A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO DA INOVAÇÃO. PROGRAMA Compreender o Mercadeo 5 Definições. Conceitos de base 1 A Inovação na Empresa 2 Estratégia, Inovação e Tecnologia 3 Inovação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO DA INOVAÇÃO. PROGRAMA Compreender o Mercadeo 5 Definições. Conceitos de base 1 A Inovação na Empresa 2 Estratégia, Inovação e Tecnologia 3 Inovação."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO DA INOVAÇÃO

2 PROGRAMA Compreender o Mercadeo 5 Definições. Conceitos de base 1 A Inovação na Empresa 2 Estratégia, Inovação e Tecnologia 3 Inovação Tecnológica e Criação de Competências 4 Inovação no Produto 6 Inovação no Processo 7 Abordagem Integradora da Gestão da Inovação 8

3 SÍNTESE DO PROGRAMA Temas/CasosBibliografia 1. Definições, Conceitos e Modelos de Base para a Gestão da Inovação 1.1. Conceitos básicos 1.2. Tipos de inovação. Curvas S 1.3. Modelos do processo de inovação Tidd, Bessant e Pavitt, Caps. 1 e 2 2. A Inovação na Empresa: Auditorias de Inovação 2.1 A empresa como espaço de processamento de saberes 2.2 Base de conhecimentos e relacionamentos externos 2.3 Paradoxos na gestão da inovação 2.4 Auditorias de inovação Caso: Palm Top Tidd, Bessant e Pavitt, Caps. 2 e 13 Laranja (1999) 3.Estratégia, Inovação e Tecnologia 3.1 A dimensão estratégica da inovação e da tecnologia 3.2 A formação da estratégia tecnológica 3.3 Ciclos de mudança nas indústrias: Abernathy e Utterback 3.4 Apropriabilidade e activos complementares 3.5 Capacidades dinâmicas Caso: Sony Playstation Tidd, Bessant e Pavitt, Cap A Inovação Tecnológica e o Processo de Criação de Competências e Capacidades 4.1 Criação de conhecimento organizacional. Tipos de conhecimento 4.2 Desenvolvimento interno 4.3 Cooperação e internalização de conhecimentos externos 4.4 A prática da gestão da inovação Tidd, Bessant e Pavitt, Caps. 6, 8 e Compreender o Mercado 5.1 Captar e interpretar as necessidades do cliente 5.2 Tipos de utilizador e participação no processo de inovação 5.3 Desenvolvimento do mercado Caso: Bycicles. Mass Customisation Tidd, Bessant e Pavitt, Cap Inovação no Produto 6.1 Introdução 6.2 Planeamento de produtos: plataformas e arquitecturas 6.3 Especificações 6.4 Geração, selecção e teste de conceitos 6.5 Estudo de viabilidade 6.6 Processo de desenvolvimento Casos: Braun, Sinclair – Parte A e Sinclair – Parte B Ulrich e Eppinger, Caps. 3 e 9 Ulrich e Eppinger, Cap. 5 Ulrich e Eppinger, Caps. 6, 7 e 8 Ulrich e Eppinger, Cap. 13 Ulrich e Eppinger, Caps. 11, 12 e Inovação no Processo 7.1 Desenvolver a inovação no processo produtivo 7.2 Trabalho em equipa, criatividade e melhoria contínua 7.3 Processos de aprendizagem Tidd, Bessant e Pavitt, Cap Um Abordagem Integradora da Gestão da Inovação Tidd, Bessant e Pavitt, Caps. 11 e 13

4

5

6

7

8 CAPÍTULO 1 DEFINIÇÕES. CONCEITOS E MODELOS DE BASE PARA A GESTÃO DA INOVAÇÃO

9 1.1 CONCEITOS BÁSICOS

10 Invenção e Inovação Invenção = descoberta Ex. Thomas Edison - lampada electrica Inovação = Primeira comercialização da descoberta (OCDE - Manual de Frascati)

11 Interacções entre Ciência e Tecnologia Exemplos Leis do Magnetismo -> Rádio Supercondutividade HTSC -> Maglevs Descoberta do A.D.N -> clonagem Novas espécies de trigo <- variação do clima

12 Interacções entre Ciência e Tecnologia Ex.- Emissões Rádio Faraday descoberta do electromagnetismo Maxwell (por 1870) - equações, formulação teórica Hertz confirmação experimental da existência de ondas de rádio Marconi - 1º a usar ondas de rádio para comunicações de longa distância

13 TECNOLOGIA Conjunto organizado de conhecimentos de natureza científica, técnica ou empírica necessários à produção, distribuição e/ou utilização de bens e serviços. SUPORTE Tecnologia material (instrumentos, máquinas, chips) Tecnologia documentada Incorporada nas pessoas, equipas e rotinas ESPECIFICIDADE Tecnologia Geral Tecnologia Específica de Sistema Tecnologia Específica de Empresa

14 O que é a tecnologia ? Tecnologia materializada, corresponde os produtos, máquinas, equipamentos e processos físicos ou serviços concretos que incorporam cnhecimentos tecnológicos e constituem portanto a expressão material da tecnologia. Tecnologia documentada, corresponde aos manuais, livros técnicos, memórias descritivas, etc. e também a a patentes e registos de direitos intelectuais. Tecnologia imaterial, corresponde a conhecimentos práticos e tácitos, necessários para conceber, desenvolver e fabricar bens ou serviços.

15 O que é a tecnologia ? Tecnologia = equipamento + documentação + conhecimentos a tecnologia não é apenas sistemas e equipamentos mas fundamentalmente conhecimento util e aplicado à resolução de problemas concretos.

16 A disponibilidade da tecnologia

17 Inovação - definições Inovação é uma palavra ambígua –pode denotar simultaneamente uma atitude, um processo e o seu resultado. Processo de inovação é a forma como a ideia foi obtida, desenvolvida e o seu resultado foi lançado no mercado. Em geral as definições referem-se ao processo mas os tipos de inovação referem- se por vezes ao seu resultado

18 Inovação - definições processo que inclui as actividade técnicas, concepção, desenvolvimento, gestão e que resulta na comercialização de novos (ou melhorados) produtos, ou na primeira utilização de novos (ou melhorados processos (Freeman) a aplicação de novos conhecimentos tecnológicos, de mercado e outros, que resulta em novos produtos, processos ou serviços, ou na melhoria significativa de alguns dos seus atributos.

19 Uma inovação é a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente melhorado, de um processo, de um novo método de marketing, ou de um novo método organizacional nas práticas de negócio, na organização do trabalho ou nas relações externas [da empresa] M. Oslo, OCDE, 2005, p. 46) (I) Conceitos de Inovação (I)

20 Conceitos de Inovação (II) INOVAÇÃO DE PRODUTO: Introdução de um bem ou serviço novo ou significativamente melhorado relativamente às suas características ou utilização pretendida (inclui melhorias significativas nas específicações técnicas, componentes e materiais, software incorporado, facilidade de utilização ou outras características funcionais) INOVAÇÃO DE PROCESSO: É a implementação de um método de produção ou de entrega novo ou significativamente melhorado (inclui alterações significativas nas técnicas, equipamento e/ou software) Fonte: OCDE (2005)

21 Conceitos de Inovação (III) INOVAÇÃO COMERCIAL: Implementação de um novo método de comercialização envolvendo mudanças significativas no design ou embalagem do produto, na colocação do produto, na sua promoção ou na definição do preço INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL: Implementação de um novo método de organização nas práticas de negócio, organização do trabalho ou relações externas da empresa. Fonte: OCDE (2005)

22 Inovação comercial Inovação de conceito –Ex: monovolume Criação de marca –Ex: Ana Salazar homem Inovação no design –Ex: Apple, cubo Inovação na embalagem

23 Inovação organizacional inovação na gestão do fabrico circulos e qualidade JIT inovação na função comercial novos sistemas de financiamento ao cliente estrutura de vendas novos negócios intra-empresas spin-offs novos modelos de negócio consultoria em viagens venda por catálogo novos conceitos de hotelaria comercialização de música na net

24 Incidência da inovação Inovação no produto/serviço –melhoria das funções e atributos oferecidas, ou introdução de novas funções e atributos. Ex: aperfeiçoamento de uma máquina de lavar roupa, redução do tempo de entrega, nova versão de Software

25 Incidência da inovação Inovação no processo –melhoria da forma como os produtos/serviços são desenvolvidos, produzidos/oferecidos ou comercializados –Ex: Introdução de um novo layout fabril, re-organização do sistema de distribuição, introdução de um sistema CAD/CAM

26 Incidência da inovação Inovação de procedimentos –melhoria nas operações de apoio ao desenvolvimento, fabrico ou comercialização, nomeadamente operações administrativas, de organização e gestão. –Ex: aperfeiçoamento das campanhas de promoção, modificações ao sistema de controlo de crédito ao cliente, monitorização da oferta dos fornecedores.

27 Fontes de Inovação Clientes Fornecedores Informação Técnica (revistas da especialidade) Concorrentes. Produtos por engenharia reversível ou processos Outras indústrias/negócios Pessoal técnico. Engenheiros e Cientistas qualificados Pessoal não-técnico. Sistemas de recolha de ideias Institutos de Investigação Desenvolvimento, Universidades

28 1.2 TIPOS DE INOVAÇÃO. CURVAS S

29 Tipos de inovação Abernathy e Clark Inovação arquitectural Criação de nicho Inovação regular Inovação revolucionária

30 Tipos de inovação e a sua influência na envolvente competitiva Arquitectural Abernathy e Clark Criação de Nicho Nicho Regular Revolucionária Destroi/ cria novas ligações Conserva ou reforça as ligações existentes Conserva/reforça competências existentes Torna obsoletas competências existentes

31 Inovação arquitectural Rompe com competências e ligações a utilizadores actualmente existentes. Pode dar origem a novas indústrias ou reformular por completo as actuais. Ex: invenção do automóvel 1900s, introdução do micro- computador no final dos anos 1970s, invenção da radio e TV, Internet nos anos 90

32 Criação de nicho Inovação que utiliza tecnologias existentes para criar novas oportunidades de mercado. Ao contrário da inovação arquitectural os actuais sistemas produtivos são reforçados Ex: Sony Walkman, lançamento de colecções moda, Automóvel monovolume

33 Inovação regular Modificações incrementais que constituem melhorias no custo ou na funcionalidade e atributos de produtos, serviços, processos. O efeito cumulativo pode ser consideravel Ex: melhoria dos foguetes espaciais anos 50, aumento de performance dos computadores e das fibras sintéticas.

34 Inovação revolucionária Inovação revolucionária que, contudo, se aplica aos mercados e utilizadores existentes Ex: motor a helice vs motor a jacto, radio a válvulas vs radio a transistor, máquina de calcular mecânica vs calculadora electrónica.

35 Tipos de inovação C. Freeman inovações incrementais inovações radicais novos sistemas tecnológicos novos paradigmas tecnológicos

36 Inovações incrementais pequenas melhorias nos produtos ou processos existentes que resultam da acumulação de conhecimento tecnológico. Exs. Display electrónico nas bombas de gasolina. comando à distância na TV, Telefone multifunção, Máquina de lavar com programador, etc

37 Inovações radicais não resultam da acumulação de melhorias, mas sim de introdução de novos conceitos Exs. Microprocessador - sistemas lógicos discrestos, Tecnologia RISC - arquitecturas convencionais, Microscópio electronónico

38 Novos Sistemas Tecnológicos são combinações de várias inovações, com ramificações em diferentes sectores económicos Exs. materiais sintéticos, inovações petroquímicas, novos compostos baseados na engenharia genética, CAD/CAM/CAE/MRP/JIT

39 Sistema Tecnológico das Telecomunicações

40 Novos Sistemas Tecnológicos Biotecnologia – Bio-engenharia, Biomassa, Kits de Diagnostico, Fármacos Energia –bombas de calor, energia solar, gasificação e liquidficação do carvão, energias renováveis, equipamento de monitorização e controlo Tecnologia dos materiais –implantes (materiais bio-compatíveis), materiais compósitos avançados, materiais electrónicos avançados, supercondutores Tecnologias de informação –Equipamento escritório, fibra optica, satélites, instrumentos médicos e científicos, supercomputadores, Software, Tis em casa, etc. etc. etc.

41 Alteração de paradigma tecnológico quando a tecnologia tem uma gama de aplicações tão vasta que afecta os factores e condições de produção em praticamente todos os sectores económicos. Exs. Máquina a vapor, motor de combustão, Novas Tecnologias de Informação e Electrónica

42 1º Kondratieff2º Kondratieff3º Kondratieff4º Kondratieff Aglomeração de inovações Expansão económica recessão Boom de inovações Alteração de Paradigma – Ondas longas de Kondratieff 1995

43 Alteração de Paradigma – Ondas longas de Kondratieff Segundo Freeman 1974 a)Descobertas científicas fornecem a base para uma nova vaga inovações tecnológicas b) Inovações radicais vão criar oportunidades para novos produtos c) Novos produtos dão origem a novas indústrias e novos mercados d) As novas indústrias continuam a inovar nos produtos e processos e a expandir os mercados e) Quando a tecnologia atinge a maturidade, existem já muitos concorrentes a nível internacional começa a existir excesso de capacidade f) O excesso de capacidade provoca decréscimo de rentabilidade e leva a falências, retiradas e subida do desemprego g) A consequente crise gera depressão económica h) Nova ciência e tecnologia fornecem um nova base para a expansão económica

44 Alteração de Paradigma – Ondas longas de Kondratieff 1 st nd rd th th InfraestruturaCanais Rede ferroviária Rede rodoviáriaAeroportos Maglev Espaço Transportes Navegação fluvial Comboio Barco a vapor AutomóvelAviões Maglev Space Shuttles Comunicações Publicações periódicas TelégrafoTelefone Rádio, TV (satelites) Telematica Internet Materiais Ferro básico Ferro fundidoAço Materiais sintéticos Materiais HTSC CiênciaQuímica Electro- magnetismo Termodinâmica Mecânica Quantica Relatividade Genética DNA Fisica Nuclear Fusão Nuclear EnergiaMadeiraCarvãoPetróleoGás NaturalNuclear

45 O novo paradigma das TIEs Grande capacidade para comunicar e armazenar informação Elevado ritmo de mudança tecnológica e elevado número de aplicações Mudança no sistema produtivo - tecnologias CAD/CAM/CIM Maior segmentação dos mercados por um lado e globalização, por outro Intensificação do ritmo de competição Redução dos tempos de lançamento de produtos

46 O novo paradigma das TIEs Novas necessidades de formação e educação. Competências tecnológicas e multidisciplinaridade Mudanças no sistema financeiro Utilizadores - Bancos - Empresas - Distribuição Mudanças na organização industrial. Maior interdependência entre a indústria e serviços Mudanças no tecido social, organizacional, político, institucional O INVESTIMENTO INTANGÍVEL EM QUALIFICAÇÕES DOS RH, EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, I&D, É O RECURSO CRÍTICO DESTE NOVO PARADIGMA !

47 O Fordismo e o Novo Paradigma da Especialização Flexível 1 Produção em massa, Economias de escala, produtividade do capital e trabalho Máquinas dedicadas Produtos padronizados. Gama limitada Processos materiais e energia intensivos Trabalho padronizado- Taylorismo Economias de gama, produtividade através de processos Importância do design e desenvolvimento de novos produtos Especialidade, variedade Conservação da energia, processos informação intensivos Tarefas pouco definidas mas integradas

48 Pagamentos por tarefa, formalização das negociações laborais Planeamento e controlo centralizado Hieraquias verticais Dominio do produtor sobre o consumidor e distribuidor Poder negocial face aos fornecedores Competição com base na capacidade Pagamentos por pessoa Hierarquias horizontais, planeamento integrado nas redes de produção Equilibrio fornecedor- consumidor Relação JIT Competição naseada na inovação O Fordismo e o Novo Paradigma da Especialização Flexível 2

49 A empresa flexível Nucleo flexibilidade funcional Periferia 1 flexibilidade numérica Periferia 2 flexibilidade numérica part-timers contratos curto prazo trabalho partilhado subcontratados

50 A empresa flexível –O sistema de emprego flexível flexibilidade funcional no núcleo - gama de competências amplas e dedicação Periferia I - Trabalho c/contrato, Part-time, Necessidade de possuir competências especializadas Periferia II - trabalho temporário s/contracto, relação de prestação de serviços Segurança no trabalho = ser empregável

51 Fonte: Dodgson (2000)

52 Curvas - S indicador de performance limite de performance devido a restrições naturais tempo evolução incremental discontinuidade

53 Fonte: Birchall & Tovstiga (2005)

54

55 Fonte: Moore (2000)

56 1.3 MODELOS DO PROCESSO DE INOVAÇÃO

57 Modelos do processo de inovação push/pull push/pull + 3 fases Linear e Sequencial Cíclico Espiral Interactivo - coupling Kline e Rosenberg Desenvolvimento mais recentes

58 Modelos do processo de inovação Push-pull Push-tecnológico Pull-procura Push-pull + governo necessidades mercado ciência criatividade engenharia capacidadeinventoracapacidadetecnológicaprocurasocial Três fases

59 Modelo Linear e Sequencial Modelos do processo de inovação Invenção Obsoloscência Engenharia Protótipo Produção Mercado CiênciaDesignDifusão

60 O modelo linear e sequencial Investigação aplicada Desenvolvimento experimental Primeira produção Academia Universidades Laboratórios do Estado LaboratóriosprivadosAcademia Universidades Laboratórios do Estado, Laboratórios Industriais Laboratórios de Investigação e Desenvolvimento Industrial FabricasEscritóriosetc Fabricas Unidades de produção ou serviço, lojas e pontos de venda InvestigaçãobásicaDifusão Localização das actividades Massey, Quintas, and Wield, 1992EngenhariaProtótipoProduçãoMercado Invenção CiênciaDesign Difusão

61 O modelo linear e sequencial Quem faz o trabalho ? Massey, Quintas, and Wield, 1992 Investigação aplicada Desenvolvimento experimental Primeira produção Investigaçãobásica Difusão Cientistas nos laboratórios com apoio de pessoal técnico auxiliar Cientistas e Engenheiros noslaboratórios com apoio de pessoal técnicoauxiliar Cientistas e Engenheiros nos laboratórios. Engenheiros e Técnicos para concepção, construção e teste de protótipos Gestores ou Engenheiros de produção. Trabalhador es da linha de produção Na maior parte das empresas industriais, a força de vendas, utilizadores, etc. EngenhariaProtótipoProduçãoMercadoInvençãoCiênciaDesignDifusão

62 O modelo linear e sequencialResultados Massey, Quintas, and Wield, 1992 Investigação aplicada Desenvolvimento experimental Primeira produção Investigaçãobásica Difusão Novos conhecimentos científicos, ideias e artigos científicos publicados Patentes, artigos científicos publicados Patentes, Relatórios, Memórias descritivas, Especificações Novos produtos e processos Disponibilidade mais vasta de novos produtos e processos EngenhariaProtótipo Produção MercadoInvençãoCiênciaDesignDifusão

63 Ideia tecnologia procura Ideia desenvolvimento difusão adaptação re-invenção Cíclico Espiral Modelos do processo de inovação

64 Interactivo M ercado Estado da Arte em Ciência e Tecnologia Necessidades do mercado e da sociedade Novasnecessidades Ideiaconcepção Nova capacidade tecnológica DesenvolvimentoProdução Marketingvendas Modelos do processo de inovação

65 O Modelo Chain-Linked da Inovação Fonte: Kline and Rosenberg (1989) Investigação Mercado Potencial Invenção Concepção Criação Design Desenvolv. Detalhado Teste Redesign Fabrico Distribuição e Mercado Conjunto de conhecimentos científicos e tecnológicos K K K I I I D S M F f f

66 c=Cadeia central do processo de inovação f=Feed-back loops entre fases adjacentes F=Feed-back entre diferentes fases K I=Ligações entre conhecimento e a investigação e respectivas ligações de retorno D=Ligação directa de/para investigação e problemas de desig n e invenção M=Contribuição do sector industrial para a investigação através de ferramentas, máquinas e instrumentos científicos s=Constribuição e apoio financeiro das empresas à investigação científica Legenda do Modelo Chain- Linked

67 EVOLUÇÃO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO (segundo Rothwell, 1992) GeraçãoModeloCaracterísticas 1º Technolog Push Modelo Linear. Ênfase I&D 2ºNeed Pull Modelo Linear. Ênfase Marketing 3º Coupling Model Sequencial com retroacções. Ênfase integração I&D/Marketing 4º Modelo Integrado Desenvolvimento paralelo com equipas de projecto integradas. Ligação a clientes. Ênfase integração I&D/Marketing 5º Integração de Sistemas e Redes (SIN) Desenvolvimento paralelo integrado Uso de modelos de simulação em ID Customer Focus Ligações com fornecedores Relações horizontais Ênfase na flexibilidade e na velocidade de desenvolvimento

68 3a Geração Corresponde grosso modo ao modelo interactivo ou ao de Klein e Rosenberg M ercado Estado da Arte em Ciência e Tecnologia Necessidades do mercado e da sociedade Novasnecessidades Ideiaconcepção Nova capacidade tecnológica DesenvolvimentoProdução Marketingvendas

69 4a Geração I&D Desenvolvimento de Produto Engenharia de produção Fabrico de componentes (fornecedores) Produção Reuniões inter-funcionais Engenheiros/Gestores Lançamento do produto Exemplo do processo de desenvolvimento de produto - NISSAN Processo basicamente sequencial mas com paralelismo e integração entre funções Marketing

70 5ª Geração Desenvolvimento paralelo Integração de funções em rede

71 5ª Geração A empresa vista como um sistema integrado de actividades que tem como missão criar valor para o cliente, sendo a sua performance medida em tempo/custo de concepção, desenvolvimento e fabrico. Semelhante aos conceitos de re- engineering, downsizing, empowering employees, virtual companies. i.e. técnicas para trazer o cliente o mais proximo possivel das capacidades da empresa.

72 5ª Geração Empresa vista como um fluxo de ideias, conhecimentos, produtos e de informação. A performance tempo vai ser importante a nível organizacional para obrigar a eliminar barreiras entre funções, simplificar procedimentos, aumentar qualidade, criar ligações a clientes e fornecedores, etc. Stalk & Hout HBS

73 Modelos do processo de inovação Geração de Ideias Desenvolvimento de produtos Desenvolvimento do Marketing Desenvolvimento de processos Desenvolvimento da cadeia de fornecedores Comunicação com o consumidor Satisfação do cliente (Ian Richards, © Interknectives 1998) Modelo da cadeia integrada

74 Especificação e Desenvolvimento do conceito - produto Especificação e Desenvolvimento do conceito - produto Interpretar tendências mercado e tecnologia Interpretar tendências mercado e tecnologia Construir seleccionar opções Criatividade/Ideias Construir seleccionar opções Criatividade/Ideias Desenvolvimento de produto Desenvolvimento de produto Objectivos e estratégia para alteração do processo produtivo Objectivos e estratégia para alteração do processo produtivo Desenvolvimento de mercado Desenvolvimento de mercado Desenvolvimento do processo Desenvolvimento do processo Introdução no mercado

75 Fonte: Caraça, Ferreira e Mendonça (2006)


Carregar ppt "GESTÃO DA INOVAÇÃO. PROGRAMA Compreender o Mercadeo 5 Definições. Conceitos de base 1 A Inovação na Empresa 2 Estratégia, Inovação e Tecnologia 3 Inovação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google