A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 3 - Composto de Marketing IFRS Canoas Gestão Mercadológica Prof. Ronaldo Nunes Orsini.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 3 - Composto de Marketing IFRS Canoas Gestão Mercadológica Prof. Ronaldo Nunes Orsini."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 3 - Composto de Marketing IFRS Canoas Gestão Mercadológica Prof. Ronaldo Nunes Orsini

2 Administração de Marketing Administração de Marketing é o processo de planejamento e execução da concepção, preço, promoção e distribuição de ideias, bens e serviços para criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais.

3 Marketing Mix (4 PÊS) O composto de marketing é o conjunto de ferramentas que a empresa usa para atingir seus objetivos de marketing no mercado-alvo através dos 4 PÊS: Produto Preço Praça (distribuição) Promoção

4 (Distribuição)

5 Propostas de Mix 4 P´s4 C´s Produto Necessidades e desejos do consumidor Preço Custo para o consumidor Praça (distribuição) Conveniência PromoçãoComunicação Jerome E. McCARTHYRobert LAUTENBORN Albert W. FREY Oferta (produto, embalagem, marca, preço e serviços) Métodos e Ferramentas (canais de distribuição, Venda pessoal,propaganda, promoção e publicidade) Albert W. FREY Oferta (produto, embalagem, marca, preço e serviços) Métodos e Ferramentas (canais de distribuição, Venda pessoal,propaganda, promoção e publicidade) LAZER e KELLY Composto de bens e serviços Composto de distribuição Composto de comunicação LAZER e KELLY Composto de bens e serviços Composto de distribuição Composto de comunicação

6 Mercado Alvo Composto de Mkt - Ferramentas Composto de Mkt Produto Preço Promoção Praça Variedade Qualidade Design Características Nome da Marca Embalagem Tamanhos Serviços Garantias Devoluções Lista de Preços Descontos Condições Prazo de pagto Crédito Promoção de vendas Propaganda Força de vendas Relações públicas Marketing direto Canais Cobertura Sortimento Localizações Estoque Transporte

7 Produto É a ferramenta mais básica do composto de marketing e que também pode ser chamado de oferta ou solução. É algo que pode ser oferecido a um mercado para satisfazer um desejo ou necessidade. Ele não é apenas um objeto tangível que se adquire em alguma loja de departamento, supermercado, etc.... O produto é algo superior e é tudo o que pode ser oferecido a um mercado para satisfazer necessidades ou desejos. Produto

8 O produto pode ser: Físicos Serviços Experiências Eventos Pessoas Lugar Propriedades Organizações Informações Ideias

9 Níveis de Produto Hierarquia de Valor 1º Benefício: necessidade básica ou central 2º Básico: transformação em produto 3º Esperado: atender desejos ou expectativas 4º Ampliado: exceder os desejos ou as expectativas 5º Potencial: surpreender com produtos inéditos no mundo (transformações no futuro) Adaptado de Theodore LEVITT, 1980 (Benefício Central acrescentado por Philip KOTLER). Produto

10 Hierarquia de produto Necessidade: fundamento da necessidade Família de Produtos: todas as classes de produtos que podem satisfazer uma necessidade fundamental Classe de produtos: grupo dentro da família com coerência funcional Linha de Produtos: grupo de uma classe que funcionam de maneira similar, consumidores semelhantes, vendidos em estabelecimentos semelhantes com preços semelhantes Tipo de Produto: itens dentro de uma linha de produto que compartilham formas semelhantes. Marca: nome associado a itens da linha de produtos para identificar a fonte ou caráter Item: unidade distinta dentro de uma marca ou linha de produtos identificada por tamanho, preço, aparência, ou outros atributos. Produto

11 Classificação dos Produtos Os produtos originariamente são classificados conforme suas características básicas como as seguintes: 1. Durabilidade e tangibilidade Bens não duráveis: consumidos após um ou algum uso Bens duráveis: sobrevivem a muitos usos Serviços: intangíveis, inseparáveis, variáveis, perecíveis 2. Bens de Consumo 2.1 Bens de conveniência (doces, revistas, xampus, roupas, alimentos básicos, etc.) a) Básicos: comprados com frequência (comida, água) Produto

12 Classificação dos Produtos b) Bens por Impulso: comprados sem planejamento, como por exemplo, nos caixas dos supermercados (balas, chocolates, salgadinhos, revistas etc...). c) Bens de Emergência: adquiridos em virtude da ocasião eventual como, por exemplo, guarda-chuvas em chuvas repentinas ou lanternas em apagões. 2.2 Bens de Compra Comparados: são aqueles que durante o processo de compra o consumidor compara-o quanto a sua adequação no atendimento de suas necessidades em relação às marcas concorrentes.

13 Classificação dos Produtos 2.3 Bens de Especialidade: são aqueles que os consumidores fazem esforço para adquirir por se tratar de uma marca reconhecida, mesmo tendo custo mais elevado. 2.4 Bens Não Procurados: são aqueles bens que o consumidor não prioriza a compra, por se tratar de algo que não conhece ou não tem interesse como, por exemplo, jazigos em cemitérios. 2. Bens Industriais: são classificados conforme entram no processo produtivo e seu custo relativo. Divide-se em três categorias (materiais e peças; bens de capital; suprimentos e serviços empresariais)

14 Embalagem e Rotulagem Embalagem: é o conjunto de atividades de design e fabricação de um recipiente ou envoltório para um produto. Tornou-se uma ferramenta de Marketing Rotulagem: subconjunto da embalagem Identifica o produto Classifica o produto Descreve o produto Promove o produto Regulamentação legal sobre o desenvolvimento dos rótulos Produto

15 Serviços Estou cansado de visitar fábricas para ouvir nada mais do que assuntos sobre qualidade e ciclos de produção... E, depois, vou visitar os clientes para ficar a par de seus problemas. John Akers, Ex-Presidente da IBM Escala de oferta de serviços: Bem tangível (sabão, sal, sabonete, solvente,...) Bem tangível acompanhado de serviços (carros, computadores) Híbrido (restaurantes) Serviço principal acompanhado de bens e serviços (transporte aéreo) Serviço (psicoterapia, massagem, advocacia) Produto

16 Características Intangibilidade Inseparabilidade Variabilidade Perecibilidade Produto

17 Preço É uma ferramenta crítica do composto de marketing, pois refere-se a quantidade de dinheiro que os consumidores pagam pelo produto. O preço deve ser compatível com o valor percebido da oferta ou os compradores procurarão produtos concorrentes. Envolve decisões quanto a lista de preços, descontos, crédito, condições e prazo de pagamento. Preço

18 Passos para estabelecimento de preços 1. Seleção dos Objetivos da Determinação de Preços 2. Determinação da Demanda 3. Estimativa de Custos 4. Análise da Concorrência 5. Seleção de um Método de Determinação de Preços 6. Seleção preço final Preço

19 Seleção dos Objetivos da Determinação de Preços Sobrevivência Maximização do lucro atual Maximização da Participação de Mercado Desnatamento Máximo de Mercado Liderança na qualidade do produto Preço

20 Determinação da Demanda Demanda e preço = inversamente proporcionais Sensibilidade ao preço Baixa sensibilidade na compra de produtos em embalagens pequenas, conveniência (temperos, buffet sorvete) Estimativas das curvas de demandas Elasticidade de preço da demanda Preço

21 Estimativa de Custos Custos fixos (indiretos) Custos variáveis (diretos) Custos totais (fixos + variáveis) Custo médio (custo total / qtdd produzida) Preço

22 Análise da Concorrência Analisar atributos oferecidos pela concorrência Custos Preços Ofertas Comparar ofertas Ponderar interesses e necessidades Buscar a preferência Preço

23 Seleção de um Método de Determinação de Preços “Custo Unitário = custo variável + (custo fixo / unidades vendidas)” Preço de Mark-Up (margem de lucro sobre o produto) Preço = Custo unitário / (1 – retorno desejado sobre vendas) Preço de retorno alvo (retorno sobre o investimento) Preço = Custo unitário + ( (Retorno desejado x Capital investido) / Unidades vendidas) Ponto de Equilíbrio = Custo Fixo / (Preço – Custo Variável) Baseado no valor (buscar redução dos valores) Preço

24 Seleção de um Método de Determinação de Preços Determinação de preços pelo mercado (muito utilizado em serviços) Determinação de preços por leilão Preço

25 Seleção do preço final Relação Custo X Benefício Avaliar os investimentos feitos em outros elementos do composto de Marketing (Exe.: Marketing/Publicidade) Preço

26 Cases Análise de Preços Sorvete buffet Preço da passagem transporte coletivo Buffet restaurante (valor máx.) Preço

27 Praça (ou distribuição) Inclui as várias atividades assumidas pela empresa para tornar o produto acessível e disponível aos consumidores-alvos. Exige decisões quanto à canais de distribuição, cobertura, sortimento, localizações, estoque e transporte. Praça

28 Distribuição Produtos de Consumo Produtos Industriais Varejo Praça Tipos Lojas VarejoConceito Loja de EspecialidadesLinha restrita de produtos Loja de DepartamentoDiversas Linhas de Produtos SupermercadoLojas de autoserviço, buscam baixo custo e priorizam necessidades de alimentação, higiene, limpeza Loja de ConveniênciaPequenas, disponibilidade de horários, focado em necessidades primárias Loja de DescontosQueimas de produtos, baixos preços, grandes volumes, baixa inovação Loja de LiquidaçãoProdutos fora de linha, pontas de estoque, produtos com defeito SuperlojaProdutos para tender quase todas as necessidades ShowroomComercializam sob encomenda.

29 Canais de Distribuição Níveis de Serviço Autoserviço / Seleção / Serviço Limitado / Serviço Completo Varejo sem Loja Venda Direta / Marketing Direto / Venda Automática Atacado Relação entre os canais Praça

30 Promoção Inclui todas as atividades desempenhadas pela empresa para comunicar e promover seus produtos ao mercado-alvo. Compreende programas de comunicação e promoção, força de vendas, propaganda, relações públicas, marketing direto e on-line. Promoção

31 Qual tem mais qualidade?

32 Qual é mais barato?

33

34 Fatores de Sucesso - Comunicação Quanto maior o monopólio da fonte de comunicação sobre o receptor, maior será a mudança ou o efeito sobre o receptor em favor da fonte. Os efeitos da comunicação são maiores quando a mensagem coincide com as opiniões, crenças e disposições do receptor. A comunicação pode produzir mudanças mais eficazes sobre assuntos não familiares, pouco sensíveis e periféricos, que não estejam situados no centro do sistema de valores do receptor. É mais provável que a comunicação seja eficaz quando se acredita que a fonte possui experiência, posição elevada, objetividade ou simpatia, mas, principalmente, quando tem poder e pode identificar-se com ele. O contexto social, grupo ou grupo de referência mediará a comunicação e exercerá influência, quer ela seja ou não aceita. Fiske e Hartley, 1980.

35 Composto de Comunicação - Promoção Propaganda Promoção de Vendas Relações Públicas Venda Pessoal Marketing Direto Anúncios impressos e de rádio e televisão Concursos, sorteios SemináriosApresentações de vendas Listas de clientes (mailing) Encartes e embalagens BrindesPatrocíniosConvenções de vendas Telemarketing Catálogos e folhetos Amostras GrátisRevista de Empresa Feiras e convenções Compra eletrônica Materiais audiovisuais Feiras e Convenções EventosCompra por televisão OutdoorsExposiçõesRelações com a comunidade Programas de Fidelização Doações de caridade Adaptado de Kotler, 2011.

36 Ferramentas da Comunicação Propaganda Propaganda “qualquer forma paga de apresentação impessoal e de promoção de ideias, bens ou serviços por um patrocinador identificado.” Promoção de Vendas Promoção de Vendas “... conjunto diversificado de ferramentas de incentivo, em sua maioria a curto prazo, que visa estimular a compra mais rápida e/ou em maior volume de produtos/serviços específicos por consumidores ou comerciantes.” Relações Públicas Relações Públicas “... Envolve uma variedade de programas destinados a promover e/ou proteger a imagem de uma empresa ou seus produtos.” Venda Pessoal Venda Pessoal Interação pessoal (cara-a-cara) com consumidores potenciais. É uma arte antiga, que utiliza vendedores treinados pelos métodos de análise e administração de clientes. Marketing Direto Marketing Direto “É um sistema interativo que usa uma ou mais mídias de propaganda para obter uma resposta e/ou transação mensurável em qualquer localização.

37 Eficácia e Eficiência da Publicidade Maior parte dos gastos são utilizados em pré-testes e poucos na avaliação dos efeitos da publicidade. As campanhas devem iniciar como teste em mercados menores, para reduzir a probabilidade de grandes desperdícios em caso de insucesso. Os efeitos dos anúncios são mensurado pela CONSCIÊNCIA, CONHECIMENTO E PREFERÊNCIA do público. Share of Voice: participação da publicidade no mercado Share of Mind and Heart: participação na lembrança e preferência dos consumidores Participação de mercado

38 Séries históricas de correlação entre Vendas X Gastos com Propaganda Gastos com Propaganda (1) Share of Voice (2) Fatia de Publ. Participação de Mercado (3) Fatia do mercado Eficácia da Propaganda (3/2) A ,14070 B ,6 100 C ,331,4220 Eficácia e Eficiência da Publicidade


Carregar ppt "Capítulo 3 - Composto de Marketing IFRS Canoas Gestão Mercadológica Prof. Ronaldo Nunes Orsini."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google