, seja em eventos de curto prazo ou nas instituições em que trabalham. Farrell et al.(1998) aponta que o nível de satisfação dos voluntários com toda a experiência dentro de um evento esportivo de grande porte não está simplesmente relacionada com o suprimento de suas expectativas pessoais, mas também, com as condições de trabalho em seu setor e com a postura da organização do evento diante seu esforço.

25 Relações de Hospitalidade Voluntários – Atletas; Voluntários – Organização; Voluntários – Voluntários; Voluntários – Cidade

26

27

28

29

30

31

32

33

34 o importante não é vencer, mas, competir e, competir com dignidade Demonstra que todos os esforços deverão ser empreendidos na busca de eventos que contemplem um clima de hospitalidade, segurança e bem estar a todos envolvidos, sendo esses valores o verdadeiro Legado Olímpico.


Carregar ppt "O Voluntariado em Megaeventos e sua Relação com o Receptivo das Cidades-Sede Rodrigo Tadini – Departamento de Turismo - UFF."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google