A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Funcionalismo Europeu (e repercussão do escolanovismo no Brasil) UFRGS/IP História da Psicologia 2007 Aula 11.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Funcionalismo Europeu (e repercussão do escolanovismo no Brasil) UFRGS/IP História da Psicologia 2007 Aula 11."— Transcrição da apresentação:

1 Funcionalismo Europeu (e repercussão do escolanovismo no Brasil) UFRGS/IP História da Psicologia 2007 Aula 11

2 Aulas anteriores: –Aula 09 - Evolução e funcionalismo –Aula 10 - Funcionalismo norte-americano Nesta aula: –Etologia –Psicanálise freudiana –Psicossociologia –Teoria Psicogenética de Piaget

3 Teoria Etológica Estudo do Instinto, do valor da sobrevivência e do papel da genética na evolução dos comportamentos e da ontogênese. Etologia comparada – déc. 30 – Lorenz ( ), Tinbbergen (1907- )

4 Teoria Etológica Técnica comparativa entre espécies próximas materializa o conceito de finalidade: –elementos só podem ser compreendidos simultaneamente (x atomismo) –Relacão das diferenças aos nichos ecológicos –Comparação entre variantes de uma mesma espécie para medir sucesso reprodutivo –Manipulação experimental com animais em cativeiro ou livres, alterando as consequências naturais de seus comportamentos para identificar efeitos na sobrevivência, reprodução, etc. –Ex.: Quantificação do sucesso reprodutivo: taxa de propagação de gens de um indivíduo em relação a outros.

5 Modelo Hidráulico de Lorenz Transplante direto da análise funcional para análise de mecanismos comportamentais O organismo é movido por impulsos instintivos que se acumulam e descarregam. O acúmulo de energias instintivas seria um processo endógeno que obrigaria o organismo a procurar as situações ambientais adequadas à sua liberação.

6 Mecanismo de redução de Drive, de Hull: Aprendizagem por reforçamento. Quanto maior o acúmulo de impulso, menor precisaria ser a intensidade e adequação da estimulação ambiental necessária para a apresentação do comportamento... Na impossibilidade de descarga de energia através de sua via natural (por ex., no caso de bloqueio da energia agressiva por ameaça de punição da agressão), a energia seria parcialmente descarregada em comportamentos aparentemente irrelevantes - comportamentos deslocados.

7 Hoje, o modelo hidráulico está abandonado por ser incompatível com a fisiologia. O comportamento deslocado não é mais interpretado como liberação de energia (que a fisiologia desconhece), mas de uma variação comportamental induzida pelo obstáculo e necessária à exploração do ambiente...

8 Psicanálise freudiana e funcionalismo Nada ocorre por acaso. Todos os fenômenos psíquicos estão inter-relacionados, e o indivíduo é um todo cujas partes são indissociáveis – nenhuma se esclarece sem que se estabeleçam suas relações com o conjunto. Estudo da personalidade sob um ponto de vista funcional

9 Metodologia psicanalítica –Infância permanece conosco sempre –Método para retirar informações sobre a infância dos adultos Associação livre, análise dos sonhos, transferência Associação livre: o pensamento em andamento, divã, relaxamento, analista fora da visão.

10 Modelos Implícitos 1. Arco-reflexo: da neurologia; tendência de organismos responderem quando recebem estimulações (mundo interno ou externo) 2. Energia: + pulsão interna, + gasto de energia = homeostase (modelo hidráulico de Lorenz/ leis de distribuição, transformação e descarga de energia) 3. Darwiniano genético: ponto de vista biológico evolucionário. Dividimos instintos com os animais – estágios psicossexuais. 4. Hierarquia neural: sistema nervoso integrado: níveis mais altos controlam os mais baixos (id, ego, superego...)

11 Psicossociologia Durkheim, Malinowski, Radcliffe-brown, Parson, Merton etc. Estrutura do modelo funcionalista: funções e complementaridade Sociedade = organismo Partes desempenham funções complementares = necessária à conservação e reprodução da vida social

12 Na sociedade o desempenho das funções é submetido a um sistema normativo que ofereça padrões de interação Teoria dos papéis Ênfase na institucionalização da ação de forma a assegurar a harmonia social Socialização (reprodução social)= aprendizagem de papéis, que envolve aquisição de expectativas acerca dos papéis Saber o que se espera de si e dos outros Aprendizagem de habilidades cognitivas e motoras – desempenho eficiente

13 Teoria Psicogenética de Jean Piaget Abordagem dos fenômenos psicológicos a partir do ponto de vista genético-funcional. –Gênese na história do sujeito psicológico –Estudo da cognição humana (pensamento, consciência) nos processos adaptativos. Crítica ao inatismo (inteligência como faculdade inata) e ao associacionismo (inteligência como fruto de associações adquiridas)

14 Conhecimento é um processo e não um estado A inteligência é um sistema de operações vivas e atuantes, e não uma substância. Designa formas superiores de organização ou de equilíbrio entre as estruturas cognitivas. Suas fontes se fundem com com as da própria adaptação biológica. É exatamente na explicação da passagem de uma estrutura a outra que intervém a análise funcional

15 Organismo - homeostase - Mudança (ruptura do equilíbrio) (auto-regulação) - Reação: Atos para a reconstrução (o comportamento tem por fim a manutenção do organismo)

16 Há interação entre o sujeito e o mundo externo. O conhecimento da criança muda na medida em que o seu sistema cognitivo se desenvolve. Como o conhecedor muda, o conhecimento muda também (interacionismo) O desenvolvimento cognitivo é uma embriologia mental (da biologia) –Assimilação (modifica objeto) –Acomodação (modifica estrutura) –Adaptação - Equilibração

17 Estágios do desenvolvimento Níveis cognitivos distintos propiciam diferentes maneiras de adaptação ao meio Espiral: oscilação - equilíbrio, preparação - culminância. Sensório-motor, pré-operacional, operacional concreto, operacional abstrato.

18 Movimento de renovação do ensino que foi especialmente forte na Europa, na América do Norte e no Brasil, na primeira metade do século XX. O grande nome do movimento na América foi o filósofo e pedagogo John Dewey ( ). Acredita que a educação é o exclusivo elemento verdadeiramente eficaz para a construção de uma sociedade democrática, que leva em consideração as diversidades, respeitando a individualidade do sujeito, aptos a refletir sobre a sociedade e capaz de inserir-se nessa sociedade Movimento da Escola Nova

19 Para John Dewey a escola não pode ser uma preparação para a vida, mas sim, a própria vida. Dois princípios básicos: o ensino universal público e gratuito e o primado da experiência na formação do conhecimento. De acordo com o ideário da escola nova, quando se fala de direitos iguais perante a lei, devemos estar aludindo a direitos de oportunidades iguais perante a lei.

20 Contexto Brasileiro Rápido processo de urbanização e a ampliação da cultura cafeeira trouxeram o progresso industrial e econômico para o país, porém, com eles surgiram graves desordens nos aspectos políticos e sociais, ocasionando uma mudança significativa no ponto de vista intelectual brasileiro. Na essência da ampliação do pensamento liberal no Brasil, propagou-se o ideário escolanovista

21 As idéias da Escola Nova foram inseridas em 1882 por Rui Barbosa ( ). Na década de 30, Getúlio Vargas assume o governo provisório e afirma a um grupo de intelectuais o imperativo pedagógico do qual a revolução reivindicava, por exemplo: Lourenço Filho ( ) e Anísio Teixeira ( ).

22

23 O documento surgiu de um chamado de Getúlio Vargas aos profissionais de ensino para que colaborassem com o governo. A intenção do manifesto foi distinguir os educadores chamados liberais, signatários do documento, daqueles ligados ao ensino católico e conservador. O Manifesto defende a laicidade do ensino e a obrigação do Estado de tornar efetivo "o princípio do direito biológico de cada indivíduo a sua educação integral". Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova (1932)

24 Reducionismo em Psicologia PercepçãoExpressão SentidoOrganismoLinguagem ExperiênciaConsciênciaComportamento AmbienteOrganismoAdaptação Interação EstímuloResposta

25 Trilogias em Psicologia Trilogia Geral AfetoCogniçãoConação Trilogia Funcionalista AmbienteOrganismoAdaptação/ interação Super-ego Ambiente Sistema normativo Ação (pragmatismo) Id Instintos (energia) Sociedade Estrutura herdada (bio) Ego Adaptação (qt) Conservação nda vida social Sujeito da ação

26 Matriz Funcionalista/organicista Qual a origem, como ocorre o desenvolvimento das estruturas e funções? –Ambientalistas –Nativistas –Interacionistas

27 Referencial da aula 11: ov03/html/pensadores.htmhttp://novaescola.abril.com.br/ed/167_n ov03/html/pensadores.htm Matrizes do Pensamento Psicológico, capítulo VI História da Psicologia - Rumos e Percursos, capítulo 15.


Carregar ppt "Funcionalismo Europeu (e repercussão do escolanovismo no Brasil) UFRGS/IP História da Psicologia 2007 Aula 11."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google