A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Germaine Robinson Diretora Técnica/ ABTRA. ABTRA Fundada em 25 de outubro de 1989, a ABTRA tem por objeto promover o desenvolvimento e o aperfeiçoamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Germaine Robinson Diretora Técnica/ ABTRA. ABTRA Fundada em 25 de outubro de 1989, a ABTRA tem por objeto promover o desenvolvimento e o aperfeiçoamento."— Transcrição da apresentação:

1 Germaine Robinson Diretora Técnica/ ABTRA

2 ABTRA Fundada em 25 de outubro de 1989, a ABTRA tem por objeto promover o desenvolvimento e o aperfeiçoamento das empresas administradoras de instalações portuárias, terminais, entrepostos, demais recintos alfandegados de uso público, atuando sempre na defesa de seus interesses comuns.

3 SISTEMA DTE

4 Sistema DTE Desenvolvimento de Sistema Informatizado integrando a comunidade portuária e a Receita Federal em Santos para: Preparar os Recintos para controles projetados do Siscomex Carga. Controlar o acesso de pessoas e veículos em área alfandegada (Portaria 73 e ADE 02); Padronizar procedimentos e controles exercidos pelos Recintos Alfandegados; Controlar a transferência das cargas do Porto para os Recintos Alfandegados; Controlar os estoques de cargas em regime aduaneiro, inclusive DTA (ADE 02);

5 Sistema DTE - Intervenientes Autoridade Portuária Operador Portuário Operador Portuário Depósito Alfandegado REDEX EADI IPA CLIA

6 Industria Manifesto/BL Exportador Armador Importador Agência Despachante Embarque Desembarque OP Recinto DTE Supervia Mercante Siscomex Boletim de Descarga Manifesto/BL Exterior Brasil Transportador Sistema DTE - Contexto

7 Sistema DTE - Autorizações Importação RAP Aviso de Chegada RAP Aviso de Chegada Previsão de Atracação Atracação Efetiva Saída Operador Entrada Recinto Desunitização Desembaraço Saída Recinto Autorização: Atracação (Manifesto de Carga) Autorização: Recebimento (DTA) Autorização: Desunitização (Previsão) Bloqueio/ Desbloqueio Autorização: Transferência (DT) Alfândega

8 Sistema DTE - Trânsito & Transferências Argentina Operador Portuário Recinto Alfandegado Zona Primária Recinto Alfandegado Zona Secundária Operador Portuário Recinto Alfandegado Zona Primária Recinto Alfandegado Zona Secundária Alfândega Recinto Alfandegado Zona Secundária Santos Rio de Janeiro São Paulo Importador Importação Carga Pátio MIC DTA / TIFF DTA DI Despacho Antecipado

9 Industria Benefícios da DTE Recinto B Cancela ambos DT’s DT Carga armazenada CODESP Antes da DTE Depois da DTE Recinto A DT Recinto A Recinto B DT DT Duplicada (CANCELAMENTO) DT DT Duplicada (AUTORIZADA)

10 Industria Benefícios da DTE DT Antes da DTE Depois da DTE Recinto Operador Portuário Autorização Numerado GMCI Recinto Autorização provisória GMCI Geração automática Navio 3 horas antes da atracação 36 horas antes da atracação

11 Industria Benefícios da DTE Operador Portuário digita a DT DT Sem tempo hábil para programar a operação Antes da DTE Operador Portuário DT Eletrônica Melhoria na Organização do controle de Pátio/ Plano de Carga do Navio Melhoria na Organização do controle de Pátio/ Plano de Carga do Navio Depois da DTE

12 Controle de Pátio Plano de Carga Benefícios da DTE – Otimização Logística

13 InfoportoBrasil

14 EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO De 1997 até 2008 (Janeiro/Setembro) EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO De 1997 até 2008 (Janeiro/Setembro) Fonte: Exportações brasileiras: SISCOMEX e SECEX; Importações brasileiras: SISCOMEX e MF/SRF Elaboração: SECEX/DEPLA. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento do Desenvolvimento e Planejamento de Comércio Exterior - DEPLA

15 Interoperabilidade & Otimização Logística Arpia Aduana Planejamento Portuário SEP Otimização Logística Portuária Integração

16 Cadeia Logística Segura Agentes Armadores Depositários Despachantes Exportadores Ferrovias Importadores OGMO Operadores Portuários Praticagem Redex Rodovias Seguradoras Sindicatos Transportadoras Agentes Armadores Depositários Despachantes Exportadores Ferrovias Importadores OGMO Operadores Portuários Praticagem Redex Rodovias Seguradoras Sindicatos Transportadoras Secretaria Especial de Portos Antaq Autoridade Portuária Receita Federal Receita Estadual Min.Transportes Min.Fazenda Min. Saúde Min. Agricultura Min. Minas e Energia Min.Desenvolvimento, Indústria e Comércio Comando do Exército Polícia Federal Meio Ambiente Capitania dos Portos Secretaria Especial de Portos Antaq Autoridade Portuária Receita Federal Receita Estadual Min.Transportes Min.Fazenda Min. Saúde Min. Agricultura Min. Minas e Energia Min.Desenvolvimento, Indústria e Comércio Comando do Exército Polícia Federal Meio Ambiente Capitania dos Portos

17 Ministério da Saúde Ministério dos Transportes Empresas Armadores Bancos Comunicação Futura entre os Integrantes da Comunidade Portuária Logística Comunicação Futura entre os Integrantes da Comunidade Portuária Logística ABTRA Autoridade Portuária Secretaria da Fazenda Receita Federal Outros CIB – ENTERPRISE SERVICE BUS

18 Câmara InfoportoBrasil Câmara InfoportoBrasil ® Sistemas de Comércio Exterior

19 Padrões estabelecidos no sistema para atender as aplicações Arquitetura orientada a serviços Padrões Abertos Compartilha- mento de funções para diversas aplicações Interface possibilitando conexão com todo o ecossistema do projeto Interopera- bilidade (interna e externa ao CIB)

20 Agilizar as Comunicações Padronizar Informações Unificar processos (Janela Única) Desburocratizar Integrar Otimizar a logística de comércio exterior portuária Buscar a excelência Reduzir o “custo Brasil” Metas estabelecidas

21 Modelo de Desenvolvimento Equipe Interna (inteligência) Equipe Interna (inteligência) Serviços terceirizados (execução e infra-estrutura) Serviços terceirizados (execução e infra-estrutura) Equipe Mista (Gestão Especializada) Equipe Mista (Gestão Especializada) Fabrica de Teste Especificação Modelagem Homologação Gestão de Projeto Fábrica de Software Data Center

22 Infra-estrutura Fábrica de Teste Fábrica de Software Núcleo de Homologação Orientações e Consultas Câmara InfoportoBrasil Conselho Deliberativo Gerente Geral do Projeto Gerente de TI Gerente Operacional Gerente Geral do Projeto Gerente de TI Gerente Operacional Presidente da ABTRA Representante Granel Sólido Representante Granel Líquido Representante Contêiner Representante Carga Geral Presidente da ABTRA Representante Granel Sólido Representante Granel Líquido Representante Contêiner Representante Carga Geral Convênios Interlocução com o Governo Convênios Interlocução com o Governo Ambiente de Produção InstitucionalInstitucional Assessoria Jurídica Conselho Gestor

23 Agendamento Eletrônico Rodovias / Prefeitura Industrias Depositários Depot´s de Vazios Polícia Federal Aduana e Órgãos Anuentes Aduana e Órgãos Anuentes Operadores Portuário Armadores

24 Agendamento Eletrônico ISPS Code/SICA CODESP e pela Alfândega de Santos Sistemas de credenciamento e autorização de ingresso de pessoas e veículos em área alfandegada pela CODESP e pela Alfândega de Santos. Valida motorista e veículo no ato do Agendamento Eletrônico com vistas aos seu acesso dentro das regras e condições vigentes. Agendamentos TRANSPORTADORAS, TRANSPORTADORAS, que através de consultas, poderão ver as pendências de agendamento de transporte, permitindo indicar limitações e pré-requisitos para a realização do transporte e buscar as possíveis combinações otimizando a ocupação da frota sem ferir prazos determinados por exportadores/importadores. Pré-Requisitos EXPORTADORES e IMPORTADORES Os EXPORTADORES e IMPORTADORES que registrarão as suas necessidades de carga, estabelecendo-se os prazos e condições limites para a sua entrega ou retirada em suas instalações sem prejuízo dos contratos comerciais firmados. Logística ARMADORES Os ARMADORES fornecerão a relação de cargas a serem embarcadas na escala do navio no porto (Booking), endereçando o terminal de contêiner vazio (DEPOT) e a transportadora que irá proceder a sua retirada e entrega no local de estufagem da carga, assim como o transporte do contêiner estufado com destino ao terminal de desembaraço (REDEX); Infra-estrutura PREFEITURAS e RODOVIAS PREFEITURAS e RODOVIAS participarão no processo de roteirização e transmissão de alertas sobre as condições das v ias e rodovias consideradas no contexto de controle do Agendamento Eletrônico conforme área de influência do Porto sendo atendido.

25 Agendamento Eletrônico Equipamentos DEPOTS de Vazios Os DEPOTS de Vazios disponibilizarão as informações do Booking com todas as indicações para o transporte do contêiner (tipo de contêiner, transportadora, terminal de desembaraço destinatário, prazos, condições para a retirada, entrega de contêiner). A proposta prevê a integração entre os módulos de Agendamento do DEPOT e do INFOPORTOBRASIL permitindo balancear demanda e oferta de espaço. Na importação as informações de avaria serão disponibilizadas para os DEPOT´s das permitindo agilizar o procedimento de portaria nas discussões sobre responsabilidades e custos; MAPA MAPA O MAPA (Ministério da Agricultura) com a indicação de necessidade de fiscalização segundo material transportado, estabelecendo-se uma agenda comum entre o terminal e a fiscalização para a inclusão da atividade no planejamento da operação como um todo. SEFAZ SEFAZ A SEFAZ (Secretaria da Fazenda) na antecipação da informação de liberação para a entrega da carga de importação, validada no momento do Agendamento Eletrônico. No recebimento da NF eletrônica em atendimento ao registro de documentação exigida na movimentação de carga em área alfandegada. ANVISA ANVISA ( A ANVISA (Ministério da Saúde) com a indicação de necessidade de fiscalização segundo material transportado, estabelecendo-se uma agenda comum entre o terminal e a fiscalização para a inclusão da atividade no planeja-mento da operação como um todo.

26 Industria OP I OP II OP III Recinto “X” Recinto “Y” Recinto “Z” Indústria “A”Indústria “B” Otimização Logística Agendamento Eletrônico

27 Benefícios do Sistema Integração Eletrônica Compartilhamento de Informações Desburocratização Workflow Eletrônico Registro de Informações Estatísticas Alertas Operacionais Simuladores Automáticos (BI) Rastreamento Eletrônico

28 Benefícios Expertise adquirido ao longo de 12 anos; Sistema moldado à realidade brasileira (cultura e legislação); Participação da comunidade na validação dos processos (ante-projeto); Implementação escalonada (antecipação nas entregas); Abertura para integrações múltiplas; Tecnologia nacional; Suporte local.

29 Environment Arpia Porto Sem Papel Tradex Poupa Tempo do Comércio Exterior CENEP Iniciativas isoladas concorrem e dispersam as energias que, se integradas, permitirão atingir o objetivo de maneira mais rápida e eficaz, viabilizando um comércio exterior mais ágil e competitivo.


Carregar ppt "Germaine Robinson Diretora Técnica/ ABTRA. ABTRA Fundada em 25 de outubro de 1989, a ABTRA tem por objeto promover o desenvolvimento e o aperfeiçoamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google