A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA Vidal Navarro Torres Carlos Dinis da Gama MASyS G12, Portugal Centro de Recursos Naturais e Ambiente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA Vidal Navarro Torres Carlos Dinis da Gama MASyS G12, Portugal Centro de Recursos Naturais e Ambiente."— Transcrição da apresentação:

1 O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA Vidal Navarro Torres Carlos Dinis da Gama MASyS G12, Portugal Centro de Recursos Naturais e Ambiente

2 CONTEÚDO 1ª Jornada técnico-científica de Medio Ambiente Subterráneo y Sostenibilidad Introdução O sector mineral e o desenvolvimento sustentável (DS) A importância da mineração Ibero-americana Novo paradigma na gestão do sector ambiental Mineração subterrânea e o papel no DS A investigação e a tecnologia para o DS A sustentabilidade na mineração subterrânea Indicadores da sustentabilidade Estratégias na protecção ambiental Acções de responsabilidade social Acções governamentais Acções dinamizadoras do desenvolvimento sustentável Estratégia comercial Tecnologias limpas Condutas pessoais e políticas públicas Conclusões

3 INTRODUÇÃO Os produtos minerais desempenham papel indispensável no desenvolvimento da humanidade A mineração se desenvolve num certo local com meios geológico atmosférico, hidrogeológico e social naturais e a acção do homem no processo da mineração altera estas condições traduzido em impactes ambientais e sociais A mineração subterrânea tem um fim económico, com tudo esta actividade deve-se realizar com protecção ambiental e responsabilidade social

4 Ibero-américa está no topo dos 5 maiores produtores de Zn, Pb, Ag, Au e Cu no mundo destaca-se Chile, Peru e México A IMPORTANCIA DA MINERAÇÕA IBERO- AMERICANA

5 Outro indicador da importância da mineração Ibero- americana é o facto do Peru estar no 5º maior produtor de ouro no mundo PRODUÇÃO DE OURO EM IBERO-AMERICA

6 A PRODUÇÃO GLOBAL DE OURO E DE IBERO-AMERICA Perú

7 os maiores consumidores dos produtos minerais são os países desenvolvidos (EUA e EU), com valores per capita de 10 kg de Alumínio, Cobre e Zinco e 1 kg de Níquel; contra consumos inferiores a 0,5 kg em países não desenvolvidos CONSUMO PER CAPITA DE METAIS

8 O velho paradigma de modelo colonial na iteração entre o governo central e as companhias, sendo as comunidades destinadas a receber um pequeno e insuficiente beneficio económico e social O novo paradigma consiste em considerar como eixo principal a comunidade local, permitindo uma mutua relação e comunicação Os parâmetros económicos do novo paradigma são: Estrutura de acordos de impactes e benefícios entre a comunidade e a empresa; Análise da exploração dos recursos minerais considerando a aceitação regional e local; Critério de desenvolvimento regional. NOVO PARADIGMA NA GESTÃO AMBIENTAL

9 Emissões na fase de lavra: Poeiras (rochas e emissões diesel) e gases (explosivos, emissões diesel); Ruído (equipamentos e ventiladores); Escombros; Drenagem ácida; Consumo de energia; Instabilidade do maciço rochoso Emissões na fase de concentração: Poeiras e gases; Ruído (britagem, moagem, etc.,) Rejeitado de lavaria; Agua residual da lavaria Adicionalmente: Ocupação da área superficial; Oficinas e contaminação do solo Impacte visual, etc. MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA E O AMBIENTE

10 Teor de um metal representado por 1X na reserva in situ; Metal recuperado no concentrado em 0,6375X Metal perdido em rejeitado 0,3625X; Energia necessária < 17,5 MW/ton Emissões que causarão impactes ambientais e que presidam ser controlados a níveis permissíveis pelos padrões em vigor EXEMPLO DE PROCESSO PRODUTIVO E AS EMISSÕES

11 Rentabilizar o projecto mineiro em equilíbrio com a protecção ambiental e a responsabilidade social, considerando como eixo a participação da comunidade, em coordenação com governo Mas para a efectividade é determinante que adopte uma política de DS O PAPEL DA MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA NO DS N.ºPoliticas de DS 1Qualidade de relacionamento como cliente 2Justa prática no respeito ao emprego 3Respeito das comunidades 4Gestão responsável do ambiente 5Eficiência no uso dos depósitos minerais 6Respeito aos padrões do Ambiente, Saúde e Segurança 7Avaliação económica, social e ambiental

12 A economia, a protecção ambiental e a responsabilidade social para o seu pragmatismo e efectividade deve estar suportado com a investigação e tecnologia A investigação e a tecnologia permite que a operação mineira aplique a inovação necessária para uma melhoria continua da economia, da qualidade ambiental e da sua relação com a comunidade. O DS E A INVESTIGAÇÃO

13 SITUAÇÃO BLOBAL DA INVESTIGAÇÃO E DESNEVOLVIMENTO (I&D)

14 INVESTIMENTO NA INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO (I&D) EM % DO PIB Source: UNESCO Institute for Statistics, September 2009

15 INVESTIMENTO IBERO-AMERICANO NA I&D EM % DO PIB

16 EXEMPLO DE INVESTIMENTO EM I&D EM PORTUTAL

17 ISA: índice de sustentabilida de ambienta ISE: índice de sustentabilida de económica ISS: índice de sustentabilida de social INDICADORES DA SUSTEBTABILIDADE NA MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA

18 EVOLUÇÃO DA SUSTENTABILIDADE COM O TEMPO IS

19 eSIa: índice de sustentabilidade da atmosfera subterrânea (0, 54 baixa) eSIg: índice de sustentabilidade geotécnica (0,98 boa) eSIw: índice de sustentabilidade das águas subterrâneas (0,27 baixa) eSI médio= 0,60 baixo EXEMPLO DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA MINA DE PANASQUEIRA DE PROTUGAL

20 EXEMPLO DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE GEOTÉCNICA NA MINA DE PANASQUEIRA DE PROTUGAL

21 EXEMPLO E QUANTIFICAÇÃO DO CONSUMO DE ÁGUA COMO INDICADOR AMBIENTAL

22 EXEMPLO E QUANTIFICAÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA COMO INDICADOR AMBIENTAL

23 A gestão ambiental na mineração subterrânea precisa adoptar estratégias de gestão proactivas e efectivas A gestão da protecção ambiental deve ser com total respeito das normas legais e padrões de qualidade Uma ferramenta importante na protecção ambiental é na gestão estratégica e melhoria contínua, conforme a ISO ESTRAGEGIAS NA PROTECÇÃO AMBIENTAL – MELHORIA CONTINUA

24 Na gestão estratégica e melhoria contínua do ambiente com a ISO deve-se deve incluir também a gestão da segurança e saúde (OSHAS 18001) para uma gestão conjunta denominada EHSMS e assim também garantir qualidade na saúde e na vida dos trabalhadores O sucesso da aplicação desta estratégia depende principalmente da política ambiental da alta direcção. INCLUIR NAS ESTRAGEGIAS NA PROTECÇÃO AMBIENTAL A SEGURNAÇA E SAÚDE

25 As acções de responsabilidade social devem estar orientadas a: Garantir uma distribuição justa dos custos e benefícios do projecto; Respeitar e reforçar os direitos fundamentais dos seres humanos (liberdades civis e políticas, autonomia cultural, liberdades sociais e económicas e segurança pessoal); Assegurar que a diminuição dos recursos naturais não irá privar as gerações futuras, através da sua substituição por outras formas de capital. ACÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

26 Apoiar a toma das decisões partilhadas; Estimular a livre empresa dentro de um sistema de normas claras, justas e de promoção; Evitar concentração excessiva de poder; Assegurar a transparência, proporcionando acesso aos actores a informações necessárias; Garantir a responsabilidade por todas as decisões e acções; Estimular a cooperação, para gerar confiança e compartilhar objectivos e valores comuns; Assegurar que as decisões são tomadas de forma apropriada. ACÇÕES GOVERNAMENTAIS

27 Legislação ambiental o social permissiva ou inexiste gera baixos custos de produção e maior produção (países em desenvolvimento) Legislação excessivamente rigorosa, gera altos custos de produção e menor produção (países desenvolvidos) Legislação moderada e razoável e equilibrada (sustentável) gera custos de produção moderados e uma produção óptima ou sustentável ACÇÕES DINAMIZADORAS DO DS – Estratégia comercial

28 INVESTIMENTO GLOBAL NO SECTOR DA INDUSTRIA MINERAL (2005) Ibero-américa >25%

29 As tecnologias a usar devem: Minimizar o consumo de energia, água, etc., e emissões daninhas para o ecossistema e a saúde do próprio homem de hoje e do futuro; Contribuir para a competitividade do produto tendo em conta a segurança e saúde ocupacional; Ter viabilidade técnica e económica Exemplos de este tipo de técnicas são: Gasificação e/ou lixiviação subterrânea; Exploração subterrânea de corte e enchimento com material de rejeitados; Processos de lixiviação biológica, etc. ACÇÕES DINAMIZADORAS DO DS – Tecnologias limpas

30 O DS no sector da mineração subterrânea não é função particular ou individual de esta ou daquela empresa, mas é multissectorial e com participação de condutas pessoais a nível empresarial, local, regional, nacional e global, sendo expressa em três níveis. O DS da mineração subterrânea depende das seguintes condutas pessoais: Consciencialização do DS; Ética de DS; Visão e políticas do DS; Capacitação em técnicas actuais para o DS; Capacitação em fiscalização para o DS; Capacitação em economia e gestão do DS; Negociação e coordenação para o DS; Comunicação do DS. ACÇÕES DINAMIZADORAS DO DS – Condutas pessoais

31 A gestão do sector mineral deve ser baseada num novo paradigma, onde a comunidade participa como o eixo central na relação com a empresa mineira e o governo. Para que o DS no sector mineiro não fique só a nível de discurso é preciso quantificar baseado na a investigação tecnológica. Para que isso aconteça é importante a efectiva e coordenada participação do trinómio: Universidade, Empresa e Governo Uma inovadora metodologia consiste em quantificar o DS através dos índices de sustentabilidade que permite ter um padrão de referência e no caso de estar abaixo deste padrão tomar as medidas necessárias para obter uma boa sustentabilidade ao longo do tempo. O DS depende de uma participação multissectorial e multidisciplinar a nível local, regional, nacional e global, pelo que é muito importante a influencia das condutas pessoais, a responsabilidade e ética. CONCLUSIONES

32 Muito obrigado


Carregar ppt "O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A MINERAÇÃO SUBTERRÂNEA Vidal Navarro Torres Carlos Dinis da Gama MASyS G12, Portugal Centro de Recursos Naturais e Ambiente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google