A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Visão do Hemocentro – o que deseja e como alcançar? Celso Guimarães Martinez Tecnólogo em Instrumentação e Controle Especialista em Engenharia Clínica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Visão do Hemocentro – o que deseja e como alcançar? Celso Guimarães Martinez Tecnólogo em Instrumentação e Controle Especialista em Engenharia Clínica."— Transcrição da apresentação:

1

2 Visão do Hemocentro – o que deseja e como alcançar? Celso Guimarães Martinez Tecnólogo em Instrumentação e Controle Especialista em Engenharia Clínica Diretor do Serviço de Apoio Complementar CENTRO DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - HEMOCENTRO DA UNICAMP

3 Demanda inicial Certificação ISO 9002:1994 e ISO9001:2000 Item 6.3. Infra-estrutura –A organização deve determinar, prover e manter a infra-estrutura necessária para alcançar a conformidade com o requisitos do produto. Inclui: equipamentos de processo (tanto materiais e equipamentos quanto programas de computador)

4 Demanda inicial Item 7.4 Aquisição –A organização deve assegurar que o produto adquirido está conforme com os requisitos especificados e incluir requisitos para aprovação, qualificação do usuário e sistema de gestão da qualidade

5 Demanda inicial Item 8 Medição, análise e monitoramento –A organização deve planejar e implementar os processos necessários de monitoramento, medição, análise e melhoria dos produtos em conformidade com o sistema de gestão e promovendo a melhoria contínua

6 Locais de Realização dos Trabalhos Hemocentro da UNICAMP;Hemocentro da UNICAMP; Unidade de Coleta e Agência Transfusional do Hospital Municipal Dr. Mário Gatti;Unidade de Coleta e Agência Transfusional do Hospital Municipal Dr. Mário Gatti; Unidade de Coleta e Transfusão do Hospital Celso Pierro – PUCC II;Unidade de Coleta e Transfusão do Hospital Celso Pierro – PUCC II; Unidade de Coleta do Hospital Estadual de Sumaré;Unidade de Coleta do Hospital Estadual de Sumaré; Hemonúcleo de Piracicaba;Hemonúcleo de Piracicaba; Hemonúcleo de Casa Branca;Hemonúcleo de Casa Branca; Agência Transfusional CAISM e do Hospital de Clínicas - UNICAMPAgência Transfusional CAISM e do Hospital de Clínicas - UNICAMP Laboratório de Criopreservação e Banco de Sangue de Cordão Umbilical do Hemocentro da UNICAMPLaboratório de Criopreservação e Banco de Sangue de Cordão Umbilical do Hemocentro da UNICAMP

7 Situação Inicial Gerenciamento Inadequado ou inexistente dos contratos de manutenção e comodatos; Ausência de calibrações e validações dos equipamentos; Inexistência de históricos dos equipamentos; Falta de um plano de Manutenção Preventiva;

8 Prazo excessivo para reparo de equipamentos; Demora no transporte de equipamentos até o fornecedor; Equipamentos transportados sem seguro; Falta de treinamento, principalmente de operadores; Situação Inicial

9 Aquisição de equipamentos sem descrição completa e sem verificação das necessidades de infra estrutura; Ausência de planejamento para incorporação de tecnologia – descrição, avaliação das condições de instalação, programa de manutenção, treinamento do usuário, etc. Situação Inicial

10 Sistema de Gestão O sistema de gestão foi baseado nos preceitos da norma ISO 9000 –inicialmente versão 1994 e posteriormente versão 2000 Foram criados processos para Aquisição, Manutenção Preventiva, Manutenção Corretiva, Calibração e Validação de equipamentos, além de Validação de Processos

11 SG - Aquisição Todo processo de aquisição passa pela Metrologia; Fazemos uma interface fornecedor e usuário para efetuar descrição adequada pelo CEB; Após aquisição fazemos Recebimento do Equipamento e incluímos o mesmo no Plano de calibração, validação ou manutenção, se for o caso; RRE – Relatório de Recebimento do Equipamento – Certidão de Nascimento;

12 SG – Manutenção Preventiva No recebimento do equipamento é executada a inclusão no PAMP e definida a periodicidade da Manutenção; Preventivas são executadas pelo Hemocentro, CEB, CEMEQ e empresas terceirizadas (comodatos); Check lists são definidos pelo Hemocentro;

13 SG – Manutenção Corretiva Usuário não abre solicitação de corretiva direto a fornecedores; Centralização através da Metrologia; Execução das corretivas pelo Hemocentro, CEB, CEMEQ e Comodatos; Após realização da manutenção, executada a alimentação de Histórico e execução de Calibração, se for o caso;

14 SG – Calibração Desvios admissíveis definidos com usuário e periodicidades pela Metrologia; Calibração executada pela empresa IS Metrologia, com gerenciamento do Hemocentro; Análise crítica das calibrações pela Metrologia; Comodatos – responsabilidade das empresas com acompanhamento da Metrologia;

15 SG – Validação de Equipamentos Aplica-se a estufas, auto-claves, câmaras de conservação, etc; Monitoramos 12 pontos num período de 08 horas dentro das rotinas dos laboratórios; Temperaturas devem estar dentro dos parâmetros normativos ou de acordo com necessidade do usuário;

16 Resultados Certificação ISO 9001 desde Janeiro de Órgão certificador BVQI Reconhecimento nacional nas áreas técnicas de atuação (ensino, assistência e pesquisa) bem como na área de qualidade e gestão Participação freqüente em comissões governamentais relacionadas com propostas de programas de qualidade para Serviços de Hemoterapia (MS, ANVISA, ONA, etc.)

17 Atualmente possuímos 1137 equipamentos patrimoniados 543 equipamentos no plano anual de Manutenção Preventiva – relacionados principalmente com o escopo da certificação 1251 equipamentos no plano anual de Calibração

18 Evolução do Parque de equipamentos controlados

19

20

21

22

23

24

25

26 Literatura: Segundo Webster um programa de Manutenção preventiva eficaz pode: –Aumentar a produtividade 25%; –Diminuir custos de operação em até 30%; –Aumentar a vida útil dos equipamentos em 50%;

27 Incorporação Tecnológica A incorporação tecnológica no Hemocentro da UNICAMP é tratada através de Planos de Qualidade; Sempre que há uma nova tecnologia sendo requerida ou equipamentos que exijam grande infraestrutura, solicita-se o plano. Neste, são traçadas as ações das pessoas envolvidas e verifica-se a viabilidade técnica, operacional e financeira

28 Incorporação Tecnológica Plano da Qualidade Itens contemplados: –Modificar / Desenvolver novo processo; –Implementar novos controles de processo; –Validar novo processo ou equipamento; –Desenvolver ou modificar procedimentos e registros; –Introduzir, testar ou instalar novo equipamento;

29 Incorporação Tecnológica Plano da Qualidade –Alterar sistemática de rastreabilidade; –Avaliação de impactos externos (outras instituições); –Capacitação de pessoal; –Redefinição ou atualização de objetivos da qualidade; –Outras ações.

30 Parque de Equipamentos Dificuldade dos serviços públicos – sucateamento dos equipamentos e dificuldade de reposição (recursos escassos) Hemocentro da UNICAMP: –Equipamentos com até 05 anos – ,8%; –Equipamentos de 05 a 10 anos – ,5%; –Equipamentos com mais de 10 anos – ,6%

31 Valor estimado – U$$ ,00 R$ ,00 (U$$ 2,40) Despesas com o grupo de Manutenção em 2004: –CEB R$ ,46 –Peças Hemo R$ 8.000,00 –Calibrações/Validações R$ ,00 –Grupo Manutenção ,00 Total ano 2004 R$ ,46 Parque de Equipamentos

32 Despesas no ano de 2004 equivalem a 3,4% do valor estimado do parque de equipamentos; Literatura diz que o índice percentual deve ser inferior a 6% Parque de Equipamentos

33 A implantação da gestão de equipamentos em um Centro de Hematologia e Hemoterapia tem grande relevância, pois influencia na eficiência e eficácia dos processos e na segurança e confiabilidade da assistência; É um custo que deve ser considerado pela alta direção das instituições de saúde Conclusão

34 Celso Guimarães Martinez – Fone – (19) /8714 Contato


Carregar ppt "Visão do Hemocentro – o que deseja e como alcançar? Celso Guimarães Martinez Tecnólogo em Instrumentação e Controle Especialista em Engenharia Clínica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google