A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

101 1 CURSO INTRODUTÓRIO DE ANALISE TRANSACIONAL PARTE 2.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "101 1 CURSO INTRODUTÓRIO DE ANALISE TRANSACIONAL PARTE 2."— Transcrição da apresentação:

1 101 1 CURSO INTRODUTÓRIO DE ANALISE TRANSACIONAL PARTE 2

2 101 2 ROTEIRO 1.OBJETIVOS 2.O QUE É ANÁLISE TRANSACIONAL, SUAS ORIGENS E APLICAÇÕES 2.ANÁLISE ESTRUTURAL E FUNCIONAL 3.ANÁLISE DAS TRANSAÇÕES 4.CARÍCIAS 5.SIMBIOSE 6.DESQUALIFICAÇÃO 7.ESTRUTURAÇÃO SOCIAL DO TEMPO 8.ANÁLISE DOS JOGOS 9.EMOÇÕES 10. POSIÇÃO EXISTENCIAL 11.SCRIPT 12.AUTONOMIA

3 101 3 ROTEIRO 1.OBJETIVOS 2.O QUE É ANÁLISE TRANSACIONAL, SUAS ORIGENS E APLICAÇÕES 2.ANÁLISE ESTRUTURAL E FUNCIONAL 3.ANÁLISE DAS TRANSAÇÕES 4.CARÍCIAS 5. POSIÇÃO EXISTENCIAL 5.DISTORÇÃO DA REALIDADE (PASSIVIDADE,SIMBIOSE E DESQUALIFICAÇÃO) 6.ESTRUTURAÇÃO SOCIAL DO TEMPO 7.ANÁLISE DOS JOGOS 8.EMOÇÕES 10.SCRIPT 11.AUTONOMIA

4 101 4 É o conceito que a pessoa faz de si e dos outros. Baseado numa percepção, em geral distorcida e incompleta. Influencia nos relacionamentos e atitude diante dos acontecimentos. Berne considerou Eu/Outros, OK/Não OK concluindo em 4 posições existenciais. POSIÇÃO EXISTENCIAL

5 101 5 POSIÇÃO EXISTENCIAL EU OUTROS OK NÃO-OK 1.DEPRESSIVA 2.PARANÓIDE OK NÃO-OK 3.MANÍACA 4.NIILISTA 5.REALISTA OK NÃO-OK OK +/- KERTESZ, 1985, CAP. 5)

6 101 6 EXERCÍCIO: Crie frases típicas para cada Posição Existencial. POSIÇÃO EXISTENCIAL

7 101 7 POSIÇÃO EXISTENCIAL E OS RELACIONAMENTOS -/+ AFASTAR-ME DE … +/+ SEGUIR COM … -/- IR A LUGAR NENHUM +/- LIVRAR-ME DE … EU NÃO ESTOU OK COMIGO VOCÊ ESTÁ OK COMIGO EU ESTOU OK COMIGO VOCÊ NÃO ESTÁ OK COMIGO Eu/Você

8 101 8 POSIÇÃO EXISTENCIAL E ESTILOS DE LIDERANÇA -/+ AMISTOSO/ DEPENDENTE +/+ INTEGRADOR -/- ALIENADO/ INCONSEQUENTE +/- CONTROLADOR/ AUTOCRÁTICO

9 101 9 PASSIVIDADE Ausência de reação aos estímulos, resultante de relacionamentos simbióticos que se estabelecem através de comportamentos passivos, mantidos por desqualificações e justificados pela grandiosidade SIMBIOSE COMPORTAMENTOS PASSIVOS DESQUALIFICAÇÃO GRANDIOSIDADE Desqualificação e passividade

10 SIMBIOSE Duas ou mais pessoas agem como se fossem uma. Natural ou primária. É adequada diante da idade, condição física do indivíduo. Provocada ou secundária. É inadequada, limita opções e capacidade de resolver problemas.

11 Simbiose Primária Simbiose Secundária

12 COMPORTAMENTOS PASSIVOS NAO FAZER NADA Ausência de respostas aos estímulos. SUPERADAPTAÇÃO Comportamento que denota tentativa de agradar o outro em detrimento de si mesmo. AGITAÇÃO Comportamentos repetitivos, sem direção cuja função é descarregar energia. INCAPACITAÇÃO OU VIOLÊNCIA Reações súbita. Desmaios, vômitos, dores musculares. Agressão, destruição.

13 DESQUALIFICAÇÃO Ignorar de forma não consciente a realidade ou parte dela. Tipos Estímulos. Interno (emoções, sensações, etc). Externo (informação, sinal, presença, situação). Modos ou Formas ou Níveis Existência. A existência do estímulo. Significado. Reconhede a existência, porém ignora o significado do estímulo. Possibilidade de mudança. Reconhece a existência e significado, mas não identifica como resolver/mudar. Capacidade pessoal. Reconhece existência, significado e possibilidade de mudar estímulo, todavia não identifica em si mesmo competência para fazê-lo.

14 DESQUALIFICAÇÃO MODO TIPO ESTÍMULOPROBLEMASOPÇÕES EXISTÊNCIAT1-Existência do Estímulo T2-Existência de Problemas T3-Existência de Opções SIGNIFICADOT2-Significado do Estímulo T3-Significado do Problema T4-Significado das Opções POSSIBILIDADES DE MUDANÇA T3-Possibilidade de Mudança do Estímulo T4-Solubilidade dos Problemas T5-Viabilidade das Opções HABILIDADES PESSOAIS T4-Habilidade Pessoal de Reagir Diferentemente T5-Hbilidade Pessoal de Solucionar Problemas T6-Habilidade Pessoal de Agir com Opções MAIOR GRAU DE DESQUALIFICAÇÃO

15 GRANDIOSIDADE Exagero ao avaliar a realidade ou parte dela. Maximização ou minimização. Forma de expressar ou sustentar a desqualificação. Esse e os mecanismos anteriores servem para reforçar as relações simbióticas, conhecidos como SÍNDROME DE PASSIVIDADE.

16 ESTRUTURAÇÃO DO TEMPO 1.ISOLAMENTO 2.RITUAIS 3.ATIVIDADES 4.PASSATEMPOS 5.JOGOS PSICOLÓGICOS 6.INTIMIDADE CRESCENTE NÍVEL DE COMPROMISSO EMOCIONAL 6 FORMAS DE ESTRUTURAR O TEMPO

17 ESTRUTURAÇÃO DO TEMPO FORMAEXEMPLO OKCARÍCIAS / E.E.EXEMPLO NOKCARÍCIAS / E.E. 1.ISOLAMENTOMEDITAÇÃO CRIAÇÃO REFLEXÃO SEM CARÍCIAS Adulto Adulto da Criança RETRAIMENTO FANTASIAS SEM CARÍCIAS Criança Adaptada (Rebelde ou Submissa) 2.RITUAISCUMPRIMENTOS CERIMÔNIAS Poucas. Criança Adaptada COMPULSÃO EXCESSO DE ROTINA Poucas ou Inadequadas. Criança Adaptada 3.ATIVIDADESTRABALHO DIVERSÃO Positivas. Adulto ou Adulto da Criança. DELITOSPositivas ou negativas, inadequadas Adulto, Criança Rebelde 4.PASSATEMPOSCONVERSAS SOCIAIS AMÄVEIS Positivas. Pai, Adulto ou Criança INTRIGA QUEIXA Negativas Pai Crítico Criança Adaptada 5.JOGOS PSICOLÓGICOS NÃO HÁ NENHUMTODASPOSITIVAS E NEGATIVAS Pai e Criança 6.INTIMIDADEAFETO, COMPAIXÃO, PROTEÇÃO POSITIVAS INCONDICIONAIS Criança Livre Pai Nutritivo SADISMO MASOQUISMO NEGATIVAS, Pai Crítico Criança Livre Inadequada

18 EXERCÍCIO: FAÇA SEU TEMPOGRAMA Tempo (em horas) que vc usa em cada uma das formas de estruturar o tempo Dia útil e dia de folga ESTRUTURAÇÃO DO TEMPO

19 […] uma série de transações, em geral repetitivas, superficialmente plausíveis, com uma motivação oculta (BERNE, Jogos da vida). Transações ulteriores. Satisfação individual e grupal. Leva a desfecho encoberto e definido onde todos ficam confusos e com sensação desagradável. Fora da consciência do Adulto. jogos psicológicos

20 Fórmula de Eric Berne. I+F R M C BF Isca, Fraqueza, Resposta, Mudança, Confusão, Benefício-Final. ANÁLISE DOS jogos psicológicos

21 TRIÂNGULO DRAMÁTICO (Stephen Karpman) 3 papéis assumidos no jogo: Perseguidor, Salvador e Vítima Papéis autênticos x papéis distorcidos. ANÁLISE DOS jogos psicológicos VP S

22 TRIÂNGULO DRAMÁTICO (Stephen Karpman) ANÁLISE DOS jogos psicológicos VP S Não tenho tempo nem pra me coçar ainda marcam mais reuniões!! Porque vc não conversa com seu Gerente sobre isso? Cuidado com os Cortes de pessoal! Não vejo como dar conta do trabalho!! Já fiz de tudo: levei pra casa etc etc

23 Primeiro grau: resultados socialmente aceitáveis. ANÁLISE DOS jogos psicológicos Segundo grau: resultados irremediáveis porém melhor que fiquem escondidos. Terceiro grau: resultados permanentes que geralmente vão para espaços públicos: hospitais, tribunais, delegacia, etc.

24 Biológica. As carícias que os jogos proporcionam apesar de inadequadas satisfazem a fome de estímulos. Um pontapé é melhor que ser ignorado. 2.Existencial. Confirma a posição existencial, traz segurança e resposta a 3 perguntas: quem sou eu? O que faço no mundo? Quem são os outros? 3.Emocional. Reafirmam os disfarces. 4.Social. Estrutura o tempo. 5.Psicológica interna. Possibilita estabilidade psíquica na medida em que se descarrega energia acumulada. 6.Psicológica externa. Evita a temida intimidade, sucesso, prazer e autonomia.Paradoxo? ANÁLISE DOS jogos psicológicos PORQUE JOGAMOS? OU VANTAGENS OU PSEUDO-VANTAGENS DOS JOGOS

25 jogos psicológicos e organizações PRIMEIRO GRAU Funcionário que falta constantemente. Resultado: recebe reclamação do gerente e desconto no salário. SEGUNDO GRAU Funcionário agora além de faltar sem justificativa, não cumpre prazos de sua atividade. Resultado: recebe notificação e suspensão. TERCEIRO GRAU Funcionário além de faltar sem justificativa, não cumprir prazos, prejudica o andamento das atividades. Resultado: demissão.

26 Jogados cotidianamente pelos membros do grupo. Recompensados pelo grupo. Apoiados pela cultura do grupo. Forma de estruturar o tempo no grupo. Indicativos: absenteísmo, doenças, acidentes, gravidade dos acidentes, conflitos, capacidade de solução de problemas, motivação/comprometimento, rotatividade etc. Como transformar? jogos psicológicos e organizações

27 Duas categorias: Autênticas. Substitutas ou Disfarces É emoção que substitui uma emoção autêntica O disfarce é estimulada pelo ambiente social. Enquanto a emoção autêntica é ignorada ou proibida. Para que exista o disfarce, ocorre uma desqualificação. Desqualificação é um processo interno que distorce a realidade, minimizando ou ignorando aspectos de si, dos outros ou da situação. emoções

28 emoções AUTÊNTICAS DISFARCES 1.ALEGRIA, PRAZER FALSA ALEGRIA 2.AFETO FALSO AFETO 3.MEDO ANSIEDADE, FOBIA, DESESPERO 4.RAIVAFALSA RAIVA, RESSENTIMENTO, RIVALIDADE, CIÚMES, TRIUNFO MALIGNO 5.TRISTEZA DEPRESSÃO, CULPA, INADEQUAÇÃO, INVEJA

29 Emoções: IDENTIFICANDO CRITÉRIOEMOÇÃO AUTÊNTICADISFARCE ADEQUADA EM QUALIDADE À SITUAÇÃO? SIMNÃO ADEQUADA EM INTENSIDADE À SITUAÇÃO? SIMNÃO ADEQUADA EM DURAÇÃO À SITUAÇÃO? SIMNÃO EMOÇÃO QUE CONVIDA O OBSERVADOR CONVIDA A SENTIR A MESMA EMOÇÃO PARECE EXAGERADA, ARTIFICIAL, PORÉM ELE PODE COMPARTILHAR DO MESMO DISFARCE O QUE ACONTECIA AO EXPRESSAR NA INFÂNCIA? POSIÇÃO EXISTENCIALREALISTA OK/OK DEMAIS POSIÇÕES.

30 Emoções: COMO INCENTIVAR AUTENTICIDADE SE OUTRA PESSOA OU CRIANÇA DEMONSTRA O QUE FAZER? ALEGRIA E PRAZERAprovar, compartilhar. AFETOAceitar, retribuir. MEDOProteger, ajudar. RAIVAPermitir sua expressão e analisarem juntos o que a provocou. TRISTEZAAcolher, confortar.

31 EXERCÍCIO Pamela Levin criou um conjunto de frases que identificam disfarces e auxilia a evitar manipulações. Eu sinto (disfarce) ANSIEDADE porque acho/penso que se (comportamento) TIVER SUCESSO, eu serei (resposta parental Não OK) INVEJADO em vez de (resposta parental OK) APOIADO e por isso (comportamento + disfarce) EU FRACASSO E ME DEPRIMO. emoções

32 É um plano ou programa concebido na infância, baseado em influências parentais, segundo Berne. Para Cornell (1988, KRAUZ, p. 132) é um processo contínuo de construção de caminho expansivo ou limitante. English (1977, KRAUSZ, p.132) retrata o script como o que permite o ser humano se desenvolver mesmo que algumas definições da infância sejam disfuncionais. E traz um conjunto de mensagens sobre si, os outros e o mundo que orientam as decisões que se toma ao longo da vida (KRAUSZ, p.138). Script ou roteiro de vida

33 Script ou roteiro de vida Das organizações Jongeward afirmou que, a exemplo dos indivíduos, as empresas têm script. Cultura, valores, normas, estilo de relacionamento, revelam o caminho que a organização trilha. Abordam 4 aspectos ou ideologias: Trabalho. Como interpreta trabalho? Como se trabalha? Para que? Quem? Onde? Quando? Tempo. Desperdiça, banaliza, usa de forma produtiva. Pessoas. Caminhar juntos, livrar-se, afastar, ir a lugar algum (indiferença). Dinheiro. Meio, fim, às vezes um, ou nenhum dos dois.

34 CLASSIFICAÇÃO POR RESULTADO - BERNE SCRIPTDESCRIÇÀO VENCEDORPríncipe ou Princesa Diz: Errei, mas isto não se repetirá ou Agora sei o jeito certo de fazer isto Criam dificuldades para os outros indiretamente quando brigam entre si Ë uma pessoa que cumpre contrato com o mundo e consigo mesmo Sabe o que fará se perder ou não conseguir mas não comenta o assunto Parece que o desfecho vem do Pai Nutritivo com slogans do contra-script PERDEDORSapo Diz: Se apenas... ou Eu deveria ter... ou Sim, mas Causam problemas para si e para os outros Não sabe o que fará se perder, mas comenta o que fará se ganhar Seu desfecho vem das provocações e seduções da Criança louca de seu progenitor que tenta seu demônio auto-destrutivo NÃO-VENCEDORQuase acertam ou quase vencem. Diz: Pelo menos... ou Ainda bem que... Trabalham duro para empatar São socialmente agradáveis pois são inclinados a não criar problemas Parece que seu desfecho vem do Pai Crítico através das injunções

35 CLASSIFICAÇÃO POR TEMPO - BERNE SCRIPTDESCRIÇÃO NUNCAMito grego de Tântalo (sofre fome e sede na presença de comida e água) Pessoas com scripts de proibição de fazer o que mais desejam SEMPREMito grego de Aracne (transformada em aranha e condenada a tecer teias eternamente) Provem de pais vingativos que dizem: Se é isto que você quer então vai passar a vida inteira fazendo ATÉ QUE ou ANTES DEMito grego de Jasão (poderia ser rei depois de executar tarefas) DEPOIS DEMito grego de Dâmocles (tem permissão de usufruir felicidade até que percebeu uma espada sobre sua cabeça) O lema deste script é Você pode se divertir por um tempo, mas depois aparecerão os problemas NOVAMENTEMito grego de Sísifo (tinha que começar novamente tarefa de rolar pedra montanha abaixo e acima) Lema deste script: Quase consegui FINAL ABERTOMito grego de Filemon e Baucis (foram transformados em árvores por suas boas ações) Pessoas que não sabem o que fazer depois que suas atividades terminaram, exemplo aposentados, idosos etc.

36 PERGUNTA 9: CANCELADA Defina injunção, programa, contra-injunção e decisão precoce. Opcional: explique o papel de cada um na formação do script, ilustre usando a matriz do script

37 Berne define autonomia como desenvolver 3 aspectos: consciência, espontaneidade e intimidade (JAMES e JONGEWARD, 1982, p.264). autonomia

38 Capaz de auto-conhecimento, de estar integrado com os outros e com o ambiente. autonomia

39 Ser espontâneo é poder fazer escolhas dentre um imenso leque de opções. autonomia

40 Desenvolver intimidade é expressar afeto, alegria e ternura próprias das crianças. autonomia


Carregar ppt "101 1 CURSO INTRODUTÓRIO DE ANALISE TRANSACIONAL PARTE 2."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google