A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ECE 2006/7 39 II. Fundamentos do Comercio Electrónico e da Economia da Internet II. A. 1. Definições, medição e conceito Importância das definições e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ECE 2006/7 39 II. Fundamentos do Comercio Electrónico e da Economia da Internet II. A. 1. Definições, medição e conceito Importância das definições e."— Transcrição da apresentação:

1

2 ECE 2006/7 39 II. Fundamentos do Comercio Electrónico e da Economia da Internet II. A. 1. Definições, medição e conceito Importância das definições e medições Analise das mudanças nos produtos, nos modelos de negócio, nos mercados, nas organizações e nas qualificações do trabalho. Definições do Comércio Electrónico Aplicação de tecnologia vs. Modelo de negócio Transacção electrónica vs. Actividade electrónica

3 ECE 2006/7 40 Definições O Comércio Electrónico é o local onde se efectuam as transacções comerciais através das redes de telecomunicações, nomeadamente a Internet. Comercio Electrónico descreve a compra e a venda de produtos, serviços, e informação através de redes electrónicas (redes proprietárias e Internet). A infra-estrutura do Comercio Electrónico é um ambiente de computadores em rede de empresas, famílias e Estado O negócio electrónico ( E-business ) é frequentemente usado como sinónimo de Comercio Electrónico mas inclui o serviço pós-venda e as tarefas intra-organizacionais das empresas.

4 ECE 2006/7 41 Definições Todas as definições do comercio electronico estão centradas em três componentes chave: 1. actividade transaccional; 2. as aplicações ou tecnologia; 3. redes de comunicação. Ex.- Comprar disco em linha (transaccional) - seleccionar uma estante para livros en linha (informativo) - reservar umas ferias na praia Por oposição o negócio electrónico esta mais centrada na actividade da empresa, na trocas mediadas electrónicas no interior da organização e, para com o exterior nomeadamente seus parceiros – clientes e fornecedores. Ex. – comprar a fornecedores (e-compras – e-procurement) - consultar encomendas via Intranet - fornecer informações a clientes via Extranet

5 ECE 2006/7 42 Segmentação do e-comércio

6 ECE 2006/7 43 E-comércio pela utilização final

7 ECE 2006/7 44 Definição do processo de e-comércio

8 ECE 2006/7 45 Questões sobre as definições Comércio electrónico tradicional e Internet Comerciais e sociais Medição e indicadores de C.E. Inibidores e facilitadores Fontes e Métodos Estatísticos Outras questões e problemas Peso relativamente pequeno de empresas e familas Transacções no interior das organizações Transacções não financeiras

9 ECE 2006/7 Eurostat- 10 paises (2000) 46 Motivações para o e-comércio

10 ECE 2006/7 Eurostat - 10 p. (2000) 47 Inibidores do e-comércio

11 ECE 2006/7 Choi & al. (1997) 48 II.A.2. Dimensões do Comércio Electronico

12 ECE 2006/7 49 Domínios do Comercio e do Negócio Electrónico Infra-estrutura global Segurança Pagamentos E-banca Questões legais Formação e-mercados Interfaces humanos e informáticos Infra-estruturas de informação Ligação à distribuição Resposta ao mercado Inventários Difusão da Informação Encomendas Gestão das facturas Serviços de componentes Contratos Empresa Desenvolvimento de produtos Logística e Suporte à Cadeia de Valor Recursos humanos Formação e Conferências Contabilidade e Programação financeira Produção Interface com consumidores E-compras Entretenimento Trocas nos e-mercados Catalogos Informação e serviços em linha Assistência aos consumidores e Pós-venda Investigação de mercado e recolha de informação sobre consumidores Ligação aos fornecedores Fornecimento de produtos Recolha de informação Processo de compra Gestão de stocks Contratos

13 ECE 2006/7 50 II.A.3. Ciclo de vida do Com.Elect. Preparação das infra-estruturas, obstáculos e massa critica na economia de rede. Ex. indicadores: nº de computadores, acesso a Internets, servidores e sites web; Intensidade e grau de aplicação. Inibidores e facilitadores. Ex. indicadores: peso das transacções, das compras e das vendas electronicas, tempo dispensado no uso da Internet ; Incidência e efeitos substituição e multiplicadores. Ex. indicadores: Satisfação nos resultados e efeitos sobre o desempenho, peso das despesas do E-comercio.

14 ECE 2006/7 ocde 51 Necessidades de conhecimento e ciclo do comércio electrónico Preparação Potencial de utilização Acesso as TIC Infra-estrutura de rede Infra-estrutura socio-económica Intensidade Dimensão e natureza das transacções e da actividade Incidência Novos produtos e serviços Modelos de negócio Ganhos de eficácia Qualificações no trabalho Formas de criação de riqueza Modificações na cadeia de valor Tempo Desenvolvimento do Com. Electrónico

15 ECE 2006/7 ocde (2005) 52 Indicadores de Preparação: banda larga Subscritores de banda larga por tecnologia per 100 hab. Cabo

16 ECE 2006/7 eurostat 53 Indicadores de intensidade: compras e vendas na Internet por classe de dimensão

17 ECE 2006/7 54 Etapas do Comércio Electrónico complexidade Contacto e promoção = site e difusão Contacto e promoção = site e difusão Transacção e distribuição = novo canal e modelo de negócio Transacção e distribuição = novo canal e modelo de negócio Integração = parcerias e comunidades Integração = parcerias e comunidades Valor acrescentado Eco-sistema = membros de multiplas comunidades verticais e horizontais Eco-sistema = membros de multiplas comunidades verticais e horizontais

18 ECE 2006/7 55 P P P P P Comunidade comercial. Agregação de interesses e necessidades comuns Eco-sistema empresarial. Amplia o modelo da comunidade comercial. Incorpora clientes, fornecedores, parceiros e concorrentes. Membro de múltiplas comunidades verticais e horizontais Eco-sistema de empresas

19 ECE 2006/7 56 II.B. Economia da Internet O enquadramento em termos de hierarquia visa por em evidência a complexidade e a diversidade das funções da infra-estrutura de rede e das tecnologias de informação na economia da Internet. As auto-estradas da informação abarcam componentes inteiras das empresas, dos governos e das instituições educativas relacionando consumidores, cidadãos e publico em geral numa teia de nós de comunicação inter-conectados. Esta interdependência pode tomar a forma de associações diversas entre transportadores, fornecedores de conteúdos, vendedores de aplicações, retalhistas em linha.

20 ECE 2006/7 57 II.B.1. Níveis da Economia da Internet Nível 4: Transacções em linha Nível 3: Intermediários Nível 2: Aplicações Nível 1: Infra-estrutura de rede Comércio Electrónico Infra-estrutura de suporte

21 ECE 2006/7 58 II.C. Diferenças entre a economia física e digital Infra-estrutura económica aberta Penetração da Internet a nível interno e externo Economias de escala e de variedade (scale and scope) Sector emergente e aplicação da tecnologia digital em toda a economia Agregação estatística das TIC Propriedades da infostrutura Custo do acesso Combinação tecnológica Rede aberta e segurança

22 ECE 2006/7 59 Diferenças entre a economia física e digital Economia Digital envolve a recolha, a selecção, a síntese e a distribuição de informação. Digitalização do valor Massa critica e economia de redes Efeitos de rede e economias de escala Redução de preços e diferenciação Criação de versões e Personalização Regulação Importância da Informação nos mercados Função do conhecimento e da informação Escola austríaca: papel da informação e da incerteza Produtos intensivos em informação e bens intangíveis

23 ECE 2006/7 60 Diferenças entre a economia física e digital Novo paradigma económico? Interactividade e individualização Modularização dos conteúdos Extensão das formas de comunicação social e comunidades virtuais Acesso imediato e permanente Redução dos custos de transacção, interfaces electrónicos, serviços pós-venda e planeamento da procura Formas multimédia de oferta: importância da Teia (Web) e capacidade de transmissão

24 ECE 2006/7 61 Tendências na economia da Internet : Inovação Digitalização: bits vs. átomos físicos, custo de transporte independente da distância, bens podem ser vendidos e guardados simultaneamente; original cópia. Não rivalidade Poder de processamento e lei de Moore Miniaturização das componentes e micro- processadores. Normalização; compatibilidade da cadeia de valor, entre fornecedores e consumidores, racionalização. Organização em rede

25 ECE 2006/7 62 Tendências na economia da Internet: Aplicações ConsumidorEmpresaGovernação Consumidor C2C e.g. e-leilões (EBay, DECO) C2B e.g. comparações de preços C2G e.g. obrigações fiscais Empresa B2C e.g. e-comércio (Amazon) B2B e.g. e-comércio (Dell) B2G e.g. mercados (concursos) publicos Governação G2C e.g. informação, serviços publicos (BNDigital) G2B e.g. informação G2G e.g. coordenação

26 ECE 2006/7 63 Estrutura da intermediação Vendedor 1 Vendedor 2 Vendedor 3 Cliente Rede de distribução de produto Informação Produto Estrutura de Mercado Sectorial Tradicional Mercado tradicional (evolução): Os clientes procuram informações de várias fontes sobre produtos, agentes, preços, qualidade e caracteristicas Cliente Troca de informações no mercado

27 ECE 2006/7 64 Estrutura da intermediação Mercado electrónico Os custos de procura para o consumidor são reduzidos Consumidores compram produtos a menores preços, e os intermediarios têm novas funções Rede Distribuição de Produto Vendedor 1 Vendedor 2 Vendedor 3 Cliente Mercado Electronico Informação Produto Cliente Estrutura sectorial com mercado electrónico

28 ECE 2006/7 65 Estrutura da intermediação

29 ECE 2006/7 66 Estrutura da intermediação Vendedor 1 Vendedor 2 Vendedor 3 Mercado electrónico e rede de distribuição Cliente Produto de informação digitalizado Digitalização do produto e da sua distribuição Estrutura de um mercado electronico e rede de distribuição

30 ECE 2006/7 67 Vendedor 1 Vendedor 2 Vendedor 3 Mercado electrónico e rede de distribuição Cliente Fornecedor Estrutura da intermediação Mercado electrónico com comunidades virtuais Formação de sub-mercados pela agregação de agentes

31 ECE 2006/7 68 II. D. Mutações na organização 1.Organizações centradas na Internet Fornecedores Serviços financeiros Distribuidores Logistica Extranet Empresa, organização Intranet Economia do Conhecimento Comunicação interna Gestão de projectos Loja electrónicaRecolha de informaçãoServiço clienteDifusão da informação Internet

32 ECE 2006/7 69 II.D.2. Estrutura Funcional de Negocio na Internet Interior Vendas B2B-B2C Compras B2B Base de dados Fornecedores Clientes Comunicação Colaboração Cadeia de valor MRO Catalogo E- Comercio E- Procurement Desempenho do Site Personalisação E-Balcão e E-Catalogo Gestao de Conteudo E-Marketing -Entrega -Distribuição - Serviço Pagamento Diretorio Gestão de Conhecimento Sincronização Contabilidade Calendarização Planeamento Inventario ERP Market placeMerchant site SCM – Gestao da cadeia de produção CRM

33 ECE 2006/7 70 II.D.3. Modificação nas Estruturas Modificações no Trabalho Tarefas mediadas por TICs Modificação das formas de participação dos individuos no processo de trabalho; conteudo mais abstracto, modificação dos limites fisicos do local Redefinição da Organização Das estruturas orientadas por função e orientadas por processos às estruturas orientadas por papel (role)

34 ECE 2006/7 71 Transformação nas Organizações Lider funcional Lideres da organização Pessoal Produção Vendas Líder funcional Líder funcional (...) Estrutura funcional. Rigidez e isolamento organizacional (ilhas). Utilizador como variável perturbadora. Controlo pelo coordenador Pessoal Produção Vendas (...) Estrutura orientada por processos. Objectivos moldados pelos utilizadores. Estrutura e controlo flexível do processo pelo gestor de fluxos operacionais. Concepção comportamental Lideres da organização Processo de compra Assist. cliente Desenvolvimento produto

35 ECE 2006/7 SAP 72 Transformação nas Organizações Objectivo 1 Objectivo 2 Objectivo 3 Papel 1 Papel 3 Papel 2 Etapa 3 Etapa 2Etapa 1 Etapa 3 Etapa 2 Etapa 1 Etapa 3Etapa 2 Etapa 1 Etapa 3Etapa 2 Etapa 1 Etapa 4 Concretização de objectivos Processo 1 Processo 2 Processo 3 Processo 4 Estrutura orientada pelo papel (ou missão). Papel define um conjunto de tarefas de individuos. Os processos são sequências em etapas onde estão incorporados as tarefas. O papel pode ser agregadao numa perspectiva funcional (vertical) e processual (horizontal). Os individuos podem alterar a combinação das tarefas sob seu controlo

36 ECE 2006/7 73 II.E. Teorias da informação e da direcção Dados, informação e conhecimento Informação sintática e semântica, Conhecimento explicito e tácito Revolução cognitiva e tecnologias intelectuais Organização do conhecimento, Base social da disseminação do saber Informação como recurso Inesgotabilidade, não rivalidade Localização Grau de transformação Restrição à informação, centralização e valor Matéria, Energia e Informação Ordem, equilíbrio e evolução Organização, entropia e informação Teoria da direcção e cibernetica

37 ECE 2006/7 74 Dados, informação e conhecimento


Carregar ppt "ECE 2006/7 39 II. Fundamentos do Comercio Electrónico e da Economia da Internet II. A. 1. Definições, medição e conceito Importância das definições e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google